Festival Eurovisão da Canção 1970

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Festival Eurovisão da Canção 1970
 Países Baixos
Amsterdam RAI EC.jpg
Logo do Festival Eurovisão da Canção 1970
Edição
15.ª edição
Datas
Final 21 de março de 1970
Anfitrião
Local RAI Congrescentrum, Amesterdão
Apresentador(es) Países Baixos Willy Dobbe
Diretor Países Baixos Theo Ordeman
Maestro Países Baixos Dolf van der Linden
Supervisor executivo Reino Unido Clifford Brown
Produtor executivo Países Baixos Warner van Kampen
Estação anfitriã NOS logo.svg NOS
Atuações
Atuações de abertura Imagens de Amesterdão
Atuações nos intervalos Os dançarinos de Don Lurio
Participantes
Número de entradas 12 países
Países estreantes Nenhum
Países de regresso Nenhum
Países de saída  Finlândia
 Noruega
 Portugal
 Suécia
Mapa dos países participantes
Portugal no Festival Eurovisão da CançãoEspanha no Festival Eurovisão da CançãoSan Marino no Festival Eurovisão da CançãoFrança no Festival Eurovisão da CançãoReino Unido no Festival Eurovisão da CançãoIrlanda no Festival Eurovisão da CançãoIslândia no Festival Eurovisão da CançãoBélgica no Festival Eurovisão da CançãoPaíses Baixos no Festival Eurovisão da CançãoSuíça no Festival Eurovisão da CançãoAlemanha no Festival Eurovisão da CançãoDinamarca no Festival Eurovisão da CançãoMalta no Festival Eurovisão da CançãoItália no Festival Eurovisão da CançãoNoruega no Festival Eurovisão da CançãoSuécia no Festival Eurovisão da CançãoFinlândia no Festival Eurovisão da CançãoEstónia no Festival Eurovisão da CançãoLetónia no Festival Eurovisão da CançãoLituânia no Festival Eurovisão da CançãoEslováquia no Festival Eurovisão da CançãoÁustria no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoHungria no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoAlbânia no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoGrécia no Festival Eurovisão da CançãoBulgária no Festival Eurovisão da CançãoRoménia no Festival Eurovisão da CançãoMoldávia no Festival Eurovisão da CançãoUcrânia no Festival Eurovisão da CançãoBielorrússia no Festival Eurovisão da CançãoRússia no Festival Eurovisão da CançãoGeórgia no Festival Eurovisão da CançãoAzerbaijão no Festival Eurovisão da CançãoTurquia no Festival Eurovisão da CançãoChipre no Festival Eurovisão da CançãoIsrael no Festival Eurovisão da CançãoArménia no Festival Eurovisão da CançãoMarrocos no Festival Eurovisão da CançãoLiechtenstein no Festival Eurovisão da CançãoAndorra no Festival Eurovisão da CançãoMónaco no Festival Eurovisão da CançãoPolónia no Festival Eurovisão da CançãoRepública Checa no Festival Eurovisão da CançãoLuxemburgo no Festival Eurovisão da CançãoLíbano no Festival Eurovisão da CançãoTunísia no Festival Eurovisão da CançãoArgélia no Festival Eurovisão da CançãoUm mapa colorido dos países da Europa
Sobre esta imagem

     Países confirmados que já escolheram o seu artista e/ou canção     Países que não se classificaram para a final     Países que participaram no passado mas não em 1970

Votação
Sistema de
voto
A votação baseou-se em 10 júris por país que atribuíram 1 ponto cada à canção que mais lhes agradou.
Votos nulos  Luxemburgo
Vencedor(a)  Irlanda
Dana (cantora)
"All Kinds of Everything"
Cronologia
Fleche-defaut-gauche-gris-32.png   1969     Wiki Eurovision Heart (Infobox).svg     1971   Fleche-defaut-droite-gris-32.png

O Festival Eurovisão da Canção 1970 (em inglês: Eurovision Song Contest 1970, em Francês: Concours Eurovision de la chanson 1970 e em holandês: Eurovisiesongfestival 1970) foi o 15º Festival Eurovisão da Canção e teve lugar em 21 de março de 1970 em Amesterdão com a canção "All Kinds of Everything".

