Artes marciais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Artes Marciais)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wiki letter w.svg
Por favor, melhore este artigo ou secção, expandindo-o(a). Mais informações podem ser encontradas na página de discussão. Considere também a possibilidade de traduzir o texto das interwikis.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde setembro de 2018). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Artes marciais (do latim ars: "técnica", do romano: "deus Marte" - "A técnica de Marte") ou Wushu (chinês tradicional: 武術: "arte da guerra"), são práticas físicas e mentais, derivadas de técnicas de guerra,[1] divididas em diferentes graus, com o objetivo de desenvolvimento de seus praticantes para que possam defender-se atacando,[2] ou submeter o adversário mediante diversas técnicas e, também expressar um ideal.[1] A expressão Wushu designa todas as artes guerreiras, militares ou marciais.[3] Técnicas de desefas que passaram por aperfeiçomento gradual e foram transmitidas às gerações posteriores.[2]

Na cultura ocidental, o Kung-Fu ficou conhecido como a “arte da guerra”, originando uma confusão com o Wushu, pois na cultura oriental são dois conceitos diferentes: o Kung-Fu faz parte do Wushu, é apenas um dos estilos marciais, que ensina que tudo pode ser adquirido e aprendido através do esforço individual.[3]

Artes marciais também são sistemas para treinamento de combate (treinamento militar, policial e de defesa pessoal) geralmente sem o uso de armas de fogo ou de outros dispositivos modernos.[4]

Artes marciais também são praticadas como modalidades de cunho esportivo, chamadas de desporto de combate, onde o objetivo principal são as competições (esportivo-competitivas). Existem diversos estilos, sistemas e escolas de artes marciais. O que diferencia as artes marciais da mera violência física (briga de rua) é a organização de suas técnicas em um sistema coerente de combate, desenvolvimento físico, mental e espiritual.

Muitas destas artes de guerra orientais e ocidentais deram origem a artes que atualmente são praticadas em todo o mundo, como por exemplo: Wushu (popularmente conhecido como Kung Fu); taekwondo; esgrima; arqueirismo (tiro com arco); hipismo; boxe; savate; judô; karatê; luta olímpica (a luta greco-romana e a luta livre olímpica); ninjutsu, e; etc.

Etimologia

O termo "arte marcial" ou "arte da guerra" tem origem ocidental,[1] quando na Roma antiga o deus grego-romano da guerra Marte/Ares ensinou a técnica de luta ao ser humano.[2][5] Na Roma eram artes militares ensinadas aos homens, de acordo com a legião que atuava no exército do império, para o confronto direto ou corpo a corpo.[2][5]

Atualmente, o termo artes marciais é usado para todos os sistemas de combate de origem oriental e ocidental,[5] com ou sem o uso das tradicionais armas de artes marciais. Mas apesar da mitologia este conceito não surgiu na Grécia ou na Roma, as raízes foram encontradas na Mesopotâmia, quando os povos arianos (da Ásia Central) conquistaram o Mundo Clássico (da Irlanda à Índia, do Egito à Rússia).[2] A técnica guerreira ariana mesclou-se ao yoga hindu (respiração, visualização e, concentração).[2]

O objetivo primário das artes marciais é "defender-se atacando".[2] No oriente, existem outros termos mais adequados para a definição destas artes, como por exemplo: na China é chamado de wu shu, que significa em português "a arte de dominar a guerra" ou "parar a guerra";[2] No Japão e chamado de bu-shi-do, que significa "caminho do guerreiro".

Por outro lado, as modalidades que têm uma origem mais marcial, como por exemplo: kombato e okrav magá, têm como objetivo a defesa pessoal em situações de risco, durante combate corpo a corpo sem regras, muitas vezes com enfoque na formação do caráter do ser humano. Onde no Japão, estas são chamadas de Bu-Dô, que significa "Caminho educacional através das lutas".

História

Sua origem confunde-se com o desenvolvimento da civilização, quando, logo após o desenvolvimento da onda tecnológica agrícola, alguns começam a acumular riqueza e poder e com isso o surgimento de cobiça, inveja e seu corolário, a agressão.

A necessidade abriu espaço para a profissionalização da proteção pessoal. Embora a versão mais conhecida da arte marcial, principalmente a história oriental, tenha como foco principal Bodhidharma - monge Indiano que, em viagem ao China, orientou os monges chineses na prática do yoga e rudimentos da arte marcial indiana, o que caracterizou posteriormente na criação de um estilo próprio pelos monges de shaolin -, é sabido, historicamente, através da tradição oral e escavações arqueológicas, que o kung fu já existia na China há mais de 5 000 anos. Da China, estes conhecimentos se expandiram por quase toda a Ásia.

