Ana Perugini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ana Perugini
Ana Lúcia Lippaus Perugini
Ana Perugini, dezembro de 2013
Deputada Estadual por São Paulo
Período 15 de março de 2011
até a atualidade
Deputada Federal por São Paulo
Período março de 2007 a março de 2010
Vereadora por Hortolândia
Período 2005 a 2006
Dados pessoais
Nascimento 22 de agosto de 1965 (52 anos)
Cariacica, ES
Partido Partido dos Trabalhadores (PT)
Profissão Advogada

Ana Lúcia Lippaus Perugini (Cariacica, 22 de agosto de 1963) é deputada federal pelo PT de São Paulo. É advogada, pós-graduada em Gestão e Políticas Públicas e funcionária licenciada do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP).

Foi vereadora entre 2005 e 2006, em Hortolândia, município da Região Metropolitana de Campinas (RMC), que escolheu para viver com a família, e deputada estadual por dois mandatos (2007-2010 e 2011-2014).

Logo ao chegar à Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), Ana propôs a vacinação de meninas e mulheres de 9 a 26 anos contra o papiloma vírus humano (HPV), por meio do projeto de lei 708/2007. A vacina não foi aceita pelo Governo do Estado mas, sete anos depois, foi implantada pelo Ministério da Saúde e hoje faz parte do calendário nacional, agora também imunizando meninos. Até então, a dose só era oferecida pela rede privada.

Atualmente, Ana luta para que o direito à vacina - oferecida pelo SUS a meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 - seja estendido a mulheres de 15 a 26 anos.

Na Câmara dos Deputados, a deputada já integrou diversas comissões e atualmente compõe as permanentes de Educação e Defesa dos Direitos da Mulher como titutar; Seguridade Social e Família e Desenvolvimento Urbano como suplente. Também faz parte de várias comissões especiais, dentre elas a da Crise Hídrica e de Licitações.

Ana Perugini é coordenadora-geral da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos Humanos das Mulheres no Congresso Nacional, 2ª coordenadora-adjunta da Bancada Feminina na Câmara e responsável pelas frentes parlamentares em Defesa da Implantação do Plano Nacional de Educação (PNE) e de Promoção e Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente no Estado de São Paulo.

Principais projetos

Entre os projetos de sua autoria na Câmara Federal destaca-se o 2.959/15, que garante licença-maternidade a advogadas. O texto foi aprovado pelo Congresso Nacional e convertido na lei 13.363/2016. Agora, as profissionais que derem à luz ou adotarem uma criança têm direito a suspensão dos prazos processuais por 30 dias. A lei também garante oito dias de benefício aos advogados.

Outros projetos de destaque de sua autoria são o PL 7.757/2017, que prevê compensação financeira aos municípios com presídios, sequência de uma luta de sete anos que travou na Alesp; e o 7.815/2017, que inclui a economia do cuidado, constituída pelo trabalho não remunerado e cuidados com crianças, idosos e pessoas com deficiência, no cálculo do Produto Interno Bruto (PIB).

Defesa dos direitos das mulheres

Reconhecida no Congresso Nacional pela defesa dos direitos das mulheres, a deputada sugeriu ainda, por meio do projeto de lei 8.992/2017, a inclusão da misoginia - comportamento antissocial que difunde o ódio e a violência contra as mulheres - no rol de crimes de ódio previstos na legislação brasileira.

A proposta estabelece nova redação para a lei federal 7.716/1989, que define os crimes de ódio, e coloca, no artigo 1º da lei, a misoginia ao lado dos crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, com penas de até cinco anos de reclusão.

Além de apresentar projetos para garantir direitos ao povo brasileiro, Ana tem relatado matérias importantes em Brasília, como o PL 3.012/15, que permite a prorrogação dos prazos de vigência das bolsas de estudo concedidas por agências de fomento à pesquisa nos casos de maternidade e adoção. O texto foi aprovado e transformado na lei 13.536/2017.

Ainda na luta contra o machismo e a violência contra a mulher, Ana relatou, na Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, o projeto de lei 622/2015, da ex-deputada Moema Gramacho (PT-BA) - que proíbe o uso de dinheiro público na contratação de artistas que, em suas músicas, desvalorizem ou incentivem a violência ou exponham as mulheres a situação de constrangimento -, e o PL 4.614/2016, da deputada Luizianne Lins (PT/CE), que atribui à Polícia Federal a investigação de crimes de disseminação de conteúdo misógino pela internet.

Ensino público de qualidade

Destaca-se também o trabalho da deputada Ana Perugini na Comissão de Educação, da qual faz parte desde que chegou à Câmara, em fevereiro de 2015. No colegiado, a parlamentar tem defendido a melhoria da qualidade do ensino no país, a expansão dos institutos federais e das universidades públicas.

Em defesa da educação pública de qualidade, Ana Perugini lutou pela implantação do segundo campus do Instituto Federal em Campinas, previsto para ser entregue em 2019, destinou emenda parlamentar no valor de R$ 650 mil para a expansão do IFSP de Hortolândia, tem trabalhado por melhorias no campus de São Carlos e, por meio do projeto de lei projeto de lei 6.636/2016, propôs a instalação de uma unidade do instituto no município de Paraguaçu Paulista, no interior do Estado.

