Goiânia Esporte Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde maio de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Goiânia
Goiania EC.svg
Nome Goiânia Esporte Clube
Alcunhas Galo
Galo Carijó
Alvinegro
Pentacampeão
Torcedor/Adepto Alvinegro
Mascote Galo Carijó
Fundação 5 de julho de 1938 (76 anos)
Estádio Estádio Olímpico
Capacidade 12.000 pessoas
Localização Bandeira de Goiania.png Goiânia - Goiás GO
Brasil Brasil
Mando de jogo em Estádio Olímpico
Capacidade (mando) 12.000 pessoas
Presidente Brasil Vicente Arycan de Almeida
Treinador Brasil Fabrício Carvalho Alves
Patrocinador Brasil Arroz Cristal
Brasil Faculdade Alfa
Brasil Multidata
Brasil Markos
Brasil Artspan
Material esportivo Brasil Super Bolla
Competição Goiás Campeonato Goiano
Goiás 2ªD 2014 8º colocado
Goiás 2ªD 2013 6º colocado
Goiás 2ªD 2012 6º colocado
Ranking nacional Red Arrow Down.svg 110º lugar, 83 pontos [1]
Website Goiânia Esporte Clube
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Goiânia Esporte Clube (conhecido apenas por Goiânia e cujo acrônimo é GEC) é um clube de futebol brasileiro da cidade de Goiânia (GO). O clube foi fundado oficialmente em 5 de julho de 1938. É um dos times mais tradicionais e importantes do estado de Goiás.

Tem como principal apelido a alcunha de Galo, em alusão ao seu mascote. O seu uniforme é camisa com listras verticais pretas e brancas, calção branco e meias pretas, o que lhe rendeu outro apelido, "Alvinegro". Seu principal rival no futebol é o Atlético, com quem mantém o primeiro clássico do futebol goiano e umas das maiores rivalidades do Centro-Oeste.

Ao longo de sua história no futebol, o Goiânia possui 14 títulos do Campeonato Goiano profissional, incluindo um pentacampeonato entre 1950 e 1954. Foi o primeiro Clube goiano a ganhar uma taça à nível regional, a Copa Brasil Central de 1967, e o primeiro Clube a ganhar um campeonato invicto. É um dos quatro clubes do futebol da cidade de Goiânia que já participou da principal divisão do Campeonato Brasileiro, em quatro edições. Participou ainda por duas vezes da Copa do Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

O início[editar | editar código-fonte]

Segundo o jornalista e escritor, João Batista Alves Filho (falecido em 2008), publicada no livro Arquivos do Futebol Goiano, o Goiânia Esporte Clube foi fundado em 1936, em uma casa de madeira que ficava próxima da avenida Araguaia.

Seu primeiro uniforme foi bastante inusitado: camisas pretas, golas brancas, tendo o mapa do estado de Goiás bordado no peito.

Nas duas primeiras partidas realizadas pelo Goiânia Esporte Clube, a equipe da capital só conheceu derrotas. A primeira por 3 a 1, para o time da cidade de Bela Vista, em um feriado de domingo, quando se comemorava o dia da padroeira da cidade. A segunda por 2 a 1 em casa para a Associação Atlética União Goiana, time da cidade de Vila Boa (Goiás Velho). O primeiro triunfo alvinegro só viria na terceira partida oficial disputada. Na ocasião, contra o Anápolis Sport Club.

1938 à 1939: Corinthians Goiano[editar | editar código-fonte]

Em 1938 os alvinegros decidiram montar a primeira diretoria oficial do clube. Surgia assim o Corinthians Goiano Futebol Clube.

Com esse nome o Goiânia conseguiu várias glórias. Ganhou o primeiro clássico contra o Atlético pelo placar de 1 a 0 em plena campinas. Disputou seu primeiro campeonato, a Taça Agência Ford contra a equipe do Anápolis Sport Club.

Já possuindo vários prestígios no estado, o Atlético acaba desafiando o Corinthians para a disputa de um campeonato da cidade, que ficou conhecido como Citadino de Goiânia. Apesar dos erros no terceiro jogo, os dois times foram declarados campeões.

Em 1939, o Corinthians ganhou seu segundo título do Citadino de Goiânia. Recebendo a Taça Vanguarda.

