Sonic the Hedgehog (jogo eletrônico de 1991)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sonic the Hedgehog
Capa da versão PAL
Desenvolvedora Sonic Team
Publicadora(s) Sega
Produtor Shinobu Toyoda
Designer Hirokazu Yasuhara[1]
Jina Ishiwatari
Rieko Kodama
Programador Yuji Naka
Compositor(es) Masato Nakamura
Artista Naoto Ohshima
Plataforma(s)
Série Sonic the Hedgehog
Data(s) de lançamento
Gênero(s) Plataforma
Modos de jogo Single player
Mídia Cartucho de 4 megabits (MD)

Sonic the Hedgehog (ソニック・ザ・ヘッジホッグ, Sonikku za Hejjihoggu?) é um videojogo de plataformas produzido pela Sonic Team e publicado pela Sega para a Mega Drive (Sega Genesis na América do Norte). O jogo foi lançado na América do Norte, Europa e Austrália a 23 de Junho de 1991 e no Japão a 26 de Julho do mesmo ano. A jogabilidade de Sonic the Hedgehog tem um esquema de controlos simples envolvendo a colecção de anéis (uma forma de vida/energia) e um único botão para saltar e atacar.

O jogador controla o protagonista Sonic the Hedgehog numa aventura para derrotar o Dr. Robotnik, um cientista malvado que aprisionou animais dentro de robots e roubou as Esmeraldas do Caos (Chaos Emeralds).

A produção de Sonic the Hedgehog começou em 1990, quando a Sega ordenou à equipa AM8 a criação de um jogo com uma mascote para a companhia. Depois de considerarem várias sugestões, a equipa de produção decidiu-se por um ouriço azul com espinhos ao longo da cabeça e das costas para além de se renomearem como "Sonic Team", para coincidir com o seu personagem. Sonic the Hedgehog, desenhado para ter uma jogabilidade rápida, foi influenciado pelos jogos de Shigeru Miyamoto. Usa uma técnica singular que permite a Sonic rolar ao longo de cenários curvos, originada numa demonstração (demo) criada por Yuji Naka. A banda sonora foi composta por Masato Nakamura.

Sonic the Hedgehog foi bem recebido pelos críticos, que elogiaram os seus visuais, música e velocidade. Foi também um sucesso comercial, estabelecendo a Mega Drive como uma consola chave na era dos 16-bit, permitindo assim a competição com a Super Nintendo da Nintendo. Foi várias vezes portado e inspirou a criação de clones, uma série de videojogos bem sucedida (começando em Sonic the Hedgehog 2), bem como adaptações para outros média.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Sonic the Hedgehog é um jogo de plataformas em deslocação lateral (side-scrolling) 2D, cuja jogabilidade centra-se na capacidade de Sonic correr a alta velocidade através de níveis que incorporam molas, encostas, quedas altas, e loops verticais.[5] Os níveis também têm perigos na forma de robots ("badniks" nos manuais ocidentais),[6] dentro dos quais o Dr. Robotnik aprisionou animais. Destruir um robot liberta o animal dentro dele, mas tal não é necessário para completar o jogo.[7] O jogador deve evitar filas de espinhos afiados, cair em poços sem fundo, ser esmagado por paredes e plataformas movediças e a morte por afogamento (que pode ser evitada através da respiração bolhas de ar lançadas periodicamente por ventilações).[8] O principal ataque de Sonic é a sua própria rotação, quando se enrola fica como uma bola e gira rapidamente (causando danos aos inimigos e em alguns obstáculos). O ataque pode ser feito quando o jogador salta ou rola no chão.[9]

See caption
Imagem do Green Hill Zone, o primeiro nível do jogo.

Espalhados pelos níveis estão anéis de ouro,[10] e coleccionando 100 recompensa o jogador com uma vida extra.[10] Os anéis são uma protecção contra os perigos; se Sonic tiver pelo menos um anel, consegue sobreviver ao colidir com um inimigo (ou obstáculo).[7] No entanto, os anéis espalham-se; piscando e desaparecendo em poucos segundos se não forem apanhados de novo. Se Sonic sofre danos sem ter anéis, perde uma vida.[11] Embora os escudos e a invencibilidade temporária podem ser recolhidos para fornecer protecção adicional, alguns perigos (como afogamento, esmagamento, cair num abismo sem fundo ou ficar sem tempo) fazem Sonic perder uma vida, independentemente dos anéis ou de outra protecção.[5]

O jogo está dividido em seis zonas (Green Hill, Marble, Spring Yard, Labyrinth, Star Light e Scrap Brain),[12] cada uma com o seu próprio estilo visual e inimigos. O jogador tem de ultrapassar cada zona (subdivididas em três actos)[5] [8] para progredir. No final do terceiro acto de cada zona, o jogador confronta o Dr. Robotnik (que conduz um veiculo diferente de cada vez) numa luta de chefe.[10] Depois da sexta zona, o jogador passa directamente para a Zona Final, para um último embate com Robotnik.[13] Cada zona começa com três vidas (power-ups e anéis acrescentam mais), que se perdem quando Sonic está sem anéis e colide com inimigos (ou objectos), quando cai em sítios sem fundo ou excede o tempo limite de 10mn. Os postes de iluminação servem como pontos de controlo intermédios (checkpoint), permitindo que Sonic regresse ao que activou mais recentemente quando este perde uma vida.[14] Se perde uma vida como consequência de ter passado o tempo limite mas tem ainda outra, o temporizador fica a 0:00 quando este regressa ao ponto de controlo.[13] Se todas as vidas são perdidas, aparece o ecrã de game over[6] (onde o jogador pode regressar ao inicio do acto com três vidas se tiver algum continue disponível).[13]

