Resident Evil 4

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo filme de 2010, veja Resident Evil: Afterlife.
Resident Evil 4
Capa norte-americana do jogo para GameCube.
Desenvolvedora(s) Capcom
Publicadora(s) Capcom
Diretor(es) Shinji Mikami
Produtor(es) Hiroyuki Kobayashi
Projetista(s) Hiroshi Shibata
Shigenori Nishikawa
Koji Kakae
Escritor(es) Shinji Mikami
Haruo Murata
Programador(es) Kiyohiko Sakata
Compositor(es) Misao Senbongi
Shusaku Uchiyama
Artista(s) Yoshiaki Hirabayashi
Yuichi Akimoto
Yoshifumi Hattori
Plataforma(s) GameCube, PlayStation 2, Microsoft Windows, Wii, Zeebo, iOS, PlayStation 3, Xbox 360, Android, PlayStation 4, Xbox One
Série Resident Evil
Data(s) de lançamento 11 de janeiro de 2005
Gênero(s) Survival horror, tiro em terceira pessoa
Modos de jogo Um jogador

Resident Evil 4, conhecido no Japão como Biohazard 4 (バイオハザード4, Baiohazādo Fō?), é um jogo eletrônico de survival horror de tiro em terceira pessoa desenvolvido e publicado pela Capcom, lançado originalmente para o Nintendo GameCube em 2005. É o sexto jogo principal da franquia Resident Evil.

A história de Resident Evil 4 segue o agente especial do governo dos Estados Unidos Leon S. Kennedy, que é enviado em uma missão para resgatar Ashley Graham, filha do presidente americano, que foi raptada por um seita sinistra. Ele viaja para uma área rural da Espanha, onde luta contra hordas de moradores violentos e monstros mutantes, e se reúne com a misteriosa espiã Ada Wong.

Planejado desde dezembro de 1999, Resident Evil 4 foi submetido a um longo processo de desenvolvimento, durante o qual quatro versões propostas para o jogo foram descartadas. Inicialmente desenvolvido para o PlayStation 2, a primeira produção foi dirigida por Hideki Kamiya depois que o produtor Shinji Mikami pediu-lhe para criar um novo título para a série Resident Evil. No entanto, foi decidido iniciar o desenvolvimento novamente. O jogo foi destinado a ser um exclusivo do GameCube como parte do Capcom Five, mas uma versão para PlayStation 2 foi anunciada antes do jogo ser lançado no GameCube. Posteriormente Resident Evil 4 também foi lançado para Microsoft Windows, Wii, PlayStation 3, Xbox 360 e em versões reduzidas para iOS, Zeebo e Android.

Resident Evil 4 recebeu aclamação da crítica. Ele ganhou muitos prêmios de Jogo do Ano em 2005 e foi visto como um sucesso multiplataforma que influenciou a evolução dos gêneros survival horror e de tiro em terceira pessoa. O jogo também foi pioneiro e popularizou a perspectiva de visão "sobre o ombro" em terceira pessoa. Desde então, tem sido amplamente considerado um dos melhores jogos de todos os tempos.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

O jogador controla o protagonista Leon S. Kennedy a partir de uma perspectiva em terceira pessoa. A jogabilidade centra-se na ação e tiroteios envolvendo multidões de inimigos em grandes áreas abertas. A câmera é colocada atrás de Leon, e amplia para uma visão sobre o ombro quando se aponta uma arma.[4] Ao contrário dos jogos anteriores da série, há a adição de uma mira laser que adiciona uma nova profundidade ao apontar, permitindo que o jogador mire em várias direções e facilmente mude sua colocação em qualquer momento. Balas afetam os inimigos especificamente onde são atingidos: tiros nos pés podem fazer os inimigos tropeçar, enquanto tiros nos braços podem fazer eles largarem suas armas.[5]

Uma imagem de um homem jovem se defendendo contra uma horda de inimigos humanoides em uma aldeia. A câmera está atrás do ombro do homem, colocando-o no canto inferior esquerdo e os atacantes no fundo da imagem.
Leon em confronto com um grupo de Ganados. Ao contrário de lançamentos anteriores da série, Resident Evil 4 posiciona a câmera constantemente por trás e por cima do ombro do protagonista. A mira laser permite ao jogador disparar em zonas chave dos inimigos.[5]

Outro novo aspecto de Resident Evil 4 é a inclusão de controles sensíveis ao contexto. Com base na situação, o jogador pode interagir com os aspectos de seu ambiente: derrubar uma escada, saltar de uma janela ou esquivar-se de um ataque inimigo. Há também eventos em tempo real, no qual o jogador deve pressionar os botões indicados na tela para executar ações como correr de uma pedra caindo ou lutar um inimigo para se manter vivo. Este recurso é incorporado muitas vezes em muitas batalhas contra os chefes do jogo, onde o jogador deve evitar ataques que causam morte instantânea.[6]

Os principais inimigos são moradores violentos referidos como Los Ganados ("O Gado" em espanhol). Eles podem se esquivar, executarem ataques corpo a corpo ou usar armas brancas, e são capazes de trabalhar em conjunto e de se comunicar uns com os outros. Essas pessoas eram simples agricultores até tornarem-se no produto de uma infestação de Las Plagas ( "As Pragas", em espanhol).[7]

O inventário do jogo apresenta um sistema de grade, representado por uma pasta executiva, em que cada item ocupa um certo número de espaços. A maleta pode ser atualizada várias vezes, liberando mais espaço. Armas, munições e itens de cura são mantidos na pasta, enquanto itens essenciais são mantidos em um menu separado. Os itens podem ser comprados ou vendidos a um comerciante que aparece em vários locais ao longo do jogo. Ele vende sprays de primeiros socorros, armas, atualizações para as armas e compra vários tesouros que Leon encontra. Todas as armas possuem suas próprias vantagens e desvantagens.[8][9]

A Capcom adicionou conteúdos adicionais feitos especificamente para o PlayStation 2, que mais tarde também foram incorporados nas versões de Windows e Wii. A maior adição é o minijogo "Separate Ways", que gira em torno do envolvimento de Ada Wong durante a campanha principal e sua conexão com Albert Wesker, um ex-membro dos S.T.A.R.S., que agora está tentando reviver a Umbrella.[10] "Ada's Report", um documentário de cinco partes, analisa a relação de Ada com Wesker e seu papel na trama.[11] Outros conteúdos desbloqueáveis em todas as versões incluem o minijogo "The Mercenaries" e "Assignment Ada" (em que o jogador, controlando Ada, deve recuperar amostras de plagas), além de novos trajes para Leon e Ashley, novas armas desbloqueáveis e os filmes do jogo.[12]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Seis anos após os acontecimentos de Resident Evil 2, o ex-policial Leon Scott Kennedy é enviado em uma missão para resgatar Ashley Graham, filha do presidente dos Estados Unidos, que foi raptada por uma seita misteriosa.[13] Ele viaja para uma aldeia rural na Europa, onde encontra um grupo de moradores violentos que dedicam suas vidas para os Los Illuminados ( "os iluminados" em espanhol), o culto que sequestrou Ashley.

Na vila, Leon é capturado por seu chefe, Bitores Mendez, que injeta nele um parasita controlador de mentes conhecido como Las Plagas.[14] Ele é mantido amarrado em um cativeiro juntamente com Luis Sera, um ex-pesquisador dos Illuminados.[15] Os dois trabalham juntos para escapar, mas em seguida seguem caminhos separados. Leon descobre que Ashley está sendo mantida presa em uma capela, e consegue resgatá-la.[16] Ambos fogem do local após Osmund Saddler, líder da seita, revelar seus planos para usar as Plagas injetadas em Ashley para causar um desastre na Estados Unidos quando ela retornar.[17]

Leon e Ashley tentam se refugiar dentro do castelo de Ramon Salazar, um servo de Saddler, mas são atacados por mais Illuminados.[14] Os dois são separados um do outro por armadilhas de Salazar. Enquanto isso, Sera procura por pílulas para retardar a infecção de Leon e Ashley, e, em seguida, acha uma amostra de plaga. Ele traz os dois itens para Leon, mas é morto por Saddler, que toma a amostra, enquanto as pílulas para suprimir a infecção permanecem na posse de Leon.[18] Ainda no castelo, ele se encontra brevemente com Ada Wong, uma mulher de seu passado que o apoiou em toda a sua missão. Por fim, ele confronta e mata Salazar.[19] Leon então descobre que Ashley foi levada para um centro de pesquisa em uma ilha vizinha e vai encontrá-la.

