Difícil é o Nome

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Difícil é o Nome
Bandeira do GRES Difícil é o Nome.png
Fundação 31 de março de 1973 (47 anos)
Cores
Símbolo Flor-de-Lis
Bairro Pilares
Presidente Baraçal Júnior
Presidente de honra Maneco Baraçal (in memoriam)

Grêmio Recreativo Escola de Samba Difícil é o Nome é uma escola de samba da cidade do Rio de Janeiro, fundada a 31 de março de 1973, e com sede na Avenida Dom Hélder Câmara, em Pilares.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A entidade era um vitorioso bloco de carnavalesco do bairro de Pilares, mesmo bairro da Caprichosos.

Inscrevendo-se na AESCRJ, no ano de 1989, após uma crise vivida na Federação dos Blocos da Cidade do Rio de Janeiro, que levou a ausência de desfiles no ano anterior, a Difícil é o nome disputou uma vaga nos Grupos de Acesso. Seu desfile foi considerado bom e obteve a terceira colocação.[carece de fontes?]

O campeonato, entretanto, só veio em 1994, com o enredo Olubajé, a festa da libertação, do carnavalesco Paulo Menezes.

Em 1995, no Grupo A, apresentou o enredo sobre o sol, porém acabou sendo rebaixada. No ano seguinte, pelo Grupo B ficou em quarto lugar com o enredo sobre João Havelange.

Em 1997, porém, a escola foi rebaixada para o Grupo C após fazer um péssimo desfile sobre a Laranja, na Intendente Magalhães. Em 2006, ensaiou uma reação, voltando a desfilar na Marquês de Sapucaí, mas foi novamente rebaixada em 2007. Em 2011, teve nova oportunidade de disputar o Grupo A, já que com o vice-campeonato do Grupo Rio de Janeiro II, em 2010, a escola ganhou o direito de desfilar no Grupo Grupo Rio de Janeiro 1. Conseguiu se manter no grupo.

O ator Stephan Nercessian, após ter se desentendido com a direção da Caprichosos de Pilares[carece de fontes?], passou a desfilar na Difícil é o Nome, chegando a ser enredo da escola em 2003, e ter contribuído para que a escola homenageasse o Retiro dos Artistas em 2005. A partir de então, tornou-se presidente de honra.

Para o carnaval de 2010, a escola trouxe o parque de diversões como tema, e numa final com quatro sambas, escolheu a obra de Jorginho Moreira e parceria para desfilar na Intendente Magalhães. Ao sagrar-se vice-campeã da quarta divisão, com a missão de abrir o desfile de terça-feira em 2011, e de volta à Marquês de Sapucaí, a escola apresentou o aniversário como tema de seu enredo. Cinco sambas se inscreveram na disputa interna, iniciada em 5 de setembro. Apenas em 22 de outubro houve a grande final, com 4 sambas, onde sagrou-se campeã a parceria de Julinho Cá.

No ano de 2011 Fez um bom desfile e continuou no grupo de acesso B. Se destacaram com as melhores notas a bateria e o 1º Casal de mestre sala e porta bandeira.

Em 2012, apresentou um o enredo "Flor de Lis – Símbolo universal", apresentando um desfile fraco,[2] que determinou seu descenso para a Intendente Magalhães.

Com a criação da Série A, que incorporou à segunda divisão as escolas do então grupo B, a Difícil é o Nome permaneceu no terceiro grupo para 2013, ainda que agora desfilando no domingo, na Intendente Magalhães, pela AESCRJ. Nos preparativos para o Carnaval, em janeiro daquele ano, a agremiação perdeu seu presidente Maneco, vítima de câncer.[3]

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
Hélio Baraçal Grande "Maneco" 2003-13 de janeiro de 2013 [4]
José Baraçal Grande 2013-2019 [5]
Baraçal Júnior 2019-atualidade [5][6]
Presidente de honra Mandato Ref.
Hélio Baraçal Grande "Maneco" (in memoriam) 13 de janeiro de 2013 - atualidade [4]

Diretores[editar | editar código-fonte]

