Enel Distribuição Goiás

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de CELG)
Enel Distribuição Goiás
Razão social CELG Distribuição S/A
Empresa de capital fechado
Atividade Utilidade
Gênero Sociedade Anônima
Fundação 19 de agosto de 1955 (66 anos)
Sede Goiânia, GO, Brasil
Área(s) servida(s) 237 municípios do Estado de Goiás
Proprietário(s) Enel Brasil
Presidente José Luis Salas
Produtos Distribuição de energia elétrica
Empresa-mãe Enel
Antecessora(s) Centrais Elétricas de Goiás, Companhia Energética de Goiás (CELG)
Website oficial www.enel.com.br/pt-goias.html

A Enel Distribuição Goiás, conhecida anteriormente como Companhia Energética de Goiás (CELG), é uma empresa de distribuição de energia elétrica com atuação no estado de Goiás, com sede em Goiânia.

Anteriormente, a Celg pertencia à CELGPAR, uma sociedade de economia mista e de capital autorizado cujos acionistas são o Estado de Goiás, que possui 99,68% do capital, além de outros pequenos acionistas, como a Eletrobras, municípios e investidores privados.

História[editar | editar código-fonte]

Com lance de R$ 2,187 bilhões, a Enel foi a vencedora do leilão de privatização da Celg D. Inclusive, este foi o único lance válido para a compra da distribuidora de energia elétrica de Goiás.[1]

O processo de vendas foi finalizado em Goiânia,[2] em 14 de fevereiro de 2017. No dia 07 de março de 2018, a Enel assumiu a sua marca global em Goiás e a Celg, por sua vez, passou a se chamar Enel Distribuição Goiás.

Com o propósito de fazer a integração ao grupo e de reforçar ao público todas as mudanças,[3] além de outras ações, a companhia adotou uma nova identidade que contemplou a mudança do site, layout de lojas, frotas e uniformes.

A Enel destaca ter como pilar dos investimentos o Projeto Telecontrole, que visa à automação da rede elétrica de média tensão por meio da instalação de equipamentos telecomandados e de um sistema de gestão remota.

Com atuação nos cinco continentes, a companhia já utiliza esta tecnologia em outros países, como a Itália e a Romênia, por exemplo. Com ela, é possível identificar e isolar, com muito mais agilidade e à distância, as falhas ocorridas na rede, reduzindo o número de clientes afetados, com ótimos benefícios na qualidade dos serviços prestados.[4]

Estabelecidos pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), agência que regula o setor, os chamados indicadores de continuidade do serviço definem os limites de interrupções do serviço que cada distribuidora precisa respeitar: tanto a duração quanto o número de interrupções têm limites objetivos e, quando tais limites são ultrapassados, as empresas são penalizadas com perda de tarifa.

Durante a fase estatal o governo investia R$ 220 milhões por ano – valor insuficiente para manter a reposição e a expansão adequadas dos ativos –, a nova gestão privada tem investido R$ 800 milhões por ano, ou mais que o triplo.[5]

A Enel Distribuição Goiás apresentou à Aneel, em fevereiro de 2019, o Plano Emergencial de Melhoria da Qualidade da empresa, com previsão de ações e investimentos no curto prazo para corrigir problemas na qualidade do fornecimento de energia e no atendimento comercial à população.

Após reunião com os executivos da companhia e em resposta à análise de desempenho da distribuidora no Plano de Resultados da Aneel, a apresentação do plano foi determinada pela Aneel em fevereiro de 2019.

O Governo de Goiás e a Enel Distribuição Goiás assinaram um acordo, com a presença do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque e do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, com o intuito de melhorar os serviços de distribuição de energia no estado. Segundo o documento, as medidas previstas possibilitam ampliar em 26% a capacidade da rede de distribuição de eletricidade até 2022. [6]

No final de 2020, a Aneel aprovou o plano de resultados da Enel com reservas e substituiu o plano emergencial que estava em curso desde 2019. A distribuidora segue cumprindo integralmente as metas definidas. No que diz respeito à demanda reprimida, houve redução de 68% (de 462 MVA para 147 MVA), 1 MVA melhor do que o previsto na meta. Quanto à instalação de bancos de capacitores, foram instalados 486,75 MVAr, cumprindo a meta. Já em relação às conexões rurais, foram tratados 6.453 pedidos de conexão, superando a meta de 5.700.[7]

Administração[editar | editar código-fonte]

  • José Nunes de Almeida Neto, Diretor Presidente;
  • Michelle Rodrigues, Diretora de Administração, Planejamento e Controle, Financeiro e de Relações com Investidores;
  • Ana Claudia Gonçalves Rebello,  Diretora Jurídica;
  • Flávia Baraúna, Diretora de Serviços;
  • Luiz Flavio Xavier de Sá, Diretora de Mercado.

Área de concessão[editar | editar código-fonte]

A área de concessão da Enel Distribuição Goiás abrange aproximadamente 98,7% da distribuição no estado, num total de 237 municípios e cerca de 3,27 milhões de habitantes.[8]

Atendimento ao cliente[editar | editar código-fonte]

A Enel Distribuição Goiás conta com 240 postos de atendimento presencial em todo o estado e cinco vans de atendimento móvel.

