Inside Out (2015)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Inside Out (filme de 2015))
Ir para: navegação, pesquisa
Inside Out
Divertida-Mente (Inside Out) (PT)
Divertida Mente (BR)
 Estados Unidos
2015 •  cor •  94 min 
Direção Pete Docter
Codireção Ronnie del Carmen
Produção Jonas Rivera
Roteiro
  • Meg LeFauve
  • Josh Cooley
  • Pete Docter[1]
Narração Amy Poehler
Elenco
Género
Música Michael Giacchino
Edição Kevin Nolting
Companhia(s) produtora(s) Walt Disney Pictures
Pixar Animation Studios
Distribuição Walt Disney Studios Motion Pictures
Lançamento Estados Unidos 19 de Junho de 2015
Brasil 18 de Junho de 2015
Portugal 18 de Junho de 2015
Idioma Inglês
Orçamento US$ 175 milhões
Receita US$ 856 130 132
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Inside Out (Divertida Mente (título no Brasil) ou Divertida-Mente (título em Portugal)) é um filme de animação comédia dramática estadunidense de 2015 produzido pela Pixar Animation Studios e lançado pela Walt Disney Pictures.

Dirigido e co-escrito por Pete Docter, o filme se passa na mente de uma menina, Riley Andersen (Kaitlyn Dias), onde cinco emoções — Alegria (Amy Poehler), Tristeza (Phyllis Smith), Medo (Bill Hader), Raiva (Lewis Black) e Nojinho (Mindy Kaling) — tentam conduzir sua vida quando ela se muda com seus pais (Diane Lane e Kyle MacLachlan) para uma nova cidade. O longa-metragem foi co-dirigido e co-escrito por Ronnie del Carmen e produzido por Jonas Rivera, com trilha sonora composta por Michael Giacchino.

Docter começou a desenvolver Inside Out em 2009, após perceber mudanças na personalidade de sua filha desde seu nascimento. Os produtores do filme consultaram inúmeros psicólogos, incluindo Dacher Keltner, da Universidade da Califórnia, em Berkeley, que ajudou a revisar a história, enfatizando os aspectos neuropsicológicos que as emoções humanas são espelhadas, na diplomacia interpessoal e podem ser significavelmente moderadas por eles.[2]

Depois de estrear no Festival de Cannes, em maio, Inside Out foi lançado nos circuitos internacionais em 19 de junho de 2015, como de praxe nos filmes da Pixar, sendo acompanhado por um curta-metragem, este sendo Lava dirigido por James Ford Murphy. Os críticos elogiaram as performances vocais originais. A versão brasileira, também teve uma boa recepção da crítica especializada, sendo classificada como uma das melhores adaptações da Disney dos últimos tempos.[3] A animação já arrecadou mais de 842 milhões de dólares, tornando-se o filme de quinta maior bilheteria de 2015, a segunda maior animação de maior bilheteria de 2015, a quarta maior bilheteria da Pixar, o nono filme de maior bilheteria lançado pela Disney, a décima animação de maior bilheteria de todos os tempos, e o 50.º filme de maior bilheteria de todos os tempos. O filme venceu o Oscar de Melhor Filme de Animação e também foi nomeado para o Oscar de Melhor Roteiro Original, em 2016.[4]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Esta secção contém revelações sobre o enredo.

O filme gira ao redor de Riley, nascida em Minnesota, e as emoções que estão dentro da sua cabeça (e da cabeça de todas as pessoas), e eles são: Alegria, Tristeza, Nojo, Medo e Raiva. As emoções vivem na Sede, como é chamada a mente consciente de Riley, onde eles influenciam nas ações e nas memórias de Riley através de um painel de controle. Suas novas memórias são alojadas em esferas coloridas, que são enviadas para as memórias de longo prazo no final de cada dia. As memórias mais importantes são colocadas numa central na Sede, são chamadas de memórias base. São cinco memórias bases que criam "ilhas", onde cada ilha reflete um aspecto diferente da personalidade de Riley. A Alegria atua como a emoção dominante que mantém Riley em um estado feliz, mas ela e os outros não entendem o propósito da Tristeza.

