Lilia Moritz Schwarcz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lilia Katri Moritz Schwarcz
Data de nascimento 1957
Local de nascimento São Paulo, no Brasil
Nacionalidade brasileira
Ocupação antropóloga, professora e escritora
Religião judaica

Lilia Katri Moritz Schwarcz (São Paulo, 1957) é uma historiadora e antropóloga[1] brasileira. É doutora em antropologia social pela Universidade de São Paulo e, atualmente, professora titular da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas[2] na mesma universidade. É autora de importantes obras como "Raça e diversidade" e "As Barbas do Imperador - Dom Pedro II, um monarca nos trópicos".[3] Também é fundadora da editora Companhia das Letras.[4]

Polêmica[editar | editar código-fonte]

Lilia Schwarcz esteve envolvida em uma polêmica em 1999 sobre o possível plágio de uma obra infantil. Foi acusada de copiar o enredo de um conto de Mercer Mayer numa história assinada por ela na obra "O livro dos medos", publicada pela Companhia das Letras em 1998. Quando soube da acusação, Lilia traduziu seu conto, enviou-o para a editora e para autora do livro em questão, e ambas as instâncias declararam que não consideravam plágio. Mesmo assim, Lilia achou por bem, e por vontade própria, retirar seu conto da coletânea organizada por Heloísa Prieto.[5]

"A longa viagem da biblioteca dos reis" (2002)[editar | editar código-fonte]

No livro "A Longa Viagem da Biblioteca dos Reis", teve a colaboração em alguns capítulos de Paulo Cesar de Azevedo e Angela Marques da Costa. O livro começa no relato do terremoto de Lisboa em 1755 e vai até a Independência do Brasil. Teve o objetivo de recuperar o acervo da Real Biblioteca – hoje pertencente à Biblioteca Nacional.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Lilia Katri Moritz Schwarcz


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Portal A Wikipédia possui o portal: