Estação Ferroviária de Oliveira do Bairro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Oliveira do Bairro Logos IP.png
Inauguração 10 de Abril de 1864
Linha(s) Linha do Norte
(Pk 252,240)
Coordenadas 40° 30′ 37,11″ N, 8° 29′ 56,08″ O
Concelho Oliveira do Bairro
Serviços Ferroviários Regional
Serviços Serviço de táxis Parque de estacionamento Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Lavabos Telefones públicos

A Estação Ferroviária de Oliveira do Bairro é uma interface ferroviária da Linha do Norte, que serve o concelho de Oliveira do Bairro, no Distrito de Aveiro, em Portugal.

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Localização e acessos[editar | editar código-fonte]

Esta interface situa-se junto à localidade de Oliveira do Bairro, possuindo acesso rodoviário pelo Largo da Estação.[1]

Descrição física[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 2011, a estação apresentava três vias de circulação, com 605 e 717 m de comprimento; as plataformas tinham todas 231 m de extensão de 55 cm de altura.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Horário de 1933 da Linha do Norte, incluindo a estação de Oliveira do Bairro.
Ver artigo principal: História da Linha do Norte

Século XIX[editar | editar código-fonte]

Esta interface situa-se no troço da Linha do Norte entre as Estações de Estarreja e Taveiro, que abriu no dia 10 de Abril de 1864, pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses.[3] Foi uma das estações originais deste troço, tendo começado a ser servida desde logo pelos comboios mistos entre Vila Nova de Gaia e Coimbra-B.[4]

Em 1870, a autarquia alertou o governador civil para a necessidade de construir uma estrada entre a estação de Oliveira do Bairro e Palhaça, passando por Malhapão e Pedreira.[5] Em 1879, a autarquia enviou uma representação ao governo, para pedir que os comboios correios tivessem paragem na estação de Oliveira do Bairro.[6]

Século XX[editar | editar código-fonte]

Em 1 de Fevereiro de 1903, a Gazeta dos Caminhos de Ferro noticiou que a Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses tinha ordenado a instalação de semáforos no sistema Barbosa em várias estações, incluindo a de Oliveira do Bairro.[7]

Em 1926, foi aprovado um projecto da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses para a ampliação de Oliveira do Bairro, de forma a acomodar a duplicação da linha, então em construção entre Mogofores e Aveiro; para esta modificação, foi necessário expropriar alguns terrenos junto à estação.[8]

Em 1913, existiam serviços de diligências entre a estação e a vila de Oliveira do Bairro, Silveiro, Perrães, Piedade, Recardães e Águeda.[9]

Em finais de 1927, dois comboios de mercadorias colidiram no interior da estação, causando dois mortos e um dezena de feridos, e grandes estragos materiais.[10]

Em Dezembro de 1928, já tinha sido concluída a duplicação da linha entre Mogofores e Oliveira do Bairro, e já se tinham iniciado as obras do seu prolongamento até Aveiro.[11]

Movimento de mercadorias[editar | editar código-fonte]

Em Oliveira do Bairro, exportava-se principalmente a cerâmica, fabricada numa unidade industrial junto à estação[5], e a cal, produzida nos fornos de Vale Salgueiro, e destinada a Estarreja, Esmoriz, Ovar, Carvalhos, Porto e Águeda, entre outros pontos.[12] Entre as importações, destacava-se o gado para as feiras.[13]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Estação de Oliveira do Bairro». Comboios de Portugal. Consultado em 24 de Novembro de 2014. 
  2. «Directório da Rede 2012». Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 75-97 
  3. TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1681). Lisboa. p. 9-12. Consultado em 1 de Abril de 2014. 
  4. «Escada Rolante: Há 104 anos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 81 (1931). 16 de Novembro de 1968. p. 152. Consultado em 1 de Abril de 2014. 
  5. a b Mota, 2002:55
  6. Mota, 2002:39
  7. «Linhas Portuguezas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 16 (363). 1 de Fevereiro de 1903. p. 43-44. Consultado em 1 de Abril de 2014. 
  8. «Linhas Portuguesas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 39 (935). Lisboa. 1 de Dezembro de 1926. p. 356. Consultado em 1 de Abril de 2014. 
  9. «Serviço de Diligencias». Guia official dos caminhos de ferro de Portugal. 39 (168). Outubro de 1913. p. 152-155. Consultado em 8 de Fevereiro de 2018. 
  10. «Efemérides» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 51 (1235). 1 de Junho de 1939. p. 281-284. Consultado em 1 de Abril de 2014. 
  11. «Efemérides» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 51 (1236). 16 de Junho de 1939. p. 299-300. Consultado em 1 de Abril de 2014. 
  12. Mota, p. 309
  13. Mota, 2002:306

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • MOTA, Armor Pires (2002). Oliveira do Bairro. Alma e Memória. Oliveira do Bairro: Câmara Municipal. 372 páginas 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]