Sávio Bortolini Pimentel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sávio
Savio 1 cropped.jpg
Informações pessoais
Nome completo Sávio Bortolini Pimentel
Data de nasc. 9 de janeiro de 1974 (40 anos)
Local de nasc. Vila Velha (ES),  Brasil
Nacionalidade  brasileiro
Altura 1,76 m
Canhoto
Apelido Anjo Loiro da Gávea
Novo Zico
Informações profissionais
Período em atividade Como Jogador: 1992-2010 (18 anos)
Como Executivo: 2012-presente (1 ano)
Clube atual Brasil Guarani de Palhoça
Posição Diretor-executivo (ex-Meia)
Clubes de juventude
19861988
19881992
Brasil Desportiva Capixaba
Brasil Flamengo
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos)
19921997
19982003
20022003
20032006
2006
2007
2007
2008
20082009
2010
Brasil Flamengo
Espanha Real Madrid
França Bordeaux (emp.)
Espanha Real Zaragoza
Brasil Flamengo
Espanha Real Sociedad
Espanha Levante
Brasil Desportiva
Chipre Anorthosis Famagusta
Brasil Avaí
0251 000(95)
105 000(16)
027 0000(7)
095 000(16)
010 0000(0)
019 0000(5)
012 0000(0)
009 0000(6)
016 0000(4)
0031 0000(4)
Seleção nacional3
19921993
19951996
19942000
Brasil Brasil Sub-20
Brasil Brasil Sub-23
Brasil Brasil
026 0000(8)
022 000(13)
032 0000(4)
Times que treinou3
2012- Brasil Guarani de Palhoça (Diretor Executivo)
Medalhas
Jogos Olímpicos
Bronze Atlanta 1996 Competição de equipe

Sávio Bortolini Pimentel (Vila Velha, 9 de janeiro de 1974) é um empresário e ex-futebolista brasileiro que atuava como meia. Atualmente é diretor executivo do clube catarinense Guarani da Palhoça.

Revelado pelo Flamengo, Sávio foi ídolo da torcida rubro-negra na década de 1990. Também fez sucesso no futebol espanhol, aonde atuou pelo Real Madrid, Real Zaragoza, Real Sociedad e Levante.

Carreira[editar | editar código-fonte]

O início[editar | editar código-fonte]

Revelado nas divisões de base da Desportiva Ferroviária-ES, Sávio foi transferido para o Flamengo em 1992, quando tinha apenas 18 anos de idade.

O jovem e muito habilidoso atacante, com seus dribles pela ponta esquerda, logo encantou aos torcedores e à mídia esportiva, que passaram a elegê-lo como o futuro novo Zico. Não apenas pela habilidade que exibia desde sua pouca idade, mas também porque, como Zico, Sávio tinha o físico franzino e, portanto, era bastante suscetível a faltas (o que também o tornou conhecido na imprensa esportiva em meados da década de 1990).

Durante o pré-olímpico para as Olimpíadas de 96, Sávio foi destaque na Seleção Sub-23, deixando, inclusive, Ronaldo Fenômeno no banco de reservas.

Em 1995, no ano do centenário do Flamengo, formou o chamado ataque dos sonhos, ao lado de Romário e Edmundo. No entanto, a vaidade impediu que o devido entrosamento ocorresse entre as estrelas do Flamengo e, com isso, o suposto ataque dos sonhos acabou se tornando um pesadelo. Mas para Sávio, aqueles dois anos de convivência com Romário, no Flamengo, não foram nada divertidos. Logo de cara, com a chegada do baixinho na Gávea, Sávio viu-se envolvido em uma situação constrangedora, ao ter que ceder, contrariado, sua camisa 11.

Entretanto, apesar da evidente preferência, por parte da diretoria, Romário ainda não parecia contente, em ter que dividir os holofotes com seu companheiro de clube. Por vezes, o baixinho procurou diminuir Sávio, chegando ao cúmulo de intimidá-lo, fisicamente, durante uma partida.

Real Madrid[editar | editar código-fonte]

Finalmente, em 1997, para lamento da torcida rubro-negra, a vitória decisiva de Romário veio a se concretizar, quando Sávio acabou sendo negociado com o Real Madrid.

Sávio jogou no Real Madrid, de 1998 a 2002, e sob o comando de Vicente del Bosque, participou das conquistas de muitos títulos, incluindo um Campeonato Espanhol, três títulos da Liga dos Campeões da UEFA e um Mundial Interclubes. Contudo, mesmo jogando muito bem, durante todo esse período, Sávio sofreu com seguidas contusões, que acabaram lhe rendendo poucas oportunidades, como titular da equipe.