Ano Diretor de Carnaval Diretor de Harmonia Mestre de Bateria Ref.
2014 Serginho da Real Freios
Marcos Luiz
Bruno Silva Dico e Diquinho [7]
2015 Serginho da Real Freios
Marcos Luiz
Bruno Silva Abacaxi [8]
2016 Armenio Erthal Leela Ribeiro Moraes Jr [5]
2017 Gabriel Macedo Leela Ribeiro Bola
2018 Marcos Luiz Leela Ribeiro Edinho
2019 Yuri Maia Eddie Murphy Mestre Zumbi
2020 Eddie Murphy Colins Moraes e Ademir Paixão Bira Potyguara [6]

Intérpretes[editar | editar código-fonte]

Período Intérprete oficial Ref.
1989–1990 Manuelzinho [1]
1991 J. Leão [1]
2000–2002 Sidney de Pilares e Jorginho [1]
2003 Sidney de Pilares e Maurício Mil [1]
2004–2012 Sidney de Pilares [1]
2013 Fabinho Ribeiro [1]
2014–2017 Raphael Bart [1]
2018 Lid Souza
2019 Lid Souza e Raphael Bart
2020 Raphael Krek [6]
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Difícil é o Nome

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2014-2015 George Louzada [8]
2016 Daniel Ferrão, Léo Torres e Anderson Alcantara
2017 Daniel Ferrão
2019 Bherna Francy

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2008-2011 Paulo César e Amandah Rodrigues [9]
2012 Thiaguinho Mendonça e Amanda Poblete
2013-2014 Willian Miranda e Fernanda Araújo [8]
2016 Clewerson e Juliane
2019-2020 Wladimir Bulhões e Angela Bulhões [6]

Cortes da Bateria[editar | editar código-fonte]

Período Rainha de Bateria Madrinha de Bateria Rei da Bateria Ref.
2009 Aline Rodrigues
2010-2011 Aline Rodrigues Mirian Duarte
2012 Jessica Pimenta Mirian Duarte [10]
2013-2014 Najara Cristina [7]
2015 Layz Cristina [11]
2016 Priscila Rosa
2017 Monique Favacho Luã Schinaider [12]
2018 - 2020 Aline Almeida [13][6]