Devido ao empate de 4 países que ocorreu em 1969 houve grande controvérsia acerca de qual dos países vencedores devia realizar o festival em 1970. Acabou por se realizar nos Países Baixos. A Finlândia, Noruega, Portugal e Suécia boicotaram este festival, porque não ficaram satisfeitos nem com os seus resultados nem com o sistema de votação do ano anterior, com Portugal a anunciar a sua desistência em setembro de 1969. Apesar disso, em maio, dois meses após o certeme europeu, Portugal voltaria a organizar o Grande Prémio TV da Canção 1970, que seria ganho por Sérgio Borges, com a canção "Onde vais rio que eu canto".[1]

Para evitar um incidente semelhante ao de 1969 foi criada uma nova regra. Se duas ou mais canções obtivessem o mesmo número de pontos, cada canção deveria ser interpretada novamente. Depois disso, todos os júris, excepto os países visados reuniam-se para escolher o vencedor. No final, se o empate persistisse seriam ambas declaradas como vencedoras.[2]

Julio Iglesias, representante da Espanha cantou vestido com um fato azul que não tinha bolsos para evitar que o cantor interpretasse o tema com as mãos nos bolsos, tal como era seu hábito.

Alguns dias antes do festival toda a imprensa já tinha dado a vitória à representante da Irlanda, Dana, o que acabou por se confirmar na grande noite do festival.

Local[editar | editar código-fonte]

Mais sobre a cidade anfitriã: Amesterdão

O Festival Eurovisão da Canção 1970 ocorreu em Amesterdão, nos Países Baixos. Amesterdão é a capital e a cidade mais populosa do Reino dos Países Baixos. O seu estatuto de capital holandesa é garantido pela Constituição dos Países Baixos,[3] embora não seja a sede do governo holandês, que fica em Haia.[4] Originária de uma pequena vila de pescadores que surgiu no final do século XII, Amesterdão se tornou um dos portos mais importantes do mundo durante a Século de Ouro dos Países Baixos (século XVII), como resultado de seus desenvolvimentos inovadores no comércio. Durante essa época, a cidade era o principal centro financeiro e de diamantes do mundo.[5] Nos séculos XIX e XX a cidade se expandiu e muitos novos bairros e subúrbios foram planejados e construídos. Os canais de Amesterdão e a Linha de Defesa de Amesterdão são considerados Patrimônios Mundiais pela UNESCO. Como a capital comercial dos Países Baixos e um dos principais centros financeiros da Europa, Amesterdão é considerada uma cidade global alfa. A cidade é também a capital cultural do país. Muitas grandes instituições holandesas mantêm suas sedes na cidade e sete das 500 maiores empresas do mundo, incluindo Philips e ING, baseiam-se na capital holandesa.[6] Em 2012, Amsterdã foi classificada como a segunda melhor cidade para se viver pela Economist Intelligence Unit (EIU).[7]

O festival em si realizou-se no RAI Congrescentrum, um complexo de salas de conferências e exposições, inaugurado em 1961.

Formato[editar | editar código-fonte]

Depois de terem sido eleitas quatro vencedoras no ano anterior, a UER sorteou em qual delas se realizaria o Festival. A sorte coube aos Países Baixos.[8]

Os produtores holandeses foram obrigados a organizar o evento, apesar de apenas 12 nações fazerem a viagem a Amesterdão. O resultado foi um formato que perdurou quase até os dias atuais. Uma sequência de abertura estendida (filmada em Amesterdão) abriu a edição, enquanto cada país foi introduzido por um pequeno "cartão postal" de vídeo apresentando cada um dos artistas participantes, ostensivamente na sua própria nação. No entanto, os "cartões postais" para a Suíça, Luxemburgo e Mónaco foram todos filmados em Paris (assim como o cartão postal francês).[9] O longo filme de introdução (com mais de quatro minutos de duração) foi seguido pelo que provavelmente é uma das introduções mais curtas feitas por uma apresentadora. Willy Dobbe apenas apresentou os telespectadores em inglês, francês e holandês, terminando sua introdução depois de apenas 24 segundos. Legendas em tela introduziam cada participação, com os títulos das músicas listados em letras minúsculas e os nomes dos artistas e compositores/autores, todos em maiúsculas.

Para evitar um incidente como em 1969, foi criada uma regra de empate, que consistia em que se duas ou mais músicas obtivessem o mesmo número de votos e estivessem empatadas no primeiro lugar, cada música teria que ser interpretada novamente. Depois disso, cada júri nacional (que não fosse o júri dos países envolvidos) teria que votar na que julgavam ser a melhor. Se os países empatassem novamente, eles dividiriam o primeiro lugar.

Visual[editar | editar código-fonte]

O design do cenário foi desenvolvido por Roland de Groot; um projeto simples, de inspiração modernista, era composto de cinco barras curvas horizontais e sete esferas de prata suspensas que podiam ser movidas de várias maneiras diferentes, bem como uma entrada de metal por meio do qual os artistas interpretaram as canções. Além disso, os pontos autorizados a dar cores específicas em segundo plano e obter o jogo de luz nas barras e esferas. Esse foi o primeiro uso verdadeiramente moderno das possibilidades oferecidas pela televisão a cores. À direita do palco estavam o painel de votação e a mesa do supervisor, e ao pé, no fosso, a orquestra.[10]

O vídeo introdutório mostrava vistas aéreas de Amesterdão, intercaladas com vistas turísticas das ruas e monumentos da capital holandesa. As vistas de Congrescentrum se seguiram dia e noite. A câmara varreu o hall de entrada, duas recepcionistas abriram uma porta para ela e entrou na sala.

A apresentadora foi Willy Dobbe.[8] Após o vídeo introdutório, ela cumprimentou brevemente os espectadores, em inglês, francês e holandês, e depois retornou apenas para apresentar a votação.

A orquestra foi conduzida por Dolf van der Linden.[8]

No intervalo, a NOS pediu aos bailarinos de Don Lurio para realizarem uma coreografia. Consistia de um número de dança moderna e rítmica, apresentado a música "Rich Man's Frug", do musical Sweet Charity.[8]

Cartões postais[editar | editar código-fonte]

Cada cartão postal mostrava artistas a passear pela capital de seu país. Os representantes monegasca, suíço, e luxemburguês filmaram em Paris.[10]

Votação[editar | editar código-fonte]

Mais uma vez os países votaram pela mesma ordem à da sua actuação, algo que foi feito aparentemente para acelarar o espetáculo, pois os países a actuar não podiam (nem podem) atribuir pontos a si mesmo, sendo assim poderiam acabar a sua votação a tempo de serem os primeiros a serem chamados. O sistema de votação foi o mesmo utilizado em edições anteriores, em que cada país tinha um júri composto por dez membros, e cada um desses dez jurados atribuiam um ponto à sua canção preferida.

Para evitar um incidente como em 1969, foi criada uma regra de empate, que consistia em que se duas ou mais músicas obtivessem o mesmo número de votos e estivessem empatadas no primeiro lugar, cada música teria que ser interpretada novamente. Depois disso, cada júri nacional (que não fosse o júri dos países envolvidos) teria que votar na que julgavam ser a melhor. Se os países empatassem novamente, eles dividiriam o primeiro lugar.

O supervisor delegado pela UER foi, mais uma vez, Clifford Brown, acompanhado por dois secretários e pela apresentadora.

A Irlanda tomou a votação do começo ao fim. O porta-voz do júri irlandês, que falou por último, cumprimentou Willy Dobbe com as palavras: "Olá, Amsterdão! Esta é uma chamada alegre de Dublin!"

Durante a votação, a câmera fez duas filmagens dos artistas nos bastidores. Ela mostrava Dana (Irlanda), acompanhada por por Henri Dès (Suíça) e Mary Hopkin (Reino Unido).

David Alexandre Winter (Luxemburgo) exigiu completo silêncio durante a votação, o que desagradou os demais concorrentes. No final do anúncio dos resultados, ele se viu ridículo, terminando em último com 0 pontos.[11]

Esta foi a única vez neste sistema de votação que um júri concedeu nove votos a uma única música. Este é o júri belga, nove membros votaram a favor da música irlandesa.[11]

Pela primeira vez, o Luxemburgo terminou em último lugar com 0 pontos.

Participações individuais[editar | editar código-fonte]


Participantes[editar | editar código-fonte]

  Países participantes
  Países participantes em edições anteriores

Dos artistas participantes, destacaram-se a galesa Mary Hopkin, que era uma das favoritas, que já tinha uma carreira de considerável sucesso, com o single "Those Were the Days", de 1968 produzido por Paul McCartney;[12]David Alexandre Winter, nascido em Amsterdão e representando o Luxemburgo, deixara os Países Baixos para ir para Paris em 1969, onde gravara o seu maior sucesso "Oh Lady Mary" que se tornou rapidamente disco de ouro;[11] Dominique Dussault, representando o Mónaco, cantou uma homenagem a Marlene Dietrich, que desejava ser como ela, tendo no terceiro verso, citado várias frases da estrela em inglês e alemão.[2]

Pelos Países Baixos, um trio, Hearts of Soul, foi apresentado. No entanto, as regras só permitiam a participação de solistas e duos, acompanhados por coros. Assim, a vocalista do trio, Patricia Maessen, cantou sozinha, acompanhada pelas restantes elementos do grupo, que foram coristas. Este foi o último ano em que este regulamento esteve em vigor.

Julio Iglesias, então desconhecido, representou Espanha.[13]

País Título original da Canção Artista Processo Data da Selecção
Tradução em Português Idiomas de Interpretação
 Alemanha "Wunder gibt es immer wieder" Katja Ebstein Ein lied für Amsterdam 1970 16 de fevereiro de 1970
Os milagres se sucedem outra vez e outra vez Alemão
 Bélgica "Viens l'oublier" Jean Vallée Chanson Euro 1970 3 de fevereiro de 1970
Vem, esquecê-lo Francês
 Espanha "Gwendolyne" Julio Iglesias Preselección de Eurovision 1970 14 de fevereiro de 1970
Gwendolyne Castelhano
 França "Marie-Blanche" Guy Bonnet Sélection française 1970 21 de fevereiro de 1970
Maria-Branca Francês
 Irlanda "All Kinds of Everything" Dana Irish Final 1970 -
Todas as espécies de coisas Inglês
 Itália "Occhi di ragazza" Gianni Morandi Seleção Interna -
Olhos de rapariga Italiano
 Iugoslávia "Pridi, dala ti bom cvet" Eva Sršen Pjesma Eurovizije 1970 14 de fevereiro de 1970
Vem, eu te darei uma flor Esloveno
 Luxemburgo "Je suis tombé du ciel" David Alexandre Winter Selecção Interna de 1970 -
Eu caí do Paraíso Francês
 Mónaco "Marlène" Dominique Dussault Selecção Interna de 1970 -
Marlène Francês
 Países Baixos "Waterman" Hearts of Soul Nationaal Songfestival 1970 11 de Fevereiro de 1970
Aquário Holandês
 Reino Unido "Knock Knock, Who's There?" Mary Hopkin A song for Europe 1970 7 de março de 1970
Toc Toc, Quem é? Inglês
 Suíça "Retour" Henri Dès Seleção Interna -
Regresso Francês

Festival[editar | editar código-fonte]

# País Idioma Artista Canção Tradução Lugar Pontos
 Países Baixos Holandês Hearts of Soul "Waterman" Aquário 7
 Suíça Francês Henri Dès "Retour" Regresso 8
 Itália Italiano Gianni Morandi "Occhi di ragazza" Olhos de rapariga 5
 Iugoslávia Esloveno Eva Sršen "Pridi, dala ti bom cvet" Vem, eu te darei uma flor 11º 4
 Bélgica Francês Jean Vallée "Viens l'oublier" Vem, esquecê-lo 5
 França Francês Guy Bonnet "Marie-Blanche" Maria-Branca 8
 Reino Unido Inglês Mary Hopkin "Knock Knock, Who's There?" Toc Toc, Quem é? 26
 Luxemburgo Francês David Alexandre Winter "Je suis tombé du ciel" Eu caí do Paraíso 12º 0
 Estado espanhol Castelhano Julio Iglesias "Gwendolyne" Gwendolyne 8
10º  Mónaco Francês Dominique Dussault "Marlène" Marlène 5
11º  Alemanha Alemão Katja Ebstein "Wunder gibt es immer wieder" Os milagres se sucedem outra vez e outra vez 12
12º  Irlanda Inglês Dana "All Kinds of Everything" Todas as espécies de coisas 32

Galeria[editar | editar código-fonte]

Resultados[editar | editar código-fonte]

A ordem de votação no Festival Eurovisão da Canção 1970, foi a seguinte:[14]

  Vencedor
  2º classificado
  3º classificado
Países Votantes Países Pontuados
Países Baixos Suíça Itália República Socialista Federativa da Iugoslávia Bélgica França Reino Unido Luxemburgo Espanha Mónaco Alemanha República da Irlanda
 Países Baixos 2 3 5
 Suíça 2 1 1 6
 Itália 3 1 2 3 1
 Iugoslávia 3 1 2 4
 Bélgica 1 9
 França 2 3 2 2 1
 Reino Unido 1 1 4 4
 Luxemburgo 1 2 2 3 2
 Estado espanhol 2 1 4 3
 Mónaco 2 4 3 1
 Alemanha 2 2 4 2
 Irlanda 1 1 3 3 2
Total 7 8 5 4 5 8 26 0 8 5 12 32
Lugar 11º 12º
Países Votantes Países Baixos Suíça Itália República Socialista Federativa da Iugoslávia Bélgica França Reino Unido Luxemburgo Espanha Mónaco Alemanha República da Irlanda
Países Pontuados
Resultados acumulados
Países Votantes Países Pontuados
Países Baixos Suíça Itália República Socialista Federativa da Iugoslávia Bélgica França Reino Unido Luxemburgo Espanha Mónaco Alemanha República da Irlanda
 Países Baixos 0 2 0 0 0 0 3 0 0 0 0 5
 Suíça 0 2 0 0 0 0 5 0 0 1 1 11
 Itália 3 2 0 0 0 1 7 0 3 1 2 11
 Iugoslávia 6 2 1 0 0 3 11 0 3 1 2 11
 Bélgica 6 2 1 0 0 3 11 0 3 2 2 20
 França 6 4 1 0 3 3 13 0 3 4 2 21
 Reino Unido 7 5 1 4 3 3 13 0 3 4 2 25
 Luxemburgo 7 5 1 4 4 3 15 0 5 4 5 27
 Estado espanhol 7 5 3 4 4 3 15 0 5 5 9 30
 Mónaco 7 5 3 4 4 5 19 0 8 5 10 30
 Alemanha 7 7 5 4 4 5 23 0 8 5 10 32
 Irlanda 7 8 5 4 5 8 26 0 8 5 12 32
Total 7 8 5 4 5 8 26 0 8 5 12 32
Lugar 11º 12º
Países Votantes Países Baixos Suíça Itália República Socialista Federativa da Iugoslávia Bélgica França Reino Unido Luxemburgo Espanha Mónaco Alemanha República da Irlanda
Países Pontuados

Maestros[editar | editar código-fonte]

Em baixo encontra-se a lista de maestros que conduziram a orquestra, na respectiva actuação de cada país concorrente.

País Maestro
 Países Baixos Dolf van der Linden
 Suíça Bernard Gérard
 Itália Mario Capuano
 Iugoslávia Mojmir Sepe
 Bélgica Jack Say
 França Franck Pourcel
 Reino Unido Johnny Arthey
 Luxemburgo Raymond Lefèvre
 Estado espanhol Augusto Algueró
 Mónaco Jimmy Walter
 Alemanha Christian Bruhn
 Irlanda Dolf van der Linden
Maestro anfitrião

Artistas repetentes[editar | editar código-fonte]

Em 1970, pela primeira vez na história, não houve repetentes.

