Carlito Azevedo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Carlito Azevedo
Nome completo Carlos Eduardo Barbosa de Azevedo
Nascimento 1961 (56 anos)
Rio de Janeiro,  Brasil
Prémios Prémio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (1991)

Prémio Jabuti (1992)

Género literário Romance, poesia
Magnum opus Sob a noite física

Carlos Eduardo Barbosa de Azevedo o então conhecido Carlito Azevedo (Rio de Janeiro, em 1961) é um editor, tradutor, crítico e poeta brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carlito Azevedo, nasceu no Rio de Janeiro, na Ilha do Governador, interior de Baía de Guanabara. Cursou a faculdade de letras na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), voltando sua atenção para a poesia francesa a qual vem traduzindo regularmente. Conhece José Lino Grünewald que o apoia em sua estreia com o livro Collapsus Linguae (1991), com o qual ganhou o prêmio Jabuti. Em 1992 Antônio Carlos Secchin já destacava o fato de a estreia de Azevedo fornecer “elementos interessantes para uma reflexão acerca da formação cultural de nossos poetas”, em especial pelo fato de o poeta ter consciência de não se confundir com suas fontes próximas, a Geração mimeógrafo, a Poesia Concreta e a poesia de João Cabral de Melo Neto, ainda essas fontes sejam facilmente identificáveis.[2]

Em seguida publicou As Banhistas (1993), que tem como centro uma série de poemas com o mesmo título, que pode ser vista como o modelo de sua poética; Sob a Noite Física (1996); e Versos de Circunstância (2001). Em 2001, reuniu seus poemas na antologia Sublunar (1991-2001). depois publicou Monodrama (2009) [3] e mais recentemente Livro das postagens (2016)[4].

Foi editor a partir de 1997 da revista de poesia Inimigo Rumor[1] (mesmo título do livro Enemigo Rumor, de Lezama Lima), primeiro em parceria com o poeta Júlio Castañon Guimarães e posteriormente ao oitavo número com o poeta Augusto Massi e foi coordenador na editora Cosac Naify da coleção de poesia Ás de colete.[5][6]

Foi contemplado com a Bolsa Vitae de literatura (1994/1995).[7][8]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • 1991 - Collapsus linguae
  • 1993 - As banhistas
  • 1996 - Sob a noite física: poemas
  • 2001 - Sublunar
  • 2009 - Monogramas
  • 2016 - Livro das postagens

Referências

  1. «CARLITO AZEVEDO - Poesia dos Brasis - Rio de Janeiro - www.antoniomiranda.com.br». www.antoniomiranda.com.br. Consultado em 11 de março de 2017 
  2. «Carlito Azevedo: "todo poeta é de oposição"». www.suplementopernambuco.com.br. Consultado em 11 de março de 2017 
  3. «Após 13 anos Carlito Azevedo publica 'Monodrama'». Jornal do Brasil 
  4. «Crítica: escrita de Carlito Azevedo continua reconhecível em 'Livro das postagens'». O Globo. 4 de março de 2017 
  5. «RELENDO CARLITO AZEVEDO ou UM CASO EXEMPLAR DA POESIA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA». Sibila 
  6. «GERMINA - REVISTA DE LITERATURA & ARTE». www.germinaliteratura.com.br. Consultado em 11 de março de 2017 
  7. «CRÍTICA: Poesia de Carlito Azevedo dá a cara para bater». Folha de S.Paulo 
  8. «Jornal de Poesia - Carlito Azevedo». www.jornaldepoesia.jor.br. Consultado em 11 de março de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.