1939 à 1943: troca do nome[editar | editar código-fonte]

No dia 27 de maio de 1939, o Corinthians Goiano Futebol Clube retorna o nome para Goiânia Esporte Clube por escolha de seus associados, entre eles Pedro Ludovico Teixeira.

O clube nessa época, foi um dos responsáveis pela criação da Liga Goiana de Esportes (durou poucos meses) e da Federação Goiana de Desportos (atual FGF).

Em 1940 disputou a terceira edição do Citadino de Goiânia sendo campeão invicto.

Foi o time que mais teve jogadores convocados para a Seleção Goiana.

1945 à 1960: dos anos dourados ao pentacampeonato[editar | editar código-fonte]

Nesse período o Goiânia tinha uma equipe quase imbatível. Conseguiu a façanha de ganhar um bicampeonato (45-46), um tricampeonato (58-60) e um pentacampeonato (50-54), sendo que em 1953 e 1954 de maneira invicta. Seu principal jogador na época, Foca, foi artilheiro três vezes (51-53).

Nessa época o clube conquistou o Torneio Quadrangular Olaria. Com esse feito acabou sendo o primeiro clube goiano a ganhar um campeonato a nível interestadual.

1961 à 1974: a espera e o último título[editar | editar código-fonte]

Apesar do clube ter conquistado a Copa Brasil Central invicto. Esse período não foi um dos melhores. O Goiânia levantou um título goiano após oito anos e acabou vendo surgir duas novas potências do futebol goiano: Goiás e Vila Nova.

Durante esse período, conseguiu conquistar apenas dois Campeonatos estaduais, e ainda viu sua torcida diminuir.

1975 à 1997: Maldição, coadjuvante e rebaixamento estadual[editar | editar código-fonte]

Nesse período o Goiânia foi apenas um mero coadjuvante no futebol. Em âmbito nacional disputou quatro brasileiros série A, quatro brasileiros série B, um brasileiros série C e ainda participou de uma edição da Copa do Brasil, não obtendo muito sucesso em nenhuma dessas competições.

Já a nível regional o clube acabou perdendo muito espaço. Era superado por vários times do interior. Conseguiu chegar a final em poucas oportunidades. E não conseguiu levantar nenhum caneco.

Seu pior momento foi no Campeonato Goiano de 1997. O clube conseguiu ser o primeiro time entre os quatro grandes a cair para a segundona do estadual, após um primeiro turno horrível e um segundo turno mediano, o time não conseguiu se aliviar da zona. A partir daquele momento uma das equipes mais tradicionais de Goiás estava fadada na divisão de acesso.

1998 à 2003: super coadjuvante e novo rebaixamento[editar | editar código-fonte]

Em 1998, o clube conseguiu retornar para a divisão principal do goiano com dignidade. Foi campeão invicto da segundona. Porém suas participações no goiano eram pífias. Montava um time razoável com o intuito de apenas disputar o campeonato e tentar ficar em alguma colocação mediana. Não tinha uma equipe muito qualificada e quase sempre perdia seus clássicos contra o Goiás, o Vila e o Atlético.

No âmbito nacional, o clube disputou cinco brasileiros série C, sendo que em 1999 em um jogo muito espetacular ganhou do Fluminense de virada por 4 a 3. Ainda disputou a Copa do Brasil, sendo eliminado na segunda fase pelo Corinthians.

No ano de 2003 outra facada. Foi rebaixado de novo para a segunda divisão junto com seu arquirrival Atlético. O clube acabou ficando em penúltimo no Goianão de 2003.

2004 à 2007: vai e vem[editar | editar código-fonte]

Em 2004, o clube disputou a segundona. Parecia que seria campeão. Chegou a vencer o América de Morrinhos por 10 a 0. No entanto terminou em terceiro colocado e conseguiu ir para a primeira divisão graças a desistência do Novo Horizonte.

2005 foi rebaixado de novo para a segundona. Terminou o campeonato em último.

No ano de 2006 voltou para elite. Foi campeão da segunda divisão perdendo apenas um jogo. Na última partida do campeonato aplicou uma goleada de 9 a 1 no Iporá.

Disputando o Campeonato Goiano de 2007, o clube decepcionou sua torcida mais uma vez. Terminou em último.

