Papa Vítor II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vítor II
153º papa
Nome de nascimento Gebhard de Hischberg
Nascimento Baviera, Alemanha,
1018
Eleição 13 de Abril de 1055
Fim do pontificado 28 de Julho de 1057 (39 anos)
Antecessor Leão IX
Sucessor Estêvão IX
Listas dos papas: cronológica · alfabética

Vítor II (Gebhard de Hischberg) foi Papa entre 13 de Abril de 1055 e 28 de Julho de 1057. Era bispo de Eichstädt.

Após a morte do Leão IX (19 de abril de 1054) o cardeal-subdiácono Hildebrando (futuro Papa Gregório VII), encabeçou uma delegação junto do imperador Henrique III, para que este nomeasse rapidamente um sucessor. Gebhard era o candidato do imperador, mas rejeitou um primeiro convite e só aceitou o pontificado quando o imperador lhe garantiu a restituição de todos os bens que haviam sido tomados à Santa Sé. Foi consagrado a 13 de abril de 1055 com o nome de Vitor II. Foi um digno sucessor do Papa Leão IX na luta conta a simonia e o concubinato clerical. Mas como tinha o apoio firme do imperador, conseguiu sucesso onde Leão tinha falhado. A 3 de junho de 1055, realizou-se em Florença, com a presença do imperador e de 120 bispos, um sínodo onde os decretos contra a simonia e a incontinência foram confirmados e vários bispos suspeitos foram depostos. Antes do imperador regressar à Alemanha, transferiu para o papa dos ducados de Espoleto e Camerino. No início de 1056 Vitor II enviou Hildebrando de volta a França para retomar o seu trabalho contra a simonia e o concubinato, que tinha iniciado com Leão IX. Acompanhou Henrique III a Botfeld, onde o imperador faleceu a 5 de outubro de 1056. Antes de morrer o imperador tinha-se confiado o seu sucessor, de seis anos, Henrique IV, e entregue ao papa a regência do reino. A 28 de outubro, depois do funeral do imperador, Vitor II garantiu a sucessão imperial a Henrique IV, entronizando-o solenemente em Aachen. Deixando a regência da Alemanha nas mãos de Agnes, mãe de Henrique IV, Vitor voltou a Roma em fevereiro de 1057. Acaba por morrer em Arezzo a 28 de Julho. Os seus restos mortais seguiram para a catedral de Eichstätt, mas pelo caminho foram roubados por cidadãos de Ravena e enterrados na igreja de Santa Rotonda, onde se encontra sepultado Teodorico, o Grande.[1]

No ano em que morreu convocou sínodo de Latrão, que foi depois transferido para a Toscânia[2] . Morreu em Arezzo, vítima de malária. Foi o último papa alemão até a eleição de Bento XVI em 2005.

Referências


Precedido por
Leão IX
Emblem of the Papacy SE.svg
Papa

153.º
Sucedido por
Estêvão IX


Ícone de esboço Este artigo sobre um papa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.