Romeu Pellicciari

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Romeu Pellicciari
Informações pessoais
Nome completo Romeu Pellicciari
Data de nasc. 26 de março de 1911
Local de nasc. Jundiaí (SP), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Falecido em 15 de julho de 1971 (60 anos)
Local da morte São Paulo (SP), Brasil
Informações profissionais
Posição ex-Meia
Clubes de juventude
1926–1927 Barranco (amador)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1928–1929
1930–1935
1935–1942
1942
1943–1945
Clube São João de Jundiaí
Palestra Itália-SP
Fluminense
Palmeiras
Comercial
00000 0000(0)
00150 00(106)[1]
00202 000(90)[1]
00000 0000(0)
00000 0000(0)
Seleção nacional
1938 Brasil 00013 0000(3)[1][2]

Romeu Pellicciari, mais conhecido como Romeu (Jundiaí, 26 de março de 1911São Paulo, 15 de julho de 1971), foi um futebolista brasileiro, que atuava como meia. Foi um dos convocados para a Copa do Mundo de 1938, pelo Brasil. É um dos maiores ídolos de Palmeiras e Fluminense.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Filho de pais italianos Humberto Pellicciari e Ida Pellicciari, começou sua carreira em times amadores de Jundiaí, sua cidade natal, como o São João Futebol Clube e o Barranco FC.[3] Foi descoberto por Bertolini seu conterrâneo e ex-jogador do Palmeiras, que o tentou levar ao Palmeiras sem sucesso, mas por insistência do técnico palestrino a época Humberto Cabelli, acabou convencendo Romeu e em 1930, foi contratado pelo Palestra Itália (atual Sociedade Esportiva Palmeiras), com quem foi tricampeão paulista em 1932,1933 e 1934, além de ter conquistado o Torneio Rio-São Paulo de 1933.[4]

É reverenciado pela torcida palmeirense até os dias de hoje, pois foi o único jogador a marcar quatro gols num jogo entre Corinthians e Palmeiras, além de ser um dos artilheiros do Derby Paulista com quatorze gols junto com César Maluco.[5] Fez parte da Seleção Paulista bicampeã do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais de 1933 e 1934, disputando, ao todo, 165 jogos pelo alviverde, marcando 106 gols.[6][7]

Romeu Pellicciari marca um de seus 4 gols contra o Corinthians na goleada do Palmeiras por 8 a 0 em 1933

Seu futebol atraiu o Fluminense, que acabaria por contratar a base da Seleção Paulista para reforçar sua equipe. Gordinho e careca, jogava sempre com objetividade, mas com imenso repertório de dribles inesperados e lançamentos precisos. As suas jogadas mais famosas eram o "passo de ganso", atualmente conhecida como "pedalada", o "faz que vai mas não vai" e principalmente a pisada na bola já invertendo o jogo. No tricolor carioca, jogou 202 partidas e marcou 90 gols.[8]

Tricampeão carioca em 1936, 1937 e 1938, do Torneio Municipal em 1938, do Torneio Extra de 1941 e do Torneio Início em 1940 e 1941, virou ídolo nacional e foi convocado para a Seleção Brasileira que disputou a Copa do Mundo de 1938, onde o nome do jogo contra a Itália, campeã mundial naquele ano, ao todo na competição acabou marcando três gols. Pelo Brasil, ao todo, foram 13 jogos e 3 gols.[9] Sua atuação naquela competição fez surgirem muitas propostas de clubes europeus. Ele, porém, se manteve fiel ao Fluminense, onde ainda conquistaria o bicampeonato carioca de 1940 e 1941.[10]

No início de de 1942, voltou para o Palmeiras, para ficar próximo do pai motivado pelo agravamento de sua saúde e acabou participando de um momento histórico do clube a Arrancada Heroica, sendo novamente campeão paulista naquele ano. No ano seguinte teve uma passagem pelo Comercial de Ribeirão Preto firmando um contrato que o desobrigava de treinar e controlar seu peso, algo que ficou marcada pela sua trajetória, encerrou a carreira em 1947 por dores crônicas nas pernas.[11][12]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Fluminense
Palmeiras

Referências

  1. a b c «Romeu Pellicciari». Terceiro Tempo. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  2. «Todos os brasileiros». Folha de S.Paulo. 9 de dezembro de 2005. Consultado em 30 de agosto de 2018 
  3. «História do Clube São João». Clube São João 
  4. Elias, Bruno (24 de agosto de 2015). «Há exatos 85 anos, ídolo Romeu Pellicciari debutava no Palestra Italia». Palmeiras. Consultado em 30 de julho de 2020 
  5. «Derby Top 10». Palmeiras. Consultado em 30 de julho de 2020 
  6. Site Memória Futebol - Romeu Pellicciari: Baixinho, gordinho e craque
  7. «Romeu Pelliciarri». Palmeiras. Consultado em 30 de julho de 2020 
  8. Rademaker, Cauê (11 de fevereiro de 2014). «Antes de Walter: Flu teve gordinho famoso, craque e carrasco do Fla». Globoesporte.com 
  9. Site Torcida Tricolor - O Flu nas Copas
  10. Site Estatísticas do Fluminense - Especiais - Jogadores - R - Romeu (1942)
  11. Livro Gigantes do Futebol Brasileiro, página 129, por João Máximo e Marcos de Castro (2011)
  12. «Romeu Pellicciari... um gordinho genial». Tardes de Pacaembu. 7 de julho de 2019. Consultado em 30 de julho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre futebolista é um esboço relacionado ao Projeto Futebol. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.