Leon descobre depois que um de seus ex-companheiros de seus anos de formação, Jack Krauser, está vivo e é responsável pelo sequestro de Ashley.[20] Ada e Krauser estão trabalhando juntos para alguém relacionado a Umbrella, que Krauser pretende para matar Saddler quando ele tiver chance.[21] Este descobre os planos, e ele ordena a Krauser para matar Leon, sabendo que não importa qual deles morra, pois ele iria se beneficiar.[22] Após derrotar Krauser, Leon resgata Ashley, e eles removem as plagas de seus corpos usando um dispositivo radioterápico especializado. Leon confronta Saddler depois de ver Ada como seu refém. Com a ajuda dela, Leon mata Saddler e Ada leva a amostra.[23] Ela então foge do complexo em um helicóptero, deixando Leon e Ashley para escaparem em seu jet-ski enquanto a ilha explode.[24]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Versões descontinuadas[editar | editar código-fonte]

Projetado inicialmente em dezembro de 1999,[25] Resident Evil 4 4 foi submetido a um longo período de desenvolvimento durante o qual quatro versões propostas para jogo foram descartadas.[26] Inicialmente desenvolvido para o PlayStation 2, a primeira tentativa foi dirigida por Hideki Kamiya depois que o produtor Shinji Mikami pediu-lhe para criar um novo título para a série Resident Evil.[27] Por volta de 2000,[28] o escritor regular da franquia Noboru Sugimura criou o roteiro com base na ideia de Kamiya para fazer um jogo de ação "legal" e "elegante".[29][30] A história foi baseada em desvendar o mistério em torno do corpo do protagonista Tony,[31] um homem invencível com habilidades e intelecto superior ao de pessoas normais, com suas habilidades sobre-humanas explicadas com base na biotecnologia.[28] Como Kamiya sentiu que o personagem jogável não parecia bravo e heroico o suficiente nas batalhas com a câmera em um ângulo fixo, ele decidiu abandonar os fundos pré-renderizados dos jogos anteriores e em vez disso optou por um sistema de câmera dinâmica.[27] Com esta nova direção, a equipe precisou fazer uma viagem para a Europa, onde passaram onze dias no Reino Unido e na Espanha, fotografando coisas como estátuas góticas, tijolos e pavimentos de pedra para uso em texturas.[32][33]

Embora os desenvolvedores tentaram tornar o tema "legal" para se encaixar no mundo de Resident Evil,[34] Mikami sentiu que a ideia tinha desviado muito das raízes do survival horror da série e gradualmente convenceu todos os membros da equipe para tornar o jogo independente. Kamiy reescreveu a história para ser definido em um mundo cheio de demônios e mudou o nome do herói para Dante.[28] O elenco de personagens se manteve praticamente idêntico ao que no roteiro de Sugimura,[35] embora a mãe do herói[36] e eu pai,[37] este último uma versão inicial do fundador da Umbrella Lord Spencer,[38][39] foram escritos fora da história. O novo título do jogo foi revelado como Devil May Cry em novembro de 2000,[40] e o desenvolvimento de Resident Evil 4 começou novamente no final de 2001.[41]

O primeiro anúncio oficial do jogo foi feito em novembro de 2002, como um dos cinco jogos exclusivamente desenvolvidos pela Capcom Production Studio 4 para o Nintendo GameCube.[42][43] Esta versão, comumente chamado de "versão da névoa", foi dirigida por Hiroshi Shibata[44] e o projeto já estava com quarenta por cento concluído naquele momento.[45] Desta vez, o jogo contava com Leon S. Kennedy se infiltrando na sede da Umbrella na Europa e com os tradicionais monstros de Resident Evil, como os zumbis.[26][46][47] Durante o curso da nova história, que foi novamente escrita pela Flagship, empresa de Sugimura,[48] Leon tornou-se infectado com o vírus Progenitor e possuía um poder oculto em sua mão esquerda.[26][49][50] O produtor da versão final também apontou que Ashley não existia naquela época, embora houvesse uma garota diferente, que nunca foi revelada ao público.[26] No entanto, decidiu-se iniciar o desenvolvimento de novo.[26]

Uma imagem de um homem jovem que aponta sua arma e lanterna para uma figura masculina hostil empunhando um grande gancho. A cena toda é marcada por um tom azulado, dando ao ambiente da mansão uma sensação do outro mundo.
Esta captura de tela de uma versão cancelada retrata Leon lutando contra o homem gancho. Embora esta versão anterior usa ângulos de câmera fixa ao explorar ambientes, as batalhas já empregam a visão sobre o ombro vista no jogo final.

Na Electronic Entertainment Expo de 2003, outra versão foi revelada ao público, ficando amplamente conhecida como a "versão do homem gancho",[51] Durante introdução do trailer de Mikami, ele garantiu que o desenvolvimento estava ocorrendo muito bem e afirmou que o jogo seria mais assustador do que nunca.[51] A história foi definida em um edifício assombrado onde Leon contraiu uma doença estranha e lutava contra inimigos paranormais, como armaduras medievais, bonecas vivas e um homem armado com um grande gancho.[46][51] O jogo trazia uma sensação de outro mundo para ele, contendo elementos como flashbacks e alucinações que eram marcadas por um tom azulado e uma balançada na câmera.[26] Esta versão também contava com várias mecânicas de jogo usadas na versão final, como a câmera sobre o ombro para mirar durante as batalhas.[51] Outras características, tais como opções de diálogo, foram removidos mais tarde.[26]

Embora descartada, cinco minutos de cenas desta versão do jogo foram incluídas no Biohazard 4 Secret DVD, um bônus de pré-venda no Japão distribuído em janeiro de 2005.[52] Após esta tentativa, a última revisão cancelada tinha zumbis novamente, mas foi interrompida antes de ser mostrada ao público, já que os desenvolvedores sentiram que era muito estereotipada.[26]

Versão final[editar | editar código-fonte]

Depois disso, foi decidido mudar o gênero do jogo para reinventar a série.[46] Mikami assumiu a função de diretor e começou a trabalhar na versão que foi lançada.[53] Mais tarde, em uma entrevista, ele mencionou que foi colocado sob enorme pressão pela Capcom, que havia ameaçado o cancelamento da série se o jogo não vendesse bem.[54] Segundo o produtor recém-atribuído Hiroyuki Kobayashi,[53] a equipe de desenvolvimento sentia-se deprimida e estava complicado motivá-los após o foco do jogo mudar de horror para ação.[41] Embora Mikami exigiu que o sistema de câmera fosse completamente revisto, os membros da equipe tinham ressalvas sobre fazer grandes mudanças na série que ele havia criado.[55]

Eventualmente, ele interveio, explicou suas propostas e escreveu uma nova história para o título que, ao contrário dos jogos anteriores, não estava centrada na Umbrella.[56][55][57] Inspirado por Onimusha 3: Demon Siege, um jogo do qual Mikami gostava de jogar, mas que poderia ter sido melhor com uma visão diferente, ele decidiu colocar a câmera por trás da personagem jogável.[58] Para ir de encontro com a nova jogabilidade e história, um novo tipo de inimigo chamado "Ganado" foi criado, em vez de usar as criaturas mortas-vivas dos Resident Evils anteriores.[57] Além disso, os produtores também deram atenção especial para modificar e atualizar as personagens que apareceram anteriormente na série. Em um documentário explicando a concepção de personagens do jogo, um dos designers afirmou que ele pretendia fazer Leon Kennedy "parecer mais durão, mas também legal".[59]

Os dubladores em inglês gravaram suas partes em quatro sessões, ao longo de três a quatro meses.[60] A Capcom contratou Shinsaku Ohara como tradutor do roteiro e coordenador de voz.[61] Em uma entrevista para a IGN, Carolyn Lawrence, que forneceu a voz para Ashley Graham, descreveu sua personagem como "vulnerável, porque Leon tem que vir em seu socorro o tempo todo".[60] Ela também descreveu o personagem de Kennedy como "talvez mais músculo do que cérebro".[60] Além da dublagem, o designer do jogo detalhou cada sequência cinematográfica de modo que as expressões faciais de cada personagem combinassem com o tom da voz do ator.[59]

Junto com Resident Evil: Dead Aim e Resident Evil Outbreak, dois títulos spin-off que não se enquadravam no âmbito da política de exclusividade, foi anunciado em 31 de outubro de 2004 que Resident Evil 4 seria lançado para o PlayStation 2 em 2005, sendo citados o aumento de lucro, as mudanças das condições do mercado e aumento da satisfação do consumidor como as razões principais. Esta versão incluiria novos recursos, principalmente um novo minijogo com Ada Wong. Em 1 de fevereiro de 2006, a Ubisoft anunciou que iria publicar o jogo para Microsoft Windows.[62] Em 4 de abril de 2007, uma versão para Wii foi anunciada e lançada no final do ano. O jogo apresenta todos os extras da versão do PlayStation 2, juntamente com outras adições, incluindo um trailer de Resident Evil: The Umbrella Chronicles.[63][64]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

A versão original para o GameCube contou com duas edições de colecionador diferentes. A primeira estava disponível como pré-encomenda e incluía o jogo, um livro de arte do "prólogo" e uma camiseta. A GameStop ofereceu mais uma edição limitada que foi embalada em uma caixa de metal com o livro de arte, um celuloide de Leon e um CD da trilha sonora.[65] A Austrália recebeu uma edição de um coletor exclusiva que veio com o jogo e um disco bônus com entrevistas e filmagens do criador.[66]

Portes[editar | editar código-fonte]