Sem chances como titular no Real, foi emprestado ao Bordeaux, da França, durante a temporada 2002-03.

Depois de ser o segundo brasileiro na história com mais temporadas (cinco) pelo Real Madrid (perdendo apenas para Roberto Carlos — posteriormente ainda seria superado por Marcelo), Sávio se despediu definitivamente do clube merengue em 2003, quando foi vendido ao Real Zaragoza.

Real Zaragoza[editar | editar código-fonte]

Recuperando sua melhor forma física, Sávio logo ganhou a simpatia da torcida, pois foi através de seus ótimos ataques pela ponta esquerda, que o Zaragoza conseguiu conquistar os títulos da Copa do Rei - sobre sua ex-equipe do Real Madrid - e da Supercopa, em 2004. Suas atuações lhe levaram a ser chamado de "galáctico do Zaragoza",[1] em alusão à como era conhecido o elenco madridista na época.

De fato, o carinho da torcida espanhola, para com Sávio, foi tamanho, que em sua despedida do Zaragoza, Sávio acabou sendo ovacionado, em campo, além de ter sido imortalizado no hall dos ídolos do clube.

Os últimos anos de carreira[editar | editar código-fonte]

Em 2006, voltou ao Flamengo, clube que o revelara, e que Sávio admite ser seu time de coração. Nesta nova passagem pelo Flamengo, porém, disputou apenas 10 partidas e não marcou nenhum gol.

No início de 2007, Sávio voltou à Espanha, uma terceira vez, para reforçar o elenco do Real Sociedad, que brigava contra o rebaixamento. Sua chegada, porém, não foi suficiente para evitar o descenço do Real Sociedad para a segunda divisão espanhola.

Em seguida, a fim de continuar disputando a primeira divisão da Espanha, em meados de 2007, Sávio decidiu acertar sua transferência para o Levante.

Tendo rescindido seu contrato com o Levante, no começo de 2008, Sávio retornou a Vila Velha, sua terra natal, quando passou a jogar pelo Desportiva, clube aonde havia treinado, antes de ir para as categorias de base do Flamengo. Seu retorno, nesta época, foi devido a motivos familiares.

Em meados de 2008, acertou sua transferência para o Anorthosis, clube de Chipre, que havia se classificado para a UEFA Champions League 2008-09. Sávio passou a ser a referência do Anorthosis na UEFA Champions League, fazendo ótimas partidas.

Em janeiro de 2010, seu retorno ao futebol brasileiro, para defender o Avaí.[2] Chegou ao clube catarinense como o maior reforço do clube para as competições do ano, demorou a estrear pois estava fora de ritmo, fez algumas boas atuações em especial na Copa do Brasil, porém, devido as seguidas lesões o seu aproveitamento foi comprometido. No dia 20 de setembro do mesmo ano de sua chegada, foi anunciada a sua dispensa do clube. Em 31 partidas disputadas pelo Avaí, Sávio anotou 4 gols.[3] Em 2011, anunciou sua aposentadoria.

Pós-futebol[editar | editar código-fonte]

Sávio encerrou a carreira em 2010, após atuar pelo Avaí. Em 2012, depois de criar uma empresa de gestão esportiva, irá implementar no Guarani os conhecimentos adquiridos ao longo dos 20 anos de futebol.

Além da rodagem e aprendizado nos gramados brasileiros e espanhóis, Sávio aproveitou a passagem pelo Real Madrid, entre 1997 e 2002, para participar de cursos sobre administração no futebol e marketing esportivo.

Nesse curto período de criação da sua empresa, o, agora empresário, promove palestras e clínicas dirigidas ao esporte. O ex-atleta, também faz abordagens sobre suas experiências no futebol e dos cursos em que participou, destacando a motivação, superação, economia e investimentos. [4]

Atualmente é comentarista do Campeonato Catarinense de Futebol pela RBS TV de Santa Catarina.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Brasil Flamengo
Espanha Real Madrid
Espanha Real Zaragoza
Brasil Desportiva Capixaba
Brasil Avaí
Brasil Seleção Brasileira

Outras Conquistas[editar | editar código-fonte]

Brasil Flamengo

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Flamengo

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Flamengo
Real Madrid

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Depois de uma pesquisa realizada, entre crianças de colégios do Rio de Janeiro, Sávio foi escolhido e emprestou a sua imagem para criar a revistinha "Savinho", uma publicação que foi distribuída nas escolas do Rio, para ilustrar o Estatuto das Crianças e Adolescentes, assim como seus direitos e obrigações.
  • SOS Aldeias Infantis: Sávio foi embaixador no Brasil desta entidade de ajuda humanitária, durante todo o tempo em que pertenceu à equipe profissional do Flamengo, de 1994 a 1997.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]