Atualmente: crise e vergonha[editar | editar código-fonte]

Atualmente o clube disputa a Segunda Divisão e não consegue fazer brilhantes campanhas. Terminando sempre em posições medianas.

Em 2014 quase foi rebaixado para a terceira divisão. Porém venceu o Rio Verde por 1 a 0 e conseguiu permanecer por um ponto.

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

Go-Go[editar | editar código-fonte]

O clássico Go-Go, é o clássico da cidade de Goiânia, disputado entre o Goiás Esporte Clube e o Goiânia Esporte Clube. Não tem a mesma rivalidade dos anos 60 e 70, por conta da decadência do Goiânia Esporte Clube. No início da década de 40 e até a década de 60, o Goiânia era considerado o time da "velha elite", ligada ao funcionalismo público do Estado de Goiás e da cidade de Goiânia. O Goiás foi fundado pela "nova elite", representada pelos comerciantes (nas décadas de 40, 50 e 60) e os industriais (nas décadas de 70, 80, 90 e 2000).

Estatísticas do Go-Go[editar | editar código-fonte]

Último jogo considerado: Goiânia 0-0 Goiás, pela abertura do segundo turno do Campeonato Goiano, no dia 7 de Fevereiro de 2007, no Estádio Serra Dourada.

Estatísticas
Número de jogos 151
Vitórias do Goiás 72
Vitórias do Goiânia 37
Empates 42
Número de gols 396
Gols feitos pelo Goiás 237
Gols feitos pelo Goiânia 159

A última vitória do Galo em jogos oficiais contra o Goiás foi em 4 de Fevereiro de 2001, desde então está vigente o maior período do Goiânia sem vencer o Periquito na história: 13 anos.

Clássico Vovô[editar | editar código-fonte]

O clássico mais antigo de Goiânia. Os confrontos entre Atlético-GO, e Goiânia Esporte Clube, no futebol constituem um importante clássico do futebol de Goiás, por reunir dois dos maiores campeões do Campeonato Goiano. Os dois clubes foram os principais de Goiás até a década de 1970. O Atlético foi o primeiro campeão goiano, em 1944, e até 1961, revezava com o Goiânia a conquista dos títulos estaduais.[2]

Estatísticas do Vovô[editar | editar código-fonte]

Último jogo considerado: Goiânia 1-1 Atlético, pela 6ª rodada do segundo turno do Campeonato Goiano, no dia 7 de março de 2007, no Serrinha.

Estatísticas
Número de jogos 162
Vitórias do Atlético 55
Vitórias do Goiânia 53
Empates 54
Número de gols 438
Gols feitos pelo Atlético 220
Gols feitos pelo Goiânia 218

A última vitória do Galo em jogos oficiais contra o Atlético foi em 9 de agosto de 2000, desde então está vigente o maior período do Goiânia sem vencer o seu maior rival na história: 14 anos.

Clássico dos Opostos[editar | editar código-fonte]

O clássico possui esse nome por causa da grande torcida que o Vila Nova obteve na década de 60. O Goiânia já era considerado a menor e menos empolgante torcida entre os grandes clubes de Goiás, enquanto do Vila Nova era então a maior e mais barulhenta de todas.

Estatísticas dos Opostos[editar | editar código-fonte]

Último jogo considerado: Vila Nova 5-3 Goiânia, pela 2ª rodada do terceiro turno do Campeonato Goiano, no dia 18 de março de 2007, no Estádio Serra Dourada.

Estatísticas
Número de jogos 136
Vitórias do Vila Nova 52
Vitórias do Goiânia 40
Empates 44
Número de gols 362
Gols feitos pelo Vila Nova 176
Gols feitos pelo Goiânia 186

A última vitória do Galo em jogos oficiais contra o Vila Nova foi em 27 de Junho de 1999, desde então está vigente o maior período do Goiânia sem vencer o Tigre na história: 15 anos.

