MTV ao Vivo: Eletrodoméstico

Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
MTV ao Vivo: Eletrodoméstico
Álbum ao vivo / Álbum de video de Daniela Mercury
Lançamento 3 de abril de 2003
Gravação 24–25 de janeiro de 2003
Local(is) Concha Acústica do Teatro Castro Alves
(Salvador, Bahia)
Gênero(s) Axé · pop · MPB
Duração 72:49 (CD)
107 minutos (DVD)
Idioma(s) Português · italiano · inglês · espanhol
Formato(s) CD · download digital · DVD
Gravadora(s) BMG · Ariola
Direção Joana Mazzucchelli
Produção Daniela Mercury · Nelson Motta
Cronologia de Daniela Mercury
Sou de Qualquer Lugar
(2001)
Carnaval Eletrônico
(2004)
Cronologia de álbuns ao vivo de Daniela Mercury
Elétrica
(1998)
Clássica
(2005)
Singles de MTV ao Vivo: Eletrodoméstico
  1. "Dona da Banca"
    Lançamento: 18 de fevereiro de 2003
  2. "Meu Plano"
    Lançamento: 2003
  3. "Pára de Chorar"
    Lançamento: 2003

MTV ao Vivo: Eletrodoméstico é o segundo álbum ao vivo e primeiro em vídeo da artista musical brasileira Daniela Mercury, lançado em 3 de abril de 2003 pelas gravadoras BMG e Ariola, e produzido para a série de registros ao vivo promovida pela MTV Brasil. O projeto foi gravado entre os dias 24 e 25 de janeiro de 2003 na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador, Bahia, reunindo um público de aproximadamente doze mil pessoas. Os shows fizeram parte do projeto "Sua Nota É Um Show", do Governo do Estado da Bahia. Produzido pela própria cantora e por Nelson Motta, o álbum conta com sucessos do catálogo anterior de Mercury, além de algumas faixas inéditas e regravações de Caetano Veloso, Lenny Kravitz e Jorge Ben Jor.

Participam como convidados especiais o cantor Carlinhos Brown (em "To Remember"); o rapper italiano Jovanotti (em "Ive Brussel"); a cantora portuguesa Dulce Pontes (em "Milagre do Povo"); a cantora e atriz espanhola Rosario Flores (em "Riqueza") e o grupo Olodum (em "Umbigo do Mundo" e "Swing da Cor", esta apenas no DVD). O projeto recebeu revisões mistas por parte da crítica especializada em música contemporânea, que aprovaram algumas das canções da obra mas criticaram a excessividade de gêneros presentes. Quanto às vendas, recebeu certificação de ouro pela Pro-Música Brasil (PMB), e o DVD conquistou um prêmio na categoria de "Melhor DVD Musical Nacional" no Prêmio Brasil DVD.

A promoção de MTV ao Vivo: Eletrodoméstico aconteceu de diversas formas, incluindo apresentações ao vivo em programas de televisão como Caldeirão do Huck e Domingão do Faustão, além da promoção limitada "0300 MTV ao Vivo Daniela Mercury", lançada pela Telemar. A cantora também saiu em turnê com o álbum, com datas no Brasil e exterior. Três singles foram lançados para também promover Eletrodoméstico: a canção "Dona da Banca" foi lançada como primeiro, enquanto "Meu Plano" foi o segundo single do disco, e "Pára de Chorar", esta gravada em estúdio e incluída apenas no CD, encerrou a divulgação do projeto.

Antecedentes e lançamento[editar | editar código-fonte]

"Quando resolvi fazer algo com a MTV, sabia que não seria um acústico. Sou muito inquieta para isso. Quando conversei com a gravadora, expliquei que dava para fazer tudo eletro-acústico, com variações de acordo com cada música. Então, começou uma busca pelo nome do projeto. Eu e o Nelson não encontrávamos o ideal. Certo dia, quando O Rappa veio tocar em Salvador, Falcão me ligou e disse que tinha uma canção para mim, que ele havia escrito com Marcelo Yuka. O nome: 'Eletrodoméstico'. Que coisa maravilhosa. Liguei na mesma hora para Nelson: 'Já tenho o nome do especial'!, Daí marquei com Falcão e nos encontramos no Rio de Janeiro. Apresentei [a ele] um rap meu, que queria como algo incidental e fizemos a canção ["Eletro-doméstico"]. O projeto ficou maravilhoso. É um disco ao vivo cheio de novidades. Não sabemos exatamente o que fazer, mas estamos muito felizes com os resultados do trabalho".

