Olimpíada Internacional de Linguística

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Olimpíada Internacional de Linguística (International Linguistics Olympiad ou simplesmente IOL) é uma olimpíada de linguística que ocorre anualmente em local itinerante e é destinada a alunos do ensino médio.
A primeira edição deste evento ocorreu em 2003, em Bórovets, na Bulgária, com a participação de oito países. A mais recente foi realizada em Maiçor, na Índia. Dois países, a Bulgária e a Rússia já sediaram o torneio em mais do que uma oportunidade. O Brasil participa desde 2011,[1] através da Olimpíada Brasileira de Linguística.

Formato de disputa[editar | editar código-fonte]

Um interessante diferencial do torneio consiste no formato da competição, que abrange paralelamente a disputa individual e a entre as equipes nacionais.
O programa das avaliações consiste de linguística matemática, teórica e descritiva. Como é frequente em olimpíadas científicas, os problemas são traduzidos para a língua materna de cada estudante de modo a não viciar os resultados.

Competição individual[editar | editar código-fonte]

A prova individual é composta por 5 questões que devem ser resolvidas em até 6 horas. Idealmente, as questões devem abranger as mais diversas áreas da linguística, como fonética, morfologia, semântica, entre outras.

Na edição de 2007, as linguagens abordadas nas questões foram braille, movima, georgiano, ndom e comparações entre turco e tártaro.
Em 2008, as questões versaram sobre micmac, poesia em língua nórdica antiga, zoque, inuktitut e comparações entre drehu e cemuhi.

Competição por equipes[editar | editar código-fonte]

A prova por equipes é formada por uma questão única, cuja resolução deve ser extremamente difícil e bastante demorada. Cada equipe, em geral formada por 4 estudantes, tem 3 horas para resolver o problema formulado.

A prova de 2007 focava na genealogia de termos da língua havaiana. Em 2008, tratava-se de uma comparação entre mandarim e cantonês. Em 2009, a prova envolveu a língua vietnamita, enquanto a prova de 2010 se tratava da língua mongol.

Temas[editar | editar código-fonte]

As línguas e temas já abordados na IOL foram:

Sedes da IOL[editar | editar código-fonte]

Os seguintes países sediaram a IOL[2]:

Cidade Ano Data № Países № Compet. Website
 1  Borovets, Bulgária Bulgária  2003 6–12 set 6 33 philol.msu.ru/otipl/new/main/mol/sum-2003-en
 2  Moscou, Rússia Rússia   2004 31 jul–2 ago 7 45 philol.msu.ru/otipl/new/main/mol
 3  Leida, Países Baixos Holanda   2005 8–12 ago 9 50 ilo3.leidenuniv.nl
 4  Tartu, Estónia Estônia   2006 1–6 ago 9 51 olympiadid.ut.ee/ilo4
 5  São Petersburgo, Rússia Rússia   2007 31 jul–4 ago 9 61 ilolympiad.spb.ru
 6  Nessebar, Bulgária Bulgária   2008 4–9 ago 11 67 iol6.linguistics-bg.com
 7  Breslávia, Polónia Polônia   2009 26–31 jul 17 86 math.uni.wroc.pl/~msliw/lingw/iol
 8  Estocolmo, Suécia Suécia   2010 19–24 jul 18 99 iol.nu
 9  Pitsburgo, Estados Unidos EUA   2011 24–30 jul 19 102 ioling.org/2011
 10  Liubliana, Eslovénia Eslovênia   2012 29 jul–4 ago 26 131 ioling.org/2012
 11  Manchester, Reino Unido Reino Unido   2013 22–26 jul 26 138 http://www.uklo.org/iol-2013
12 Pequim, China China 2014 21–25 jul 28 152 http://ioling.itccc.org.cn/
13 Blagoevgrad, Bulgária Bulgária 2015 20–24 jul 29 166 http://iol13.linguistics-bg.com/
14 Maiçor, Índia Índia 2016 25–29 jul 31 167 http://iol14.plo-in.org/
15 Dublin, República da Irlanda Irlanda 2017 31 jul–4 ago http://www.iol2017.ie/

Participação do Brasil[editar | editar código-fonte]

O Brasil participa da IOL desde 2011, com time selecionado pela Olimpíada Brasileira de Linguística. Os times foram:

Edição Kytã (2011)[3][4]

Time Itararé

  • André Amaral de Sousa (São Paulo, SP)
  • Rafael Kazuhiro Miyazaki (São Paulo, SP)
  • Pedro Neves Lopes (São Paulo, SP)
  • Nicolas Seoane Miquelin (Santo André, SP)

Time Suassuna

  • Ivan Tadeu Ferreira Antunes Filho (Lins, SP)
  • Marvin Ariel Dias Santos (Lagarto, SE)
  • Raphael Levi Ruscio de Castro Teixeira (São Paulo, SP)

Edição Noke Vana (2012)[5][4]

  • Ivan Tadeu Antunes Filho (Lins, SP) — medalha de prata
  • Marvin Ariel Dias Santos (Lagarto, SE)
  • Pedro Neves Lopes (Diadema, SP) — medalha de bronze
  • Rafael Kazuhiro Miyazaki (São Paulo, SP) — menção honrosa; melhor solução da questão 2 (numerais umbu-ungu)

Edição Paraplü (2013)[6][4]

  • Gabriel Alves da Silva Diniz (São Paulo, SP) — medalha de ouro; melhor solução da questão 5 (telepatia)
  • Marvin Ariel Dias Santos (Lagarto, SE)
  • Murilo Dória Guimarães (São Paulo, SP) — menção honrosa
  • André Navarro Barros (São Paulo, SP) — menção honrosa

Edição Vina (2014)[7][4]

  • Gabriel Alves da Silva Diniz (São Paulo, SP) — menção honrosa
  • Jesse Leonardo Justino Candido (Ourinhos, SP)
  • Leandro Cavalcanti Silva (Belo Horizonte, MG)
  • Arthur Oliveira Vale (Recife, PE)

Edição Òkun (2016)[8][4]

  • Ana Beatriz Rodrigues de Carvalho Nunes (Rio de Janeiro, RJ)
  • Bruno Kenzo Ozaki (São Paulo, SP) — medalha de bronze
  • Davi Kumruian (São Paulo, SP)
  • Takerou Hayashi Sato (Sorocaba, SP)

Referências

  1. «Olimpíada Brasileira de Linguística». Consultado em 8 de novembro de 2010 
  2. «IOL - Página Oficial». Consultado em 11 de abril de 2012 
  3. «IOL 9». Olimpíada Brasileira de Linguística. Consultado em 8 de junho de 2012 
  4. a b c d e «IOL - Countries: Brazil». Olimpíada Brasileira de Linguística. Consultado em 8 de junho de 2012 
  5. «IOL 10». Olimpíada Brasileira de Linguística. Consultado em 8 de junho de 2012 
  6. «IOL 11». Olimpíada Brasileira de Linguística. Consultado em 27 de maio de 2017 
  7. «IOL 12». Olimpíada Brasileira de Linguística. Consultado em 27 de maio de 2017 
  8. «IOL 14». Olimpíada Brasileira de Linguística. Consultado em 27 de maio de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]