Oxiteno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Oxiteno
Logo atualizada Oxiteno
Razão social Oxiteno S.A.
Tipo Empresa de capital fechado
Indústria Química
Petroquímica
Fundação 1970 (47 anos)
Fundador(es) Paulo Cunha
Sede São Paulo, SP,  Brasil
Locais Brasil, México , Argentina, Venezuela, Estados Unidos, Uruguai, Bélgica, Colômbia, China
Proprietário(s) Ultrapar
Produtos Tensoativos e especialidades químicas
Faturamento Aumento R$ 4,082 bilhões (2015)[1]
Website oficial www.oxiteno.com.br

Oxiteno é uma multinacional brasileira, líder nacional em tensoativos e especialidades químicas, que atua no desenvolvimento e fornecimento de matérias-primas para indústrias em mais de 30 setores, incluindo cosméticos, cuidados pessoais, limpeza doméstica e industrial, agroquímicos, tintas e vernizes.[2]

A Oxiteno está presente em nove países das Américas, Europa e Ásia. Possui 3 centros de pesquisa e desenvolvimento, 12 unidades industriais no Brasil, nos Estados Unidos, no México, no Uruguai e na Venezuela, além de escritórios comerciais na Argentina, Bélgica, China e Colômbia.[3]

Segundo pesquisa realizada pela Info Exame em parceria com a ESPM, a Oxiteno foi eleita a nona empresa mais inovadora do Brasil em 2014.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Fundada em 1970 por Paulo Cunha, a Oxiteno foi a primeira empresa a produzir óxido de eteno e derivados no Brasil. Sua primeira planta foi instalada no Polo Petroquímico de Mauá, na região metropolitana de São Paulo, e a segunda foi inaugurada em 1974, no Polo Industrial de Camaçari, na Bahia.[5]

A Oxiteno criou um centro de pesquisa e desenvolvimento no Polo Petroquímico de Mauá em 1986, construiu uma nova unidade industrial no Polo Petroquímico do Sul em Triunfo, no Rio Grande do Sul em 1989, e ampliou sua capacidade de produção no Polo Petroquímico de Camaçari em 1997.[6][5][7]

Em julho de 2003, iniciou sua expansão internacional por meio da compra da empresa mexicana Canamex. A Oxiteno assumiu as duas fábricas da empresa, em Guadalajara e Coatzacoalcos.[8]

O Ultra iniciou em 2006 um plano de expansão da capacidade de produção de óxido de eteno e especialidades químicas nas plantas da Oxiteno localizadas em Mauá e Camaçari. Em agosto do mesmo ano, inaugurou seu primeiro escritório comercial no exterior, em Buenos Aires, Argentina, a Oxiteno Argentina S.R.L.[9]

Em abril de 2007, o Ultra, por meio da sua subsidiária Oxiteno México, adquiriu os ativos de sulfatados e sulfonados da Unión Química S.A. em San Juan del Río no México.[10]

Em setembro do mesmo ano, o Ultra comprou a venezuelana Arch Química Andina, subsidiária do grupo norte-americano Arch Chemicals. A unidade, em Santa Rita, Venezuela, passou a se chamar Oxiteno Andina e é a única empresa produtora de etoxilados da Venezuela.[11]

Ainda em 2007, a Oxiteno abriu seu primeiro escritório comercial nos Estados Unidos.[10][12][13]

A Oxiteno inaugurou em junho de 2008 uma unidade oleoquímica, a primeira produtora de álcoois graxos, ácidos graxos e glicerina da América Latina, em Camaçari, Bahia.[14]

Em abril de 2012, a Oxiteno comprou sua primeira unidade industrial nos Estados Unidos, uma fábrica de especialidades químicas da Pasadena Property, localizada em Pasadena, no Estado do Texas, EUA. (Época Negócios) No mês seguinte, comprou 100% das ações da American Chemical, empresa uruguaia de especialidades químicas, em particular tensoativos sulfonados e sulfatados, em Montevidéu.[15]

No ano seguinte, em 2013, a Oxiteno iniciou um projeto para ampliar o seu Centro de Pesquisa e Desenvolvimento para o mercado de petróleo e gás. O centro de pesquisa é localizado em Mauá, em São Paulo.[16]

Atuação[editar | editar código-fonte]

Brasil[editar | editar código-fonte]

  • Polo Petroquímico de Mauá
  • Polo Industrial de Camaçari
  • Polo Petroquímico do Sul

Além dos pólos petroquímicos, também possui unidades industriais químicas em:

Internacional[editar | editar código-fonte]

  • Guadalajara, México
  • Coatzacoalcos, México
  • Buenos Aires, Argentina
  • San Juan del Río, México
  • Santa Rita, Venezuela
  • Texas, EUA
  • Montevidéu, Uruguai
  • Colômbia
  • China
  • Bélgica

Referências

  1. Ultrapar (31 de Dezembro de 2015). «Ultrapar Relatório de 2015». Site da Ultrapar. Consultado em 4 de Novembro de 2016 
  2. Redação da Agência Estado (9 de Abril de 2012). «Oxiteno compra fábrica de produtos químicos nos EUA». Época Negócios. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  3. «Oxiteno recebe inscrições para trainee e estágio até esta segunda». UOL. 1 de setembro de 2014. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  4. Filipe Serrado e Thiago Tanji (28 de abril de 2014). «As empresas mais inovadoras do Brasil». Info. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  5. a b «Ultrapar história do Companhia». Didaticativa. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  6. «O Caso da indústria Petroquímica». EBAH. Consultado em 1 de Junho de 2015 
  7. «Oxiteno». COFIP. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  8. Sérgio Ripardo (21 de julho de 2003). «Compra de empresa americana é caminho para EUA, diz grupo Ultra». Folha. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  9. «Informações sobre empresas classificadas por ramo de atividade». Econoinfo. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  10. a b «Grupo Ultra investe para se tornar global». MauáNews. 24 de setembro de 2007. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  11. Téo Takar (13 de setembro de 2007). «Ultrapar compra Arch Química Anfina por US$ 7,6mi». Estadão. Consultado em 1 de Junho de 2015 
  12. «Oxiteno, do grupo Ultra, compra ativo nos EUA.». Valor Econômico. 9 de abril de 2012. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  13. Andre Covre. «Expansão de negócios de especialidades químicas para os EUA». Bovespa. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  14. Simone Goldberg. «Nascido petroquímico, hoje industrial». OdebrechtInforma. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  15. «Oxiteno compra uruguaia American Chemical por US$ 79mi». Época Negócios. 29 de maio de 2012. Consultado em 1 de Junho de 2015 
  16. «Inova Brasil incentiva centro para desenvolvimento de petróleo e gás». GGN. 17 de dezembro de 2013. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  17. «Chemical industry - Chemical specialties | Oxiteno». www.oxiteno.com (em inglês). Consultado em 29 de abril de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]