Mercury sobre a elaboração de MTV ao Vivo: Eletrodoméstico.[1]

Em 2001, Mercury lançou seu sexto álbum de estúdio, Sou de Qualquer Lugar. O disco possui uma sonoridade inspirada pela música pop e gêneros eletrônicos como o techno e dance, opostamente à seus discos anteriores, onde a maioria das canções alternavam a sonoridade entre o samba-reggae e o axé.[2] A obra foi recebida friamente pela crítica especializada, que não apreciou a mudança sonora da cantora e a quantidade de gêneros diferentes no álbum, afirmando que Mercury soava "desnorteada".[3] Comercialmente, o disco também não obteve grandes resultados quando comparado aos trabalhos anteriores da cantora, tendo sido certificado com ouro pela Pro-Música Brasil (PMB), após comercializar mais de cem mil réplicas no páis, sua menor venda até então.[4] Apesar da recepção consideravelmente fraca, a regravação da música "Mutante" — originalmente gravada por Rita Lee em seu álbum Saúde (1981) — tornou-se um grande sucesso após ter sido incluída na trilha sonora da novela das sete da Rede Globo, Desejos de Mulher.[5] Com intenção de continuar explorando outros estilos musicais, a cantora cogitou gravar um álbum composto por canções de Elis Regina, mas o projeto foi descartado.[5] No lugar deste, surgiu a oportunidade de produzir um show para a série MTV ao Vivo, da MTV Brasil. O produtor Nelson Motta aceitou o convite para produzir o disco, pela amizade que mantinha com a cantora.[6] A princípio, o projeto nasceu como um show da turnê de Sou de Qualquer Lugar, que seria gravado em Lisboa, em parceria com a MTV Portugal. No entanto, depois de várias mudanças, Mercury sugeriu gravar em Salvador, no ápice do verão baiano.[1]

Depois de três meses de ensaios na Bahia, o show foi gravado nos dias 24 e 25 de janeiro de 2003 na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador, a partir das 19h, fazendo parte do projeto "Sua Nota É Um Show", do Governo do Estado da Bahia.[7][8][9] Contou com uma estrutura de palco com um telão lembrando uma imensa TV ao fundo, trocas constantes de figurinos, e um piso branco cobrindo todo o espaço da Concha Acústica,[10] além cenários elaborados por Gringo Cardia,[11] avaliados em R$ 130 mil.[12] O concerto atraiu 12 mil pessoas nos dois dias de gravação.[13] O show especial, gravado com uma tecnologia inédita em 96 canais,[14] foi transmitido pela MTV pela primeira vez em 21 de março de 2003, enquanto o CD foi lançado em 3 de abril e o DVD em 25 de junho.[15][16] A capa para o material, apresenta Mercury cantando em um vestido de couro desenhado por Glória Coelho. A jornalista americana Camille Paglia comentou que a "enfeitiçante" capa dava "um sabor da estonteante variedade de rodopios, das roupas de couro recortadas, jóias intrincadas e extravagantes braçadeiras gaúchas".[17]

Participações[editar | editar código-fonte]

O rapper italiano Jovanotti (esquerda) e a cantora portuguesa Dulce Pontes (direita) foram alguns dos artistas escolhidos para participar do projeto.

De acordo com Mercury, o critério para a escolha dos artistas participantes do projeto era de que fossem jovens, mais ou menos da mesma idade que ela, que estivessem fazendo alguma música atual de seus países e que fossem alegres, divertidos e bons de cena.[7] A cantora procurava um artista italiano para o projeto. Ela queria mostrar para o Brasil artistas de países que a acolheram, segundo ela, "com muito amor", como a Itália, Espanha e Portugal.[18] Sua opção foi o rapper Lorenzo Cherubini Jovanotti, escolhido após Nelson Motta ter traduzido para o português a canção do artista, "L'Ombelico del Mondo", que foi gravada por Mercury como "Umbigo do Mundo" no álbum. Mas o que a aproximou foi o fato da cantora considerar Jovanotti divertido, polêmico e inteligente; "é uma pessoa comprometida com a Itália, ligado a ONGs. É uma pessoa que tem um texto muito forte". O músico também disse ter ficado muito satisfeito em ser convidado para participar do projeto.[18]