A companhia também oferece aos seus clientes os seguintes canais de atendimento: call center (0800 062 0196), agência virtual no site (www.enel.com.br), aplicativo Enel Goiás (disponível para Android e iOS), pelo WhatsApp Elena - (21) 99601-9608 -, Facebook (www.facebook.com/EnelClientesBR) ou Twitter (twitter.com/EnelClientesBR). O produtor rural também pode contar com um atendimento exclusivo através do telefone: (62) 99829-9908.

Além dos canais de atendimento tradicionais da companhia, já está disponível o Whatsapp, (62) 99829-9908, exclusivo para produtores rurais e o aplicativo Apporteira, que é de autoria da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg). Nele, o cliente comunica a falta de energia e informa o endereço, podendo incluir, inclusive, informações adicionais, como pontos de referência, o que também facilita a chegada das equipes no local.

No aplicativo, o cliente também tem a opção de clicar no ícone do WhatsApp e ser direcionado imediatamente a uma conversa direto com a distribuidora. O Apporteira está disponível gratuitamente para Android e IOS (http://www.apporteira.com.br/).[9]

Os endereços das lojas de atendimento podem ser consultados em: https://www.eneldistribuicao.com.br/go/Lojas.aspx

Sustentabilidade[editar | editar código-fonte]

A Enel realiza diversos de projetos sociais no Estado, são eles:

Ecoenel - Nesse projeto, que é voltado à reciclagem, as pessoas podem trocar seus resíduos recicláveis por bônus na conta de energia. Iniciado em 2017 em Goiás, o Ecoenel já viabilizou a troca de mais de 1,5 mil toneladas de resíduos por descontos na conta de energia. O projeto conta com 43 postos de coleta em 7 cidades goianas.[10]

Enel Compartilha - Viabiliza a troca gratuita de lâmpadas incandescentes ou fluorescentes - exceto modelos tubulares -, que têm alto consumo de energia, por modelos de LED, sendo 80% mais econômicas e com uma durabilidade até 10 vezes maior.

Desde 2017, já foram trocadas, gratuitamente, 207,9 mil lâmpadas, além de outras 12,8 mil geladeiras trocadas gratuitamente.[11]

Enel Compartilha Eficiência, Chuveiro eficiente - Em 2020, a Enel realizou a doação de chuveiros eficientes (gastam até 50% menos energia quando comparado ao convencional) a 5,5 mil famílias de baixa renda. Nesse projeto também foram trocadas 16 mil lâmpadas ineficientes por outras de LED, muito mais econômicas e eficientes. [12]

Enel Compartilha Eficiência - CPP – O Projeto de Eficiência Energética da Enel Distribuição Goiás é regido pela Lei n° 9.991, de 24 de julho de 2000, e regulamentado pela Aneel. A legislação determina que distribuidoras de energia apliquem anualmente 0,4% de sua receita operacional líquida anual no desenvolvimento em ações de eficiência energética no uso final de energia elétrica, por meio de projetos executados em instalações dos consumidores.[13]

Ao assumir um compromisso público com seis dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, o projeto Enel Compartilha Eficiência, coloca em prática uma iniciativa que colabora com a melhoria da eficiência energética, impulsionando o ODS de número 7, que consiste em assegurar energia confiável, sustentável, moderna e a preço acessível para todos.

A Enel já investiu, desde 2017, cerca de R$ 67,1 milhões em 34 projetos de eficiência energética em hospitais, instituições de ensino e outras entidades.

Luz Solidária - Uma iniciativa de sustentabilidade da Enel voltada ao uso inteligente e eficiente da energia elétrica, o programa Luz Solidária Enel permite aos clientes a troca de eletrodomésticos antigos por modelos novos e mais econômicos com 50% de desconto em toda a área de concessão da distribuidora.

A ação está alinhada aos compromissos assumidos pelo Grupo Enel com a Agenda 2030 das Nações Unidas e com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), especialmente com o ODS 7 – Energia Limpa e Acessível.

Com o programa Luz Solidária, a companhia já ofereceu cerca de R$ 53 milhões em bônus para aquisição de 41,6 mil equipamentos eficientes (geladeira, ar-condicionado e freezer). Por meio do programa, também foram repassados R$ 6 milhões para o financiamento de 70 projetos sociais, além da troca de cerca de 51 mil lâmpadas ineficientes por outras de LED mais eficientes, beneficiando mais de 13 mil pessoas.[14]

Obras e Investimentos[editar | editar código-fonte]

Desde que assumiu a gestão da distribuição de energia no estado de Goiás, em 2017, a Enel entregou 12 novas subestações, além disso, a companhia modernizou cerca de 130.[15]

A Enel Distribuição Goiás também finalizou a instalação de 62 postos avançados de atendimento no Estado. Nas bases de atendimento, a distribuidora conta com equipes, veículos, ferramentas e todos os materiais necessários para a realização de atendimentos emergenciais e de rotina.