Quando Riley completa 11 anos de idade, sua família se muda para São Francisco depois que seu pai consegue um novo emprego. Alegria fica preocupada quando Tristeza começa a tocar nas memórias felizes, fazendo com que elas fiquem tristes, então ela tenta mantê-la isolada. No entanto, no primeiro dia de Riley em sua nova escola, Tristeza faz Riley, acidentalmente, chorar na frente de sua classe, criando uma memória base triste. Alegria tenta descartar a nova memória antes que ela atinja a central, mas ela acidentalmente bate nas outras memórias que estão na central enquanto estava brigando com a Tristeza, fechando, assim, as ilhas de personalidade e fazendo com que Riley se torne instável. Antes que Alegria pudesse colocar as memórias de volta, ela, Tristeza, e as memórias da central são sugados para fora da Sede através do tubo que leva a área de memórias de longo prazo. Elas acabam na área de armazenamento do labirinto de memórias de longo prazo de Riley e partem para retornar à sede.

Raiva, Nojinho e Medo, tentam controlar o estado emocional de Riley na ausência de Alegria, mas, inadvertidamente, eles fazem com que ela se distancie de seus pais, amigos e hobbies. Consequentemente, suas ilhas de personalidade destroem e caem uma por uma para o lixo de memórias, um abismo entre a Sede e o resto da mente de Riley onde as memórias desbotadas são descartadas e esquecidas. Raiva insere uma ideia de fugir para Minnesota no painel de controle, acreditando que eles podem produzir novas memórias felizes lá. Enquanto isso, Alegria e Tristeza encontram Bing Bong, um amigo imaginário de infância de Riley, que está desesperado para se reconectar com ela. Ele diz a elas que elas podem chegar a Sede embarcando no trem do pensamento. Depois de explorar diferentes áreas da mente de Riley, os três pegam o trem, mas este descarrila quando outra ilha da personalidade cai.

Riley se prepara para embarcar em um ônibus com destino a Minnesota, Alegria tenta usar um "recorda-tubo" para retornar à Sede, mas a última ilha de personalidade cai e quebra o tubo, isso faz com que Alegria e Bing Bong caiam no lixo de memórias, quando ele tenta resgatá-la. Enquanto Alegria olha as memórias antigas, ela descobre uma memória triste na vida de Riley que fica feliz quando seus pais e amigos vêm para confortá-la por ter perdido um jogo de hóquei, fazendo-a perceber a verdadeira importância da Tristeza: alertar os outros para quando Riley precisa de ajuda. Alegria e Bing Bong, em seguida, procuram o foguete de Bing Bong movido a música, que foi descartado na lixeira de memória, para escapar, mas depois de várias tentativas falhadas, Bing Bong percebe que ele é pesado demais, e em uma última tentativa ele salta para fora e desaparece, permitindo que Alegria escape. Alegria, em seguida, usa diversas ferramentas da Terra da Imaginação para impulsionar a si mesma e a Tristeza até a Sede, onde se deparam com a ideia do Raiva, que desativou o painel de controle, tornando Riley deprimida e apática. Por insistência da Alegria, Tristeza toma conta do controle e remove com sucesso a ideia, reativando o painel e levando Riley de volta para casa.

