Estação Ferroviária de Albergaria dos Doze

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a estação na Linha do Norte. Para a estação na Linha do Vouga, veja Estação Ferroviária de Albergaria-a-Velha.
Albergaria dos Doze IPcomboio2.jpg
Estação de Albergaria dos Doze,em 2018.
Linha(s) Linha do Norte (PK 149,293)
Coordenadas 39° 47′ 37,04″ N, 8° 35′ 21,14″ O
Concelho Pombal
Serviços Ferroviários Logo CP 2.svgBSicon LSTR orange.svgR
Horários em tempo real
Serviços Serviço de táxis
Sala de espera Telefones públicos
Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Parque de estacionamento


Logos IP.png
BSicon CONTfa grey.svg
BSicon HST grey.svgLitém (Sentido Porto)
BSicon BHF grey.svgAlbergaria dos Doze
BSicon BHF grey.svgCaxarias (Sentido Lisboa)
BSicon CONTf grey.svg

A Estação Ferroviária de Albergaria dos Doze, originalmente denominada de Albergaria, é uma interface da Linha do Norte, que serve a localidade de Albergaria dos Doze, no Distrito de Leiria, em Portugal.

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Brasão de Albergaria dos Doze, reflectindo a importância do caminho de ferro na localidade.

Localização e acessos[editar | editar código-fonte]

O acesso é efectuado pelo Largo da Estação, junto à localidade de Albergaria dos Doze.[1]

Descrição física[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 2011, apresentava três vias de circulação, com 744, 725 e 639 m de comprimento, enquanto que as plataformas tinham 255 e 234 m de extensão, e 55 cm de altura.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História da Linha do Norte

Século XIX[editar | editar código-fonte]

Durante a fase de planeamento da Linha do Norte, o projecto para o lanço entre o Entroncamento e Pombal previa desde logo que a linha férrea iria passar por Albergaria.[3] O troço entre o Entroncamento e Soure abriu à exploração em 22 de Maio de 1864.[4] A construção na zona da Albergaria foi muito difícil em comparação com outros lanços da Linha do Norte, devido à natureza dos terrenos, de areia fina argilosa e aquífera, dificuldades que se relevaram especialmente durante a construção do Túnel.[3]

Horário de 1933, onde esta estação aparece com o nome original, Albergaria.

Século XX[editar | editar código-fonte]

Em 1914, o edifício da estação foi alvo de obras de ampliação, tendo sido construído um novo piso.[5] Em Setembro de 1926, previa-se a realização de obras na estação, para começar o alongamento do túnel.[6] Em 1939, foi organizado um comboio especial entre Lisboa e o Porto para regular a marcha dos serviços rápidos, que parou nesta estação para alimentação de água e manutenção da locomotiva.[7]

No relatório de 1954 do Conselho de Administração da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, estava prevista a duplicação do lanço entre Fátima e Albergaria.[8] Num artigo publicado na Gazeta dos Caminhos de Ferro de 16 de Fevereiro de 1956, o escritor José da Guerra Maio calculou que o tempo de percurso do comboio Sud Express em Portugal fosse reduzido para seis horas, quando estivessem terminadas as obras de duplicação do lanço entre Fátima e Albergaria, e substituídas as pontes na Linha da Beira Alta.[9]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Albergaria dos Doze». Comboios de Portugal. Consultado em 12 de Novembro de 2014 
  2. «Directório da Rede 2012». Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 74, 96 
  3. a b ABRAGÃO, Frederico de Quadros (16 de Setembro de 1956). «No Centenário dos Caminhos de Ferro em Portugal: Algumas notas sobre a sua história» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 69 (1650). p. 407-424. Consultado em 24 de Setembro de 2017 
  4. TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1681). p. 9-12. Consultado em 5 de Março de 2014 
  5. «Linhas Portuguesas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 27 (647). 1 de Dezembro de 1914. p. 363. Consultado em 4 de Julho de 2012 
  6. «Linhas Portuguesas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 39 (930). 16 de Setembro de 1926. p. 287. Consultado em 7 de Março de 2012 
  7. «A Futura Marcha dos Combóios» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 51 (1232). 16 de Abril de 1939. p. 208. Consultado em 2 de Março de 2014 
  8. «Companhia dos Caminhos de Ferro» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 68 (1622). 16 de Julho de 1955. p. 225-228. Consultado em 24 de Setembro de 2017 
  9. MAIO, Guerra (16 de Fevereiro de 1956). «O "Sud-Express" ao serviço do Porto de Lisboa» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 68 (1636). p. 105-106. Consultado em 24 de Setembro de 2017 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a estação de Albergaria dos Doze

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.