Mercury disse não poder deixar de ter seu antigo colaborador, o artista Carlinhos Brown, incluído no projeto, pois a cumplicidade e a identidade dos dois artistas de buscas e de trabalho se completam, e de acordo com a cantora, Brown "é o nosso menestrel, é um homem criativo".[19] Dulce Pontes, uma cantora portuguesa, foi selecionada por Mercury, após um encontro no saguão de um hotel em que estavam hospedadas em Lisboa; ela estava lá para gravar um programa de televisão, e Pontes, para fazer um show. Trocaram contatos, e um mês depois foi feito o convite, aceito prontamente pela portuguesa; "A primeira grande participação, que eu convidei há algum tempo, foi Dulce Pontes. Essa mulher é uma referência para mim como intérprete. Não é só uma cantora que eu amo e que tenho todos os discos há muito tempo. Mesmo antes de ser conhecida em Portugal já era fã da Dulce, é uma honra enorme tê-la comigo", afirma Mercury.[20] A cantora e atriz espanhola Rosario Flores também foi escolhida para estar dentro do projeto MTV ao Vivo. Mercury descreveu-a como tendo uma música "que também é pop, mas com raízes ciganas e flamencas. Achei que nós tínhamos uma identidade em relação com outros países".[21]

Sinopse e composição[editar | editar código-fonte]

"Eletrodoméstico segue um pouco de Sou de Qualquer Lugar, tem uma pesquisa de timbres, mas a pós-produção no estúdio não é tão radical quanto Sou de Qualquer Lugar. O Eletrodoméstico volta a mesclar um pouco a sonoridade de discos anteriores".

Mercury sobre o som de MTV ao Vivo: Eletrodoméstico.[22]

O show se inicia, Mercury surge ao fundo do palco, enquanto usa um figurino composto por uma blusa laranja e calça marrom, desenhados por Lara Gerin e Carol Gold, com vários anéis em seus dedos.[1] Nele, interpreta "Eletro-doméstico", faixa inédita e título do álbum, que une funk, rap e samba em sua sonoridade.[23] Suas letras, escritas por Marcelo Falcão e Marcelo Yuka, abrigam versos revoltosos que criticam às mazelas sociais do Brasil: "Eletro-doméstico/ eletro Brasil/ eletro selvagem/ futuro que ninguém viu/ Vem aí um baile movido a novas fontes de energia/ Chacina, política e mídia/ Bem perto da casa que eu vivia".[10][24] A canção é sucedida por uma releitura eletrônica de "Mutante", contida em seu álbum anterior, Sou de Qualquer Lugar (2001).[5] Também inédita, a terceira faixa, "Temporada das Flores", é um pop escrito por Leoni.[5] Logo após, são interpretados "A Praieira" e "Nobre Vagabundo", ambas são partes dos discos Sou de Qualquer Lugar e Feijão com Arroz (1996), respectivamente.[23] O próximo número é uma regravação de "Ive Brussel" (1979), composta e gravada pelo cantor Jorge Ben Jor em seu álbum Salve Simpatia (1979); a nova roupagem, funde ritmos brasileiros à batidas eletrônicas e ao hip-hop, além de conter versos inéditos em italiano proferidos pelo rapper Jovanotti, que também participa da apresentação.[5][23] As performances seguintes são obras contidas no catálogo anterior de Mercury, "Minas com Bahia", de Feijão com Arroz, e "Você Não Entende Nada", do álbum O Canto da Cidade (1992).[23] O bloco é encerrado com a interpretação de "Dona da Banca", um samba com influências electro e funk, de autoria de Robson Pacífico e Aleh, originalmente gravado pela banda Eletrosamba em seu álbum auto-intitulado (2004).[23]

"Eletro Doméstico", faixa inédita que da título ao álbum, contém letras que contestam o sistema político do Brasil.

Uma das canções inéditas, "Meu Plano" é uma balada pop que liricamente fala sobre criar planos para a pessoa amada.

Problemas para escutar estes arquivos? Veja a ajuda.

