Mervyn LeRoy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Mervyn LeRoy (São Francisco, Califórnia em 15 de Outubro de 1900 - Los Angeles, Estados Unidos em 13 de Setembro de 1987), foi um director de cinema americano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mervyn começou no Teatro de Vaudeville, onde estreou ainda criança ao lado da mãe. Em 1924, por intermédio de um primo, o produtor Jesse Lasky, empregou-se no Famous Players onde trabalhou no laboratório, como assistente de câmara e escritor de gags, até 1927.

Seu sonho era dirigir um filme e ele conseguiu a proeza em 1927 ao realizar No Place to Go (Idílio mal parado). A partir daí, reconhecido pela crítica como uma grande revelação, ele dirigiu 30 filmes de 1930 a 1939.

Dirigiu todos os tipos de filmes mas se destacou por aqueles que abordavam problemas sociais como Little Caesar (Alma no Lodo), Two Seconds (Dois segundos) e I am a fugitive from a chain gang (O Fugitivo).

Suas maiores bilheterias foram com filmes históricos como "A Ponte de Waterloo" de 1940 e "Quo Vadis?" de 1951.

Filmografia[editar | editar código-fonte]