Enquanto Tristeza reinstala as memórias base, Riley chega em casa e começa a chorar, confessando a seus pais que ela sente falta de sua antiga vida. Como seus pais a confortam e tranquilizam-na, Alegria e Tristeza trabalham juntas para criar uma nova memória base, que mistura as duas emoções e cria uma nova ilha de personalidade. Um ano mais tarde, Riley se adaptou à sua nova casa; suas emoções agora trabalham em conjunto para ajudá-la a lidar com sua nova vida, emocionalmente mais complexa conforme ela envelhece, com ilhas de personalidade adicionais produzidas por novas memórias bases compostas por várias emoções.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Diretor e elenco Inglês e Francês de Divertida Mente, no Festival de Cannes 2015.
Personagem Estados Unidos Original Brasil Brasil Portugal Portugal
Alegria Amy Poehler[5] Miá Mello[6] Carla García[7]
Tristeza Phyllis Smith[5] Katiuscia Canoro[6] Custódia Gallego[7]
Nojinho Mindy Kaling[5] Dani Calabresa[6]
Medo Bill Hader[5] Otaviano Costa[6]
Raiva Lewis Black[5] Leo Jaime[6] Nuno Pardal[7]
Bing Bong Richard Kind[8] Caio Guarnieri Nuno Markl[7]
Riley Andersen Kaitlyn Dias[5][9] Isabella Guarnieri
Jill O'Riley-Andersen Diane Lane[10] Sílvia Goiabeira
Bill Andersen Kyle MacLachlan[10] Fábio de Castro
Raiva do pai Pete Docter[11] Mauro Castro Nuno Homem de Sá[7]
Estados Unidos Original

Elenco suplementar:

Vários dos criadores do filme também contribuíram com suas vozes, incluindo o diretor e o co-diretor Ronnie del Carmen, que forneceu vozes adicionais.[11]

Brasil Brasil
  • Sidney Magal como piloto brasileiro de helicóptero[12]
  • Estúdio: TV Group Digital, São Paulo
  • Tradução: André Bighinzoli
  • Direção de dublagem: Rodrigo Andreatto
  • Direção musical: Nandu Valverde
Portugal Portugal

Elenco suplementar: João Baião, Diogo Infante, Bárbara Lourenço e Paula Lobo Antunes.[13]

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Quando tinha 11 anos de idade, o diretor Pete Docter se mudou com sua família para Dinamarca, onde teve que fazer novos amigos, frequentar uma nova escola e lidar com um novo idioma.[14] Enquanto outras crianças estavam interessadas em esportes, Docter sentindo-se sozinho, se refugiava em desenhos, hobby que eventualmente o levou a animação.[15] Seu mau rendimento social terminou no ensino médio.[16]

No final de 2009, Docter notou que sua filha pré-adolescente, Elie, exibiu timidez semelhante.[17] "Quando era uma criancinha, ela era bem engraçada e animada, mas com 11 anos começou a mudar muito. Essas ideias se complementaram para eu pensar e fazer o filme", disse ele.[14] Ele imaginou o que acontece na mente humana, quando as emoções assumem. Vendo isso, começou a pesquisar informações sobre a mente, ao lado de Jonas Rivera, um produtor e Ronnie del Carmen, um diretor secundário. Eles consultaram Paul Ekman, um notório psicólogo estadunidense que estuda as emoções, e Dacher Keltner, professor de psicologia na Universidade da Califórnia, em Berkeley. O psicólogo Ekman desde o incio de sua carreira tinha identificado seis emoções principais — raiva, medo, tristeza, nojo, alegria e surpresa. Docter considerou surpresa e medo muito semelhante, o que o deixou com cinco emoções para construir o enredo ao redor.[18]

O grande sucesso de Up - Altas Aventuras de 2009, encorajou Docter apresentar a Pixar as ideias, e abrir a possibilidade para criar um outro filme com outra história mais sofisticada.[16] Divertida Mente é o primeiro filme da Pixar sem a participação do co-fundador e ex-CEO da Apple, Steve Jobs, que morreu em 2011.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

Inside Out estreou nos Estados Unidos e Canadá em 3946 cinemas. Durante seu fim de semana de estréia, arrecadou 90,4 milhões de dólares nos Estados Unidos e Canadá, se tornando a segunda maior estréia para uma animação da Pixar. Inside Out arrecadou 356,4 milhões de dólares nos Estados unidos e Canadá e 499,6 milhões de dólares ao redor do mundo, para um total de mais de 856 milhões de dólares, se tornando o terceiro filme de maior bilheteria da Pixar.

