Estádio Eládio de Barros Carvalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Estádio dos Aflitos)
Aflitos
Estádio Eládio de Barros Carvalho
Estádio dos Aflitos - Reinauguração 2018.jpg

Nomes
Nome Estádio Eládio de Barros Carvalho
Apelido Aflitos
Características
Local Recife, PE
Gramado Grama natural (105 x 68m)
Capacidade 22.856 espectadores[1]
Construção
Data Finalizada ao fim da década de 1930
Inauguração
Data 25 de junho de 1939 (81 anos)
Partida inaugural Náutico 5x2 Sport
Primeiro gol Wilson (Náutico)
Recordes
Público recorde 31.613 pessoas
Data recorde 16 de agosto de 1970
Partida com mais público Náutico 1x0 Santa Cruz[2]
Outras informações
Remodelado 19411945;
19501953;
19962002;
20162018
Competições Todas as competições
Proprietário Clube Náutico Capibaribe
Administrador Clube Náutico Capibaribe
Mandante Clube Náutico Capibaribe

O Estádio Eládio de Barros Carvalho, popularmente conhecido como Estádio dos Aflitos[3], por estar localizado no bairro dos Aflitos, é o estádio usado pelo Clube Náutico Capibaribe.

Inicialmente o local foi arrendado pela Federação Pernambucana de Futebol no início do século 20, mais precisamente em 1917 para mandar os jogos do campeonato pernambucano, ao desistir da empreitada a equipe alvirrubra assumiu o terreno, construiu sua nova sede, ajudou a desenvolver a região e o bairro homônimo. Ao longo inúmeras reformas e adequações ao passar dos anos, o centenário "Campo dos Aflitos" passou ao status de Estádio, tornando-se um dos mais antigos e tradicionais estádios brasileiros.

A inauguração com status de estádio ocorreu em 25 de junho de 1939 em um Clássico dos Clássicos, o nome é uma homenagem a Eládio de Barros Carvalho, histórico presidente do Náutico que comandou o clube por 14 anos em 2 ocasiões (1948-54 e 1957-63).

História[editar | editar código-fonte]

Campo da liga[editar | editar código-fonte]

A história do "Campo dos Aflitos" começou em 1917 quando a Liga Sportiva Pernambucana, atual FPF, arrendou o terreno para realização das 29 partidas previstas para a edição do campeonato pernambucano daquele ano, junto a um empresário da família Lundgren. Um anos após a inauguração do campo a Liga desistiu do terreno, foi então que prontamente o Náutico assumiu as custas do arrendamento e pagou 250 mil réis por 4 anos.[4]

De campo a estádio[editar | editar código-fonte]

Em 1921 o campo passou a ser alvirrubro, foi nesse ano que o Náutico passou a ser dono em definitivo do terreno, ainda em 1921 foi construída uma segunda sede (a original era no centro do Recife).

Na década de 1930 começou a construção das primeiras arquibancadas, já elevando o campo a categoria de estádio, começou com a mudança da posição do campo, com as barras saindo do sentido leste/oeste para o norte/sul, mantido até hoje. Surgiram também os primeiros degraus da arquibancada, com a reabertura do local.[5]

A primeira partida foi uma vitória alvirrubra no Clássico dos Clássicos com o placar de 5x2 contra o Sport na decisão do segundo turno do pernambucano de 1939, campeonato esse que o Náutico viria a ser campeão. O autor do primeiro gol do agora Estádio dos Aflitos foi o jogador Wilson do Náutico, que ainda marcou outro gol no decorrer da partida, os outros gols foram marcados por Bermudes, Celso e Fernando Carvalheira (ídolo e um dos maiores artilheiros da história do clube).[6]

Expansões[editar | editar código-fonte]

Anos 40[editar | editar código-fonte]

A partir da década de 1940 começou as gradativas mudanças que deram a forma atual do estádio, com a construção das sociais e cadeiras. As torres de iluminação foram instaladas e inauguradas em 19 de junho de 1941 na partida entre Great Western e Flamengo do Recife, a partida terminou 2x2. Além dos títulos do Náutico e o belo desempenho e apresentações de inúmeros jogadores pernambucanos que marcaram época, o estádio foi palco da maior goleada da história do futebol local, a partida ocorreu em 1º de julho de 1945, a equipe do Náutico venceu o Flamengo pelo placar de 21 x 3, o famoso jogador Tará balançou as rede nove vezes.