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Difícil é o Nome
Ano Colocação Divisão Enredo Carnavalesco Ref.
1989 3.º Lugar Desfile de Avaliação "Seu sorriso é a nossa alegria - Silvio Santos" Fernando Alvarez [1]
1990 3.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"Tua glória é lutar Flamengo, Flamengo" Fernando Alvarez e Joãozinho de Deus [1]
1991 3.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"A Divina Elizeth" Joãozinho de Deus [1]
1992 3.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"Quem arrisca não petisca"
(Samba-enredo composto por Jorge Moreira, Jorge Suburbano, Juarez Lima e Jorge Doda)
Luizinho 28 [1]
1993 9.º Lugar Grupo B
(terceira divisão)
"Ela merece, Paula do Salgueiro" Comissão de Carnaval [1]
1994 Campeã Grupo B
(terceira divisão)
"Olubajé, a festa da libertação"
(Samba-enredo composto por  Deni Poeta, Joel José, Paulo Roberto e Jair Sapateiro)
Paulo Menezes [1]
1995 12.º Lugar Grupo A
(segunda divisão)
"A grande estrela, o sol" Luizinho 28 [1]
1996 4.º Lugar Grupo B
(terceira divisão)
"João, nosso João" Fernando Muniz [1]
1997 10.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo B
(terceira divisão)
"O samba que virou suco" Sérgio di Tangert [1]
1998 5.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"São amados Jorges guerreiros" Marinaldo Bezerra [1]
1999 6.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"Viagem encantada nas águas da fantasia" Marinaldo Bezerra [1]
2000 3.º Lugar Grupo C
(terceira divisão)
"Nos 500 anos de Brasil, o meu Rio continua lindo!!!" Marinaldo Bezerra [1]
2001 12.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo B
(terceira divisão)
"O gigante suburbano - Norte Shopping" Comissão de Carnaval [1]
2002 5.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"Central do Brasil, orgulho de uma nação" Fernando Alvarez [1]
2003 3.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"O notável Stepan Nercessian" Fernando Alvarez [1]
2004 6.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"Vinte anos de glória da Liesa" Fernando Alvarez [1]
2005 3.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"Retiro dos Artistas, proteção e gratidão a todos os artistas do Brasil"
(Samba-enredo composto por Érico Rocha, Ednei Rocha, Flavio Santos Raphael Bart e André do Pandeiro)
Comissão de Carnaval [1]
2006 6.º Lugar Grupo B
(terceira divisão)
Olubajé, a festa da libertação
(Reedição do enredo de 1994)
(Samba-enredo composto por Deni Poeta, Joel José, Paulo Roberto e Jair Sapateiro)
Paulo Menezes [1]
2007 13.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo B
(terceira divisão)
"Rio das Ostras, a pérola brasileira"
(Samba-enredo composto por Toinzinho, Carlos Sol, Igor Reis, Walter Alverca, Paulo César e Sidney de Pilares)
Fernando Alvarez [1]
2008 5.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"Os cantos e encantos da Terra - Mãe de todas as coisas!" Flávio Alberto [1]
2009 8.º Lugar Grupo RJ-2
(quarta divisão)
"100 anos de glórias do Teatro Municipal"
(Samba-enredo composto por Jorginho Moreira, Naldo da Carne de Sol, Marquinho Capricho, Nelson Pedra e Marcelo Carvalho)
Flávio Alberto [1][14]
2010 Vice-campeã Grupo RJ-2
(quarta divisão)
"No domingo de folia, o parque de diversões é a nossa fantasia"
(Samba-enredo composto por Jorginho Moreira, Marquinho Capricho, Nelson Pedra, Marcelo Carvalho e Celso Bombeiro)
Luiz Cavalcanthé [1][15]
2011 8.º Lugar Grupo B
(terceira divisão)
"Aniversarius! Dies sollemnis natalis!"
(Samba-enredo composto por Julinho Cá, Oswaldo de Quintino, Ninho Pepeô, Nete Madureira e Eduardo Grilo)
Luiz Cavalcanthé [1]
2012 10.º Lugar Grupo B
(terceira divisão)
"Flor-de-Lis, o símbolo que hoje faz parte do nosso carnaval!" Luiz Cavalcanthé [1]
2013 10.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo B
(terceira divisão)
"Rio de Janeiro, o filme!" Wagner Almeida [1][7]
2014 7.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"Raio de Luz: Para os negros, os tambores africanos clamam ao orixás a liberdade" Comissão de Carnaval [1][16]
2015 10.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo C
(quarta divisão)
"Difícil é o Nome entrou na roda para brincar!"
(Samba-enredo composto por Rafael Pinta, Marquinhos Silva, Thiago Meiners, Helinho Soares, Igor Vianna e Gilson Souza)
Comissão de Carnaval
2016 6.º Lugar Grupo D
(quinta divisão)
"IdeALICE – O Maravilhoso Mundo dos Sonhos"
(Samba-enredo composto por Ricardo Santos, Amaro Poeta, Edinho do Banjo, Sidney Santos e Marcelo Fernandes)
Rodrigo Marques e Guilherme Diniz [17][18]
2017 3.º Lugar Série D
(quinta divisão)
"Difícil é não amar! Quadrilha do Sampaio - 60 anos de história na cultura popular" Sandro Gomes
2018 8º Lugar Série C
(quarta divisão)
"Ojuobá: O Senhor da Justiça e da Igualdade" Louis Cavalcanthé [19]
2019 7º Lugar Série C
(quarta divisão)
"THEATRON: A Difícil entra em cena e faz da Intendente Magalhães o seu palco iluminado" Jorge Bahia [20]
2020 12º Lugar Especial da Intendente
(terceira divisão)
"As vozes das divindades na proteção dos Ogans"
Compositores:Jorginho Moreira, Odmar do Banjo, Binho Araújo, Kabeça do Táxi, Tim do Táxi, Barata Benevenuto e Raphael Krek
Ygor Lioi, Ruan Lucena, Brian Ramos, Luciano Moreira [21][6]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Prêmios recebidos pelo GRES Difícil é o Nome.

