Hugo Leal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hugo Leal
Foto: David Ribeiro/Agência Câmara
Deputado federal pelo Rio de Janeiro
Período 1º de fevereiro de 2007
até a atualidade
Dados pessoais
Nascimento 6 de agosto de 1962 (57 anos)
Ouro Fino, Minas Gerais
Partido PDT (1988 até 2001);
PSB (2001 até 2003);
PSC (2003 até 2013);
PROS (2013 até 2016);
PSB (2016 até 2018);
PSD (desde 2018)
Profissão Advogado e corretor de imóveis

Hugo Leal Melo da Silva (Ouro Fino, 6 de agosto de 1962) é um político, advogado, economista e compositor[1] brasileiro.

Formado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1987, e em Economia pela Faculdade Cândido Mendes, em 1990.[2]

Trajetória política[editar | editar código-fonte]

Foi líder estudantil, militando no PDT, e foi diretor do Centro Academico Cândido de Oliveira (CACO), na tradicional Faculdade Nacional de Direito da UFRJ. Com a vitória de Brizola, foi diretor do Depósito Público, e ocupou outras funções, como advogado do PDT.

Mais tarde, foi secretário de Estado de Administração e Reestruturação do Rio de Janeiro, de 1999 a 2002, no governo Anthony Garotinho, presidente do Detran-RJ,[3] de janeiro de 2003 a maio de 2005 e Secretário de Justiça e Direitos do Cidadão, de 2005 a 2006, no governo Rosinha Garotinho.[2]

Ocupou como suplente o mandato de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ), em 2005.[2]

Foi eleito deputado federal pelo Rio de Janeiro, em 2006, com 112.789 votos.[4] Na Câmara dos Deputados foi relator da medida provisória 415/08 que proibia a comercialização de bebidas alcoólicas pelos estabelecimentos localizados às margens e redondezas das rodovias federais. A polêmica causada levou a modificações do projeto no Congresso Nacional que, entre outros dispositivos, pune, aferido pelo teste do etilômetro, o motorista flagrado dirigindo um veículo com uma concentração igual ou superior a 6 decigramas de álcool por litro de sangue.[5] É sancionada como Lei 11705/08, chamada de de "Lei Seca".[6]

Nas eleições de 2010, foi eleito para mais um mandato na Câmara, com 98.164 votos.[7]

Foi líder do PSC na Câmara dos Deputados, de fevereiro de 2007 a fevereiro de 2011.[2] Foi eleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019). Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[8] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[8] Em agosto de 2017 votou a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer.[8][9]

Referências

  1. Marcos Manso http://marcosmanso2.blogspot.com.br/2009/10/serginho-sumare-e-picole-vencem-disputa.html Serginho Sumaré e Picolé vencem a disputa da Beija-Flor. Acessado em 22/06/2013
  2. a b c d «Biografia: Hugo Leal (PROS/RJ)». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 14 de fevereiro de 2011 
  3. «Detran do Rio de Janeiro» 
  4. «UOL - Eleições 2006 - Apuração - Rio de Janeiro». Consultado em 14 de fevereiro de 2011 
  5. «Lei nº 11.705, de 19 de Junho de 2008». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 14 de fevereiro de 2011 
  6. «Lula sanciona lei que proíbe beber antes de dirigir». Terra Notícias. 19 de junho de 2008. Consultado em 14 de fevereiro de 2011 
  7. «UOL - Eleições 2010 - Apuração - Rio de Janeiro». Consultado em 14 de fevereiro de 2011 
  8. a b c G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  9. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.