Resident Evil 4 foi portado para o PlayStation 2 após a Capcom afirmar que tinha quebrado o acordo de exclusividade com a Nintendo. Ele foi lançado na América do Norte em 25 de outubro de 2005. Mais tarde, o jogo foi incluído com Resident Evil CODE: Veronica X e Resident Evil Outbreak como parte da compilação Resident Evil: The Essentials.[67] A versão de PlayStation 2 contou com dois pacotes padrões e de colecionador de pré-encomendas. O pacote padrão incluía o jogo e uma camiseta, enquanto a edição de colecionador vinha com o jogo, uma camiseta, uma estatueta de Leon e a trilha sonora. Este pacote se esgotou rapidamente, resultando no lançamento de um segundo, que incluía uma estatueta de Ada. Outro, chamado de Resident Evil 4: Premium Edition, foi embalado em uma maleta de metal, juntamente com o livro de arte, um documentário em DVD e uma arte em celuloide de Ada.[68]

Uma versão para Microsoft Windows foi desenvolvida pela Sourcenext e publicada pela Typhoon Games, lançada pela primeira vez em Hong Kong em 1 de fevereiro de 2007. Em março do mesmo ano, ela foi lançada na Europa, América do Norte e Austrália pela Ubisoft. O porte continha todos os bônus da versão para PlayStation 2, além de suportar múltiplas resoluções widescreen.[69] As questões de sombra e iluminação foram arrumadas no primeiro e único pacote de atualizações lançado.[70] Em 27 de fevereiro de 2014, a Capcom relançou Resident Evil 4 para Windows com o subtítulo Ultimate HD Edition, que implementou gráficos em alta definição.[71]

A versão para Wii foi lançada em 31 de maio de 2007 no Japão e em 19 de junho de 2007 nos Estados Unidos. Ela apresenta novos controles que envolvem o Wii Remote e o Nunchuk, juntamente com a capacidade de usar o Classic Controller em vez disso.[64] O Wii Remote é capaz de apontar e disparar em qualquer lugar na tela com um retículo que substitui a mira laser das outras versões. Ele também pode ser movimentado para utilizar a faca. Este porte já inclui o conteúdo do PlayStation 2 e um trailer de Resident Evil: The Umbrella Chronicles.[63]

Resident Evil 4 chegou aos celulares primeiramente no Japão, sendo distribuído pela au e lançado em 1 de fevereiro de 2008.[72] As diferenças da versão original incluem a mudança do fluxo da história de contínua para dividida em seções como "Vila", "Forte", "Ravina" "Fortaleza" e "Túnel Subterrâneo". Há também um modo "The Mercenaries" mais desafiador.[73][74] O jogo usa o motor gráfico MascotCapsule, e também acabou sendo adaptado para o Zeebo e iOS.[75][76][77]

Em 13 de julho de 2009, sem qualquer anúncio formal, Resident Evil 4 foi lançado para o iOS no Japão através da App Store, mas foi rapidamente removido.[78][79] Apesar disso, alguns jogadores foram capazes de comprar e baixar o jogo, que acabou sendo oficialmente lançado no Japão e na América do Norte.[77] Mais tarde, a Capcom lançou uma nova versão separada chamada Resident Evil 4 for Beginners, que oferece os dois primeiros níveis (e um outro nível de treinamento) de ambos modo história e "Mercenaries". No entanto, o resto dos níveis estão disponíveis para compra como conteúdo para download.[80] Devido ao lançamento do iPad, a Capcom recriou a versão de iPhone para o novo aparelho, atualizando os gráficos para alta definição.[81]

Em 23 de março de 2011, versões em alta definição de Resident Evil CODE: Veronica e Resident Evil 4 foram anunciadas para o Xbox 360 e PlayStation 3 como parte da série Resident Evil: Revival Selection.[82] Em 23 de julho de 2011, a Capcom revelou que Resident Evil 4 seria lançado em 20 de setembro de 2011 na América do Norte e Europa pela Playstation Network e Xbox Live Games on Demand.[83] Enquanto isso, no Japão ambos os jogos foram lançados em um único disco com o título Biohazard Revival Selection em 8 de setembro de 2011.[84] Uma nova versão para Xbox One e PlayStation 4 será lançada no terceiro trimestre de 2016.[85]

Em abril de 2013, Resident Evil 4 também foi lançado para Android, mas fora do Japão é exclusivo para dispositivos da Samsung, sendo distribuído através do Samsung Galaxy Apps.[86]

Mercadorias[editar | editar código-fonte]

Um álbum intitulado Biohazard 4 Original Soundtrack foi lançado no Japão em 22 de dezembro de 2005. Ele contém 62 composições do jogo um livreto visual de 48 páginas com encarte dos compositores Shusaku Uchiyama e Misao Senbongi.[87] Também foram fabricadas figuras pela McFarlane Toys, NECA e Hot Toys.[88][89][90]A Agatsuma Entertainment criou ainda várias coleções em miniatura com base nos personagens principais e em inimigos presentes no jogo.[91] Dois controladores especiais projetados para se parecerem com motosserras foram desenhados pela NubyTech para uso no GameCube e PlayStation 2.[92]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Vendas[editar | editar código-fonte]

Um ano após o lançamento oficial, a Capcom anunciou em janeiro de 2006 que mais de três milhões de cópias tinham sido vendidas para as versões de GameCube e PlayStation 2.[93] Segundo a empresa em um novo comunicado em 17 de janeiro de 2007, as vendas para o GameCube ultrapassaram a marca de um milhão e meio de unidades vendidas em todo o mundo, enquanto a versão do PlayStation 2 tinha vendido mais de dois milhões de cópias.[94] Em 30 de setembro de 2011, foi informado que a versão para Wii tinha vendido um milhão e novecentas mil unidades.[95] De acordo com a lista de títulos de platina da Capcom, o jogo vendeu cinco milhões e novecentas mil unidades em todos os formatos, tornando-se no quarto jogo de maior venda da série Resident Evil, o qual detém o recorde de "jogo de survival horror com mais vendido" na edição de 2012 do Guinness World Records Gamer's Edition.[96] Além disso, a versão Ultimate HD Edition para Windows já tinha vendido mais de 560.000 unidades na Steam em maio de 2016.[97]

Críticas profissionais[editar | editar código-fonte]

 Recepção
Resenha crítica
Publicação Nota
1UP.com A (GC)[98]
A (PC)[99]
Destructoid 9/10 (HD)[100]
Edge 10/10 (GC)[101]
EuroGamer 4/10 (iOS)[102]
7/10 (HD)[103]
Famitsu 38/40 (GC)[104]
38/40 (Wii)[105]
GameSpot 9,6/10 (GC)[106]
7,8/10 (PC)[107]
8/10 (PC HD)[108]
9,3/10 (PS2)[109]
9,1/10 (Wii)[110]
GameSpy 5 de 5 estrelas. (GC)[111]
3.5 de 5 estrelas. (PC)[112]
5 de 5 estrelas. (PS2)[113]
5 de 5 estrelas. (Wii)[114]
GamesRadar 4 de 5 estrelas. (HD)[115]
IGN 9,8/10 (GC)[116]
7,0/10 (iOS)[117]
5,0/10 (iPad)[118]
7,7/10 (PC)[119]
9,5/10 (PS2)[120]
8,5/10 (HD)[121]
9/10 (Wii)[3]
Nintendo Power 10/10 (GC)[122]
ONM 95% (GC)[123]
PC Gamer 85/10 (PC HD)[124]
Pontuação global
Publicação Nota média
Game Rankings 95,83% (GC)[125]
74,24% (PC)[126]
82,50% (PC HD)[127]
95,85% (PS2)[128]
85,18% (PS3)[129]
91,59% (Wii)[2]
86,97% (X360)[130]
Metacritic 96/100 (GC)[131]
76/100 (PC)[132]
79/100 (PC HD)[133]
96/100 (PS2)[134]
84/100 (PS3)[135]
91/100 (Wii)[1]
84/100 (X360)[136]

Resident Evil 4 foi aclamado pela crítica e recebeu uma pontuação global de 96 de 100 no Metacritic para as versões de GameCube e o PlayStation 2.[131][134] No Game Rankings, estas versões também têm a classificação mais alta, que superam 95% de aprovação.[125][128] Além do jogo, os personagens e a história em geral receberam comentários positivos.[116]

Escrevendo para a GameSpot, Greg Kasavin elogiou a dublagem do jogo, mas alegou que existiam alguns "diálogos estranhamente patetas".[106] Adam Pavlacka do Yahoo! Games e Kevin VanOrd do GameSpot elogiaram a Capcom pela adição de grandes quantidades de detalhes para os personagens.[110][137] Matt Casamassina do IGN foi mais detalhista em sua revisão de Resident Evil 4, elogiando não só o design dos personagens, mas também a coreografia das lutas e modelagem tridimensional em sequências cinemáticas.[116] Casamassina elogiou ainda os dubladores do jogo, especialmente Paul Mercier, comentando que "pela primeira vez, é possível acreditar nos personagens porque a Capcom contratou atores competentes para suprir suas vozes. Leon em particular é muito bem produzido".[116] O programa X-Play do G4 deu a classificação máxima de cinco estrelas a Resident Evil 4 por causa da introdução de um novo estilo de jogo para a série, como bem como pela incorporação de momentos onde o jogador tem que interagir com as cenas.[138] Posteriormente, ele foi classificado como vigésimo primeiro melhor jogo da história pelo programa.[139] O aumento da variedade de armas também foi elogiado por publicações de jogos como GamePro e Game Over Online.[140][141] A Game Informer afirmou que a munição é mais abundante neste jogo do que em qualquer outra da série, tornando-o mais orientado para a ação.[142] Na edição de outubro de 2013 da revista Edge, o jogo foi classificado retroativamente com uma nota perfeita de dez.[101]