Grandes Jogos e Goleadas[editar | editar código-fonte]

Jogo com maior número de gols marcados pelo clube no campeonato goiano, ainda no Amadorismo

Jogo com maior número de gols marcados pelo clube em um clássico contra o Vila Nova

Primeiro jogo interestadual feito pelo Goiânia

Vitória histórica na primeira partida no Campeonato Brasileiro

Vitória heróica sobre o clube carioca no brasileirão de 1975

Empate histórico com o clube paulista em um amistoso

Virada histórica sobre o clube carioca no Brasileirão Série C

Principais Títulos[editar | editar código-fonte]

Cscr-featured.png Campeão Invicto

Honraria
Competição Títulos Temporadas
Trophy(transp).png Taça dos Invictos 2 1953Cscr-featured.png e 1954Cscr-featured.png
Regional
Competição Títulos Temporadas
Trophy(transp).png Copa Brasil Central 1 1967Cscr-featured.png
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Goiás Campeonato Goiano 14 1945, 1946, 1948, 1950, 1951, 1952, 1953Cscr-featured.png, 1954Cscr-featured.png, 1956, 1958, 1959, 1960, 1968 e 1974
Goiás Campeonato Goiano da Segunda Divisão 2 1998Cscr-featured.png e 2006
Goiás Torneio Início 7 1946Cscr-featured.png, 1947Cscr-featured.png, 1950Cscr-featured.png, 1952Cscr-featured.png, 1953Cscr-featured.png, 1954Cscr-featured.png e 1967Cscr-featured.png
Goiás Super Campeonato Goiano[3] 1 1959Cscr-featured.png
Municipais
Competição Títulos Temporadas
Bandeira de Goiania.png Torneio Citadino de Goiânia[4] 4 1938, 1939Cscr-featured.png, 1940Cscr-featured.png, 1943Cscr-featured.png
Bandeira de Goiania.png Torneio Início do Campeonato da Cidade[5] 2 1940Cscr-featured.png, 1943Cscr-featured.png
Bandeira de Goiania.png Taça Cidade de Goiânia 1 1965
Aspirantes/Reservas
Competição Títulos Temporadas
Goiás Campeonato Goiano de Aspirantes[6] 2 1948, 1952
Outras Conquistas
Competição Títulos Temporadas
Goiás Torneio Quadrangular de Itauçu 1 2004Cscr-featured.png
Goiás Troféu Ednaldo Barbosa Machado 1 1984Cscr-featured.png
Goiás Torneio Quadrangular Olaria 1 1958Cscr-featured.png
Goiás Torneio Tomás Mazzoni[7] 1 1970Cscr-featured.png
Goiás Taça Cine Imperial[8] 1 1941Cscr-featured.png
Goiás Torneio de 1944[9] 1 1944Cscr-featured.png
  • O nome do Torneio de 1944 é desconhecido. Sabe-se apenas que foram três partidas entre Goiânia e Atlético. Havendo duas vitórias do Goiânia e um empate.
  • O RSSSF cita que o Atlético foi campeão do Torneio Início de 1940 por ter maior número de escanteios na partida. Porém o site http://futeboldegoyaz.com.br/ afirma que o vencedor do torneio foi o Goiânia.

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Nacionais
Competição Posição Temporadas
Campeonato Brasileiro Série C 11º 1997
B Series Brazilian Championship Trophy.png Campeonato Brasileiro Série B 19º 1980
Cbf brazilian championship trophy 02.svg Campeonato Brasileiro Série A 28º 1975
CBF Brazilian Cup.png Copa do Brasil 2ª Fase 2001

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Últimas dez temporadas[editar | editar código-fonte]

  • Para visualizar todas as temporadas, clique em anexo.
Goiânia Esporte Clube
Ano Campeonato Brasileiro Copa do Brasil Campeonato Goiano
Div. Pos. J V E D GP GC Fase Máxima Div. Pos.
2005 12º
2006
2007 12º
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014


Legenda:
     Campeão
     Vice-campeão
     Rebaixamento
     Acesso

Histórico em competições oficiais[editar | editar código-fonte]

Campeonato Brasileiro[editar | editar código-fonte]

Brasil Série A (4 participações)
Ano 1974 1975 1976 1977 1978 1979
Pos. 28º 47º 58º 78º


Brasil Série B (4 participações)
Ano 1980 1985 1989 1991 1992 1993
Pos. 19º 22º 66º 39º


Brasil Série C (6 participações)
Ano 1997 1998 1999 2000 2001 2002
Pos. 11º 46º 25º 99º 30º 42º


Copa do Brasil[editar | editar código-fonte]

Brasil Copa do Brasil (2 participações)
Ano 1991 2001 2002 2003 2004 2005
Fase 1F 2F


Recordes[editar | editar código-fonte]

Campeonatos Brasileiros
Campeonatos Goianos

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Estádio[editar | editar código-fonte]

Panorama do Serra Dourada. Inaugurado no ano de 1975 e utilizado pelos times goianos.
Terreno onde estava edificado o Estádio Olímpico Pedro Ludovico.

