Maurice Chevalier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Maurice Chevalier

Maurice Chevalier (Paris, 12 de setembro de 18881 de janeiro de 1972) foi um ator, cantor e humorista francês. Chevalier compôs muitas músicas famosas como "Louise", "Mimi", e "Valentine."

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seu pai era pintor de construções. Sua mãe era belga. Chévalier ficou famoso após cantar de maneira engraçada uma música popular e muito conhecida na época.

Quando tinha 13 anos, em 1901, ele cantava em uma cafeteria, num show de negócios. Até que um dia um membro do teatro do show o viu e deu a sugestão de que Chévalier poderia cantar em um local apropriado, próprio para músicos e cantores. Assim, foi para Paris onde fez muito sucesso.

Em 1914, Chevalier foi chamado para o serviço militar. Ele não queria ser militar. Querendo voltar para França, em sua primeira semana de serviço, acabou sendo preso por durante dois anos na Alemanha.

Em 1917, começou a cantar no Cassino de Paris, onde conheceu o jazz. Depois foi para Londres. Teria aprendido inglês quando fora preso na Alemanha. Assim, acreditava que teria mais sucesso na Inglaterra do que outros artistas franceses. Assim, ficou mais conhecido ainda.

Seu caso de dez anos com a famosa cantora e atriz de revista francesa, Mistinguett, os tornou uma espécie de "Casal sensação" no início do século. Dizem que ele seria o homem aludido na célebre canção "Mon Homme", de Mistinguett.

Na década de 1920, foi para Hollywood, nos Estados Unidos. Assinou um contrato com a Paramount Pictures. Logo depois, foi nomeado na Academia de Award de melhor ator, para dois filmes: The Love Parade (1929) e The Big Pond (1930).

Em dezembro de 1971, Chévalier passou mal nos Estados Unidos. Foi para o hospital, onde faleceu no primeiro dia do ano de 1972.

Brasil[editar | editar código-fonte]

Em 1951, Maurice Chévalier foi em toda sua vida apenas uma vez ao Brasil . Nessa época era um dos mais famosos cantores do mundo. Veio especialmente aqui para ser entrevistado na festa de lançamento da TV Tupi do Rio e cantar na inauguracao do "Golden Room" do Copacabana Palace. Foi entrevistado pelo jornalista Arnaldo Nogueira, em seu programa Falando Francamente, o primeiro talk-show da TV Brasileira.

Músicas famosas[editar | editar código-fonte]

  • "Madelon de la Victoire" (1918)
  • "Dans la vie faut pas s'en faire" (1921)
  • "Valentine" (1924)
  • "Louise" (1929)
  • "You Brought a New Kind of Love to Me" (1930)
  • "Living In the Sunlight, Loving In the Moonlight" (1930)
  • "Mimi" (1932)
  • "Prosper (Yop La Boum)" (1935)
  • "Quand un Vicomte" (1935)
  • "Ma Pomme" (1936)
  • "Le Chapeau de Zozo" (1936)
  • "Mimile (un gars du Ménilmontant)" (1936)
  • "Ça Fait d' Excellents Français" (1939)
  • "Ça sent si bon la France" (1941)
  • "La Chanson du Maçon" (1941)
  • "Notre Espoir" (1941)
  • "Up On Top Of A Rainbow (Sweepin' The Clouds Away" (?)
  • "Thank Heaven For Little Girls" (1957)
  • "I Remember It Well" (1957)
  • "Enjoy It!" (1967)
  • "The Aristocats" (1970)
Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.