Em seguida, Mercury reaparece no palco em um vestido preto de couro para realizar o bloco das canções de andamento lento do show; o ato se inicia com "Meu Plano", uma balada romântica e inédita, composta por Lenine e Dudu Falcão, interpretada num tom mais grave, sensual e intimista.[24][23] No final da apresentação, balões brancos que estavam sendo segurados pelo público são estourados.[25] Na sequência, a cantora dá voz a "À Primeira Vista", de Feijão com Arroz, que é sucedida por uma versão trip-hop do clássico tropicalista "Baby", originalmente interpretado por Gal Costa e Caetano Veloso.[23] "Só pra Te Mostrar", de O Canto da Cidade, e o lançamento "To Remember", dão continuidade às baladas do disco.[23] A última conta com a participação de Carlinhos Brown, um dos autores da canção, que surge no palco lendo um papel em sua mão, no qual representa a carta de amor cantada na música.[19]

A próxima obra executada é "It Ain't Over 'Til It's Over", tema originalmente gravado pelo cantor americano Lenny Kravitz em seu álbum Mama Said (1991), em um novo arranjo de samba-reggae, com participação do grupo Hip Hop Roots no palco.[23] Outra regravação feita é de "Nossa Gente (Avisa Lá)", originária do grupo Olodum; retrabalhado em formato de rap, cujo o refrão contém três vozes de Mercury sobrepostas em harmonia.[23] A décima-sétima faixa é uma releitura de "Milagres do Povo", por Veloso. Aqui, é interpretada ao lado da intérprete portuguesa Dulce Pontes, que aparece por trás de tapumes verdes sob um vestido rosa que, segundo Mercury, lembra "a própria Oxum".[24][20] A cantora continua homenageando a cultura africana no Brasil, usando um cocar de ornamentos de prata caindo sobre seus olhos, característico de uma sacerdotisa do Candomblé, dividindo o palco com dançarinas afro-brasileiras, para executar um medley formado pelas canções "O Mais Belo dos Belos (A Verdade do Ilê)" e "Por Amor ao Ilê", presentes em O Canto da Cidade e Música de Rua (1994), respectivamente.[24][17]

Seguidamente, inicia-se "Riqueza", versão em espanhol de "Tour", tema originalmente gravado e composto por Brown; realizado em dueto com a cantora espanhola Rosario Flores.[24][23] O número orna elementos do flamenco, de Flores, ao samba-reggae, de Mercury.[26] A brasileira dá seguimento ao show com "Ilê Pérola Negra (O Canto do Negro)", sucesso anterior do disco Sol da Liberdade (2000); durante a performance, ela divide o palco com apenas um dançarino.[5] Para finalizar o bloco, é interpretado "Umbigo do Mundo", versão em português de "L'Ombelico del Mondo" por Jovanotti, em que o grupo Olodum participa. Musicalmente, a faixa integra rap, com elementos de world music, samba, reggae, capoeira e bossa nova.[23] No último ato do show, Mercury muda de figurino, agora vestindo um vestido vermelho, para cantar um compilado de números antigos, como "Swing da Cor", parte de seu álbum de estreia auto-intitulado, também com a participação de Olodum, além de "Rapunzel" (1996), de Feijão com Arroz.[7] As apresentações de "Trio Metal", de seu primeiro disco ao vivo Elétrica (1998), e "O Canto da Cidade", do registro de mesmo nome (1992), encerram o concerto.[27] Faixa bônus da edição física em CD e única feita em estúdio, "Pára de Chorar" contém uma batida de música house e uma letra reciclada por Motta a pedido de Mercury.[26]

Crítica profissional[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AllMusic 2.5 de 5 estrelas.[28]
Carnasite 4 de 4 estrelas.[24]
Diário do Grande ABC positiva[26]
DVD Magazine positiva[25]
Folha de S. Paulo 2 de 4 estrelas.[29]
Istoé Gente 3 de 5 estrelas.[5]

MTV ao Vivo: Eletrodoméstico recebeu revisões mistas por parte da crítica especializada em música contemporânea. Patrícia Vilani do Diário do Grande ABC foi positiva em sua avaliação, dizendo que "o fato de ser ao vivo já dá muitos pontos à cantora, que é um verdadeiro furacão no palco. A coragem que não lhe falta para enfrentar um público de milhares de pessoas também sobra quando ela grava novos compositores, incorpora tendências e, principalmente, faz do CD ao vivo uma novidade – em vez de se limitar a rearranjos de antigos sucessos".[26] Robson Candêo do portal DVD Magazine deu uma crítica positiva a obra, dizendo que era um produto que os fãs iriam adorar e o público em geral também.[25] A jornalista americana Camille Paglia, escrevendo para a revista Salon, disse que recomendava de coração o projeto a todos os jovens artistas aspirantes ou a qualquer um que anseie ver as artes performáticas em plena magnitude", complementando que Eletrodoméstico "é uma maratona, uma performance altamente inflamável de 2003 para a MTV Brasileira na qual Daniela canta e dança incansavelmente ao longo de 25 músicas".[17]