As avaliações para a versão de computador não foram tão positivas. O porte foi fortemente criticado por não ter suporte ao mouse e controles do teclado frustrantes, cutscenes em full motion video de baixa qualidade e renderização de gráficos ruins, sendo necessário jogar com um gamepad para uma mira mais precisa. Apesar disso, a IGN e a GameSpot elogiaram a jogabilidade.[107][119] Já a versão Ultimate HD lançada em 2014 foi melhor recebida. Cameron Woolsey do GameSpot elogiou os gráficos em alta definição, a possibilidade de usar teclado e mouse nativos e dos botões serem personalizáveis, além do jogo rodar em sessenta quadros por segundo. No entanto, ele criticou a falta de atenção dada ao modo "Separate Ways", que continuou com texturas em baixa definição, e os lags ocorridos durante os eventos em tempo real.[108] Para Wes Fenlon do PC Gamer, esta foi a melhor versão que ele jogou. Fenlon elogiou a mira precisa do mouse, embora não fosse possível usá-lo para organizar o inventário. Ele detacou ainda os gráficos em alta definição e a inclusão da opção de sessenta quadros por segundo, embora tenha notado que apesar da cadência de quadros estar travada, em certos momentos a opção gerava lags no jogo, deixando-o em câmera lenta e com o áudio e o vídeo dessincronizados.[124]

Escrevendo para a IGN, Levi Buchanan avaliou as versões móveis do jogo. Ele elogiou os detalhes gráficos e o sistema de fases adaptados para a versão de iPhone, embora tenha criticado os controles por serem imprecisos e complicados, além da câmera ficar mal posicionada em alguns pontos.[117] Já para a versão de iPad, Buchanan reclamou da versão simplificada do jogo, alegando que as fases são "vagamente ligadas por cenas com narrativas curtas", dizendo que o sistema tinha mais potência e uma tela maior do que o iPhone e portanto poderia apresentar uma história mais consistente. O revisor ainda criticou a movimentação completamente truncada e a incapacidade de mover a mira livremente. Por fim, ele descreveu o porte como "desajeitado".[118] Oli Welsh da EuroGamer criticou a jogabilidade da versão para iPhone, mas elogiou os gráficos e o modo "Mercenaries", concluindo que a Capcom errou ao utilizar tecnologia ultrapassada, inserir pouco conteúdo adicional e por fazer uma adaptação ruim para o sistema da Apple.[102]

A revista japonesa Famitsu avaliou a versão de Wii, com dois editores dando ao jogo uma pontuação perfeita de dez, e outros dois avaliadores dando-lhe uma nota nove, resultando em uma média de 38 de 40. Os revisores observaram que os controles melhorados oferecem algo novo e diferente. Eles concordaram que mesmo os jogadores que possuem o jogo original iriam encontrar algo divertido e agradável nesta versão.[105] Já a revista revista britânica NGamer deu uma pontuação de 96% para a versão de Wii, ligeiramente inferior aos 97% dado no GameCube.[1] Eles elogiaram o visual, controles e recursos, comentando o fato de que um "pacote excepcional" estava à venda por um preço baixo; no entanto, ao escrever sobre os controles do Wii, eles disseram: "se você já jogou a versão para GameCube isso não vai ser tão especial."[1] A Official Nintendo Magazine deu a versão de Wii 94%. Eles elogiaram a melhora na precisão dos disparos, mas citaram que o jogo já não tinha o mesmo impacto de quando foi lançado.[143] A IGN elogiou o porte para Wii, afirmando que é esta era uma edição superior, mas não sustentava as vendas do console, como já tinha acontecido com o GameCube e PlayStation 2.[3] A GameSpot elogiou os novos controles do Wii, mas comentou sobre a falta de recursos exclusivos.[110] Jonti Davies do Hyper elogiou Resident Evil 4 por suas "melhorias visuais", mas criticou-o por não ter "nenhum novo conteúdo".[144]

Escrevendo para o EuroGamer, Rich Stanton criticou a versão em alta definição para os consoles. Segundo ele, apesar da boa jogabilidade, os gráficos não foram bem otimizados e a modelagem ficou "feia". Ao concluir sua revisão, ele disse: "Resident Evil 4 é um jogo brilhante, mas é exatamente por isso que Resident Evil 4 HD é uma decepção. Esta não é uma versão definitiva, mas uma tentativa meia-boca criminosa para conseguir mais dinheiro".[103] Leif Johnson do GamesRadar fez comentários semelhantes. Ele notou que os modelos de personagens e efeitos de água receberam um tratamento especial, enquanto os outros detalhes são apenas "texturas antigas esticadas até 1080p." Por fim, ele disse que a "Capcom poderia ter feito mais".[115] Audrey Drake da IGN também teceu comentários negativos com relação aos gráficos da versão em alta definição, observando que em alguns pontos "os ambientes parecem piores do que antes."[121] Já Jonathan Holmes do Destructoid foi mais positivo em sua avaliação. Ele observou que os gráficos estavam um pouco melhores que a versão original de GameCube, mas reclamou da falta de novo conteúdo adicional ou mesmo de um novo traje para os personagens. Apesar disso, ele chamou a versão em alta definição de Resident Evil 4 de "uma marca de excelência".[100]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

O jogo recebeu vários prêmios de várias organizações e sites de jogos eletrônicos. Resident Evil 4 foi nomeado o Jogo do Ano no Spike Video Game Awards de 2005.[145] A Nintendo Power e Game Informer também o classificaram como o melhor jogo de 2005.[122][146] Ele inda ficou empatado juntamente com Kingdom Hearts II na lista dos melhores títulos de 2005 feita pela Famitsu.[147] Nintendo Power reconheceu o trabalho de dublagem de Resident Evil 4 no Nintendo Power Awards,[148] enquanto a IGN deu ao jogo o prêmio de "melhor projeto artístico".[149] O International Game Developers Association nomeou Resident Evil 4 ao prêmio de "artes visuais",[150] mas acabou perdendo para Shadow of the Colossus.[151]

Resident Evil 4 é muitas vezes considerado um dos melhores jogos eletrônicos de todos os tempos. A Nintendo Power o classificou como o melhor jogo de GameCube em 2005 e como o segundo melhor jogo da década de 2000 em 2010.[122][152] Em 2008, Resident Evil 4 também foi classificado em primeiro lugar na lista dos melhores jogos de todos os tempos de acordo com os leitores da IGN.[153] Em 2009, a Game Informer classificou o título como o melhor jogo de GameCube e o terceiro melhor de PlayStation 2.[154][155] A ScrewAttack também pôs Resident Evil 4 no topo da lista dos melhores jogos de GameCube de todos os tempos,[156] enquanto a GamePro classificou-o como segundo melhor jogo de PlayStation 2.[157] Em 2010, os leitores da PlayStation Official Magazine elegeram-no o décimo maior título já lançado para o PlayStation.[158] Em 2007, a Edge classificou Resident Evil 4 em segundo lugar na sua lista dos melhores jogos de todos os tempos, ficando atrás apenas de The Legend of Zelda: Ocarina of Time.[159] Em 2015, o jogo ficou em sétimo lugar na lista dos quinze melhores jogos desde 2000 feita pela USgamer.[160]

Legado[editar | editar código-fonte]

Resident Evil 4 é considerado como um dos jogos mais influentes da década de 2000, devido à sua influência na redefinição dos jogos de tiro em terceira pessoa[161] através da introdução de uma "dependência de ângulos de câmara de compensação que não conseguem obscurecer a ação".[162] As alterações na jogabilidade e estilo envolvente ajudaram muitos jogadores não previamente familiarizados com a série.[163] O ponto de visão sobre o ombro introduzido em Resident Evil 4 mais tarde se tornou padrão em jogos de tiro em terceira pessoa, incluindo títulos que variam de Gears of War a Batman: Arkham Asylum.[161] Ele também se tornou em uma "mira de precisão" padrão em jogos de ação em geral, como em Dead Space, Grand Theft Auto e Ratchet & Clank Future e Fallout.[164]

Resident Evil 4 redefiniu o gênero survival horror, enfatizando reflexos e mira precisa,[165] ampliando assim a jogabilidade da série com elementos de ação.[166] No entanto, isso também levou alguns críticos a sugerir que a série Resident Evil tinha abandonado o gênero survival horror,[167][168] demolindo as convenções do gênero que tinha estabelecido.[169] Outras grande séries de survival horror seguiram o exemplo, através do desenvolvimento de seus sistemas de combate e com mais ação presente, como Silent Hill: Homecoming[167] e a versão 2008 de Alone in the Dark.[170] Estas mudanças representam uma tendência geral entre os jogos de console em direção a jogabilidade de ação visceral.[171] Enquanto trabalhava em The Last of Us, a Naughty Dog usou ideias de Resident Evil 4, particularmente a tensão e ação.[172]

