Savana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Savana Africana)
Ir para: navegação, pesquisa

Savana (também conhecida como anhara em Angola e como cerrado no Brasil) é uma região plana cuja vegetação predominante são as plantas gramíneas, com árvores esparsas e arbustos isolados ou em pequenos grupos.

História[editar | editar código-fonte]

A palavra portuguesa "savana" provém de "habana", termo da língua taino (família aruaque), por meio do termo espanhol "savana" (posteriormente "sabana"), que foi empregado por Oviedo y Valdés para se referir aos Llanos venezuelanos, em suas obras Sumario de la Natural Historia de las Indias (1526) e Historia General y Natural de las Indias (1535). Mais tarde, o termo seria empregado por Grisebach (1872) e Schimper (1898).[1][2][3][4][5]

Áreas de savana[editar | editar código-fonte]

Normalmente, as savanas são zonas de transição entre bosques e prados. A savana é o bioma típico das regiões de clima tropical com estação seca (Aw e As na classificação de Köppen-Geiger). Estas zonas se encontram em diferentes tipos de ecossistemas, e seus tipos são:

Savanas tropicais[editar | editar código-fonte]

Savanas tropicais e subtropicais, são biomas geralmente situados em latitudes tropicais e subtropicais dos cinco continentes. São caracterizadas por:[6]

  • água: escassa (semiáridas)
  • temperatura: duas estações - uma quente e seca e outra chuvosa.
  • solo: fértil
  • plantas: gramíneas; não são frequentes as concentrações de árvores.
  • animais: diferentes espécies de mamíferos, pássaros e insetos.

Savanas da África[editar | editar código-fonte]

As savanas da África são o exemplo clássico. Uma das mais famosas é o Serengueti, que fica localizado no Vale do Rift, entre o norte da Tanzânia e o sudoeste do Quênia.

Esquema simples da distribuição da vegetação na África: deserto, savana, selva e pradaria.

A savana africana é composta por grandes extensões de terra na África, com vegetação de savana temperada herbácea formada por capões de arbustos e árvores menores. A savana tem um clima particular devido às secas prolongadas, que podem ter uma duração de até dez meses, com elevadas temperaturas e umidade do ar desértica. Quando chega a estação das chuvas, devido às suas características, o crescimento da vegetação é extremamente acelerado, chegando as gramíneas até a altura de trinta centímetros, as árvores até quatro metros e os arbustos até um metro e meio. Ao cessar das chuvas, a vegetação rasteira seca com a mesma rapidez de seu crescimento, fornecendo palha de fácil combustão, desta forma favorecendo a ocorrência de incêndios espontâneos ou por ação humana, as queimadas. Uma das mais famosas savanas da África é o bioma do Serengueti com árvores baixas, mas em grande número, bastante espinhosas e de folhas reduzidas em tamanho, há a predominância do cacto, da acácia, da palmeira e árvores de grande porte como o baobá, maruleira que aparecem em alguns ecossistemas da savana africana.

A savana africana aparece na região fronteiriça entre a floresta mais densa e o deserto nos trópicos, ocupando uma faixa bastante grande do continente africano desde leste a oeste, do Sudão aos Grandes Lagos. A fauna [7] da savana africana é composta por mamíferos herbívoros de grande porte (como o búfalo, a girafa, o rinoceronte e o elefante), mamíferos herbívoros (como a zebra, o impala, o gnu e antílopes), mamíferos felinos predadores (como o leão, o leopardo e o guepardo), mamíferos canídeos (como o mabeco e chacal), aves (como o falcão, a águia, o abutre e o avestruz).

Savanas do Brasil[editar | editar código-fonte]

O cerrado brasileiro é um tipo de savana, sendo o segundo bioma mais ameaçado do país.

Savanas temperadas[editar | editar código-fonte]

Savanas temperadas, biomas localizados em latitudes médias dos cinco continentes, caracterizadas por possuírem um clima de verão mais húmido e invernos mais secos:

  • água: semiáridas
  • temperatura: uma estação temperada e uma mais quente. Invernos frios.
  • solo: fértil
  • plantas: gramíneas
  • animais: mamíferos, pássaros, répteis e insetos.

Savanas mediterrâneas[editar | editar código-fonte]

Savanas mediterrâneas, são biomas localizados em latitudes médias, em regiões com clima mediterrâneo.

Se caracterizam por:

  • água: semiáridas
  • solo: pobre
  • plantas: vegetação endémica constituída pelos denominados "chaparral", "matorral", "maquis" ou "garrique" (dependendo do país): arbustos perenes do tipo sclerophylla e pequenas árvores. Este tipo de savana é um dos mais ameaçados do planeta, pois tem sofrido grande degradação e perda de habitats devido a cortes excessivos para obtenção de lenha, excesso de pastoreio, conversões agrícolas, urbanização e introdução de espécies exóticas.

Savanas pantanosas[editar | editar código-fonte]

Savanas pantanosas, são ecossistemas localizados em regiões tropicais e subtropicais dos cinco continentes, com frequentes inundações.

Se caracterizam por:

    • água: muito húmidas
    • clima: tropical
    • solo: rico

Savanas montanhosas[editar | editar código-fonte]

Savanas montanhosas se encontram em altitudes elevadas (zonas alpinas e sub-alpinas) em diferentes regiões do planeta. Se caracterizam por terem evoluído de forma isolada devido às condições climáticas em determinadas altitudes e, frequentemente, albergam muitas espécies endêmicas. As plantas características destes habitats mostram adaptações tais como: estruturas em forma de roseta, superfícies cerosas e folhas pubescentes.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Oviedo y Valdés, G.F. (1526). Sumario de la Natural Historia de las Indias. [1].
  2. Oviedo y Valdés, G.F. (1535). Historia General y Natural de las Indias. [2].
  3. Grisebach, A. (1872). Die Vegetation der Erde nach ihrer klimatischen Anordnung. Ein Abriß der Vergleichenden Geographie der Pflanzen. 1st ed. Leipzig: W. Engelmann., 2 vol. Band I: xii + 603 p., [3]; Band II: x + 635 p., [4]. 2nd ed. 1884.
  4. Schimper, A. F. W. 1898. Pflanzen-Geographie auf physiologischer Grundlage. Fisher, Jena. 876 pp. English translation, 1903, [5].
  5. Walter, B. M. T. (2006). Fitofisionomias do bioma Cerrado: síntese terminológica e relações florísticas. Doctoral dissertation, Universidade de Brasília, p. 10, [6].
  6. FREITAS, Eduardo De. "Savanas"; Brasil Escola.
  7. SHUTZE, Helke. Field Guide to the Mammals. Struik Books: 2005.

Ver também[editar | editar código-fonte]