Luca Badoer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Luca Badoer
Luca Badoer 2007 Desafio Internacional das Estrelas.jpg
Badoer no Desafio Internacional das Estrelas de kart, em 2007.
Nome completo Luca Badoer
Nacionalidade    Itália Italiano
Data de nascimento 25 de Janeiro de 1971 (43 anos)
Registros na Fórmula 1
Anos 1993, 1995-1996, 1999, 2009
Times 4 (Scuderia Italia, Minardi, Forti e Ferrari)
Campeonatos 0 (23º em 1995 e 1999)
Pontos 0
Voltas mais rápidas 0
Primeiro GP África do Sul GP da África do Sul, 1993
Último GP Bélgica GP da Bélgica, 2009
GPs Poles Pódios Vitórias
58 (50 largadas) 0 0 0

Luca Badoer (Montebelluna, 25 de janeiro de 1971) é um ex-automobilista italiano.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Antes da Fórmula 1, Badoer era considerado como um piloto promissor da Itália. Ele, tal qual a grande maioria dos pilotos, começou no kart, no qual foi campeão italiano da modalidade 1988. Derrotou Alessandro Zanardi na volta final do Campeonato Italiano de 1990 da Fórmula 3. Em 1991 venceu quatro corridas seguidas, mas foi desqualificado devido a um detalhe técnico com relação aos pneus. Em 1992 foi convidado para correr pela Team Crypton para o Campeonato de Fórmula 3000, no qual ele foi campeão.

Na Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Badoer pilota o carro da Minardi no GP da Inglaterra de 1995.

Seu início na Fórmula 1 com uma Lola-Ferrari da Scuderia Italia, em 1993, não foi dos mais felizes, já que este era, sem dúvida, o carro mais lento do campeonato. Ele superava regularmente seu experiente companheiro de equipe Michele Alboreto, mas acabou perdendo a vaga de segundo piloto quando a Minardi comprou a equipe. Contudo, foi mantido como piloto de teste e assumiu o lugar de Alboreto em 1995 quando este deixou a equipe e se despediu da F-1. Na Minardi, seus melhores resultados foram os oitavos lugares no Canadá e Hungria e um nono no Japão. Em 1996 ele se mudou para a Forti, onde rendeu menos, retornando à Minardi em 1999 depois de dois anos afastado da Fórmula 1, período em que esteve como piloto oficial de teste da Ferrari.

Quando Michael Schumacher quebrou a perna em um acidente em Silverstone, em julho de 1999, ele achou que seria a sua grande chance para demonstrar suas qualidades, mas a equipe escolheu o finlandês Mika Salo, uma decisão que o ex-piloto da Ferrari, Jean Alesi, criticou publicamente.

Em 1999, ele atingiu a triste marca de ser o piloto que mais tinha competido em Grandes Prêmios (48) sem ter conseguido um único ponto; o que se tornou para ele ainda mais difícil quando seu carro teve um defeito na caixa de direção quando estava em quarto lugar no final do Grande Prêmio da Europa em Nürburgring. Ao sair do carro, Badoer não conteve as lágrimas ao saber que tinha perdido o melhor resultado de sua carreira na categoria.

O período como piloto de testes na Ferrari[editar | editar código-fonte]

Carro da equipe Ferrari, testado por Badoer.

Em 2000, incapaz de achar tempo integral como piloto de Fórmula 1, voltou a ser piloto de teste da Ferrari para o resto de sua carreira. Badoer completou milhares de quilômetros anualmente nos circuitos de Mugello e Fiorano, dirigindo provavelmente mais quilômetros em um carro Ferrari que qualquer outro italiano na história.

Na Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2006 em Turim, Badoer foi o escolhido para demonstrar a força e a beleza da Ferrari F1 ao pilotar o carro da temporada 2005, da equipe, no centro do estádio, acelerando o motor e executando várias manobras com o automóvel. O evento foi assistido por bilhões de telespectadores no mundo todo.

Volta às pistas e final de carreira[editar | editar código-fonte]

Badoer no GP da Europa de 2009, primeira corrida do italiano como titular em dez anos na F-1.
Badoer no GP da Bélgica de 2009, última corrida de sua carreira. Após um fraco desempenho, foi substituído por Giancarlo Fisichella na Ferrari.

Em 2009, Luca Badoer foi designado subsituto de Felipe Massa na Ferrari no GP da Europa, em virtude da lesão do brasileiro, atingido por uma mola que escapara do carro de Rubens Barrichello e da impossibilidade de Michael Schumacher em substituir Massa, também em virtude de problemas físicos (ele havia caído de moto).[1]

Com resultados abaixo do esperado em Valência e Spa-Francorchamps (foi o último colocado em todos os treinos, largou e chegou em último lugar em ambas as corridas), Badoer foi dispensado da tarefa e substituído por seu conterrâneo, Giancarlo Fisichella, emprestado pela equipe Force India. Em 2010, Fisichella assinou em definitivo um contrato com a Ferrari para ser o piloto de testes da equipe. Sem espaço, Badoer decidiu se aposentar.

Posição de chegada nas corridas de Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Legenda: (Corridas em negrito indicam pole position); (Corridas em itálico indicam volta mais rápida)

Temporada Equipe Chassis Motor 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 Classificação Pontos
1993 Lola BMS Scuderia Italia Lola T93/30 Ferrari V12 RSA
Ret
BRA
12
EUR
DNQ
SMR
7
ESP
Ret
MON
DNQ
CAN
15
FRA
Ret
GBR
Ret
ALE
Ret
HUN
Ret
BEL
13
ITA
10
POR
14
JAP
AUS
25º 0
1995 Minardi Scuderia Italia Minardi M195 Ford V8 BRA
Ret
ARG
DNS
SMR
14
ESP
Ret
MON
Ret
CAN
8
FRA
13
GBR
10
ALE
Ret
HUN
8
BEL
Ret
ITA
Ret
POR
14
EUR
11
PAC
15
JAP
9
AUS
DNS
23º 0
1996 Forti Grand Prix Forti FG01B Ford V8 AUS
DNQ
BRA
11
ARG
Ret
EUR
DNQ
21º 0
Forti FG03 SMR
10
MON
Ret
ESP
DNQ
CAN
Ret
FRA
Ret
GBR
DNQ
ALE
DNP
HUN
BEL
ITA
POR
JAP
1999 Fondmetal Minardi Ford Minardi M01 Ford V10 AUS
Ret
BRA
SMR
8
MON
Ret
ESP
Ret
CAN
10
FRA
10
GBR
Ret
AUT
13
ALE
10
HUN
14
BEL
Ret
ITA
Ret
EUR
Ret
MAL
Ret
JAP
Ret
23º 0
2009 Scuderia Ferrari
Marlboro
Ferrari F60 Ferrari 056 2.4 V8 AUS MAL CHN BHR ESP MON TUR GBR GER HUN EUR
17
BEL
14
ITA SIN JAP BRA ABU 25º 0

Referências

  1. "Luca Badoer vai substituir Felipe Massa em Valência", autosport.aeiou.pt, 2009-08-11. Página visitada em 2009-08-11.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Só fez 5 temporadas na carreira.
  • Todas as equipes que ele correu foram italianas.
  • Nunca marcou pontos na carreira.
  • Tem o recorde de 58 GP's sem pontuar.
  • Sua melhor posição de chegada foi um 7º lugar no GP de San Marino de 1993. Nesse ano, ainda pontuava até o 6º lugar.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]