Referências

  1. a b c d «Resident Evil 4: Wii Edition [...] Reviews». Metacritic. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 21 de março de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  2. a b «Resident Evil 4 Wii Edition for Wii». GameRankings. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 24 de abril de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  3. a b c Casamassina, Matt (19 de junho de 2007). «Resident Evil 4: Wii Edition Review». IGN. Ziff Davis, LLC. Arquivado desde o original em 16 de abril de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  4. Stanescu, Alexandru (1 de fevereiro de 2007). «Resident Evil 4». Softpedia. Arquivado desde o original em 4 de abril de 2016. Consultado em 1 de setembro de 2011. «The camera problems have been finally solved thanks to a very useful over-the-shoulder and behind the player camera that makes the whole aiming process really easy.» 
  5. a b «Resident Evil 4 – Gamecube Preview at IGN». IGN. 17 de março de 2004. p. 2. Consultado em 1 de setembro de 2011. 
  6. «Resident Evil 4 Secrets Revealed». IGN. 23 de março de 2004. p. 1. Consultado em 3 de setembro de 2011. 
  7. Schedeen, Jesse (26 de fevereiro de 2009). «Resident Evil: The Many Looks of the Infected». IGN. p. 7. Consultado em 3 de setembro de 2011. 
  8. Mike, Major (5 de outubro de 2005). «Feature: Resident Evil 4 – Weapons of Mass Destruction Guide». GamePro. Arquivado desde o original em 7 de junho de 2011. Consultado em 5 de setembro de 2011. 
  9. Stratton, Stephen (2007). «Weapons and Items». Resident Evil 4 (Wii version): Prima Official Game Guide Prima Games [S.l.] ISBN 0-7615-5701-6. 
  10. «Resident Evil 4: Separate Ways». IGN. 26 de setembro de 2005. Consultado em 3 de setembro de 2011. 
  11. Williams, Bryn (26 de setembro de 2005). «Previews: Resident Evil 4». GameSpy. Arquivado desde o original em 4 de março de 2016. Consultado em 3 de setembro de 2011. 
  12. Drake, Audrey (21 de setembro de 2011). «Resident Evil 4 HD Review – PlayStation 3 Review at IGN». IGN. Arquivado desde o original em 3 de junho de 2012. Consultado em 20 de outubro de 2011. 
  13. Cquote1.png Leon: It was right before I was to take on my duties of protecting the President's daughter when she was abducted. That's the ultimate reason I'm in this lonely and rural part of Europe. According to our intelligence, there's reliable information of a sighting of a girl that looks very similar to the President's daughter. Apparently she's being withheld by some unidentified group of people. Who would have thought my first job would be a rescue mission? Cquote2.png // Resident Evil 4. Capcom Production Studio 4. PlayStation 2. (25 de outubro de 2005)
  14. a b Cquote1.png Leon: We decided to lay low in a castle, but it looks like it was a bad move. / Hunnigan: Meaning? / Leon: Well it appears that this castle's also connected with the Los Illuminados. They must not get many visitors cuz they're giving me one hell of a welcome. / ... / Saddler: Oh, I believe I forgot to tell you that we gave you the same gift. / Leon: (When I was unconscious.) Cquote2.png // Resident Evil 4. Capcom Production. PlayStation 2. (25 de outubro de 2005)
  15. Cquote1.png Sera: That is the incident with the viral outbreak right? I think I might have seen a sample of the virus in the lab at my department. Cquote2.png // Resident Evil 4. Capcom Production Studio 4. PlayStation 2. (25 de outubro de 2005)
  16. Cquote1.png Leon: Calm down. Everything's going to be just fine. My name's Leon, I'm under the President's order to rescue you. / Ashley: What? My father? / Leon: That's right, and have to get you out of here. Come with me. Cquote2.png // Resident Evil 4. Capcom Production Studio 4. PlayStation 2. (25 de outubro de 2005)
  17. Cquote1.png Saddler: If you must know, my name is Osmund Saddler, the master of this fine...religious community. / Leon: What do you want? / Saddler: To demonstrate to the whole world, our astounding power, of course. No longer will the United States think they can police the world forever. So we kidnapped the President's daughter, in order to give her our power, and then send her back. Cquote2.png // Resident Evil 4. Capcom Production. PlayStation 2. (25 de outubro de 2005)
  18. Cquote1.png 'Saddler: Now that I have the sample, you serve me no purpose. / Leon: Saddler! / Saddler: My boy Salazar will make sure you follow the same fate. / Leon: Stay with me, Luis. / Sera: I am a researcher...hired by Saddler. He found out what I was up to. / Leon: Don't talk. / Sera: Here. It should suppress growth of the parasite. The sample...Saddler took it. You have to get it back. Cquote2.png // Resident Evil 4. Capcom Production Studio 4. PlayStation 2. (25 de outubro de 2005)
  19. Cquote1.png Leon: You, working with Wesker. / Ada: I see you've been doing your homework. Cquote2.png // Resident Evil 4. Capcom Production Studio 4. PlayStation 2. (25 de outubro de 2005)
  20. Cquote1.png Krauser: I died in the crash two years ago. Is that what they told you? / Leon: You're the one who kidnapped Ashley! / Krauser: You catch on quick. That's expected. After all, both you and I know where we come from. / Leon: What do you want? / Krauser: Hmph. The sample Saddler developed, that's all. Cquote2.png // Resident Evil 4. Capcom Production Studio 4. PlayStation 2. (25 de outubro de 2005)
  21. Cquote1.png Krauser: Saddler's got it. It seems he's sniffed out our little game. / Ada: Perfect. / Krauser: Just so we understand each other clearly, I don't trust you. Nor does Wesker. If you try to do anything clever, I will kill you. / Ada: Is that so? You know, I met Wesker long before you. Cquote2.png // Resident Evil 4. Capcom Production Studio 4. PlayStation 2. (25 de outubro de 2005)
  22. Cquote1.png Leon: Wha? What are you talking about? I thought he was with you. / Saddler: What are you talking about? Did you really think I'd trust an American? To tell you the truth, I was contemplating how to get rid of him. But thanks to you, that's no longer necessary. / Leon:You were just using him right from the start. Cquote2.png // Resident Evil 4. Capcom Production Studio 4. PlayStation 2. (25 de outubro de 2005)
  23. Cquote1.png Ada: Sorry, Leon. Hand it over. / Leon: Ada, you do know what this is. Cquote2.png // Resident Evil 4. Capcom Production Studio 4. PlayStation 2. (25 de outubro de 2005)
  24. Cquote1.png Leon: We have to get off this island now! It's gonna blow any minute. Cquote2.png // Resident Evil 4. Capcom Production Studio 4. PlayStation 2. (25 de outubro de 2005)
  25. Perry, Douglass (3 de dezembro de 1999). «Resident Evil Series to Haunt PlayStation 2». IGN. Arquivado desde o original em 10 de abril de 2016. Consultado em 17 de julho de 2010. 
  26. a b c d e f g h Kevin Gifford, Mark MacDonald. (Maio de 2005). "Afterthoughts: Resident Evil 4". Electronic Gaming Monthly 190: 51–52.
  27. a b Kamiya, Hideki (Julho de 2001). «新しいバイオ». Devil May Cry Column. Capcom Co., Ltd. Consultado em 17 de julho de 2010. 
  28. a b c Hideki Kamiya (Julho de 2001). «The Story of the Scenario». Devil May Cry Column. Capcom Co., Ltd. Arquivado desde o original em 7 de dezembro de 2014. Consultado em 17 de julho de 2010. 
  29. Minoru Funatsu (11 de abril de 2001). «カプコン、深作欣二監督を招き「クロックタワー3」を制作» [Clock Tower 3 produced invited to Capcom, directed by Kinji fukasaku. Hope charm is different from the resident evil]. GAME Watch. Impress Watch Corporation. Arquivado desde o original em 10 de abril de 2016. Consultado em 8 de julho de 2010. 
  30. Devil May Cry Graphic Edition Kadokawa Shoten [S.l.] Dezembro de 2001. ISBN 978-4-04-707071-4. 
  31. Hideki Kamiya (19 de setembro de 2010). «Twitter». Arquivado desde o original em 19 de outubro de 2010. 
  32. Hideki Kamiya (Julho de 2001). «背景» [Background]. Devil May Cry Column. Capcom Co., Ltd. Arquivado desde o original em 7 de dezembro de 2014. Consultado em 17 de julho de 2010. 
  33. James Mielke (18 de agosto de 2006). «Retro/Active: Hideki Kamiya – The Okami Family Tree». 1UP.com. UGO Entertainment, Inc. Arquivado desde o original em 6 de junho de 2016. Consultado em 20 de julho de 2008. 