O primeiro estádio que o Goiânia utilizou foi o Estádio Olímpico. Apesar de ser propriedade do governo, o Galo era o principal mandante.

O primeiro jogo disputado no estádio foi um suado 2 a 0 contra a forte equipe do América-MG. Vale ressaltar que o campo existia antes de 1941, mas na época não era considerado estádio.

Em 1975 passou a utilizar também o Serra Dourada para as disputas de campeonatos nacionais e estaduais. Após a demolição de seu principal estádio e a falta de oportunidade de se jogar no Serra Dourada, o time passou a mandar suas partidas oficiais no OBA, Serrinha e Annibal Batista de Toledo.


Centros de Treinamento[editar | editar código-fonte]

Campinho[editar | editar código-fonte]

O Goiânia possuía um campo no Setor Universitário.

Vila Olímpica[editar | editar código-fonte]

Exaltada por publicações da década de 60 e 70, a “casa do Goiânia”, Vila Olímpica, sempre foi o orgulho dos dirigentes. Construída para ser o lugar onde o clube formaria os atletas não só para o futebol, mas para o basquete, natação, voleibol e outros esportes, o Centro de Treinamentos do Galo era tido como o grande trunfo dos desportistas do clube.

“A Vila Olímpica é hoje o maior patrimônio que um clube de futebol tem na Capital goiana. Localizada pertinho do centro e no setor da cidade que mais cresce, vem sendo construída para deixar o associado alvinegro em condições de frequentar um clube completo. Até o final do ano estarão concluídas as obras programadas para que ao lado da piscina já construída, da churrascaria, das quadras e dos dois campos de futebol que estão prontos, venham aumentar a área de lazer do sócio alvinegro”, disse o ex-presidente do Galo, ainda na década de 70, Joaquim da Veiga Jardim.

Desenvolvida e distribuída pela própria agremiação – a construção da Vila Olímpica servia também para fazer com que o clube tivesse cada vez mais associados, e que estes contribuíssem financeiramente com o clube. Assim, com mais conforto e opções, o Goiânia queria que a torcida se interessasse cada vez mais pelas “coisas” do clube.

Atualmente o CT não pertence mais ao Goiânia. Porém ainda é utilizada pela agremiação para disputas de campeonatos de base e das escolinhas.

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Hino[editar | editar código-fonte]

O hino do Goiânia foi composto pelo músico Antonio de Pádua da Silva. O hino é sempre relembrado pelo marcante "Cadê a bola? Cadê, cadê?".

Letra[editar | editar código-fonte]

O galo carijó é professor.
O galo carijó é brigador.
O galo quando entra no rebolo
pega a bola, faz o gol,
esconde a bola e ninguém vê!

Cadê a bola? Cadê, cadê?
Goiânia Esporte Clube futebol é com você!
Com você!!

Cadê a bola? Cadê, cadê?
Goiânia Esporte Clube futebol é com você!
Com você!! Com você!!

Escudo[editar | editar código-fonte]

O escudo oficial é composto de um circulo branco, tendo ao centro uma faixa preta grafada Goiânia. Na parte superior está o ano da fundação do clube, já na inferior as iniciais E.C. O mesmo possui cinco estrelas, representando o Pentacampeonato Goiano (1950-1954).

Cores[editar | editar código-fonte]

As cores principais do clube são o Preto e o Branco, o que dá ao clube a alcunha de alvinegro.

Mascote[editar | editar código-fonte]

Um Galo, mascote oficial do clube.

O mascote da equipe é o galo. Sobre o Galo, os torcedores chamam o clube carinhosamente de:

  • Galo
  • Galo Carijó

Alcunhas[editar | editar código-fonte]

  • Galo e Galo Carijó: Alusão ao mascote do clube.
  • Alvinegro: Devido as cores do clube, preto e branco.
  • Pentacampeão: Pela conquista do Penta no goiano (1950-54).

