Apeadeiro de Curia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Curia
BSicon BAHN.svg
apeadeiro de Curia, em Janeiro de 2020
Identificação: 37119 CUR (Curia)[1]
Denominação: Apeadeiro de Curia
Administração: Infraestruturas de Portugal (norte)[2]:3.3.3.2
Classificação: A (apeadeiro)[3]
Tipologia: C [2]5.3.1.1
Linha(s): Linha do Norte (PK 241+652)
Altitude: 32 m (a.n.m)
Coordenadas: 40°25′27.63″N × 8°27′22.11″W

(≍+40.42434;−8.45614)

(mais mapas: 40° 25′ 27,63″ N, 8° 27′ 22,11″ O)
Concelho: bandeiraAnadia
Serviços: R
Conexões:
Serviço de táxis
AND
Equipamentos: Telefones públicos Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Lavabos adaptados
Endereço: Largo da Estação, s/n
PT-3780-545 Tamengos AND
Website:
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com os apeadeiros de Caria e Alcaria, ambos situados na Linha da Beira Baixa.

O apeadeiro de Curia, ou da Curia,[4] originalmente conhecido como de Águas da Curia (nome anteriormente grafado como "Aguas"),[5] é uma interface da Linha do Norte, que serve a localidade e as Termas da Curia, no Distrito de Aveiro, em Portugal.

Vista geral, em 2017.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Localização e acessos[editar | editar código-fonte]

Este apeadeiro tem acesso pelo Largo da Estação,[6] na localidade de Tamengos, de cujo centro (igreja) dista 1,9 km[7] (que é portanto mais bem servido pelo Apeadeiro de Aguim, apenas a 1,0 km);[8] a estância termal nominal dista do apeadeiro de Curia 766 m (desnível acumulado de +6−2 m).[9]

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História da Linha do Norte

O apeadeiro de Curia faz parte do troço da Linha do Norte entre Taveiro e Estarreja, que entrou ao serviço em 10 de Abril de 1864, pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses.[10]

Cerca de 1870, um dos engenheiros que estavam a trabalhar na construção da Linha do Norte começou a frequentar as fontes de Curia, para aliviar os seus problemas de pele.[11] Estas fontes depressa ganharam fama, levando à afirmação da Curia como uma importante estância termal, nos finais do Século XIX.[11] Para transportar os aquistas, foi instalada uma estação ferroviária, na qual paravam os comboios expressos.[11] Em 1913, possuía a denominação de Aguas da Curia.[5]

Edifício do apeadeiro de Curia, recém construído na década de 1930.

Na década de 1930, foi construído um novo edifício, traçado pelo arquitecto Cottinelli Telmo.[11]

Em 2021 anunciou-se que a Infraestruturas de Portugal iria realizar uma intervenção nas áreas exteriores envolventes ao edifício, com o objectivo de dar uma outra imagem à estação: a intervenção incidiria sobretudo na requalificação dos elevadores, na escadaria, na passagem superior e nas zonas de espera, com a renovação do mobiliário urbano e da iluminação externa.[4] Neste ensejo foi manifestada pela autarquia a reivindicação de os «comboios de longo curso» (Inter-Regionais e Intercidades) voltarem a efetuar paragens na Curia.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. a b Diretório da Rede 2021. IP: 2019.12.09
  3. Instrução de exploração técnica nº 2 : Índice dos textos regulamentares em vigor. IMTT, 2012.11.06
  4. a b c «Estação da CP na Curia alvo de beneficiação». 30 de agosto de 2021 
  5. a b «Norte - Lisboa, Entroncamento, Alfarellos, Coimbra, Pampilhosa, Porto». Guia official dos caminhos de ferro de Portugal. 39 (168). 1913. p. 82. Consultado em 29 de Novembro de 2013 
  6. «Estação de Curia». Comboios de Portugal. Consultado em 29 de Abril de 2018 
  7. OpenStreetMaps / FossGIS. «Cálculo de distância rodoviária». Consultado em 31 de dezembro de 2022 
  8. OpenStreetMaps / FossGIS. «Cálculo de distância rodoviária». Consultado em 31 de dezembro de 2022 
  9. OpenStreetMaps / FossGIS. «Cálculo de distância pedonal». Consultado em 31 de dezembro de 2022 
  10. TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1681). p. 9-12. Consultado em 29 de Março de 2014 
  11. a b c d «Curia». Comboios de Portugal. Consultado em 29 de Março de 2014 [ligação inativa] 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.