Universidade Estadual de Maringá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
UEM
Universidade Estadual de Maringá
Uem-logo2.gif
Fundação 6 de novembro de 1969
Tipo de instituição Brasão do Paraná.svg Pública Estadual
Mantenedora Governo do Estado do Paraná
Orçamento anual R$ 403 mi (2013)[1]
Docentes 1.482
Total de estudantes 20.969
Graduação 17.098
Pós-graduação 3.871
Reitor(a) Prof. Dr. Júlio Santiago Prates Filho
Vice-reitor(a) Profa. Dra. Neusa Altoé
Sede Maringá
Campi Maringá, Cianorte, Cidade Gaúcha, Goioerê, Umuarama, Iguatemi (fazenda) e Porto Rico (base avançada do NUPÉLIA)
Estado  Paraná
Afiliações CRUB, RENEX, ABRUEM, AIU, AUF e APIESP
Página oficial http://www.uem.br
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) é uma instituição pública de ensino superior, mantida pelo Estado do Paraná. Com sede na cidade de Maringá, possui campus nas cidades de Cianorte, Cidade Gaúcha, Goioerê, Ivaiporã e Umuarama, e extensões nas cidades de Iguatemi (Fazenda Experimental) e Porto Rico (Centro de Pesquisa em Porto Rico - Nupélia). A instituição oferta 63 cursos de Graduação, 85 cursos de Especialização, 30 cursos de Mestrado, 17 cursos de Doutorado e 2 cursos de Pós-Doutorado. Considerada uma das melhores universidades do Brasil, a UEM possui cursos de destaque em todo o âmbito nacional, os quais atraem estudantes do país inteiro. O Campus Sede, com aproximadamente 100 hectares, fica no centro de Maringá, e tem uma população universitária de aproximadamente 20 mil pessoas, entre alunos, professores e servidores.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Criada pela Lei Estadual 6.034 de 06 de novembro de 1969, teve sua regulamentação dada pelo Decreto 18.109 de 28 de janeiro de 1970, quando da incorporação dos seguintes estabelecimentos de ensino superior:

  • a) Faculdade Estadual de Ciências Econômicas de Maringá
  • b) Faculdade Estadual de Direito de Maringá (autarquia)
  • c) Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Maringá (da Fundação Educacional de Maringá)
  • d) Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas de Maringá (da Fundação Educacional de Maringá).

Seu reconhecimento como Universidade se deu pelo Decreto Federal 77.583 de 11 de maio de 1976.


Graduação[editar | editar código-fonte]

A UEM oferta atualmente 63 cursos de graduação: 42 cursos no campus sede de Maringá, 4 no campus de Cianorte, 1 curso no campus de Cidade Gaúcha, 4 cursos no Campus Regional de Goioerê, 3 cursos no campus de Ivaiporã e outros 8 cursos no campus de Umuarama. Além disso a Universidade conta com 6 cursos de Educação à Distância espalhados pelos polos regionais, a constar: Administração Pública, Ciências Biológicas, Física, História, Letras e Pedagogia.

Administração | Agronomia | Arquitetura e Urbanismo | Artes Cênicas | Artes Visuais | Biomedicina | Bioquímica | Ciência da Computação | Ciências Biológicas | Ciências Contábeis | Ciências Econômicas | Ciências Sociais | Comunicação em Multimeios | Direito | Estatística | Educação Física | Enfermagem | Engenharia de Alimentos | Engenharia Civil | Engenharia de Produção | Engenharia Elétrica | Engenharia Mecânica | Engenharia Química | Farmácia | Filosofia | Física | Geografia | História | Informática | Letras | Matemática | Medicina | Música | Odontologia | Pedagogia | Psicologia | Química | Secretariado Executivo | Tecnologia em Biotecnologia | Zootecnia
Engenharia de Produção | Engenharia Têxtil | Física | Licenciatura plena em Ciências
Ciências Contábeis | Pedagogia | Design | Moda
Engenharia Agrícola
Educação Física | História | Serviço Social
Agronomia | Engenharia de Alimentos | Engenharia Ambiental | Engenharia Civil | Medicina Veterinária | Tecnologia em Alimentos | Tecnologia em Construção Civil | Tecnologia em Meio Ambiente

Vestibular[editar | editar código-fonte]

A UEM realiza anualmente os Vestibulares de Inverno, com provas em julho, e de Verão com provas em dezembro. Também abre vestibulares para os cursos a distância, de acordo com sua implantação. Ainda são garantidas a reserva de vagas para indígenas e o o sistema de cotas sociais, que reserva 20% das vagas dos cursos de graduação em toda a instituição. Além disso, foi implantado em 2009 o Programa de Avaliação Seriada (PAS). Como em outras instituições de ensino no país, o aluno é avaliado ao final de cada ano letivo do ensino médio, dispensando assim o vestibular. O vestibular da UEM é um dos mais difíceis e concorridos do Brasil.

Fatos Recentes[editar | editar código-fonte]

Em 2012, a Universidade Estadual de Maringá foi classificada como a melhor universidade do estado do Paraná, pelo quarto ano consecutivo, segundo o Índice Geral de Cursos (IGC) do Ministério da Educação.

Em 14 de dezembro de 2009, o Conselho Universitário da UEM criou a Universidade Aberta à Terceira Idade (Unati), órgão suplementar ligado à Reitoria, com atividades gratuitas destinadas a pessoas com mais de 55 anos.

A UEM inicia a comemoração dos seus 40 anos com uma série de eventos, exposição de fotos e depoimentos daqueles que fizeram parte de sua história. (UEM 40 ANOS)

Em 2009, a Universidade Estadual de Maringá foi classificada como a melhor universidade do estado do Paraná, pelo segundo ano consecutivo, segundo o Índice Geral de Cursos (IGC) do Ministério da Educação.

Em 2010, a Universidade Estadual de Maringá foi classificada como a melhor universidade do estado do Paraná pelo terceiro ano consecutivo, segundo o Índice Geral de Cursos (IGC) do Ministério da Educação, com 356 pontos, sendo classificada como uma instituição de nível 4.

No ano de 2010 a instituição criou 16 novos cursos de graduação, apesar dos cursos de Engenheria mais recentes como Engenharia Mecânica, de Alimentos e de Produção que foram criados no começo de 2000 não terem ainda o número mínimo de professores efetivos. Nestes cursos também faltam laboratórios e técnicos. No caso da Engenharia Mecânica é previsto no Projeto Político Pedagógico 16 professores, 3 Técnicos Mecânicos e 1 Engenheiro. O curso tem somente 6 professores efetivos e não há sequer um único técnico mecânico. Na Engenharia de Alimentos campus sede sofre a mesma falta de apoio da Universidade como a Engenharia Mecânica, porem esta entre os 10 melhores cursos de Engenharia de Alimentos do Brasil com apenas 12 anos de criação.

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Em Outubro de 2006 o artista Monteiro, conclui uma obra muito interessante: uma escultura feita num tronco de Flamboyant sem que o mesmo tenha sido retirado do local. A obra intitulada "O Contemplador" decora o campus universitário demonstrando a capacidade criativa do ser humano. A obra foi uma iniciativa da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura com o patrocínio da Sociedade Eticamente Responsável.
"Como uma águia, o contemplador deve elevar-se... Mas com sagacidade para o êxito." Monteiro

Referências

  1. Portal da Transparência UEM. Página visitada em 22 de Janeiro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]