Mauro Ferreira, escrevendo para a revista Istoé Gente, disse que "escaldada, Daniela voltou a valorizar o baticum afro-brasileiro do samba-reggae, mas, ousada, não se limitou ao ritmo hipnótico da axé music. A cantora apostou na globalização de seu som e, para tal, recrutou estelar time de convidados internacionais" e completou dizendo que isso era "prova de que Daniela não precisa sair da Bahia para ser do mundo".[5] Por outro lado, Pedro Alexandre Sanches da Folha de S. Paulo comentou que no álbum haviam "canções novas e duetos com estrelas do pop hispano-americano. Mas há a parte desgastada do repertório axé, a redundância dos "MTV ao Vivo", a velha obsessão de Daniela de abraçar mil segmentos de público ao mesmo tempo".[29] Cássio Starling Carlos da mesma publicação deu uma crítica mais negativa, dizendo que a "aeróbica Mercury corre, pula, junta-se a alguns convidados (para cantar Benjor em... italiano) e massacra clássicos. Disco 'pra cima', que reproduz 'a alegria e a espontaneidade', mas que não passa de um caça-níquel. Se você é um fã incondicional. pode verificar na sua coleção que lá há vários CDs iguaizinhos a esse".[30]

O DVD conquistou um prêmio na categoria de "Melhor DVD musical nacional" no Prêmio Brasil DVD.[31] Eletrodoméstico foi também eleito o 16.° melhor álbum nacional de 2003 em uma pesquisa feita pela Folha de S. Paulo, com 256 votos dos leitores.[32]

Promoção[editar | editar código-fonte]

Para promover o projeto, um grande trabalho de divulgação foi feito. A promoção "0300 MTV ao Vivo Daniela Mercury" foi lançada pela Telemar em 1.° de maio de 2003. Em 16 estados brasileiros, exclusivamente através dos orelhões Telemar, esteve disponível um serviço de áudio com trechos das músicas "Dona da Banca", "Meu Plano" e "Pára de Chorar", e uma mensagem de Mercury promovendo o projeto. Além do conteúdo de áudio, também foram distribuídos em todos os estados de atuação da Telemar cartões com fotos da artista. A promoção durou até 31 de julho de 2003.[33]

Em 14 de abril de 2003, a apresentadora Hebe Camargo recebeu Mercury em seu programa do SBT, no qual cantou o primeiro single do álbum, "Dona da Banca".[34] Em 18 de abril, Mercury apresentou um bloco do programa da Rede Record, É Show, apresentado por Adriane Galisteu, e também executou "Dona da Banca". No dia seguinte, ela também esteve no Programa Raul Gil, da mesma emissora, cantando a música anteriormente citada, além dos sucessos anteriores, "Nobre Vagabundo" e "Mutante".[35] Ainda no dia 19 de abril, a cantora se apresentou no programa Altas Horas, da Rede Globo, com faixas do álbum.[36] Em 24 de abril, a artista apresentou "Dona da Banca" no programa infantil Eliana na Fábrica Maluca, onde também cantou o sucesso anterior, "Mutante".[37] Três dias depois, Mercury foi entrevistada por Daniela Cicarelli e falou sobre o álbum em seu programa Daniela no país da MTV.[38]

No dia 3 do mês seguinte, o programa Clipmania, da Rede Bandeirantes, exibiu uma entrevista com a cantora, além de alguns de seus videoclipes antigos. No dia seguinte, ela apresentou-se no Domingão do Faustão com "Dona da Banca". Na mesma noite, Mercury foi entrevistada por João Dória Junior em seu programa Show Business. Dois dias depois, ela voltou a cantar "Dona da Banca" juntamente com "Mutante" e "Nobre Vagabundo" no game show Sobcontrole. Em 8 de maio, o programa da TV Cultura, Metrópolis exibiu uma entrevista com a cantora e trechos do DVD.[39] Ela também apresentou-se no Caldeirão do Huck em 24 de maio.[40] Em 20 de junho, três blocos do Programa do Jô foram inteiramente dedicados à artista, que foi entrevistada pelo apresentador Jô Soares e cantou "Dona da Banca".[41] Em outubro, Mercury participou de vários programas de TV, incluindo Mais Você, Note e Anote e Boa Noite Brasil, onde cantou "Pára de Chorar".[42]

