Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
UFRRJ
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
UFRRJ2.png
Fundação 20 de outubro de 1910 (104 anos)
Tipo de instituição Pública, Federal
Orçamento anual R$ 352.733.407,24 (2010) [1]
Docentes 1098
Total de estudantes 14.570
Pós-graduação 1308
Reitor(a) Ana Maria Dantas Soares
Vice-reitor(a) Eduardo Mendes Callado
Sede Seropédica
Campi Seropédica, Nova Iguaçu e Três Rios
Estado Rio de Janeiro
Cores Verde, Amarelo e Azul

                     

Afiliações CRUB, RENEX [1]
Nomes anteriores Universidade Rural do Brasil
Página oficial www.ufrrj.br
Jardim do P1, UFRRJ.jpg
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

A Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) é uma centenária universidade federal brasileira localizada no município de Seropédica, no km 7 da BR-465, Rio de Janeiro. É a universidade com o maior campus horizontal da América Latina, com aproximadamente 3.024 hectares e um conjunto arquitetônico de 131.346 metros quadrados de área construída. Historicamente é conhecida como Universidade Rural do Brasil, por ter estabelecido as bases do ensino agropecuário no país.[2] .

Atualmente a UFRRJ é uma universidade multicampi que conta com 4 cursos técnicos no Colégio Técnico da UFRRJ (CTUR), cerca de 40 cursos de graduação e mais de 35 cursos de pós-graduação, dentre especializações, mestrados e doutorados. Em um recente ranking elaborado pelo jornal Folha de São Paulo, a Universidade Rural ficou entre as 10 melhores universidades do Estado do Rio de Janeiro, com destaque para alguns cursos que estão entre os melhores do país.[3] .

História[editar | editar código-fonte]

Origem[editar | editar código-fonte]

A UFRRJ tem suas origens no Decreto 8.319 de 20 de outubro de 1910, assinado por Nilo Peçanha, Presidente da República, e por Rodolfo Nogueira da Rocha Miranda, Ministro da Agricultura. Ele estabeleceu as bases fundamentais do ensino agropecuário no Brasil, criando a Escola Superior de Agronomia e Medicina Veterinária, cujo primeiro diretor foi o engenheiro agrônomo Gustavo Dutra. A sede foi instalada, em 1911, no palácio do Duque de Saxe, onde hoje está o CEFET/MEC, no Maracanã, Rio de Janeiro. Inaugurada oficialmente em 1913, funcionou por dois anos com seu campo de experimentação e prática agrícola em Deodoro. Fechada sob alegação de falta de verbas para manutenção, em março de 1916 fundiu-se à Escola Agrícola da Bahia e à Escola Média Teórico-Prática de Pinheiro, onde hoje está instalado o Campus Nilo Peçanha do Instituto Federal do Rio de Janeiro, no Município de Pinheiral.

Nesse mesmo ano diploma-se a primeira turma de Engenheiros Agrônomos, com dois alunos, e, no ano seguinte, a primeira turma de Médicos Veterinários, com quatro alunos.

Em 1918, a Escola foi transferida para a Alameda São Boaventura, em Niterói, onde funciona hoje o Horto Botânico do Estado do Rio de Janeiro. O seu novo regulamento só foi aprovado em 1920, quando foi criado mais um curso, o de Química Industrial. Em 1927, a Escola mudou-se para a Praia Vermelha, no Rio de Janeiro. Em fevereiro de 1934, o Decreto 23.857 transformou os cursos na Escola Nacional de Agronomia, Escola Nacional de Medicina Veterinária e Escola Nacional de Química.