Transmissão do Festival[editar | editar código-fonte]

Países participantes[editar | editar código-fonte]

País Canal Comentador(es) Porta-voz
 Países Baixos Nederland 1 Pim Jacobs[15] Flip van der Schalie
 Suíça TV DRS Theodor Haller Alexandre Burger
TSR Georges Hardy
TSI Giovanni Bertini
 Itália Secondo Programma Renato Tagliani Enzo Tortora
 Iugoslávia Televizija Beograd Milovan Ilić Dragana Marković
Televizija Zagreb Oliver Mlakar
Televizija Ljubljana Tomaž Terček
 Bélgica RTB Claude Delacroix[16] André Hagon
BRT Herman Verelst
RTB La Première TBC
BRT Radio 1 Nand Baert
 França Deuxième Chaîne ORTF Pierre Tchernia[17] TBC
 Reino Unido BBC1 David Gell[18] Colin-Ward Lewis
BBC Radio 1 Tony Brandon
British Forces Radio[19] John Russel
 Luxemburgo Télé-Luxembourg Jacques Navadic TBC
RTL Radio Camillo Felgen
 Espanha TVE1 José Luis Uribarri Ramón Rivera[20]
Primer Programa RNE Miguel de los Santos
 Mónaco Télé Monte Carlo Pierre Tchernia TBC
 Alemanha ARD Deutsches Fernsehen Marie-Louise Steinbauer Hans-Otto Grünefeldt
Deutschlandfunk/Bayern 2 Wolf Mittler
 Irlanda RTÉ Television Valerie McGovern John Skehan
Radio Éireann Kevin Roche

Países não participantes[editar | editar código-fonte]

País Canal Comentador(es)
 Argentina TBC TBC
 Áustria ORF Ernst Grissemann
 Brasil TV Tupi TBC
 Checoslováquia Československá televize TBC
 Chile Canal 9 TBC
Grécia Grécia EIRT TBC
Hungria Hungria MTV TBC
Marrocos Marrocos SNRT TBC
 Noruega NRK Sem comentador
 Polónia TVP TBC
 Portugal I Programa Henrique Mendes
 Tunísia ERTT TBC
 União Soviética CT USSR TBC

Referências

  1. http://fes70.no.sapo.pt/
  2. a b KENNEDY O’CONNOR John, op.cit., p.43.
  3. Dutch Wikisource. «Grondwet voor het Koninkrijk der Nederlanden» (em neerlandês). Chapter 2, Article 32. Consultado em 3 de julho de 2013. ...de hoofdstad Amsterdam... 
  4. Permanent Mission of the Netherlands to the UN. «General Information». Consultado em 26 de junho de 2013 
  5. «Cambridge.org»  Capitals of Capital -A History of International Financial Centres – 1780–2005, Youssef Cassis, ISBN 978-0-521-84535-9
  6. «Forbes.com»  Forbes Global 2000 Largest Companies – Dutch rankings.
  7. «Best cities ranking and report» (PDF) 
  8. a b c d http://www.eurovision.tv/page/history/by-year/contest?event=223#About the show
  9. O'Connor, John Kennedy. The Eurovision Song Contest - The Official History. Carlton Books, UK. 2007 ISBN 978-1-84442-994-3
  10. a b KENNEDY O’CONNOR John, op.cit., p.41.
  11. a b c HAUTIER Jean-Pierre, La folie de l’Eurovision, Bruxelles, Editions de l’Arbre, 2010, p.33.
  12. KENNEDY O’CONNOR John, op.cit., p.42.
  13. https://eurovision.tv/event/amsterdam-1970#About%20the%20show
  14. A ordem de votação foi efectuada através da visualização de vídeos da edição do festival, à semelhança de outras secções deste artigo
  15. «Nederlandse televisiecommentatoren bij het Eurovisie Songfestival». Eurovision Artists (em Dutch) 
  16. Christian Masson. «1970 - Amsterdam». Songcontest.free.fr. Consultado em 10 de agosto de 2012 
  17. CONCOURS EUROVISION DE LA CHANSON 1970 (em francês) SongContest
  18. O'Connor, John Kennedy (2007). The Eurovision Song Contest: The Official History. UK: Carlton Books. p. 42. ISBN 978-1-84442-994-3 
  19. Roxburgh, Gordon (2014). Songs For Europe - The United Kingdom at the Eurovision Song Contest Volume Two: The 1970's. UK: Telos Publishing. p. 27. ISBN 978-1-84583-065-6 
  20. «Nueva España - 22/03/1970» (PDF). Store.diariodelaltoaragon.es. 22 de março de 1970. Consultado em 10 de agosto de 2012 

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Os mapas presentes neste artigo, respeitam as fronteiras geográficas estabelecidas na altura em que o festival ocorreu.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Festival Eurovisão da Canção 1970