Para continuar a promover o álbum, Mercury começou a Turnê Eletrodoméstico nos dias 9 e 10 de maio de 2003, na casa de shows Tom Brasil em São Paulo. A turnê também passou pelas cidades de Belo Horizonte, Belém e Manaus antes de ir para a etapa internacional,[43] que passou por países como Estados Unidos, Alemanha, Portugal, Itália e Israel.[44] Mercury também doou o cachê do show realizado em 11 de setembro de 2003 na Costa do Sauipe, distrito baiano, para o programa Criança Esperança da Rede Globo. A cantora disse que a doação era "a minha forma de respeitar os direitos humanos".[45] Além das apresentações, o projeto foi promovido através de singles: "Dona da Banca" foi selecionada como o primeiro single e lançada em 18 de fevereiro de 2003,[46] com o videoclipe sendo veiculado na MTV em 27 de março de 2003.[47] Lançadas como o segundo e terceiro foco de promoção do projeto respectivamente, "Meu Plano" foi incluída na trilha sonora da novela das seis da Rede Globo, Agora É que São Elas, e "Pára de Chorar" fora também enviada às rádios e promovida pela cantora.[40][42][48]

Alinhamento de faixas[editar | editar código-fonte]

MTV ao Vivo: Eletrodoméstico – Edição em CD[7]
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Eletro-doméstico"  Marcelo Falcão · Marcelo Yuka 3:40
2. "Temporada das Flores"  Leoni 3:41
3. "Dona da Banca"  Robson Pacífico · Aleh 4:04
4. "Ive Brussel" (com Jovanotti)Jorge Ben Jor · Jovanotti (versão em italiano) 4:39
5. "Baby"  Caetano Veloso 4:35
6. "Meu Plano"  Lenine  · Dudu Falcão 3:31
7. "À Primeira Vista"  Chico César 3:47
8. "To Remember" (com Carlinhos Brown)Brown · Arnaldo Antunes 4:18
9. "Riqueza (Tour)" (com Rosario Flores)Brown · Angel Diez (versão em espanhol) 4:32
10. "It Ain't Over 'Til It's Over"  Lenny Kravitz 3:23
11. "Milagre do Povo" (com Dulce Pontes)Veloso 4:18
12. "Nossa Gente (Avisa Lá)"  Roque Carvalho 3:09
13. "Umbigo do Mundo (L'Ombelico del Mondo)" (com Olodum)Jovanotti · Michele Centonze · Saturnino Celani · Pier Foschi · Nelson Motta (versão em português) 3:18
14. "Ilê Pérola Negra (O Canto do Negro)"  Milton Souza De Jesus · Renê Veneno · Guiguio 5:40
15. "Mutante"  Rita Lee · Roberto de Carvalho 3:52
16. "Nobre Vagabundo"  Márcio Mello 4:26
17. "Só Pra Te Mostrar"  Herbert Vianna 3:31

Créditos e pessoal[editar | editar código-fonte]

Créditos adaptados do encarte para Eletrodoméstico.[7]

Vendas e certificações[editar | editar código-fonte]

Região Certificação Vendas
Brasil (Pro-Música Brasil)[4] Ouro 150,000*

*números de vendas baseados somente na certificação

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

País Data Formato Gravadora Ref.
Brasil 3 de abril de 2003 CD BMG · Ariola [47]
25 de junho de 2003 DVD [16]
Estados Unidos 22 de abril de 2003 Download digital [49]
Portugal [50]
Alemanha 16 de maio de 2003 CD [51]
Espanha [52]
Reino Unido [53]
França 17 de junho de 2003 [54]
México [55]
Itália 9 de julho de 2003 [56]