Torcida[editar | editar código-fonte]

Antigamente a torcida do Goiânia era a maior do estado, seu rival Atlético possuía uma torcida considerada bairrista (apenas campineiros). Os torcedores do Goiânia eram odiados pelos seus rivais por ter, na época, grande influência na Federação Goiana de Desportos (Atual FGF).

Atualmente possui 0,8% de torcedores em Goiás, tendo em média um público de 300 pagantes por jogo. [10]

Torcidas organizadas[editar | editar código-fonte]

  • Galoucura

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Legenda:
  • Capitão : Capitão
  • Suspenso : Jogador Suspenso
  • Lesão : Jogador Lesionado
  • Vindo de Empréstimo : Jogador Emprestado
  • Prata da casa: Prata da Casa
Goleiros
Jogador
Brasil França
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Bruno Bera Z
Brasil Lira Z
Brasil Bruno Morais LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Luis Marques V
' M
Atacantes
Jogador
Brasil Cristiano Alagoano
Brasil Marcus Vinícius

Comissão Técnica[editar | editar código-fonte]

Comissão Técnica
Nome Função
Brasil Vicente Arycan de Almeida Presidente
Brasil Fabrício Carvalho Alves Treinador
Brasil Vicente Arycan de Almeida Filho Diretor Administrativo
Brasil Francisco Diretor de Futebol
Brasil Reinaldo Coordenador Técnico
Brasil Denubes Supervisor
Brasil Gésio Emídio de Souza Supervisor
Brasil Caires Fisioterapeuta


Transferências 2012[editar | editar código-fonte]

Legenda:
Volta de Empréstimo: Jogadores que voltam de empréstimo
Emprestado: Jogadores emprestados

Entradas
Jogador Clube anterior
Fairytale right.png Brasil Reinaldo Emprestado Brasil Goianésia
Fairytale right.png Brasil Gauther Emprestado Brasil Corinthians
Fairytale right.png Brasil Eduardo Goiania EC.svg Base
Fairytale right.png Brasil Thiago Câmara Emprestado Brasil Corinthians
Fairytale right.png Brasil Iury Goiania EC.svg Base
Fairytale right.png Brasil Assis Emprestado Brasil Vila Nova
Fairytale right.png Brasil Gustavo Goiania EC.svg Base
Fairytale right.png Brasil Soares Júnior Emprestado Brasil Goianésia
Fairytale right.png Brasil Preto Marabá Emprestado Brasil Goianésia
Fairytale right.png Brasil Plínio Emprestado Brasil Caldense
Fairytale right.png Brasil Pedro Emprestado Brasil Corinthians
Fairytale right.png Brasil Ramos Goiania EC.svg Base
Fairytale right.png Brasil Juliano Goiania EC.svg Base
Fairytale right.png Brasil Danilo Emprestado Brasil Corinthians
Fairytale right.png BrasilEmprestado Brasil Goianésia
Fairytale right.png Brasil Gabriel Emprestado Brasil Corinthians
Fairytale right.png Brasil Luiz Paulo Emprestado Brasil Capital
Fairytale right.png Brasil Fred Goiania EC.svg Base
Fairytale right.png Brasil Cleiton Emprestado Brasil Anapolina
Fairytale right.png Brasil Jean Emprestado Brasil Veranópolis
Fairytale right.png Brasil Theylor Goiania EC.svg Base
Fairytale right.png Brasil Marcinho Goiania EC.svg Base
Fairytale right.png Brasil Finazzi Emprestado Brasil XV de Novembro
Fairytale right.png Brasil Buba Emprestado Brasil Corinthians
Fairytale right.png Brasil Thiago Dias Emprestado Brasil Corinthians
Fairytale right.png Brasil Willian Goiania EC.svg Base
Fairytale right.png Brasil Yago Goiania EC.svg Base
Fairytale right.png Brasil Léo Goiania EC.svg Base
Fairytale right.png Brasil Ronan Emprestado Brasil Goianésia
Fairytale right.png Brasil Nonato Emprestado Brasil Gurupi
Fairytale right.png Brasil Romarinho Emprestado Brasil Jataiense
Fairytale right.png Brasil China Emprestado Brasil Tocantinópolis
Fairytale right.png Brasil Danilo Portugal Emprestado Brasil Pelotas
Saídas
Jogador Clube de destino
Fairytale left red.png Brasil Plínio Volta de Empréstimo Brasil Caldense
Fairytale left red.png Brasil Nonato Volta de Empréstimo Brasil Gurupi
Fairytale left red.png Brasil Reinaldo Volta de Empréstimo Brasil Goianésia
Fairytale left red.png Brasil Gauther Volta de Empréstimo Brasil Corinthians
Fairytale left red.png Brasil Thiago Câmara Volta de Empréstimo Brasil Corinthians
Fairytale left red.png Brasil Assis Volta de Empréstimo Brasil Vila Nova
Fairytale left red.png Brasil Soares Júnior Volta de Empréstimo Brasil Goianésia
Fairytale left red.png Brasil Preto Marabá Volta de Empréstimo Brasil Goianésia
Fairytale left red.png Brasil Pedro Volta de Empréstimo Brasil Corinthians
Fairytale left red.png Brasil Danilo Volta de Empréstimo Brasil Corinthians
Fairytale left red.png BrasilVolta de Empréstimo Brasil Goianésia
Fairytale left red.png Brasil Gabriel Volta de Empréstimo Brasil Corinthians
Fairytale left red.png Brasil Luiz Paulo Volta de Empréstimo Brasil Capital
Fairytale left red.png Brasil Cleiton Volta de Empréstimo Brasil Anapolina
Fairytale left red.png Brasil Jean Volta de Empréstimo Brasil Veranópolis
Fairytale left red.png Brasil Finazzi Volta de Empréstimo Brasil XV de Novembro
Fairytale left red.png Brasil Buba Volta de Empréstimo Brasil Corinthians
Fairytale left red.png Brasil Thiago Dias Volta de Empréstimo Brasil Corinthians
Fairytale left red.png Brasil Ronan Volta de Empréstimo Brasil Goianésia
Fairytale left red.png Brasil Romarinho Volta de Empréstimo Brasil Jataiense
Fairytale left red.png Brasil China Volta de Empréstimo Brasil Tocantinópolis
Fairytale left red.png Brasil Danilo Portugal Volta de Empréstimo Brasil Pelotas