Se Sonic tiver em sua posse pelo menos cinquenta anéis quando chega ao fim do acto um ou acto dois de uma zona, aparece um anel enorme que se pode aceder com um salto.[6] Ao fazê-lo o jogador entra num Nível Especial (Special Stage), ou uma "Zona Secreta", como descrito no manual original.[15] Em cada um dos seis Níveis Especiais, Sonic está em constante rotação numa espécie de labirinto rotativo com paredes e molas. Apesar do jogador ganhar um "continue" por cada cinquenta anéis recolhidos, o principal objectivo dos Níveis Especiais é obter a Esmeralda do Caos, que se encontra no fim do labirinto. O Nível Especial acaba se o jogador colidir com o "bloqueio de objectivo".[6] [8]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Numa tentativa de roubar as seis Esmeraldas do Caos e aproveitar o seu poder para controlar o mundo, o Dr. Ivo Robotnik (conhecido como Dr. Eggman na versão japonesa) aprisionou os animais da Ilha do Sul dentro de robots agressivos e de cápsulas metálicas estacionárias. O jogador controla Sonic, cujo objectivo é parar os planos de Robotnik, salvando os animais e coleccionar as Esmeraldas para ele próprio.[5] Se o jogador consegue recolher todas as Esmeraldas e completar o jogo, é mostrado no fim uma sequência final como recompensa. Se as Esmeraldas não forem todas recolhidas, o Robotnik goza com o jogador.[13]

Música[editar | editar código-fonte]

A música de Sonic foi composta por Masato Nakamura, do grupo japonês Dreams Come True (que fez a estréia de Sonic em sua turnê nacional em 1990, ao estampar Sonic no ônibus e distribuiu panfletos). A música foi feita num computador Atari, com o limite de 4 sons simultâneos.

Nakamura fez a música simultaneamente com um álbum do DCT (tanto que 2 músicas, a de Green Hill Zone e Star Light Zone, viraram músicas do grupo), a partir de ROMs inacabados e descrições das fases por parte dos produtores. Ele quis dar um "tom cinematográfico", com músicas calmas em fases tranquilas, músicas mais intensas na hora de batalhar chefes, etc.

Remixes de músicas de Sonic são populares na internet. A banda brasileira Megadriver fez uma versão. Um espanhol chamado Gori Fater tocou as músicas no piano, com partituras e um vídeo.

Versões[editar | editar código-fonte]

8 bits[editar | editar código-fonte]

Esta versão para Master System e Game Gear, apesar de compartilhar algumas semelhanças, é muito diferente da versão de Mega Drive.

Game Boy Advance[editar | editar código-fonte]

Em 2006, aproveitando o 15º aniversário de Sonic, a Sega of America anunciou uma conversão de Sonic 1 para o Game Boy Advance, denominada Sonic the Hedgehog Genesis. O jogo fora refeito um sistema para salvar progresso, e um modo Aniversário em que pode se usar o Spin Dash (movimento em que Sonic toma impulso parado, que só estrearia em Sonic 2). O jogo fora redimensionado para caber na tela larga do GBA, e um modo de selecionar fases fora incluído. Mas o jogo fora muito mal-recebido por ser extremamente lento e cheio de bugs.

Compilações[editar | editar código-fonte]

Downloads[editar | editar código-fonte]

Outras[editar | editar código-fonte]

  • Uma conversão para celulares Panasonic foi feita pelo próprio Sonic Team, e lançada em 2005. A única diferença é a falta de fases especiais.
  • O arcade europeu Mega Play, com jogos do Mega Drive, incluia Sonic sem fases especiais, e um tempo limitado para terminar cada fase.

Referências

  1. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas Birth
  2. Android / ケータイコンテンツ (em japanese) Sega.jp. Visitado em October 11, 2014.
  3. Dobson, Jason (23-6-2006). Sonic The Hedgehog Celebrates 15th Anniversary Gamasutra. Visitado em 23-9-2014.
  4. Game Overview NintendoLife (19-11-2006). Visitado em 11-10-2014.
  5. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas alive
  6. a b c d Sonic the Hedgehog manual, p. 10.
  7. a b Marriott, Scott Alan. Sonic the Hedgehog Allgame. Visitado em 6-2-2014. Cópia arquivada em 15-11-2014.
  8. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas cvg
  9. Sonic the Hedgehog manual, p. 2.
  10. a b c Sonic the Hedgehog manual, p. 6.
  11. Sonic the Hedgehog manual, p. 4.
  12. Sonic the Hedgehog manual, p. 7.
  13. a b c d Sonic the Hedgehog. Sonic Team. (Sega). (23 de Junho de 1991)
  14. Sonic the Hedgehog manual, pp. 4–5.
  15. Sonic the Hedgehog manual, pp. 8–9.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
'
Lista de jogos do Sonic the Hedgehog
1991
Sucedido por
Sonic the Hedgehog 2 (16-bit)