Humberto Maschio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Humberto Maschio
Informações pessoais
Nome completo Humberto Dionisio Maschio
Data de nasc. 20 de Março de 1933 (81 anos)
Local de nasc. Avellaneda,  Argentina
Informações profissionais
Posição Ex-Treinador e atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1953
1954–1957
1957–1959
1960–1962
1962–1963
1963–1966
1966–1968
Argentina Quilmes
Argentina Racing
Itália Bologna
Itália Atalanta
Itália Internazionale
Itália Fiorentina
Argentina Racing
Seleção nacional
1956-1957
1962
Flag of Argentina.svg Argentina
Flag of Italy.svg Itália
Times que treinou
1968-1969
1971
1972
1982-1984
1999-2000
Flag of Argentina.svg Argentina
Argentina Racing
Flag of Costa Rica.svg Costa Rica
Equador Barcelona
Argentina Racing

Humberto Dionisio Maschio (Avellaneda, 20 de fevereiro de 1933) é um ex-futebolista ítalo-argentino.

Revelado nas categorias do Quilmes, Maschio lançou-se nacionalmente no Racing, de sua cidade natal, a partir de 1954. Em dois anos, passou a ser usado na Seleção Argentina, cujo técnico era o mesmo que o treinava no Racing, Guillermo Stábile. Em 1957, Maschio foi um dos grandes destaques do Sul-Americano de Futebol do ano, sendo artilheiro e campeão da competição com a Albiceleste.

O sucesso levou ele e os outros componentes do festejado trio ofensivo argentino, Omar Sívori e Antonio Angelillo,[1] à Itália; por atuarem no estrangeiro, estavam vedados pelo sindicato dos atletas profissionais argentinos de serem convocados pelo país, e acabaram não sendo chamados para a Copa do Mundo de 1958.[2] Maschio passou por Bologna, Atalanta, Internazionale e Fiorentina.

Maschio comemorando gol do Racing no Mundial Interclubes de 1967, contra o Celtic.

Destacou-se na Atalanta, sendo convocado pela Seleção Italiana para a Copa do Mundo de 1962 como jogador da modesta equipe de Bérgamo. Maschio foi ao Chile ao lado de Sívori e de outros dois sul-americanos, os brasileiros José João Altafini (o "Mazzola") e Ângelo Sormani. A Azzurra, porém, acabou eliminada na primeira fase. Maschio foi para a Inter de Milão após o torneio e, treinado pelo também argentino Helenio Herrera, ganhou o campeonato italiano de 1963, mas não se firmou nos nerazzurri; depois de um ano em Milão, iria para a Fiorentina. Em Florença, também não obteve regularidade, mas participou da conquista da Copa da Itália de 1966.

A Argentina campeã sul-americana em 1957. Maschio, ainda jovem, é o segundo agachado, da esquerda para a direita.

Após ganhar a Copa da Itália, Maschio regressou à Argentina e ao Racing, ganhando ainda em 1966 seu primeiro título no campeonato argentino com a Academia. No ano seguinte, participou da conquista dos dois principais títulos da equipe: sua primeira (e única) Taça Libertadores da América e o igualmente único Mundial Interclubes do time, o primeiro título mundial de um time argentino. Maschio aposentou-se um ano depois, em 1968.

Um ano após aposentar-se, chegou a ser técnico da Seleção Argentina. Seu maior feito como treinador viria em 1973: naquele ano, voltou a faturar a Libertadores da América por uma equipe de Avellaneda, mas pelo arquirrival Independiente.

O Racing campeão mundial em 1967. Maschio, veterano dez anos depois da conquista continental com a Argentina, é novamente o segundo agachado, da esquerda para a direita.

Referências

  1. "Infiltrador de defesas", Especial Placar - Os Craques do Século, novembro de 1999, Editora Abril, pág. 91
  2. "A geopolítica da bola", Max Gehringer, Especial Placar: A Saga da Jules Rimet fascículo 6 - 1958 Suécia, fevereiro de 2006, Editora Abril, págs. 10-15