Japão e Coreia também têm tradição milenar em artes marciais. No Japão, destaca-se o judô, o caratê e seus estilos, tais como shotokan, bushi ryu, shito-ryu, shorin-ryu, o jiu-jítsu, o quendô, o aiquidô etc.

Recentes descobertas arqueológicas também mostram guardas pessoais na Mesopotâmia praticando técnicas de defesa e de imobilização de agressores. Paralelamente, o mundo ocidental desenvolveu outros sistemas, como o savate francês.

Atualmente, pessoas de todo o mundo estudam artes marciais por diferentes motivos: como condicionamento físico, defesa pessoal, coordenação física, lazer, desenvolvimento de disciplina, participação em um grupo social e estruturação de uma personalidade sadia, visto que a prática possibilita o extravasamento da tensão que harmoniza o indivíduo, focalizando-o positivamente. No Systema, o enfoque na respiração proporciona benefícios físicos e psicológicos, como diminuição do cansaço, potencialização dos movimentos, aumento da autoconsciência e tranquilização.

As artes marciais apresentam uma enorme variedade de golpes. O combate no solo emprega principalmente contra o oponente técnicas de: quedas, chaves, torções, estrangulamentos e imobilizações. Dependendo do estilo, também podem envolver socos, chutes, joelhadas, cotoveladas e golpes com a cabeça, que são, em geral, aplicados nas técnicas de combate em pé. O termo da língua inglesa ground and pound (em português pode ser: "socar", "triturar", "encurralar") designa os golpes traumáticos desferidos contra o oponente dominado no solo.[6]

Kata

Ver artigo principal: Kata (artes marciais)

Kata (型 ou 形, forma?) é um conjunto de movimentos que simula o ataque e a defesa de uma situação real em uma luta imaginária, está presente em diversas artes marciais japonesas[7]. Podem ser realizados individualmente ou em conjunto.

Cada movimento tem sua interpretação, devendo ser respeitado seu tempo e aplicação. O objetivo do kata é ajudar no desenvolvimento das aptidões psicológicas e físicas necessárias para o verdadeiro combate. controla o espaço entre si e seu adversário. Os kata, quando foram desenvolvidos, tiverem como modelo principal os movimentos que certos mestres tiveram que usar em situações reais de perigos contra dois ou mais adversários.

Sistemas de classificação das artes

Oriente

No Oriente a arte marcial é integrada a um sistema filosófico, com desenvolvimento físico e espiritual, contribuindo na formação do caráter, criando uma consciência sobre a futilidade da competição e do uso na defesa de quem não tem o mesmo preparo.

Entre os estilos orientais de luta, podemos citar: Kombatan; Pencak silat; Muay Lao; Naban; Thaing; Malla khra; Viet vo dao; Vovinam; Bando.

Na China

Ver artigo principal: Artes marciais chinesas

As artes de luta chinesas se dividem em dois grupos:

Shu: representam os estilos mais recentes e modernos, muito destes adaptados à competição.
Shi: representam os estilos diversificados, normalmente junção de várias artes marciais. ex: Kung shi

Exemplos: Bajiquan; Choy gar; Choy lay fut; Fei hok phai; Hung gar; Lau gar; Lee gar; Louva-a-deus do norte; Lun tien thuen; Mao quan; Mian chuan; Mok gar; Nan quan; Piguaquan; Wing chun; Ying zhao quan; Tai chi chuan; Zui quan; Baguazhang; Hsing-i chuan; I-chuan; Neigong.

No Japão

Ver artigo principal: Lista de artes marciais japonesas
Ver também: Budō

As artes de luta japonesas se dividem em três grupos:

Bugei: sistema é simplório, representam as técnicas de guerrear com o aprendizado voltado ao uso de equipamentos bélicos tradicionais, como: arco e flecha, os diferentes tipos de espadas, lança, alabardas, machados, correntes, característicos da época e região.
'Bujutsu: representam todas as modalidades técnicas milenares para o combate corpo a corpo, definido como as dezoito disciplinas de combate, incluindo equitação e natação. Foi estabelecido após o período Kamakura japonês (1192-1333), após a chegada da classe samurai ao poder, sendo sua prática limitada a membros da elite guerreira, cabendo o domínio total das técnicas somente a uma pessoa, o fundador do estilo. Ex. Budo Taijutsu, Kenjutsu, Iaijutsu, Ninjutsu.
Budō: é a evolução do bujutsu, juntamente com o bugei. Contudo, o budô foi dividido em duas linhas de evolução: a linha esportiva competitiva e a linha de estudo da técnica marcial, sem o propósito de guerra, evolução característica da arte marcial e outras desde a antiguidade. Ex: caratê, quempô, judô, aiquidô, quendô, quiudô, etc.