Referências

  1. a b c Vargas, Nicolas. «Daniela Mercury - Eletrodoméstico». MTV Brasil. Consultado em 22 de maio de 2017. Arquivado do original em 18 de Janeiro de 2008 
  2. «Daniela Mercury foge do axé em novo álbum». Estadão. 28 de setembro de 2001. Consultado em 13 de agosto de 2016 
  3. Sanches, Pedro Alexandre (1 de outubro de 2001). «Atordoada, Daniela Mercury opta pela variedade por indecisão». Folha de S. Paulo. Consultado em 18 de março de 2016 
  4. a b «Certificações (Brasil) (álbum) – Daniela Mercury ‎– MTV ao Vivo: Eletrodoméstico». Pro-Música Brasil. Consultado em 2 de março de 2020 
  5. a b c d e f g h Ferreira, Mauro (21 de abril de 2003). «MTV ao Vivo – Eletrodoméstico». Istoé Gente. Consultado em 1 de maio de 2017 
  6. Araujo, Luis Edmundo (9 de dezembro de 2002). «Nelson Motta Produções». Istoé Gente. Consultado em 13 de maio de 2017 
  7. a b c d e f g (2003) Créditos do álbum MTV ao Vivo - Eletrodoméstico por Daniela Mercury. BMG (PAG001).
  8. «Daniela Mercury grava CD/DVD MTV ao vivo em Salvador». Carnaxé. 2 de janeiro de 2003. Arquivado do original em 18 de Janeiro de 2008 
  9. Rangel Jr., Rodrigo (14 de janeiro de 2010). «Nelson Motta fala sobre livro novo, revela memória e conta causos». Correio da Bahia. Consultado em 13 de maio de 2017 
  10. a b Santanna 2009, p. 295
  11. «Daniela Mercury grava CD e DVD Eletrodoméstico». Carnaxé. 13 de janeiro de 2003. Arquivado do original em 18 de Janeiro de 2008 
  12. Tolipan, Heloisa (29 de janeiro de 2003). «Daniela parte 2». Jornal do Brasil. Consultado em 23 de setembro de 2021 
  13. «Especial ao vivo com Daniela Mercury estréia na MTV». BMG. 14 de março de 2003. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 18 de Janeiro de 2008 
  14. «Daniela Mercury». Música Popular. Consultado em 13 de maio de 2017 
  15. «"MTV ao vivo - Daniela Mercury" estréia na MTV». BMG. 21 de março de 2003. Consultado em 6 de maio de 2017. Arquivado do original em 16 de Janeiro de 2009 
  16. a b «Eletrodméstico MTV ao Vivo». Carnaxé. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  17. a b c Paglia, Camille (11 de junho de 2008). «Obama's best veep choice». Salon (em inglês). Consultado em 13 de maio de 2017 
  18. a b «DJovanotti - MTV Ao Vivo - Eletrodoméstico». MTV Brasil. Consultado em 22 de maio de 2017. Arquivado do original em 18 de Janeiro de 2008 
  19. a b Bártholo, Fabiana. «Daniela Mercury - Eletrodoméstico». MTV Brasil. Consultado em 22 de maio de 2017. Arquivado do original em 18 de Janeiro de 2008 
  20. a b Bártholo, Fabiana. «Dulce Pontes - MTV Ao Vivo - Eletrodoméstico». MTV Brasil. Consultado em 22 de maio de 2017. Arquivado do original em 18 de Janeiro de 2008 
  21. Bártholo, Fabiana. «Rosario - MTV Ao Vivo - Eletrodoméstico». MTV Brasil. Consultado em 22 de maio de 2017. Arquivado do original em 18 de Janeiro de 2008 
  22. Santanna 2009, p. 296
  23. a b c d e f g h i j k l Motta, Nelson. «ELETRODOMESTICO». Salvador: UOL. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  24. a b c d e f Santos, Marcello (5 de maio de 2003). «MTV Ao Vivo - Eletrodoméstico». Carnasite. Consultado em 24 de fevereiro de 2018. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  25. a b c Candêo, Robson (28 de julho de 2003). «DANIELA MERCURY ELETRODOMÉSTICO MTV AO VIVO». DVD Magazine. Arquivado do original em 26 de outubro de 2011 
  26. a b c d Vilani, Patrícia (11 de abril de 2003). «Daniela Mercury atinge a plenitude». Diário do Grande ABC. Consultado em 7 de maio de 2017 
  27. Bártholo, Fabiana. «Daniela Mercury - Eletrodoméstico». MTV Brasil. Consultado em 22 de maio de 2017. Arquivado do original em 18 de Janeiro de 2008 
  28. «Daniela Mercury - Eletrodoméstico». AllMusic. Consultado em 18 de março de 2016 