Anos 50[editar | editar código-fonte]

Na década de 1950 o estádio ganharia a forma que durou até meados do ano 1996, sendo finalizado as arquibancadas e construindo o placar, o popularmente conhecido "Balança mas não cai", um símbolo do futebol pernambucano. Além disso, foram construídos os túneis de acesso ao vestiário e colocados os primeiros alambrados. Época marcada por títulos, com o bicampeonato nos Aflitos em 50/51. Em 1953, o estádio ganharia o nome de “Eládio de Barros Carvalhohistórico presidente do Náutico que comandou o clube por 14 anos em 2 ocasiões (1948-54 e 1957-63), e um dos grandes idealizadores das reformas e expansões do estádio.

Foi nesse período que o clube conseguiu seus recordes de publico, 31.065 pessoas em 21 de Julho de 1968, com o placar de Náutico 1x0 Sport na decisão do campeonato estadual daquele ano, garantindo o único e inédito hexacampeonato ao clube, e a partida do campeonato estadual em 16 de Agosto de 1970 com um publico total de 31.613 pessoas no jogo Náutico 1x0 Santa Cruz

Final dos anos 90 início dos anos 2000[editar | editar código-fonte]

Essa última expansão duraria até 2002 e foi responsável por aumentar os degraus de toda a arquibancada e demolir o Balança mas não cai, dando a forma atual. A capacidade, antes de 30.000, porém, caiu para 22.856, pois a FIFA mudou, em 2000, a medição de dimensionamento.

Saída dos Aflitos[editar | editar código-fonte]

Após uma vida de uso, a equipe do Clube Náutico Capibaribe assinou em 2011 para, após a Copa das Confederações de 2013, mandar seus jogos na Arena Pernambuco, sendo a despedida em 2 de Junho de 2013 num empate em 2x2 contra a Portuguesa-SP válido pelo Campeonato Brasileiro da Série A daquele ano[7], porém seria usado brevemente em 27 de maio de 2014 na derrota de 1x0 para o Avaí pela série B daquele ano quando a Arena estava sendo preparada para a Copa do Mundo. De 2013 a 2016 o Recife Mariners, time de futebol americano local e parceiro do Náutico até então, utilizou em suas partidas até 2016 quando se mudou para a Arena Pernambuco. No final de 2014 o América Futebol Clube de Recife acertou com o Clube Náutico Capibaribe para mandar seus jogos no estádio, ficando lá até 2015 quando o alviverde se mudou para o Ademir Cunha em Paulista, região metropolitana do Recife. Após isso, o estádio recebeu eventos de menor porte, como os jogos do Náutico Beisebol, até não ser mais utilizado e entrar em estado de abandono, isso porque à época já se cogitava demolir o estádio e construir um centro comercial[8].

Campanha "Voltando Para Casa"[editar | editar código-fonte]

Festa da torcida do Náutico.

No final do 1º semestre de 2016 já com grande descontentamento com a Arena de Pernambuco devido ao acesso complicado, a distância, as campanhas ruins, por não ser o "caldeirão" que era os Aflitos, e o não pagamento do aporte mensal combinado em 2013 com a consequente quebra de contrato e posterior investigação da Arena pela Lava Jato[9], o Conselho Deliberativo do Clube iniciou as ações para a reforma do estádio, que tinha resistências na diretoria do Clube. Foi realizado um fórum com os associados e, posteriormente, ocorreu uma Assembleia Geral dos associados a fim de perguntar se o Clube Náutico Capibaribe deveria voltar a jogar nos Aflitos. Por esmagadora maioria, com apenas dois votos contrários, os associados decidiram pela reforma. Foi instituída uma comissão entre o conselho deliberativo e a diretoria do clube, chamada de Campanha Voltando Pra Casa [10] em 23 de Agosto de 2016, que tinha como projeto tornar o estádio utilizável gradualmente, a medida que os recursos chegavam, sendo eles de patrocinadores, sócios, venda das cadeiras antigas do estádio entre tantos outras ideias criadas para angariar dinheiro.

A revitalização previa além da adaptação do estádio aos regulamentos (o estádio é de 1939), a construção de um foodpark, bares, alameda e espaço pra mídia, com a intenção de aumentar a receita do clube[11]. As obras foram realizadas com maior intensidade a partir de meados de 2017, e após a contratação com uma empresa que investiu na reforma, em setembro de 2017, tudo começou a correr melhor. A previsão era que o estádio fosse reaberto em abril de 2018, porém, por conta das dificuldades do Clube, a reabertura ocorreu somente no dia 16/12/2018, em uma partida amistosa contra o Newell’s Old Boys da Argentina[12]. A partida terminou 1 x 0 para o Náutico, gol do atacante Thiago, com a maior renda da história de Pernambuco.

