Reserva Biológica Atol das Rocas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mergefrom 2.svg
O artigo ou secção Atol das Rocas deverá ser fundido aqui. (desde dezembro de 2012)
(por favor crie o espaço de discussão sobre essa fusão e justifique o motivo aqui; não é necessário criar o espaço em ambas as páginas, crie-o somente uma vez. Perceba que para casos antigos é provável que já haja uma discussão acontecendo na página de discussão de um dos artigos. Cheque ambas (1, 2) e não esqueça de levar toda a discussão quando levar o caso para a central.).
Reserva Biológica Atol das Rocas
Categoria Ia da IUCN (Reserva Natural Estrita)
Atol das Rocas, fotografado da Estação Espacial Internacional durante a Expedição 22
Dados
Área 37 820 ha[1]
Criação 05 de junho de 1979[2]
Gestão ICMBio[3]
Coordenadas 3° 51' 50" S 33° 48' 48" O
Reserva Biológica Atol das Rocas está localizado em: Brasil
Reserva Biológica Atol das Rocas
Nome oficial: Ilhas Atlânticas Brasileiras: Reservas de Fernando de Noronha e do Atol das Rocas
Tipo: Natural
Critérios: (vii)(ix)(x)
Designação: 2001 (25ª sessão)
Referência: 1000
País: Brasil
Região: Américas

A Reserva Biológica Atol das Rocas é uma unidade de conservação de proteção integral brasileira situada a 144 mn (267 km) a lés-nordeste da cidade de Natal (RN) e a 80 mn (148 km) a oeste do Arquipélago de Fernando de Noronha (PE), em mar territorial brasileiro.

História[editar | editar código-fonte]

A Reserva Biológica Atol das Rocas é a primeira Reserva Biológica Marinha do Brasil. Sua criação deu-se através do Decreto-lei N.º 83.549, de 5 de junho de 1979.[4] Sua gestão cabe atualmente ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade e as únicas atividades humanas permitidas em seu interior são aquelas relacionadas à pesquisa científica.[1] [3]

Caracterização da área[editar | editar código-fonte]

A Reserva Biológica Marinha do Atol das Rocas está inserida em uma área de 37 820 ha, delimitada pela isóbata de 1 000 m de um monte submarino pertencente á Cadeia Fernando de Noronha, a partir da Ilha do Farol.[1] [3] [4] O atol tem uma área de aproximadamente 755,1 ha e abriga, além da Ilha do Farol, a Ilha do Cemitério, ambas de origem biogênica.

O Atol das Rocas é o único atol do oceano atlântico sul e tem importância ecológica fundamental por sua alta produtividade biológica e por ser uma importante zona de abrigo, alimentação e reprodução de diversas espécies animais.[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Plano de Manejo da Reserva Biológica do Atol das Rocas (PDF) Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) (14 de janeiro de 2012). Visitado em 14 de janeiro de 2012.
  2. Rebio Atol das Rocas Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) (14 de janeiro de 2012). Visitado em 14 de janeiro de 2012.
  3. a b c RESERVA BIOLÓGICA ATOL DAS ROCAS Cadastro Nacional de Unidades de Conservacão da Natureza (13 de janeiro de 2012). Visitado em 13 de janeiro de 2012.
  4. a b DECRETO Nº 83.549, DE 5 DE JUNHO DE 1979 (PDF) Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) (5 de junho de 1979). Visitado em 14 de janeiro de 2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre Unidades de Conservação da Natureza é um esboço relacionado ao Projeto Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.