Flávio Portela Marcílio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Flávio Marcílio
Flávio Marcílio
Vice-governador  Ceará
Período 1955—1958
Antecessor(a) Stênio Silva
Sucessor(a) Wilson Gonçalves
Governador  Ceará
Período 1958—1959
Antecessor(a) Paulo Sarasate
Sucessor(a) Parsifal Barroso
Deputado federal  Ceará
Período 1964—1987 e 1990—1991
Dados pessoais
Nascimento 12 de agosto de 1917
Picos Piauí
Morte 26 de janeiro de 1992 (74 anos)
Brasília Distrito Federal (Brasil)
Cônjuge Nícia Marcílio
Partido PTB, ARENA, PDS
Profissão advogado, professor

Flávio Portela Marcílio (Picos, 12 de agosto de 1917Brasília, 26 de janeiro de 1992) foi um advogado, professor e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Francisco Carlos Marcílio e Celecina Portela Marcílio. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais,[1] foi professor da Universidade Federal do Ceará, Universidade de Brasília e do Centro Universitário de Brasília.[2] Residente no Ceará desde a juventude, foi advogado, juiz do Tribunal Regional Eleitoral e conselheiro do Tribunal de Contas do Ceará, cargos que deixou em 1954 quando iniciou sua carreira política pelo PTB.[2]

Eleito vice-governador do Ceará na chapa de Paulo Sarasate em 1954, assumiu o cargo em 3 de julho de 1958 quando o titular renunciou para se candidatar a deputado federal e permaneceu no Palácio Iracema até 25 de março de 1959. Eleito suplente de deputado federal em 1962 exerceu o mandato sob convocação. Nomeado presidente do Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Estivadores e Transportes de Cargas (IAPETEC) em 1963, foi efetivado no parlamento em 11 de abril de 1964 após a cassação de Adalil Barreto pelo Ato Institucional Número Um baixado pelo Regime Militar.[2] Com a chegada do bipartidarismo via Ato Institucional Número Dois filiou-se à ARENA sendo reeleito sucessivamente[3] em 1966, 1970, 1974, 1978 e 1982.

Presidente da Câmara dos Deputados em três oportunidades (1973-1975, 1979-1981, 1983-1985), vivenciou o início da abertura política no Governo Ernesto Geisel e no Governo João Figueiredo viu o retorno ao pluripartidarismo e comandou a votação que rejeitou a Emenda Constitucional Dante de Oliveira. Em 11 de agosto de 1984 foi escolhido candidato a vice-presidente da República na chapa de Paulo Maluf pela convenção nacional do PDS, mas tal chapa foi derrotada no Colégio Eleitoral em 1985 por Tancredo Neves e José Sarney. Em 1986 tentou um novo mandato mas ficou na suplência, entretanto sua família foi representada na Assembleia Nacional Constituinte que elaborou a Constituição de 1988 por sua sobrinha, Moema São Thiago.

Flávio Marcílio assumiu seu último mandato de deputado federal em 23 de maio de 1990, dias após a renúncia de Luís Marques, nomeado diretor-geral do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) pelo presidente Fernando Collor.[2]

Primo de Petrônio Portela e concunhado de Virgílio Távora, foi o único piauiense de nascimento que presidiu a Câmara dos Deputados e também o único nascido no estado a compor uma chapa presidencial, com a ressalva de que o baiano Franklin Dória (Barão de Loreto), nascido na Ilha dos Frades, foi o único representante da bancada piauiense a comandar a Câmara dos Deputados.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Nem a Câmara dos Deputados ou a Fundação Getúlio Vargas informam em qual instituição se graduou e em que ano isso ocorreu.
  2. a b c d «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Flávio Marcílio». Consultado em 17 de dezembro de 2012 
  3. «Candidatos eleitos no período 1945-1990 segundo o Tribunal Superior Eleitoral: Flávio Marcílio». Consultado em 17 de dezembro de 2012 


Precedido por
Paulo Sarasate
Governadores do Estado do Ceará
1958—1959
Sucedido por
José Parsifal Barroso
Precedido por
Ernesto Pereira Lopes
Presidente da Câmara dos Deputados
1973—1975
Sucedido por
Célio de Oliveira Borja
Precedido por
Marco Antônio de Oliveira Maciel
Presidente da Câmara dos Deputados
1979—1981
Sucedido por
Nelson Marchezan
Precedido por
Nelson Marchezan
Presidente da Câmara dos Deputados
1983—1985
Sucedido por
Ulysses Silveira Guimarães