Nova Pintura[editar | editar código-fonte]

Em mais uma empreitada da diretoria para motivar a torcida acerca da volta para os jogos nos Aflitos, foi criada uma campanha para decidir a nova pintura do estádio, Com 79% votos, foi definido o layout da nova pintura da arquibancada leste dos Aflitos, cuja ideia era colocar o nome do clube no setor oposto às cabines de transmissão na televisão, como forma de divulgação. Anteriormente, a palavra "Náutico" ficava nas cadeiras. Portanto, a enquete lançada pela comissão paritária do Náutico, na página oficial do clube no Facebook, teve duas opções com o mesmo design: fundo vermelho com letras e detalhes brancos e fundo branco com letras e detalhes vermelhos. Venceu a primeira opção, que liderou a sondagem durante toda a semana no ar, ao todo, foram mais de três mil participações.[13]

Nova pintura da arquibancada central dos Aflitos

A volta para os Aflitos[editar | editar código-fonte]

Estádio dos Aflitos na final da Série C de 2019

No dia 08 de setembro de 2019, Estádio dos Aflitos - no ano de seu retorno - foi palco do acesso, disputado até os minutos finais, do Náutico à Série B. O clube perdia para o Paysandu até os 49 minutos do segundo tempo, quando o árbitro assinalou um pênalti, que foi convertido em gol, levando ao empate no tempo normal. Na disputa de pênaltis, o goleiro Jefferson agarrou uma das cobranças do Papão e o atacante Matheus Carvalho acertou a última cobrança e garantiu o acesso alvirrubro.

Após a derradeira cobrança, a torcida alvirrubra invadiu o gramado e fez grande festa junto aos jogadores[14]. A marcação do pênalti nos últimos minutos gerou polêmica, inclusive o Paysandu acionou o STJD, visando a anulação da partida[15]. No entanto, o pleno do STJD, por unanimidade, negou a anulação e manteve o resultado partida, confirmando o acesso do Náutico[16].

Maiores Públicos[editar | editar código-fonte]

Jogos Históricos[editar | editar código-fonte]

  • Náutico 5x2 Sport - 25 de junho de 1939 - Estadual - Primeiro jogo do estádio
  • Great Western 2x2 Flamengo do Recife - 19 de Junho de 1941 - Estadual - Primeiro jogo com iluminação artificial
  • Náutico 6x1 Tramways - 26 de Junho de 1941 - Estadual - Primeiro jogo com iluminação artificial com o dono da casa
  • Náutico 21x3 Flamengo de Recife - 1 de Julho de 1945 - Estadual - Maior goleada do clube, da competição e do estádio
  • Náutico 2x3 Vélez Sarsfield (ARG) - 6 de Dezembro de 1951 - Amistoso - Primeiro amistoso internacional do Náutico no estádio.
  • Náutico 2x2 Sporting (POR) - 31 de Julho de 1952 - Amistoso - Primeiro time europeu a jogar no estádio.
  • Náutico 1x0 Sport - 21 de Julho de 1968 - Decisão do estadual que garantiu o inédito hexacampeonato e maior público do estádio até então
  • Náutico 1x0 Santa Cruz - 16 de Agosto de 1970 - Estadual - Maior público do estádio até hoje (31.613 pessoas)
  • Náutico 1x0 Santa Cruz - 12 de Novembro de 1974 - Decisão do estadual - Vitória que garantiu o título ao alvirrubro depois de 6 anos e evitou o hexacampeonato do Santa Cruz
  • Náutico 3x2 Atlético Mineiro - 18 de Outubro de 1989 - Brasileiro Série A - Gol mais rápido da história da Série A, Nivaldo (Náutico) aos 8 segundos
  • Náutico 2x1 Ceará - 27 de Outubro de 1993 - Brasileiro Série A - Ambas as equipes precisavam vencer para escapar do rebaixamento, o Náutico venceu de virada no segundo tempo e se garantiu na Série A de 1994, enquanto o Ceará foi rebaixado a Série B de 1994
  • Náutico 3x0 Freienbach (SUI) - 28 de Fevereiro de 1996 - Amistoso
  • Náutico 5x4 União São João-SP - 7 de Setembro de 2002 - Brasileiro Série B - Jogo emocionante onde o Náutico saiu perdendo, abriu 4x2, levou o empate, mas virou nos últimos minutos
  • Náutico 0x1 Grêmio - 26 de Novembro de 2005 - Brasileiro Série B - A famosa Batalha dos Aflitos
  • Náutico 2x0 Ituano - 18 de Novembro de 2006 - Brasileiro Série B - A volta à Série A depois de 12 anos, considerada a volta por cima da batalha no ano anterior
  • Náutico 4x1 Botafogo-RJ - 9 de Setembro de 2007 - Brasileiro Série A - O ídolo uruguaio Beto Acosta marcou 4 gols, sendo o primeiro estrangeiro a fazer tal feito no Brasileirão
  • Náutico 5x0 Atlético Paranaense - 29 de Setembro de 2007 - Brasileiro Série A - Maior goleada do time em casa em todas as divisões do brasileiro
  • Náutico 1x0 Sport - 17 de Abril de 2011 - Estadual - 500º Clássico dos Clássicos
  • Náutico 1x0 Sport - 2 de Dezembro de 2012 - Brasileiro Série A - Marcou o rebaixamento do rival e classificação a uma competição internacional depois de 44 anos
  • Náutico 2x2 Portuguesa-SP - 2 de Junho de 2013 - Brasileiro Série A - Despedida do estádio antes do hiato de 5 anos sem uso regular do clube para futebol
  • Náutico 1x0 Newell's Old Boys (ARG) - 16 de Dezembro de 2018 - Amistoso - Reinauguração do estádio reformado e maior renda em jogos de clubes de Pernambuco (R$ 1.576.220,00).
  • Náutico 2(5)x(3)2 Paysandu-PA - 08 de setembro de 2019 - Quartas de final da Série C 2019 - jogo da classificação do Náutico para a Série B 2020, jogo marcado pela desvantagem de 2x0 até o último minuto quando o time buscou o empate e a classificação nos pênaltis.[17]