  34. Douglass C. Perry (17 de maio de 2001). «E3 2001: Interview with Shinji Mikami». IGN. Arquivado desde o original em 10 de abril de 2016. Consultado em 20 de julho de 2008. 
  35. Hideki Kamiya (22 de setembro de 2010). «Twitter». Arquivado desde o original em 19 de outubro de 2010. 
  36. Hideki Kamiya (19 de outubro de 2010). «Twitter». Arquivado desde o original em 19 de outubro de 2010. 
  37. Hideki Kamiya (19 de outubro de 2010). «Twitter». Arquivado desde o original em 19 de outubro de 2010. 
  38. Hideki Kamiya (19 de outubro de 2010). «Twitter». Arquivado desde o original em 19 de outubro de 2010. 
  39. Hideki Kamiya (19 de outubro de 2010). «Twitter». Arquivado desde o original em 19 de outubro de 2010. 
  40. «New From Capcom: Devil May Cry». IGN. 15 de novembro de 2000. Arquivado desde o original em 11 de junho de 2012. Consultado em 17 de julho de 2010. 
  41. a b (Dezembro de 2004) "Resident Evil 4 Entwickler-Tagebuch – Teil 1: Die Entstehung" (em alemão). N-Zone Dezembro de 2004: 76–77.
  42. «Production Studio 4» (em japonês). Capcom. Arquivado desde o original em 6 de fevereiro de 2005. 
  43. «Capcom's Fantastic Five». IGN. 13 de novembro de 2002. Arquivado desde o original em 5 de junho de 2016. Consultado em 17 de julho de 2010. 
  44. «Director's comment: biohazard 4». Production Studio 4 Announcements. Capcom Co., Ltd. (via Internet Archive). 14 de novembro de 2002. Arquivado desde o original em 16 de novembro de 2002. Consultado em 17 de julho de 2010. «The game the whole world has been waiting for will finally be unveiled. The story takes place deep inside the very heart of Umbrella, the evil company responsible for the progenitor virus. The main character of Resident Evil 2, Leon S. Kennedy, is back in the game. What will Umbrella have in store for him this time? That "surprise" will push Leon to the very limits of his being for one purpose...the STRUGGLE to survive. Director / Hiroshi Shibata» 
  45. «Neue Infos zu Biohazard 4». GameFront Online. GameFront Verlagsges. (via Internet Archive). 20 de novembro de 2002. Arquivado desde o original em 5 de maio de 2004. Consultado em 17 de julho de 2010. 
  46. a b c Heidi Kemps (27 de setembro de 2004). «Hiroyuki Kobayashi on Resident Evil 4 & Killer 7». GameSpy. Arquivado desde o original em 3 de março de 2016. Consultado em 18 de julho de 2010. 
  47. Cquote1.png Chris's Diary: We talked it over, and have decided to fly to the main Umbrella HQ in Europe. Cquote2.png // Resident Evil 2. Capcom Co., Ltd.. PlayStation. (21 de janeiro de 1998)
  48. (Maio 2001) "Im Gespräch mit Shinji Mikami" (em alemão). Play p. 27.
  49. «Resident Evil Series Profile». IGN. 25 de junho de 2004. Arquivado desde o original em 19 de março de 2011. Consultado em 17 de julho de 2010. 
  50. «Interview with Paul Mercier». unWIRED TV. 21 de setembro de 2009. Arquivado desde o original em 4 de março de 2016. Consultado em 17 de julho de 2010. 
  51. a b c d Travis Fahs (11 de março de 2009). «IGN Presents the History of Resident Evil». IGN. Arquivado desde o original em 5 de maio de 2012. Consultado em 17 de julho de 2010. 
  52. Juan Castro (26 de janeiro de 2005). «RE4 Bonus Disc Footage». IGN. Arquivado desde o original em 4 de outubro de 2008. Consultado em 18 de julho de 2010. 
  53. a b «Interview: Resident Evil 4». IGN. 17 de março de 2004. Arquivado desde o original em 20 de março de 2012. Consultado em 18 de julho de 2010. 
  54. Jenny Rossberg (4 de março de 2010). «Vanquish: Interview mit Shinji Mikami». GamePro (em alemão). IDG Entertainment Media GmbH. Arquivado desde o original em 19 de julho de 2011. Consultado em 18 de julho de 2010. «Shinji Mikami: Dieses Mal ist es einfacher, da ich die ganze Verantwortung nicht alleine trage. Bei Resident Evil 4 zum Beispiel war das ganz anders. Ich stand durch Capcom unter einem enormen Druck. Hätte sich das Spiel nicht gut verkauft, wäre Schluss gewesen und die Serie eingestellt worden. / This time, it is easier because I am not the only one responsible. With Resident Evil 4, for example, it was completely different. I was under enormous pressure by Capcom. If the game had not sold well, it would have been the end, and the series would have been discontinued.» 
  55. a b (Junho de 2004) "New Evil". Nintendo Power 180.
  56. «biohazard4». Capcom. Arquivado desde o original em 28 de dezembro de 2004. 
  57. a b «E3 2004: Resident Evil 4 Interview». IGN. 13 de maio de 2004. Arquivado desde o original em 12 de fevereiro de 2012. Consultado em 27 de maio de 2008. 
  58. De Matos, Xav (9 de março de 2011). «Shinji Mikami on Shadows of the Damned and inspiring a new generation of competition». Shacknews. GameFly, Inc. Arquivado desde o original em 13 de março de 2011. Consultado em 13 de março de 2011. 
  59. a b The Making of Resident Evil 4 (DVD). Capcom. 2005. 
  60. a b c Carle, Chris. (2 de agosto de 2005). "Babe Interview: Carolyn Lawrence": 2–3. Visitado em 4 de junho de 2008.
  61. Resident Evil 4. Capcom. PlayStation 2. Nível: Créditos do jogo principal e "Separate Ways". (25 de outubro de 2005)
  62. «Resident Evil 4, Onimusha 3: Demon Siege and Devil May Cry 3: Dante's Awakening Special Edition coming to PCs beginning February 2006». Ubisoft. 1 de fevereiro de 2006. Arquivado desde o original em 12 de maio de 2014. Consultado em 28 de janeiro de 2007. 
  63. a b McElroy, Justin (4 de abril de 2007). «Resident Evil 4 on Wii official, Umbrella Chronicles an on-rails shooter». Joystiq. Arquivado desde o original em 5 de fevereiro de 2015. Consultado em 4 de abril de 2007. 
  64. a b Mason, Mike (27 de agosto de 2007). «Resident Evil 4 Wii Edition». Cubed3. Arquivado desde o original em 4 de março de 2016. Consultado em 3 de setembro de 2011. 
  65. «Resident Evil 4 Collector's Tin (GCN)». GameSpy. Arquivado desde o original em 7 de novembro de 2015. Consultado em 28 de janeiro de 2007. 
  66. «Resident Evil 4 (Australian Collector's Edition)». IGN. Arquivado desde o original em 19 de julho de 2012. Consultado em 20 de outubro de 2011. 
  67. «Resident Evil: The Essentials – PS2». IGN. Arquivado desde o original em 5 de novembro de 2007. Consultado em 6 de setembro de 2011. 
  68. Mirabella III, Fran (18 de novembro de 2005). «Resident Evil 4: Premium Edition». IGN. Arquivado desde o original em 31 de maio de 2012. Consultado em 28 de janeiro de 2007. 
  69. «Biohazard 4». Electronic Arts. Arquivado desde o original em 28 de março de 2010. Consultado em 12 de julho de 2007. 
  70. «Resident Evil 4 PC 1.10 Patch». Strategy Informer. Arquivado desde o original em 3 de fevereiro de 2014. Consultado em 11 de abril de 2011. 
  71. Makuch, Eddie (21 de janeiro de 2014). «Resident Evil 4 Ultimate HD Edition coming to PC, runs at "silky smooth" 60fps» (em inglês). Gamespot. Arquivado desde o original em 14 de abril de 2014. Consultado em 3 de junho de 2016. 
  72. Onyett, Charles (22 de setembro de 2007). «Resident Evil 4 Mobile». IGN. Arquivado desde o original em 5 de novembro de 2015. Consultado em 22 de setembro de 2007. 
  73. 水口真 (1 de fevereiro de 2008). «『バイオハザード4』auの携帯電話版の配信スタート» [Delivery start of the mobile phone version of Resident Evil 4 au] (em japonês). Inside. Arquivado desde o original em 7 de fevereiro de 2016. Consultado em 26 de outubro de 2011. 
  74. «Mobile Capcom». Arquivado desde o original em 19 de junho de 2008. 
  75. «Hi Corp. Product Information». HI Corp. Arquivado desde o original em 14 de agosto de 2011. Consultado em 5 de outubro de 2011. 
  76. McElroy, Justin (10 de novembro de 2009). «Resident Evil 4: Mobile Edition ported to Zeebo». Joystiq. Arquivado desde o original em 28 de janeiro de 2015. Consultado em 6 de setembro de 2011. 
  77. a b Buchanan, Levi (15 de julho de 2009). «Resident Evil 4 Gets Date». IGN. Arquivado desde o original em 5 de março de 2016. Consultado em 15 de julho de 2009. 
  78. «'Resident Evil 4' Mobile Edition Video, Accidental Early Release?». Touch Arcade. 13 de julho de 2009. Arquivado desde o original em 3 de março de 2016. Consultado em 15 de julho de 2009. 
