Raiz da Gávea Esporte Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Raiz da Gávea
Raiz gavea.jpg
Nome Raiz da Gávea Esporte Clube
Fundação 29 de setembro de 1974 (43 anos)
Estádio Maravilha
Presidente Hermógenes de Oliveira
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Raiz da Gávea Esporte Clube é uma agremiação esportiva da cidade do Rio de Janeiro, fundada a 29 de setembro de 1974.

História[editar | editar código-fonte]

Outro escudo

Depois de disputar durante anos o Departamento Autônomo da FFERJ, do qual se sagra campeão em 1996, o clube da Rocinha, maior favela da América Latina, se profissionaliza em 1997 para a disputa da Terceira Divisão de Profissionais, à época intitulada Módulo Intermediário. Sua campanha foi regular, sétimo na classificação geral.

No mesmo ano disputa o Campeonato Brasileiro Feminino, após ficar em terceiro no estadual do Rio de Janeiro.

No ano seguinte, disputa ainda a Terceira Divisão. Na primeira etapa do campeonato é o terceiro, e por conseguinte, se classifica para a fase final, à qual termina em quinto lugar, tendo sido duas agremiações promovidas naquele ano. O Botafogo FC, atual Macaé Esporte Futebol Clube e o Cosmos Social Clube, de São Gonçalo.

Em 1999, se classifica em segundo na sua chave na fase inicial, atrás apenas do Centro Esportivo Arraial do Cabo. Na segunda fase é o segundo colocado, atrás do Angra dos Reis Esporte Clube, que se tornaria o campeão do certame. O time da Rocinha foi eliminado, pois somente o primeiro da chave logrou participação nas finais.

Apesar da eliminação no ano anterior, em 2000, o Raiz da Gávea foi convidado a integrar os quadros da Segunda Divisão, chamada à época de Módulo Extra - Série A2. Foi precocemente eliminado da competição pelo Heliópolis Atlético Clube em dois jogos eliminatórios, perdendo por 1 a 0 em casa e empatando sem gols fora.

Advém um período de inatividade que perdura até 2003, quando participa pela última vez de um campeonato profissional, a Segunda Divisão de Profissionais deste ano. É eliminado logo na fase inicial juntamente com o Esporte Clube Costeira, ao ficar em último em uma chave composta de três participantes, classificando-se apenas o primeiro colocado, o Mesquita Futebol Clube.

Após essa experiência, o clube das cores rubro-negras se licencia das competições de âmbito profissional, culminando com a sua posterior desfiliação junto à FFERJ por conta do período de inatividade superior a dois anos.

De acordo com a revista Placar 1127-A, de maio de 1997, o clube se chamava Olímpico Futebol Clube e passou a ter a denominação atual devido a depois das partidas os jogadores se reunirem sentados nas raízes de uma árvore grande que fica no meio da favela. Segundo a revista, este local se chamava Raiz.

Houve uma proposta posterior para que a agremiação mudasse de nome para Raiz da Rocinha, mas acabou abandonada.

Atualmente está radicado na zona Oeste da cidade na qual é mais fácil adquirir campos para treinos e jogos.

Títulos[editar | editar código-fonte]

1996 - Campeão do Departamento de Futebol Amador da Capital, categoria Adultos;

Ver também[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]