Dados do Estádio[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. CBF (2016). «CNEF - CADASTRO NACIONAL DE ESTÁDIOS DE FUTEBOL» (PDF). Consultado em 19 de junho de 2020 
  2. diariodepernambuco (28 de janeiro de 2018). «O verdadeiro recorde de público do estádio dos Aflitos, estabelecido em 1970». diariodepernambuco Website. Consultado em 22 de fevereiro de 2018 
  3. «CBF cadastra 790 estádios brasileiros». Confederação Brasileira de Futebol. Consultado em 3 de janeiro de 2021 
  4. «Os 100 anos do estádio dos Aflitos | Blog de Esportes». Consultado em 3 de janeiro de 2021 
  5. «Os 100 anos do estádio dos Aflitos | Blog de Esportes». Consultado em 3 de janeiro de 2021 
  6. superesportes (2 de junho de 2013). «Na inauguração oficial dos Aflitos, goleada sobre o Sport e título do 1º turno do PE». superesportes Website. Consultado em 22 de fevereiro de 2018 
  7. Futebol Interior (2 de junho de 2013). «Timbu sob pressão na despedida dos Aflitos». Futebol Interior Website. Consultado em 2 de junho de 2013 
  8. JC online (12 de março de 2015). «Projeto de nova sede timbu prevê duas torres e shopping». JC online Website. Consultado em 22 de fevereiro de 2018 
  9. JC online (17 de setembro de 2017). «Justiça determinará árbitro da ação do Náutico contra a Odebrecht». JC online Website. Consultado em 22 de fevereiro de 2018 
  10. Náutico (23 de agosto de 2016). «Voltando Pra Casa». Náutico Website. Consultado em 22 de fevereiro de 2018 
  11. Náutico (22 de fevereiro de 2018). «Voltando Pra Casa». Náutico Website. Consultado em 22 de fevereiro de 2018 
  12. «Nosso Náutico nos Aflitos | Opinião: Diario de Pernambuco». www.diariodepernambuco.com.br. Consultado em 25 de agosto de 2019 
  13. Zirpoli, Cassio (26 de julho de 2018). «A nova pintura dos Aflitos, vermelha e focada nas transmissões na televisão». Cassio Zirpoli. Consultado em 3 de janeiro de 2021 
  14. «Náutico 2 x 2 Paysandu - Campeonato Brasileiro Série C 2019 Quartas de final - Tempo Real - Globo Esporte». globoesporte.com. Consultado em 1 de outubro de 2019 
  15. «Papão entra com pedido de impugnação no STJD, que busca anular jogo contra o Náutico». Globoesporte. Consultado em 1 de outubro de 2019 
  16. Redação, Da (20 de setembro de 2019). «STJD nega anulação de Náutico x Paysandu e mantém acesso do Timbu». Jornal CORREIO | Notícias e opiniões que a Bahia quer saber. Consultado em 1 de outubro de 2019 
  17. «Náutico 2 x 2 Paysandu - Campeonato Brasileiro Série C 2019 Quartas de final - Tempo Real - Globo Esporte». globoesporte.com. Consultado em 7 de outubro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.