Na zona rural, onde tem mais dificuldade em atuar devido as grandes distâncias das redes e dificuldade de acesso, a empresa reforça os seus investimentos. A companhia buscou soluções com a inspeção da rede feita por helicópteros que otimizam o trabalho da equipe em campo, já foram quase 100 mil quilômetros percorridos entre 2017 e 2020.[16]

Telecontrole[editar | editar código-fonte]

Focada na tecnologia e na inovação, a Enel instalou em Goiás cerca de 6 mil equipamentos de telecontrole. Controlados à distância por técnicos que ficam no Centro de Operações, em Goiânia, os equipamentos telecontrolados possibilitam a localização e o isolamento de um defeito de forma muito rápida, reestabelecendo o fornecimento de energia em sua totalidade em menos de três minutos ou deixando o menor número possível de clientes sem o serviço até que os reparos necessários sejam realizados.[17]

Enel Pandemia[editar | editar código-fonte]

A companhia trabalhou na campanha #JuntosNaMesmaEnergia, e realizou um plano de doações durante a pandemia. A campanha viabilizou a doação de 4 mil cestas básicas para a Organização das Voluntárias de Goiás; 26 mil máscaras e cinco respiradores para a Secretaria da Saúde do Estado de Goiás; 987 lâmpadas e luminárias para a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social do Estado de Goiás (SEDS); 12 mil máscaras artesanais, 500 cobertores, 2400 cestas básicas e 1200 cestas de produtos de limpeza para 4 instituições sociais. [18]

Referências

  1. Victória Mantoan, Camila Maia (30 de novembro de 2016). «Enel fica com Celg D em 1º leilão de privatização do governo». https://valor.globo.com/. Consultado em 1 de abril de 2022 
  2. Martins, Vanessa (14 de fevereiro de 2017). «Estado e Enel assinam contrato de privatização da Celg, em Goiás». https://g1.globo.com. Consultado em 19 de março de 2022 
  3. «Celg passa a se chamar Enel Distribuição Goiás - O Popular». https://opopular.com.br. 7 de março de 2018. Consultado em 9 de março de 2022 
  4. Morais, Raquel (8 de março de 2018). «Celg passa a se chamar Enel Distribuição Goiás e promete reduzir quedas de energia em 40% até 2020». https://g1.globo.com. Consultado em 2 de março de 2022 
  5. Claudio Sales, Eduardo Monteiro (17 de dezembro de 2019). «Uma Distribuidora de Eletricidade Maltratada». Consultado em 21 de março de 2022 
  6. Rodrigo Gonçalves, Honório Jacometto (26 de agosto de 2019). «Acordo para melhorar distribuição de energia em Goiás é assinado entre Governo do Estado e Enel». https://g1.globo.com/. Consultado em 8 de fevereiro de 2022 
  7. Alexandria, Katherine (24 de janeiro de 2021). «Aneel cobra melhorias da Enel em Goiás para 2021 - O Popular». Consultado em 12 de março de 2022 
  8. «Energia elétrica fica mais cara em Goiás a partir desta quinta-feira». https://www.aredacao.com.br. 22 de outubro de 2020. Consultado em 10 de fevereiro de 2022 
  9. «Enel Distribuição Goiás amplia canais de atendimento ao produtor rural». Consultado em 22 de março de 2022 
  10. Araújo, Yanka (21 de outubro de 2020). «Campanha da Enel troca lixo reciclável por desconto em contas de energia de instituições de caridade em Goiás». Consultado em 5 de abril de 2022 
  11. Chaves, Vanessa (2 de dezembro de 2020). «Projeto da Enel troca 2 mil lâmpadas de graça em Goiânia». https://g1.globo.com. Consultado em 3 de junho de 2021 
  12. Amoury, Jamyle (12 de agosto de 2020). «Enel lança em Goiânia 'chuveiro eficiente' que gasta até 33% menos energia do que o equipamento convencional». https://g1.globo.com. Consultado em 16 de fevereiro de 2022 
  13. Ribeiro, Ana (5 de dezembro de 2020). «Enel realiza chamada pública para projetos com foco em consumo eficiente». Consultado em 17 de janeiro de 2022 
  14. Oliveira, Danielle (11 de novembro de 2019). «Enel oferece descontos de até 50% na troca de aparelhos de ar condicionado e geladeira em Goiás». https://g1.globo.com. Consultado em 5 de março de 2022 
  15. «Enel inaugura duas subestações e promete construir mais 17». https://sagresonline.com.br. 20 de dezembro de 2019. Consultado em 20 de fevereiro de 2022 
  16. «Enel dobra número de bases de atendimento em Goiás». https://www.canalenergia.com.br. 16 de junho de 2020. Consultado em 15 de janeiro de 2022 
  17. «Enel chega a 20 mil equipamentos de telecontrole no país». https://canalenergia.com.br. 28 de fevereiro de 2020. Consultado em 12 de março de 2022 
  18. Tavares, Altair (15 de julho de 2020). «Doadas 26 mil máscaras cirúrgicas da Enel ao governo de Goiás». https://altairtavares.com.br. Consultado em 10 de fevereiro de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]