Crítica[editar | editar código-fonte]

Inside Out foi aclamado pela crítica especializada. O site Rotten Tomatoes reporta que 98% dos críticos deram um review positivo ao filme, baseado em uma amostra de 301 reviews, com uma nota média de 9/10. O consenso é "Inventivo, maravilhosamente animado, e poderosamente comovente, Inside Out é outra excelente adição para a biblioteca de clássicos de animação da Pixar".[19] No Metacritic, o filme conseguiu uma classificação média de 94 em 100 baseado em 48 críticas.[20] No IMDb, que é reservado para a avaliação do público, o filme tem uma nota de 8,3 de 10, baseado em mais de 239 mil avaliações.[21]

Referências

  1. Sciretta, Peter (20 de agosto de 2011). «Pete Docter To Direct Pixar Movie Set Inside The Mind (D23 Expo)». /Film (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2013 
  2. J. Wesley Judd (9 de julho de 2015). «A Conversation With the Psychologist Behind 'Inside Out'".». Pacific Standard. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  3. Jonas (13 de junho de 2015). «Divertida Mente - Crítica de Fã para Fã da Versão Dublada». ocamundongo. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  4. «Inside Out». Box Office Mojo. IMDb.com, Inc. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  5. a b c d e f «D23 Expo: New Art From the Upcoming Disney, Pixar and Disneytoon Movies». Comingsoon. 9 de agosto de 2013. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  6. a b c d e «Divertida Mente: Descubra quem são os dubladores da versão nacional da animação». AdoroCinema. Consultado em 9 de maio de 2016 
  7. a b c d e Maria João Rosa (20 de junho de 2015). «Cinebox : Divertida-mente». TVI24. Consultado em 18 de outubro de 2017 
  8. Hornaday, Ann (18 de junho de 2015). «'Inside Out' mixes adventure and brain science to create a literal joy ride». The Washigton Post. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  9. «Divertida Mente - Notas de produção» (PDF). Festival de Cannes. 6 de maio de 2015. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  10. a b Alexander, Bryan (8 de dezembro de 2014). «Parents speak their mind in Pixar's 'Inside Out'». Usa Today. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  11. a b c d e f g «Pixar's 'Inside Out' Cast Includes Some Awesome Voice Cameos (Spoilers) Read more: Pixar's 'Inside Out' Cast Includes Some Awesome Voice Cameos (Spoilers) - Stitch Kingdom StitchKingdom.com - The #1 unofficial source for news on Disney». Stitch Kingdom. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  12. «Sidney Magal dubla piloto galanteador em "Divertida Mente", novo filme da Pixar - Imagem - iG». On. Consultado em 9 de maio de 2016 
  13. Redacção (15 de junho de 2015). «"Divertida-mente" (Inside Out): uma montanha russa de emoções». Máxima. Consultado em 18 de outubro de 2017 
  14. a b Fernandes, Rodrigo (julho de 2015). «Diretor de Divertida Mente conversa com público brasileiro». Blog Disney Brasil. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  15. Susan, Wloszczyna (11 de junho de 2015). «Why Pixar Whiz Pete Docter Decided to Enter a Young Girl's Mind -- and Turn Your Emotions Inside Out». Indiewire. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  16. a b BROOKS BARNES (20 de maio de 2015). «'Inside Out,' Pixar's New Movie From Pete Docter, Goes Inside the Mind». The New York Times. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  17. Flores, Terry (10 de junho de 2015). «'Inside Out' Director Pete Docter Talks About Animation Influences, Pixar at LAFF Master Class». Variety. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  18. «It's All In Your Head: Director Pete Docter Gets Emotional In 'Inside Out'». NPR. 10 de junho de 2015. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  19. «Inside Out». www.rottentomatoes.com. Consultado em 8 de Janeiro de 2016 
  20. «Inside Out». Metacritic. Consultado em 8 de Janeiro de 2016 
  21. «Inside Out (2015)». IMDb. Consultado em 8 de Janeiro 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]