  79. Buchanan, Levi (14 de julho de 2009). «Resident Evil 4 for iPhone». IGN. Arquivado desde o original em 22 de março de 2016. Consultado em 15 de julho de 2009. 
  80. «RESIDENT EVIL 4: FOR BEGINNERS LIVE» (em inglês). IGN. 17 de fevereiro de 2010. Arquivado desde o original em 24 de agosto de 2014. Consultado em 3 de junho de 2016. 
  81. «Capcom announces "Resident Evil 4: iPad Edition"». PR-Inside. 3 de abril de 2010. Arquivado desde o original em 29 de abril de 2011. Consultado em 4 de abril de 2010. 
  82. Gantayat, Anoop (23 de março de 2011). «Here's What's Known About Resident Evil Revival Selection». andriasang. Arquivado desde o original em 5 de março de 2016. Consultado em 23 de março de 2011. 
  83. Reilly, Jim (24 de março de 2011). «Resident Evil 4 HD Hitting PSN and Xbox Live». IGN. Arquivado desde o original em 22 de março de 2016. Consultado em 26 de abril de 2011. 
  84. Makuch, Eddie (23 de julho de 2011). «Resident Evil 4, Code: Veronica X HD lurch to US in September». GameSpot. Arquivado desde o original em 18 de março de 2012. Consultado em 4 de setembro de 2011. 
  85. McWhertor, Michael (25 de fevereiro de 2016). «Resident Evil 4, 5 and 6 are coming to PS4 and Xbox One» (em inglês). Polygon. Arquivado desde o original em 9 de abril de 2016. Consultado em 3 de junho de 2016. 
  86. James Gilmour. «English version of Resident Evil 4 now available on Android from the Samsung Apps store» (em inglês). Pocket Gamer. Arquivado desde o original em 10 de abril de 2016. Consultado em 6 de junho de 2016. 
  87. «Biohazard 4 (Resident Evil 4) Original Soundtrack». Amazon.com. Arquivado desde o original em 8 de março de 2016. Consultado em 6 de setembro de 2011. 
  88. Brookhart, Ryan. (20 de outubro de 2007). "Ryan Brookhart has a Preview of the Hot Toys RESIDENT EVIL 4 Figures". Visitado em 21 de maio de 2008. Cópia arquivada em 4 de outubro de 2008.
  89. Roswell, Daniel. (21 de outubro de 2007). "Resident Evil Figures". Visitado em 21 de maio de 2008.
  90. Jorge Bocanegra (27 de maio de 2011). «Ada Wong figure joins Hot Toys’ Resident Evil line» (em inglês). Rely on Horror. Arquivado desde o original em 29 de maio de 2016. Consultado em 6 de junho de 2016. 
  91. «Agatsuma Entertainment». KingZombie.com. Arquivado desde o original em 5 de março de 2016. Consultado em 21 de maio de 2008. 
  92. Block, Gerry (11 de novembro de 2005). «Dueling Chainsaws! NubyTech's GC and PS2 Resident Evil 4 Chainsaws square off». IGN. Arquivado desde o original em 14 de abril de 2016. Consultado em 5 de setembro de 2011. 
  93. «The Latest Installment in Capcom's Hit Resident Evil Series "Resident Evil 4" Ships 3 Million!». Capcom. Arquivado desde o original em 8 de dezembro de 2006. Consultado em 28 de janeiro de 2007. 
  94. «Platinum Titles». Capcom. Arquivado desde o original em 21 de junho de 2007. Consultado em 12 de julho de 2007. 
  95. «Platinum Titles». Capcom. 30 de setembro de 2011. Arquivado desde o original em 12 de abril de 2016. Consultado em 31 de dezembro de 2011. 
  96. Reeves, Ben (30 de dezembro de 2011). «Guinness World Records 2012 Gamer’s Edition Preview». Game Informer. Arquivado desde o original em 4 de março de 2016. Consultado em 31 de dezembro de 2011. 
  97. «resident evil 4 / biohazard 4». SteamSpy. 22 de maio de 2016. Arquivado desde o original em 2 de junho de 2016. Consultado em 22 de maio de 2016. 
  98. Bettenhausen, Shane (2 de fevereiro de 2005). «Review: Resident Evil 4 (GameCube)». 1UP. Arquivado desde o original em 21 de julho de 2012. Consultado em 16 de março de 2010. 
  99. Mielke, James (19 de junho de 2007). «Review: Resident Evil 4 (PC)». 1UP. Arquivado desde o original em 17 de julho de 2012. Consultado em 16 de março de 2010. 
  100. a b Jonathan Holmes (20 de setembro de 2011). «Review: Resident Evil 4 HD» (em inglês). Destructoid. Arquivado desde o original em 27 de março de 2016. Consultado em 6 de junho de 2016. 
  101. a b «The ten amendments: we crown seven games from the last 20 years of Edge with a retrospective 10». Edge Magazine. Future Publishing. 18 de setembro de 2013. Arquivado desde o original em 21 de setembro de 2013. Consultado em 22 de fevereiro de 2014. 
  102. a b Welsh, Oli (31 de julho de 2009). «Resident Evil 4: Mobile Edition» (em inglês). EuroGamer. Arquivado desde o original em 30 de setembro de 2015. Consultado em 8 de junho de 2016. 
  103. a b Stanton, Rich (19 de setembro de 2011). «Resident Evil 4 HD - Buy it at a high price?» (em inglês). EuroGamer. Arquivado desde o original em 14 de março de 2016. Consultado em 9 de junho de 2016. 
  104. «GameStats: Resident Evil 4 Articles». GameStats. Arquivado desde o original em 2 de janeiro de 2013. Consultado em 6 de setembro de 2011. 
  105. a b Gantayat, Anoop (21 de maio de 2007). «Famitsu Reviews RE4 Wii». IGN. Arquivado desde o original em 25 de março de 2016. Consultado em 21 de maio de 2007. 
  106. a b Kasavin, Greg. (10 de janeiro de 2005). "Resident Evil 4 for GameCube Review". Visitado em 17 de maio de 2008.
  107. a b Vanord, Kevin (22 de maio de 2007). «Resident Evil 4 PC review». GameSpot. Arquivado desde o original em 31 de dezembro de 2015. Consultado em 19 de agosto de 2007. 
  108. a b Woolsey, Cameron (28 de fevereiro de 2014). «Resident Evil 4 HD Edition Review» (em inglês). GameSpot. Arquivado desde o original em 31 de dezembro de 2015. Consultado em 9 de junho de 2016. 
  109. Cameron Woolsey (28 de fevererio de 2014). «Resident Evil 4 HD Edition Review» (em inglês). GameSpot. Arquivado desde o original em 31 de dezembro de 2015. Consultado em 6 de junho de 2016. 
  110. a b c VanOrd, Kevin. (19 de junho de 2007). "Resident Evil 4: Wii Edition". Visitado em 18 de maio de 2008.
  111. O'Donnell, Ryan (6 de janeiro de 2005). «GameSpy: Resident Evil 4 Review (GameCube)». GameSpy. Arquivado desde o original em 4 de março de 2016. Consultado em 6 de fevereiro de 2009. 
  112. C. Kuo, Li (6 de junho de 2007). «GameSpy: Resident Evil 4 Review (PC)». GameSpy. Arquivado desde o original em 4 de março de 2016. Consultado em 18 de abril de 2012. 
  113. McGarvey, Sterling (28 de outubro de 2005). «GameSpy: Resident Evil 4 Review (PS2)». GameSpy. Arquivado desde o original em 4 de março de 2016. Consultado em 6 de fevereiro de 2009. 
  114. Williams, Bryn (18 de junho de 2007). «GameSpy: Resident Evil 4: Wii Edition Review». GameSpy. Arquivado desde o original em 4 de março de 2016. Consultado em 6 de fevereiro de 2009. 
  115. a b Johnson, Feif (21 de setembro de 2011). «RESIDENT EVIL 4 HD REVIEW» (em inglês). GamesRadar. Arquivado desde o original em 7 de fevereiro de 2016. Consultado em 9 de junho de 2016. 
  116. a b c d Casamassina, Matt. (7 de janeiro de 2005). "IGN: Resident Evil 4 Review". Visitado em 17 de maio de 2008.
  117. a b Buchanan, Levi (27 de julho de 2009). «RESIDENT EVIL 4 IPHONE REVIEW» (em inglês). IGN. Arquivado desde o original em 4 de abril de 2016. Consultado em 8 de junho de 2016. 
  118. a b Buchanan, Levi (8 de abril de 2010). «RESIDENT EVIL 4 IPAD REVIEW» (em inglês). IGN. Arquivado desde o original em 7 de maio de 2016. Consultado em 8 de junho de 2016. 
  119. a b Onyett, Charles (25 de maio de 2007). «Resident Evil 4 Review (PC)» (em inglês). IGN. Arquivado desde o original em 5 de março de 2016. Consultado em 5 de fevereiro de 2009. 
  120. Mirabella III, Fran (21 de outubro de 2005). «Resident Evil 4 Review (PS2)» (em inglês). IGN. Arquivado desde o original em 17 de março de 2016. Consultado em 5 de fevereiro de 2009. 
  121. a b Audrey Drake (20 de setembro de 2011). «Resident Evil 4 HD Review» (em inglês). IGN. Arquivado desde o original em 26 de janeiro de 2013. Consultado em 6 de junho de 2016. 
  122. a b c (Março de 2005) "Resident Evil 4". Nintendo Power p. 105.
  123. «Resident Evil 4». GameStats. Arquivado desde o original em 2 de janeiro de 2013. Consultado em 6 de setembro de 2011. 
  124. a b Fenlon, Wes (28 de fevereiro de 2014). «RESIDENT EVIL 4 HD REVIEW» (em inglês). PC Gamer. Arquivado desde o original em 16 de novembro de 2015. Consultado em 9 de junho de 2016. 
