Toy Story

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde janeiro de 2018). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Toy Story
Toy Story - Os Rivais (PT)
Toy Story - Um Mundo de Aventuras (BR)
Pôster promocional
 Estados Unidos
1995 •  cor •  81 min 
Direção John Lasseter
Produção Ralph Guggenheim
Bonnie Arnold
Roteiro Joss Whedon
Andrew Stanton
Joel Cohen
Alec Sokolow
Elenco Tom Hanks
Tim Allen
Don Rickles
Jim Varney
Wallace Shawn
John Ratzenberger
John Morris
Erik von Detten
Annie Potts
Gênero aventura, comédia
Música Randy Newman
Edição Robert Gordon
Lee Unkrich
Companhia(s) produtora(s) Pixar Animation Studios
Distribuição Walt Disney Studios Motion Pictures
Lançamento Estados Unidos 22 de Novembro de 1995
Brasil 22 de Dezembro de 1995
Portugal 29 de Março de 1996
Idioma Inglês
Orçamento US$ 30 milhões (estimado)
Receita US$ 361 958 736
Cronologia
Toy Story 2 (1999)
Página no IMDb (em inglês)

Toy Story (Toy Story - Um Mundo de Aventuras (título no Brasil) ou Toy Story - Os Rivais (título em Portugal)) é um filme estadunidense de aventura e comédia de 1995. É conhecido por ser o primeiro longa-metragem dos estúdios Pixar e também o primeiro da história do cinema totalmente feito por computação gráfica (houve uma tentativa anterior, uma produção chamada The Works, que nunca foi concluída), embora haja controvérsias e muitos considerem que este feito pertença à produção brasileira Cassiopéia.[1] Toy Story foi o primeiro filme realizado através da parceria entre a Walt Disney Pictures e a Pixar.[2]

Com críticas totalmente favoráveis, o filme arrecadou 191 796 000 dólares nos Estados Unidos (a maior bilheteria de 1995) e 358 100 000 dólares em todo o mundo. Foi seguido de Toy Story 2 em 1999, Toy Story 3 em 2010 e foi confirmado mais um filme da franquia para 2019.[3]

Os personagens centrais do filme são brinquedos do quarto de um menino de oito anos, Andy, e é contado, em sua maioria, pelo ponto de vista deles. Andy, sua irmã Molly e sua mãe possuem papéis menores, assim como o vizinho Sid, seu pitbull Brutus e sua irmã Hannah.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Woody, um cowboy de pano é o brinquedo favorito de Andy. O que Andy não sabe é que quando os humanos não estão olhando os brinquedos ganham vida. Woody é considerado o líder dos brinquedos do quarto do Andy. Woody é muito amigo de Slinky, um cão com molas que é muito fiel ao cowboy. Andy ainda possui outros brinquedos, tais como Porquinho, o porco-cofrinho; Sr. Cabeça de Batata, o clássico brinquedo montável da Hasbro; Rex, o Tiranossauro de brinquedo; Betty, a pastora de ovelhas e "namorada" de Woody; dentre alguns outros.

Como a casa em que Andy mora está à venda e seu aniversário se aproxima, a festa de aniversário do garoto é antecipada, fazendo com que os brinquedos entrem em pânico, com medo de serem trocados e esquecidos. Com isso, Woody pede ao Sargento Verde e ao seu batalhão para se esconderem com uma escuta no andar de baixo. Andy não ganha nenhuma "ameaça", mas lhe dão um presente surpresa: uma moderna e sofisticada figura de ação: o patrulheiro espacial Buzz Lightyear, que logo conquista a popularidade entre os demais brinquedos e desperta ciúme e inveja em Woody, já que Andy está fazendo o astronauta de herói das suas brincadeiras. Mas parece que Buzz veio com um defeito de fabricação: ele não sabe que é um brinquedo e acha que é um verdadeiro patrulheiro espacial, agindo como tal, já que pensa que caiu num planeta desconhecido e suas frases e atitudes remetem ao autêntico Buzz Lightyear. Tal hábito impressiona todos os brinquedos, exceto Woody, que se irrita inclusive com as histórias sem sentido contadas por Buzz e insiste em convencê-lo de que é um brinquedo.