Mais influente nas redes sociais entre os deputados da região de Campinas

Ana Perugini é a parlamentar mais influentes nas redes sociais, entre os seis deputados federais eleitos na Região Metropolitana de Campinas (RMC). É o que revela o estudo realizado pela FSB Comunicação, agência com sede no Rio de Janeiro, que analisou a performance de deputados e senadores, no Facebook e no Twitter, ao longo de 2017.

De acordo com o monitoramento feito pela agência, Ana é a 16ª mais influente nas redes, entre os 70 deputados e deputadas federais do Estado de São Paulo.

O estudo ainda revela que a parlamentar, que cumpre seu primeiro mandato em Brasília – foi vereadora em Hortolândia (2005-2006), município da Região Metropolitana de Campinas, e deputada estadual por dois mandatos (2007-2010 e 2011-2014) -, é a 63ª maior influenciadora digital da Câmara Federal e a 85ª do Congresso, que tem 594 congressistas somando deputados (513) e senadores (81).

Entre as mulheres, segundo o FSB Influência, a parlamentar é a nona mais influente na Câmara dos Deputados e a 13ª entre deputadas e senadoras.

No Partido dos Trabalhadores, Ana Perugini ocupa a 5ª posição entre os dez parlamentares paulistas. Entre os 57 deputados e deputadas da bancada petista na Câmara Federal, a deputada é a 29ª em influência nas redes sociais.

O monitoramento das atividades dos parlamentares no Facebook e no Twitter revelou que o PT é o partido mais influente nas redes. Para se ter uma ideia, dos dez maiores influenciadores do Congresso Nacional, seis são petistas.

O índice de influência desenvolvido pela agência de comunicação mede a performance de cada parlamentar, levando em consideração o número de seguidores, o alcance e o volume de posts, o número e a intensidade das interações (curtidas, comentários, compartilhamentos), no Facebook e no Twitter.

O período analisado pela agência foi de 2 de fevereiro, quando começou o primeiro semestre legislativo, a 31 de dezembro do ano passado.

Deputada federal da mais atuante da região de Campinas

O Prêmio Congresso em Foco, condecoração prestigiada da política brasileira, apontou Ana Perugini como a melhor deputada federal da Região Metropolitana de Campinas (RMC). Em votação aberta na internet, Ana recebeu 1.900 votos e ficou na 26ª colocação entre os 340 deputados que participaram da premiação. O resultado foi anunciado na noite de quinta-feira (19), em Brasília.

Municipalista convicta, Ana teve a nona melhor avaliação entre 50 deputados do Estado de São Paulo avaliados e foi a quarta mais lembrada entre as mulheres da Câmara Federal. A deputada ainda ficou em segundo lugar entre as legisladoras paulistas. No âmbito de sua legenda, o Partido dos Trabalhadores, a parlamentar ficou em segundo lugar no Estado e em 9º no Brasil. Entre as parlamentares do PT na Casa Legislativa, Ana Perugini foi segunda mais lembrada pelos internautas.

Além da avaliação geral, Ana aparece entre os Mais Bem Avaliados pelos Jornalistas e em três categorias especiais do prêmio: Destaques no Combate à Corrupção e ao Crime Organizado; Destaques na Defesa da Agropecuária; e Destaques na Defesa da Seguridade Social.

“Sou muito grata a todos que votaram e reconheceram o nosso trabalho iniciado em 2015, sempre procurando fortalecer os municípios, melhorar a vida das pessoas e garantir direitos às mulheres, às crianças, aos adolescentes e à classe trabalhadora do nosso país”, avaliou a deputada. “Ser lembrada em uma premiação democrática e popular é gratificante, honroso e, sem dúvida, um grande estímulo para que continuemos trabalhando do lado certo da história”, disse Ana, que é coordenadora-geral da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos Humanos das Mulheres no Congresso Nacional.

Segundo o site Congresso em Foco, responsável pela organização do prêmio, foram validados 1.034.683 votos, dados por 130.113 pessoas, entre 1º e 30 de setembro. O site foi criado em 2004 e foi ganhando notoriedade na cobertura política no Congresso Nacional, além de acompanhar os principais acontecimentos do país.

Segundo os organizadores, dos 594 parlamentares do Congresso (513 deputados e 81 senadores), foram excluídos aqueles que respondem a inquéritos e ações criminais no Supremo Tribunal Federal (STF). O regulamento ainda estabelece como requisito que o parlamentar tenha exercido pelo menos 60 dias do atual ano legislativo, iniciado em 2 de fevereiro. Aplicados os filtros, 340 deputados e 37 senadores foram considerados aptos a concorrer ao prêmio.

A condecoração foi criada em 2007, com o objetivo de distinguir os melhores parlamentares e estimular a sociedade a acompanhar seus representantes e a participar da política.

Este ano, a iniciativa contou com o apoio de empresas e entidades, como a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Associação Nacional de Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfip).

Em seu primeiro mandato na Câmara Federal (a parlamentar foi vereadora de 2005 a 2006 e deputada estadual entre 2007 e 2014), é o segundo ano que Ana Perugini concorre ao prêmio. Em 2015, foi lembrada por 344 internautas e ficou na 93ª posição entre 376 deputados votados. No ano passado, a premiação não foi realizada por conta da crise política no país.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.