  29. a b Sanches, Pedro Alexandre (11 de abril de 2003). «Eletrodoméstico - MTV ao Vivo». Folha de S. Paulo. Consultado em 1 de maio de 2017 
  30. Starling Carlos, Cássio (27 de abril de 2003). «Lançamentos». Folha de S. Paulo. Consultado em 7 de maio de 2017
  31. Santana, João (8 de fevereiro de 2013). «Playlist de Carnaval do Sala de Música e uma homenagem para Daniela Mercury». Rádio Globo. Consultado em 13 de maio de 2017 
  32. «Veja a voctação completa dos melhores álbuns nacionais de 2003». Folha de S. Paulo. 12 de janeiro de 2004. Consultado em 21 de maio de 2017 
  33. «Daniela Mercury vira estampa de cartões telefônicos». Carnaxé. 9 de maio de 2003. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  34. «Hebe recebe Daniela Mercury». BMG. 14 de abril de 2003. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  35. «Daniela Mercury apresenta bloco no lugar de Adriane Galisteu». BMG. 17 de abril de 2003. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  36. «Daniela Mercury se apresenta no programa "Altas horas"». BMG. 17 de abril de 2003. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  37. «Daniela Mercury diverte público infantil». BMG. 22 de abril de 2003. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  38. «Daniela Mercury no país de Cicarelli». BMG. 25 de abril de 2003. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  39. «Daniela Mercury domina a TV». BMG. 2 de maio de 2003. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  40. a b «Daniela Mercury esquenta o "Caldeirăo do Huck"». BMG. 22 de maio de 2003. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  41. «Daniela Mercury é entrevistada por Jô Soares». BMG. 20 de junho de 2003. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  42. a b «Daniela Mercury na TV». BMG. 6 de outubro de 2003. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  43. «Daniela Mercury com nova turnê». OTrabuco. 9 de maio de 2003. Consultado em 13 de maio de 2017 
  44. Kastenbaum Banai, Bianca (21 de julho de 2003). «Cantora baiana Daniela Mercury canta em Israel». Folha de S. Paulo. Consultado em 13 de maio de 2017 
  45. «Guga está nas quartas do Brasil Open». O Estado de S. Paulo. 11 de setembro de 2003. Consultado em 13 de maio de 2017 
  46. «Nova música de Daniela Mercury chega às rádios brasileiras». BMG. 13 de fevereiro de 2003. Consultado em 13 de agosto de 2016. Arquivado do original em 26 de maio de 2020 
  47. a b «Novo clipe de Daniela Mercury estréia na MTV». BMG. 25 de março de 2003. Consultado em 13 de março de 2016. Arquivado do original em 16 de Janeiro de 2009 
  48. «AGORA É QUE SÃO ELAS». Memória Globo. Consultado em 23 de maio de 2017 
  49. «Daniela Mercury – MTV Ao Vivo - Eletrodoméstico». Estados Unidos: iTunes Store. Apple Inc. Consultado em 25 de março de 2003 
  50. «Daniela Mercury – MTV Ao Vivo - Eletrodoméstico». Portugal: iTunes Store. Apple Inc. Consultado em 25 de março de 2003 
  51. «Daniela Mercury – Eletrodoméstico» (em alemão). Alemanha: Amazon. 16 de maio de 2003. Consultado em 16 de março de 2016 
  52. «Daniela Mercury – Eletrodoméstico» (em espanhol). Espanha: Amazon. 16 de maio de 2003. Consultado em 16 de março de 2016 
  53. «Daniela Mercury – Eletrodoméstico» (em inglês). Reino Unido: Amazon. 16 de maio de 2003. Consultado em 16 de março de 2016 
  54. «Daniela Mercury - Eletrodomestico» (em francês). França: CDiscount. Consultado em 16 de maio de 2017. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  55. «Daniela Mercury - Eletrodomestico» (em espanhol). México: Amazon. 17 de junho de 2003. Consultado em 16 de março de 2016 
  56. «Daniela Mercury – Eletrodoméstico» (em italiano). Ítalia: Amazon. 9 de julho de 2003. Consultado em 16 de março de 2016 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]