A rivalidade e as brigas dos dois se prolongam até que os dois se perdem de Andy e vão parar na casa do vizinho Sid, que é um garoto que se diverte destruindo bonecos e criando brinquedos mutantes. Logo o dia da mudança de Andy se aproxima e os dois sentem que devem escapar de Sid a tempo ou ficarão para trás. Assim, Woody e Buzz finalmente ficam amigos e aceitam agir juntos.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Críticas[editar | editar código-fonte]

O filme recebeu ótimas críticas em todos os países em que foi exibido. Segundo o site especializado Rotten Tomatoes a avaliação do filme é de 100% baseado em 74 críticas, outro site, o Metacritic deu ao filme 96 de 100 possíveis avaliações positivas.

A revista Time elegeu a produção como o oitavo melhor filme de 1995. A Online Film Critics Society revelou em uma lista em 2003 que Toy Story é a melhor animação de todos os tempos.

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

Os primeiros dias de Toy Story (numa semana de Ação de Graças), arrecadaram 39 071 176 dólares.[4] O filme foi a maior bilheteria daquele final de semana com 29 140 617 dólares arrecadados.[5] Nas duas outras semanas o filme manteve a primeira colocação no ranking de maiores bilheterias. Toy Story foi a maior bilheteria de um filme nos Estados Unidos em 1995, passando produções como Batman Forever e Apollo 13.[6] No ano de seu lançamento, foi a terceira maior bilheteria de um filme do gênero (apenas O Rei Leão e Aladdin estavam à sua frente).[7] Não considerando a inflação, Toy Story está na posição 96 de todas as maiores bilheterias nos Estados Unidos de todos os tempos.[8] O filme arrecadou um total doméstico de 191 796 233 dólares, um total de outros mercados de 170 162 503 dólares, somando um total mundial de 361 958 736 dólares.[5]

Prémios e indicações[editar | editar código-fonte]

  • Toy Story recebeu três indicações ao Óscar: Melhor Trilha Sonora em Comédia, Melhor Roteiro Original e Melhor Canção ("Amigo Estou aqui"/"Tens Um Amigo em Mim").[9]
  • Toy Story também recebeu duas indicações ao Globo de Ouro: Melhor Filme em Comédia e Melhor Canção ("Amigo Estou Aqui"/"Tens Um Amigo em Mim").[9]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Ver também: Toy Story, a Trilha Sonora

Toy Story: An Original Walt Disney Records Soundtrack é a trilha sonora original do filme produzida por Randy Newman. Ela foi lançada em 4 de outubro de 1995, na mesma semana de estreia do filme, pela gravadora Walt Disney Records. A música You've Got a Friend in Me foi lançada em fita cassete e em CD. Em português brasileiro, as músicas do primeiro filme são cantadas por Zé da Viola, e em português de Portugal por Miguel Ângelo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «História de dez anos de produção digital inclui brasileiros» (PDF). Cienciaecultura.bvs.br. Consultado em 27 de abril de 2007. 
  2. AdoroCinema http://www.adorocinema.com/filmes/toy-story/toy-story.asp#Curiosidades  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  3. Lang, Brent (26 de outubro de 2016). «'Incredibles 2' Hitting Theaters a Year Early, 'Toy Story 4' Pushed Back to 2019». Variety (em inglês). Consultado em 31 de maio de 2017. 
  4. «Toy Story Daily Box Office». Box Office Mojo (em inglês). Boxofficemojo.com. Consultado em 11 de março de 2009. 
  5. a b Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome BOXMOJO
  6. «1995 Domestic Grosses». Box Office Mojo (em inglês). Boxofficemojo.com. Consultado em 11 de março de 2009. 
  7. Burrows, Peter; Ronald Grover (23 de novembro de 1998). «Steve Jobs, Movie Mogul». BusinessWeek. Consultado em 11 de março de 2009. 
  8. «Domestic Grosses #1-100». Box Office Mojo (em inglês). Boxofficemojo.com. Consultado em March 11, 2009.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  9. a b AdoroCinema http://www.adorocinema.com/filmes/toy-story/toy-story.asp#Premiações  Em falta ou vazio |título= (ajuda)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]