Supremacia negra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Supremacia negra ou supremacismo negro é um termo que descreve a crença de que os negros são superiores às pessoas de outras origens raciais. O termo tem sido usado pelo Southern poverty Law Center (SPLC), uma organização americana de defesa de causas legais para descrever vários grupos grupos religiosos obscuros nos Estados Unidos.

Grupos associados com a visão de supremacismo negro[editar | editar código-fonte]

Vários grupos obscuros têm sido descritos como de retenção ou promoção da crença de supremacismo negro. Uma fonte descrita pelo historiador Mark David Chalmers como sendo "a mais ampla fonte de extremismo de direita" é a Southern poverty Law Center (SPLC), uma organização americana sem fins lucrativos que monitora todos os tipos de grupos de ódio e de extremistas nos Estados Unidos.[1][2] os autores do Relatórios de Inteligência trimestral descrevem os seguintes grupos como apoiadores da visão de existência da supremacia negra.

  • A Israelite Church of God in Jesus Christ (ICGJC), que é sediada em Nova York, foi descrita em 2008 pelo SPLC como uma "seita de supremacismos negro", e parte da crescente "ala de supremacia negra do movimento israelista". O ICGJC aceita o Antigo e o Novo Testamentos, e os Apócrifos como Escritura inspirada e tem uma visão apocalíptica do fim do mundo.[3]
  • A  Israelite School of Universal Practical Knowledge (ISUPK), com base em Upper Darby, na Filadélfia.[3]
  • A Nação de Javé é um grupo religioso, com sede nos Estados Unidos descrito como supremacista negro pelo SPLC. É um desdobramento da linha de pensamento israelita negra. Foi fundada pelo americano Yahweh ben Yahweh (nascido Hulon Mitchell Jr.), cujo nome significa "Deus, o Filho de Deus" em hebraico. A Nação de Javé cresceu rapidamente durante a década de 1980 e no seu auge tinha sede em Miami, Flórida e templos em 22 estados.[4]
  • O United Nuwaubian Nation of Moors foi fundada pelo Americano Dwight York, e tem sido descrita pelo SPLC como defensora da crença de que o negro é superior às pessoas brancas. A SPLC informou que os ensinamentos incluíam que "os brancos são "demônios", desprovidos de ambos, coração e alma, e sua cor é o resultado da lepra e genética inferior". A SPLC descreveu o Nuwaubianismo sistema de crenças como "mistura de ideias de sumpremacismo negro com a adoração dos Egípcios e suas pirâmides, uma crença em Ovnis e várias conspirações relacionadas com Illuminati e os Bilderbergers".[5]

Referências

  1. David Mark Chalmers (2003).
  2. Brett A. Barnett (2007).
  3. a b «RACIST BLACK HEBREW ISRAELITES BECOMING MORE MILITANT». Intelligence Report (em inglês). 
  4. «POPULARITY AND POPULISM». Intelligence Report (em inglês). 
  5. «UNITED NUWAUBIAN NATION OF MOORS MEETS ITS MATCH IN GEORGIA». Intelligence Report. 
Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.