Pedro Paulo (político)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pedro Paulo
Pedro Paulo (político).jpg
Deputado Federal pelo Rio de Janeiro Rio de Janeiro
Período 1º de fevereiro de 2011
até atualidade
Deputado Estadual do Rio de Janeiro Rio de Janeiro
Período 1º de fevereiro de 2007
até 1º de fevereiro de 2011
Vida
Nascimento 29 de junho de 1972 (44 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Dados pessoais
Alma mater Universidade Candido Mendes
Fundación Internacional y para Iberoamérica de Administración y Políticas Públicas
Cônjuge Tatiana Infante
Partido PDT (1988–2005)
PMDB (2005–presente)
Profissão Economista

Pedro Paulo Carvalho Teixeira (Rio de Janeiro,29 de junho de 1972) é um economista e político brasileiro, filiado ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).[1] Já foi eleito deputado estadual[1] e duas vezes deputado federal.[2] Em 2016, foi candidato à prefeitura do Rio de Janeiro pela coligação Juntos pelo Rio[3] (PMDB, PDT, DEM, PP, Solidariedade, PSL, PTB, PT do B, PTC, PMN, PSDC, PEN, PROS, PRTB e PHS) e teve como vice na chapa a deputada Cidinha Campos.[4], obtendo indices eleitorais insatisfatórios[5].

Em 2001, tornou-se subprefeito da Barra e Jacarepaguá e um ano depois, assumiu o cargo de secretário municipal de Meio Ambiente do Rio de Janeiro durante o governo de César Maia.[6]

Filho de um funcionário público e de uma professora, Pedro Paulo nasceu no Cachambi e cresceu em Jacarepaguá, em uma família de classe média, no Rio de Janeiro. É casado com a atriz Tatiana Infante e tem três filhos: Manuela, Matteo e Lucca.[7] Aos cinco anos de idade, sua família se mudou para a Taquara, em Jacarepaguá. A Zona Oeste, na época, era uma “nova cidade” surgindo e isso fascinou o pai de Pedro, que também começava a progredir na vida. Mas era sempre um final de semana na Taquara e outro no Cachambi ou em Del Castilho, nos almoços de fim de semana na casa dos tios. Em 2005, foi eleito deputado estadual em sua primeira candidatura com 31.355 votos.[8] Na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, presidiu a Comissão de Saneamento Ambiental,[9] e atuou como vice-presidente do Conselho de Ética.[10]

Em 2010, candidatou-se a deputado federal, e foi eleito com 105.406 votos.[11] Em 2014, foi reeleito deputado federal com 162.403 votos, sendo o sexto mais votado no Estado e o terceiro colocado na capital fluminense.[2]

Em 2015, assumiu o cargo de secretário executivo da Coordenação de Governo do Município do Rio de Janeiro.[12]

O nome de Pedro Paulo tem sido associado a um episódio de suposta violência doméstica em que se envolveu com sua ex-mulher, Alexandra Marcondes, no ano de 2010.[13][14][15] Em entrevista à Folha de S. Paulo, o político teria admitido a agressão, atribuindo o caso a um episódio de descontrole durante uma discussão do casal.[16] Entretanto, em agosto de 2016, a Procuradoria Geral da República pediu o arquivamento da denúncia contra o então deputado, que foi acolhido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux.[17][18][19]

Saiu da disputa ainda no primeiro turno, recebendo apenas 488.775 votos (16,12% do total )[20].

Referências

  1. a b «Pedro Paulo Carvalho Teixeira - Ranking Políticos». www.politicos.org.br. Consultado em 7 de novembro de 2016 
  2. a b «Pedro Paulo 1515». Eleições 2014 
  3. «Pedro Paulo é confirmado como candidato do PMDB a prefeito do Rio». 20 de julho de 2016. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  4. «PDT oficializa apoio a Pedro Paulo e Cidinha Campos será vice da chapa - Rio - O Dia». Consultado em 19 de agosto de 2016 
  5. «UOL Eleições 2016 Rio De Janeiro/RJ: Apuração de votos, resultado, prefeito e vereadores eleitos». UOL Eleições. Consultado em 3 de outubro de 2016 
  6. Silva, Titta Souza, Carlos Nem e André. «Deputado Federal Pedro Paulo». Deputado Federal Pedro Paulo 
  7. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome :2
  8. «: : ALERJ : : Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro». 3 de março de 2016. Consultado em 7 de novembro de 2016 
  9. «Tramitação de Distribuição». alerjln1.alerj.rj.gov.br. Consultado em 7 de novembro de 2016 
  10. http://www.imprensaoficial.rj.gov.br/portal/modules/conteudoonline/view_pdf.php?ie=MTM2MA==&ip=MQ==&s=MThmMTExNGQ4MGI2ZTY2ZjE3N2Y5NmZiOGQyZDNiYTY
  11. http://www.sinfrerj.com.br/deputados-federais-que-se-elegeram-no-rio
  12. «Secretário Pedro Paulo deixa cargo para disputar prefeitura do Rio». Rio de Janeiro. 31 de maio de 2016 
  13. Lívia Torres (12 de outubro de 2015). «'Quem não exagera numa discussão?', diz Pedro Paulo sobre briga com ex». G1 Rio. Consultado em 1º de outubro de 2016 
  14. Daniel Haidar e Nonato Viegas (12 de novembro de 2015). «Ex-mulher de Pedro Paulo prestou queixa contra ele por agressão já em 2008». Época. Consultado em 1º de outubro de 2016 
  15. «Candidatos usam tema violência contra mulher para atacar Pedro Paulo em debate da Record». R7. 25 de setembro de 2016. Consultado em 1º de outubro de 2016 
  16. Italo Nogueira (05 de novembro de 2015). «Secretário de Paes admite agressão à ex-mulher e diz que fato foi superado». Folha de S. Paulo. Consultado em 1º de outubro de 2016  Verifique data em: |data= (ajuda)
  17. «Pedro Paulo: STF arquiva inquérito de lesão corporal». Jornal do Brasil. 17 de agosto de 2016. Consultado em 1º de outubro de 2016 
  18. Paulo Cappelli (17 de agosto de 2016). «Informe do Dia: STF arquiva processo de agressão contra Pedro Paulo». O Dia. Consultado em 1º de outubro de 2016 
  19. Evandro Éboli (17 de agosto de 2016). «Ministro Fux, do STF, arquiva processo contra Pedro Paulo por suposta agressão à ex-mulher». O Globo. Consultado em 1º de outubro de 2016 
  20. «UOL Eleições 2016 Rio De Janeiro/RJ: Apuração de votos, resultado, prefeito e vereadores eleitos». UOL Eleições. Consultado em 3 de outubro de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.