Jogadores destacados[editar | editar código-fonte]

Esta é uma lista de jogadores de destaque que já passaram pelo Goiânia:

Football pictogram.svg Futebol Feminino[editar | editar código-fonte]

O futebol feminino do Goiânia é um dos mais tradicionais de Goiás. Ganhou o primeiro Campeonato Goiano em 2003 e obteve vários vice-campeonatos.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Categorias de Base[editar | editar código-fonte]

O Goiânia é conhecido atualmente por ter uma das categorias de base mais fortes do estado. Já obteve vários campeonatos estaduais, além de já ter disputado a Copa São Paulo.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Sub 20[editar | editar código-fonte]

Sub 16[editar | editar código-fonte]

  • Brasil Copa Nacional Marília: 2011Cscr-featured.png

Rankings[editar | editar código-fonte]

Ranking da CBF

Ranking Nacional criado pela Confederação Brasileira de Futebol, que atribui pontuação aos times do Brasil. Tal ranking limita-se a pontuar os clubes por suas participações em Campeonatos Brasileiros Séries A, B, C e D (1959-atualmente), além de Copas do Brasil (1989-atualmente).

  • Posição: 110º
  • Pontuação: 83 pontos
Ranking Placar[11]

Ranking Nacional criado pela Revista Placar que pontua todas competições conquistadas ao longo da história pelos clubes de futebol do Brasil.

  • Posição: 40°
  • Pontuação: 28 pontos
Ranking Folha[12]

Ranking Nacional e Estadual criado pela Revista Folha, é atualizado ao final de cada temporada desde 1996, esse ranking computa pontos para o campeão e vice de cada competição oficial.

  • Posição: 3º (Estadual)
  • Pontuação: 131 pontos
Ranking da FGF

Ranking Estadual criado pela Federação Goiana de Futebol, que atribui pontuação aos times de Goiás. Esse ranking computa todos os pontos dos clubes goianos no Campeonato Goiano de Futebol.

  • Posição:

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]