  125. a b «Resident Evil 4 for GameCube». GameRankings. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 28 de abril de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  126. «Resident Evil 4 for PC». GameRankings. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 28 de abril de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  127. «Resident Evil 4: Ultimate HD Edition for PC». GameRankings. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 9 de junho de 2016. Consultado em 9 de junho de 2016. 
  128. a b «Resident Evil 4 for PlayStation 2». GameRankings. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 17 de março de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  129. «Resident Evil 4 HD for PlayStation 3». GameRankings. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 12 de abril de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  130. «Resident Evil 4 HD for Xbox 360». GameRankings. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 19 de abril de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  131. a b «Resident Evil 4 for GameCube Reviews». Metacritic. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 28 de março de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  132. «Review: Resident Evil 4 for PC Reviews». Metacritic. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 8 de fevereiro de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  133. «Reviews for the Resident Evil 4: Ultimate HD Edition». Metacritic. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 9 de junho de 2016. Consultado em 8 de junho de 2016. 
  134. a b «Review: Resident Evil 4 for PlayStation 2 Reviews». Metacritic. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 24 de março de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  135. «Resident Evil 4 HD for PlayStation 3 Reviews». Metacritic. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 5 de novembro de 2015. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  136. «Resident Evil 4 HD for Xbox 360 Reviews». Metacritic. CBS Interactive Inc. Arquivado desde o original em 6 de março de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2016. 
  137. Pavlacka, Adam. (27 de outubro de 2005). "Resident Evil 4 (PS2)". Visitado em 18 de maio de 2008. Cópia arquivada em 16 de dezembro de 2008.
  138. Sessler, Adam; Webb, Morgan (1 de fevereiro de 2005). «Review of Resident Evil 4 (GameCube)». X-Play. Arquivado desde o original em 10 de março de 2013. Consultado em 27 de fevereiro de 2015. 
  139. «21º – Resident Evil 4». G4. Arquivado desde o original em 22 de janeiro de 2016. Consultado em 3 de junho de 2016. 
  140. «Feature: Resident Evil 4 – Weapons of Mass Destruction Guide». GamePro. 10 de maio de 2005. Arquivado desde o original em 21 de dezembro de 2008. 
  141. Wilde, Thomas (14 de fevereiro de 2005). «Review of Resident Evil 4». Game Over Online Magazine. Arquivado desde o original em 13 de novembro de 2005. Consultado em 6 de setembro de 2011. 
  142. Cook, Chris (10 de janeiro de 2005). «Resident Evil 4 Hands-On Impressions And Movies». Game Informer. Arquivado desde o original em 20 de maio de 2008. 
  143. «Review: Resident Evil 4: Wii Edition» (em inglês). Official Nintendo Magazine. 4 de janeiro de 2008. Arquivado desde o original em 4 de janeiro de 2012. Consultado em 5 de fevereiro de 2009. 
  144. Davies, Jonti. (Agosto de 2007). "Resident Evil 4: Wii Edition". Hyper 166: 60, 61. ISSN 1320-7458.
  145. Sinclair, Brendan (19 de novembro de 2005). «RE4 named Game of Ano at Spike Awards». GameSpot. Arquivado desde o original em 21 de março de 2009. Consultado em 28 de janeiro de 2007. 
  146. (Março de 2005) "Resident Evil 4". Game Informer p. 134.
  147. «"Famitsu Awards 2005"大賞は『キングダム ハーツII』と『バイオハザード4』!!» ["Famitsu Awards 2005" prize "Kingdom Hearts II" and "Resident Evil 4"!] (em japonês). Famitsu. Arquivado desde o original em 9 de abril de 2016. Consultado em 28 de janeiro de 2007. 
  148. (Maio de 2006) "2005 Nintendo Power Awards". Nintendo Power 203 p. 55.
  149. "The Best of 2005". Visitado em 28 de maio de 2008. Cópia arquivada em 17 de maio de 2008.
  150. Sinclair, Brendan. (27 de fevereiro de 2006). "IGDA award nominees announced". Visitado em 28 de maio de 2008. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2009.
  151. Thorsen, Tor (2006). «Colossus casts shadow over GDC Awards». GameSpot. Arquivado desde o original em 11 de setembro de 2007. Consultado em 30 de julho de 2006. 
  152. (Março de 2010) "The Best of the Decade". Nintendo Power 252 p. 76.
  153. «Top 99 Games of All Time». IGN. Arquivado desde o original em 19 de abril de 2016. Consultado em 11 de setembro de 2008. 
  154. Ben Reeves (22 de setembro de 2009). «GameCube's Top 25 Games» (em inglês). Game Informer. Arquivado desde o original em 4 de março de 2016. 
  155. Andrew Reiner (8 de dezembro de 2015). «PlayStation 2: The Games That Defined a Generation» (em inglês). Game Informer. Arquivado desde o original em 4 de março de 2016. 
  156. Craig Skistimas (19 de julho de 2012). Top 10 GameCube Games. ScrewAttack. 
  157. «The 36 Best PS2 Games» (em inglês). GamePro. 26 de outubro de 2010. Arquivado desde o original em 23 de dezembro de 2010. Consultado em 6 de junho de 2016. 
  158. PlayStation Official Magazine edição 50, Future Publishing, Outubro de 2010
  159. «EDGE'S TOP 100 GAMES OF ALL TIME». Edge. 2 de julho de 2007. p. 10. Arquivado desde o original em 12 de outubro de 2012. Consultado em 28 de janeiro de 2012. 
  160. Williams, Mike (31 de julho de 2015). «The 15 Best Games Since 2000, Number 7: Resident Evil 4». USgamer. Arquivado desde o original em 1 de agosto de 2015. Consultado em 1 de agosto de 2015. 
  161. a b Kaszor, Daniel (30 de dezembro de 2009). «Decade in Review: The most influential video games since Y2K». National Post. Canadá. Arquivado desde o original em 9 de junho de 2010. Consultado em 24 de janeiro de 2010. 
  162. Dobson, Jason (12 de março de 2007). «Post-GDC: Cliff Bleszinski Says Iteration Won Gears of War». Gamasutra. Arquivado desde o original em 11 de novembro de 2009. Consultado em 2 de abril de 2009. 
  163. Brightman, James (2 de março de 2005). «Capcom's RE4 Reinvigorates the Franchise». GameDaily BIZ. Arquivado desde o original em 12 de outubro de 2007. Consultado em 28 de janeiro de 2007. 
  164. «Gaming's most important evolutions». GamesRadar. p. 7. Arquivado desde o original em 4 de março de 2016. Consultado em 6 de setembro de 2011. 
  165. James Brightman (2 de março de 2005). «Capcom's RE4 Reinvigorates the Franchise». GameDaily. Arquivado desde o original em 7 de outubro de 2008. Consultado em 16 de abril de 2009. 
  166. «Gateway to Horror». UGO Networks. 17 de outubro de 2008. Arquivado desde o original em 19 de abril de 2012. Consultado em 16 de abril de 2009. 
  167. a b Jim Sterling (8 de dezembro de 2008). «How survival horror evolved itself into extinction». Destructoid. Arquivado desde o original em 11 de abril de 2016. Consultado em 16 de abril de 2009. 
  168. Matthew Pellett (6 de dezembro de 2008). «Resident Evil 5». Computer and Video Games. Arquivado desde o original em 18 de maio de 2012. Consultado em 16 de abril de 2009. 
  169. Jim Sterling (9 de junho de 2008). «Fear 101: A Beginner's Guide to Survival Horror». IGN. Arquivado desde o original em 5 de março de 2016. Consultado em 17 de abril de 2009. 
  170. Ellie Gibson (29 de maio de 2008). «Atari's Phil Harrison Interview». Eurogamer. Arquivado desde o original em 3 de março de 2016. Consultado em 16 de abril de 2009. 
  171. «Does Survival Horror Really Still Exist?». Kotaku. 29 de setembro de 2008. Arquivado desde o original em 10 de abril de 2016. Consultado em 16 de abril de 2009. 
  172. Prestia, Gaetano (6 de junho de 2013). «The Last Of Us inspired by Ico, RE4 - PS3 News | MMGN Australia». Ps3.mmgn.com. Arquivado desde o original em 10 de março de 2016. Consultado em 16 de julho de 2013. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]