Ano Prêmio Categoria / premiados Divisão Ref.
2001 S@mba-Net Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Rafael e Vanessa) Grupo B [22]
2004 Troféu Jorge Lafond Personalidade (Hélio Baraçal Grande) Grupo C [23]
2005 Troféu Jorge Lafond Intérprete (Sidney de Pilares) Grupo C [24]
2006 S@mba-Net Ala das baianas Grupo B [25]
Velha guarda
Troféu Jorge Lafond Mestre-sala (Pierre) [26]
Comissão de frente (Coreógrafos: Elaine Mara e Roberto Mattar)
2008 Troféu Jorge Lafond Bateria (Diretor: Mestre Dico) Grupo C [27]
2010 S@mba-Net Melhor desfile Grupo RJ-2 [28]
Troféu Jorge Lafond Vice-campeã do Grupo RJ-2 [29]
2011 Troféu Jorge Lafond Personalidade (Maneco Baraçal - presidente da escola) Grupo B [30]
2016 Troféu Jorge Lafond Homenagem especial (Carnavalesco Guilherme Diniz) Série D [31]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah «Difícil é o Nome». Samba Rio Carnaval. Consultado em 3 de janeiro de 2010 [ligação inativa] 
  2. «Difícil é o Nome encerra o carnaval de forma sonolenta e deve lutar para permanecer no Grupo B». Carnavalesco. 22 de fevereiro de 2012. Consultado em 2 de março de 2012 
  3. O Dia na Folia (13 de janeiro de 2013). «Morre o presidente da escola de samba Difícil é o Nome». 18:15. Consultado em 14 de janeiro de 2013 
  4. a b Academia do Samba. «Diretoria». Consultado em 26 de maio de 2014 
  5. a b c http://www.gres.com.br/dificil-e-o-nome-contrata-novo-mestre-de-bateria/
  6. a b c d e f Samba na Intendente https://sambanaintendente.blog/2019/12/14/dificil-e-o-nome-carnaval-2020-especial/. Consultado em 24 de maio de 2020. Cópia arquivada em 24 de maio de 2020  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  7. a b c «Difícil é o Nome já tem hino para o carnaval 2013». 11 de novembro de 2012. Consultado em 13 de novembro de 2012 
  8. a b c http://www.galeriadosamba.com.br/carnavais/dificil-e-o-nome/2015/193/
  9. [1]
  10. [2]
  11. [3]
  12. Samba na Intendente (31 de janeiro de 2017). «CONHEÇA OS NOIVOS DO ARRAIÁ DA DIFÍCIL É O NOME». Consultado em 27 de fevereiro de 2019 
  13. Samba na Intendente (26 de fevereiro de 2019). «SÉRIE DE ENTREVISTAS:Aline Almeida». Consultado em 27 de fevereiro de 2019 
  14. http://www.dificileonome.no.comunidades.net/index.php?
  15. «Final de samba de enredo da Difícil É O Nome». Samba Geral. 6 de dezembro de 2009. Consultado em 2 de novembro de 2010 
  16. Galeria do Samba (6 de maio de 2013). «Confira a sinopse do enredo da Difícil é o Nome para o Carnaval 2014». 19:17. Consultado em 7 de maio de 2013 
  17. «Difícil é o Nome Contrata Dupla de Carnavalescos». GRES Carnaval. 16 de março de 2015 
  18. http://www.radioarquibancada.com.br/?platform=hootsuite
  19. «dificil-e-o-nome-renova-com-seus-segmentos-e-divulga-enredo-para-2018». Samba na Intendente. Consultado em 26 de março de 2017 
  20. «Difícil é o Nome 2019». Apoteose.com. Consultado em 13 de março de 2019 
  21. «Difícil 2020». Galeria do Samba. Consultado em 13 de fevereiro de 2020 
  22. «Premiação S@mba-Net 2001». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 16 de maio de 2016 
  23. «Troféu Jorge Lafond 2004». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 16 de junho de 2016 
  24. «Troféu Jorge Lafond 2005». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 17 de junho de 2016 
  25. «Premiação S@mba-Net 2006». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 17 de maio de 2016 
  26. «Troféu Jorge Lafond 2006». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 17 de junho de 2016 
  27. «Troféu Jorge Lafond 2008». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 24 de junho de 2016 
  28. «Premiação S@mba-Net 2010». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 17 de maio de 2016 
  29. «Troféu Jorge Lafond 2010». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 27 de junho de 2016 
  30. «Troféu Jorge Lafond 2011». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 27 de junho de 2016 
  31. «Apoteose.com é premiado na 12ª edição do Troféu Jorge Lafond». www.apoteose.com. Consultado em 28 de junho de 2016