Exemplos: Aikidō; Jōdō; Judō; Jukendō; Iaidō; Karate-dō; Kendō; Kyūdō; Naginata-dō; Shōrinji kenpō; Battōjutsu; Hojōjutsu; Iaijutsu; Jōjutsu; Jujutsu; Juttejutsu; Kenjutsu; Kenpō; Kyujutsu; Naguinatajutsu; Ninjutsu; Shurikenjutsu; Sōjutsu.

Na Tailândia

Exemplos: Krabi krabong; Lerdrit; Muay boran; Muay thai; Silat pattani.

Na Índia

Exemplos: Gatka; Kabaddi; Kalari payattu; Malla khra; Malla yuddha; Mushti yuddha; Pehlwani; Silambam; Vajra mushti.

Na Coreia

Exemplo: Geon gon kwan; Gongkwon yusul; Haidong gumdo; Hankido; Hankumdo; Hapkido; Hoi jeon moo sool; Hwa rang do; Kuk sool won; Sipalki; Soo bahk do; Ssireum; Subak; Taekkyeon; Taekwondo; Tangsudo.

Em Israel

Exemplo: Abir; Krav magá; KAPAP.

No Ocidente

No período moderno, diversas práticas marciais ficaram vinculadas unicamente à luta e à defesa pessoal, situação muito distinta do Oriente, que as integra a um sistema filosófico. Mas a Europa também mantinha uma tradição filosófica de unir a arte marcial às ciências, desde o período greco-romano, passando pelos nobres europeus na idade média e cientistas no renascimento, todos aplicavam o método científico em suas práticas.

Entre os estilos ocidentais de luta, podemos citar: Galhofa; Esgrima crioula; Kalenda; Full contact; Jeet kune do; Jiu-jitsu brasileiro; Jogo do pau; Keysi; Luta greco-romana; Sambo, e; etc.

Na Grécia

Exemplos: Pále; Pancrácio; Luta Greco-romana.

O pancrácio (pankration), uma arte greco-romano que originou diversos sistemas de combates com mãos, e armas de vários tamanhos, na Europa:[8][5] Abrazzare; Boxe; Catch-as-catch-can; Kampfringen; Glíma; Gouren, e; Savate.

Nos Estados Unidos

Exemplos: Chun kuk do; Hawaii kenpo; Jeet kune do; Kajukenbo; Kickboxing americano; Kickboxing bando.

No Brasil

Ver artigo principal: Artes marciais brasileiras

Exemplos: Aipenkuit; Capoeira; Huka-huka; Idjassú; Jiu-jítsu brasileiro; Karate Machida; Kombato; Luta marajoara; Maculelê; Seiwakai.

Na Grã-Bretanha

Exemplos: Bartitsu; Boxe com as mãos nuas; Catch wrestling; Collar-and-elbow; Defendu; Wrestling da Cornualha.

No Peru

Exemplos: Rumi maki e Vacón.

Imagens

Golpes

Alguns golpes usados por diversos estilos de artes marciais:

Referências

  1. a b c Rufino, Luiz Gustavo Bonatto (2011). «Lutas, artes marciais e modalidades esportivas de combate: uma questão de terminologia» 158 ed. Buenos Aires: Universidade Estadual Paulista em Rio Claro. Revista Educación Física y Deportes. Consultado em 10 de setembro de 2018 
  2. a b c d e f g h Globo Comunicação, ed. (22 de setembro de 2012). «Criadas para a autodefesa, as artes marciais têm origem na pré-história». Globo Ciência 
  3. a b «História do Kung Fu e Wushu». Lutas e Artes Marciais. Consultado em 10 de setembro de 2018 
  4. «O que são Artes Marciais». Consultado em 26 de agosto de 2012 
  5. a b c d «Origem das Artes Marciais - Matriz e Suas Ramificações Pela História no Mundo». Esportes, Base do Diário de Notícias- BDN. 3 de setembro de 2017 
  6. [1](em português) MMA Brasil - acessado em 17 de Janeiro de 2011.
  7. «AIKIDO - The Peaceful Martial Art» (em inglês). Consultado em 23 de Agosto de 2010 
  8. Educação, sujeito e trabalho. [S.l.]: Anne Sullivana University. 18 de junho de 2014  |editora= e |publicado= redundantes (ajuda)

Ver também

Ligações externas

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Artes marciais
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Artes marciais
Wikcionário
O Wikcionário tem o verbete Arte marcial.