Vila Buarque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vila Buarque
Bairro de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg
Vila Buarque.jpg
Divisa da Vila Buarque com Higienópolis.
Imigração predominante  Angola
Costa do Marfim
Distrito Consolação e República
Subprefeitura
Região Administrativa Centro

Vila Buarque é um bairro de São Paulo localizado parte no distrito da República, parte no distrito da Consolação na região central da capital paulista. É administrado pela Prefeitura Regional da Sé.

Logradouros: ruas Maria Antônia, Major Sertório, General Jardim, Marquês de Itu, Dr. Vila Nova, Dr. Cesário Motta Júnior, Cunha Horta, Maria Borba, Amaral Gurgel, Rego Freitas, Bento Freitas, Santa Isabel e praça Rotary.

É o bairro onde se localizam a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Também estão localizados na Vila Buarque a Escola da Cidade, o SESC Consolação, o Centro Universitário Maria Antônia (no antigo prédio da FFCL-USP), a Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, o Teatro Aliança Francesa, a sede do IAB, a Biblioteca Monteiro Lobato e o escritório do arquiteto Paulo Mendes da Rocha, vencedor do Pritzker 2006.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Visão aérea do complexo da Santa Casa de São Paulo.

A região que forma atualmente a Vila Buarque constituía uma Chácara, primeiro pertencente ao marechal José Toledo de Arouche Rendon[2] e mais tarde ao Senador Antônio Pinto do Rego Freitas. Em 1893, os herdeiros do mesmo a venderam para a Empresa de Obras do Brasil, cujos proprietários eram o engenheiro de obras Manuel Buarque de Macedo e o Senador Rodolfo Miranda, que arruaram a chácara.

O desenvolvimento do bairro e de outros adjacentes, como Santa Cecília e Higienópolis, foi fruto do processo migratório das classes mais abastadas, que começavam a sair do centro da cidade ou até mesmo do isolamento das fazendas. Até a década de 1940, a região possuía espaçosas casas, que depois deram lugar a edifícios de classe média.

A partir de 1960 o bairro cresceu, ganhando também diversas boates. Um dos points da bossa nova em São Paulo ficava no bairro: o Juão Sebastião Bar[3], que ficava na Rua Major Sertório, 772 (no porão do casarão) onde atualmente é a Pizzaria Veridiana; entre a UNE – União Nacional de Estudantes e a Universidade Mackenzie, esse lendário bar viu apresentações de Carlos Lyra, João Gilberto, Cesar Camargo Mariano, Arthur Moreira Lima, Billy Blanco, Lúcio Alves, Elza Soares, Vinicius de Moraes e Tom Jobim.

Cortada pelo Minhocão, a Vila Buarque sofreu com a degradação do centro de São Paulo na década de 1970.[4]

Atualmente, passa por um lento processo de recuperação, ganhando ares culturais e boêmios.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.