A Escola Nacional de Agronomia subordinava-se à extinta Diretoria do Ensino Agrícola, do Departamento Nacional de Produção Vegetal; a Escola Nacional de Veterinária ao Departamento Nacional de Produção Animal, do Ministério de Agricultura. A Escola Nacional de Química, transferida para o antigo Ministério da Educação e Saúde, viria a constituir-se na Escola de Engenharia Química da atual Universidade Federal do Rio de Janeiro – antiga Universidade do Brasil. Em março de 1934, as Escolas Nacionais de Agronomia e Nacional de Veterinária tiveram o regulamento comum aprovado e tornaram-se estabelecimentos-padrão para o ensino agronômico do País. Neste ano formaram-se 12 Engenheiros Agrônomos e 16 Médicos Veterinários.

A Portaria Ministerial de 14 de novembro de 1936 tornou as Escolas independentes, com a aprovação de seus próprios regimentos.

Em 1938, o Decreto-Lei 982 reverteu a situação – enquanto a Escola Nacional de Agronomia passou a integrar o Centro Nacional de Ensino e Pesquisas Agronômicas (CNEPA), recém-criado, a Escola Nacional de Veterinária passou a subordinar-se diretamente ao Ministro do Estado.

Universidade Rural[editar | editar código-fonte]

Vista aérea do Prédio Central

O CNEPA foi reorganizado em 1943, pelo Decreto-Lei 6.155, de 30 de dezembro. Foi na ocasião fundada a Universidade Rural, abrangendo na época a Escola Nacional de Agronomia, a Escola Nacional de Veterinária, Cursos de Aperfeiçoamento e Especialização, Cursos de Extensão, Serviço Escolar e Serviço de Desportos. Com os Cursos de Aperfeiçoamento e Especialização iniciava-se um programa de treinamento pós-graduado para áreas específicas dos currículos de Agronomia e Veterinária.

Um ano depois, o novo regimento do CNEPA, aprovado pelo Decreto-Lei 16.787, unificou os novos cursos de Aperfeiçoamento, Especialização e Extensão, além de criar o Conselho Universitário, à semelhança do hoje existente. A Universidade, além de consolidar os novos cursos e serviços criados, tomava as providências para, em 1948, transferir o seu campus para as margens da Antiga Rodovia Rio-São Paulo, hoje BR-465, no então distrito de Seropédica, do município de Itaguaí.

O ano de 1961 trouxe um novo Decreto, o de número 50.113, que, mais uma vez, alterou o regimento do CNEPA – a Universidade ganhou um novo órgão, a Escola Agrícola, então com denominação de Escola Agrotécnica Ildefonso Simões Lopes. Somente em 1963, pelo Decreto 1.984, a Universidade Rural passou a denominar-se Universidade Federal Rural do Brasil, envolvendo a Escola Nacional de Agronomia, a Escola Nacional de Veterinária, as Escolas de Engenharia Florestal, Educação Técnica e Educação Familiar, além dos cursos técnicos de nível médio dos Colégios Técnicos de Economia Doméstica e Agrícola “Ildefonso Simões Lopes”.

O nome atual[editar | editar código-fonte]

Até maio do ano de 1967 a Universidade Rural do Brasil era vinculada ao Ministério da Agricultura. A atual denominação – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – veio com o Decreto 60.731, de 1967 que transferiu para o Ministério da Educação e Cultura os órgãos de Ensino do Ministério da Agricultura.[4]

A UFRRJ, uma autarquia desde 1968, passou a atuar com uma estrutura mais flexível e dinâmica para acompanhar a Reforma Universitária que se implantava no País. Com a aprovação de seu Estatuto, em 1970, a Universidade vem ampliando suas áreas de Ensino, Pesquisa e Extensão, tendo, em 1972, iniciado o sistema de cursos em regime de créditos.

A criação dos cursos[editar | editar código-fonte]

Lago da UFRRJ

Em 1966 é criado o curso superior de Engenharia Química. Em 1968, as Escolas Nacional de Agronomia e Veterinária se transformam em cursos de graduação. Em 1968, são criados os cursos de Licenciatura em História Natural, em Química e Ciências Agrícolas. Em 1970, têm início os cursos de Geologia, Zootecnia, Administração de Empresas, Economia e Ciências Contábeis. Em 1976, foram criados os cursos de Licenciatura plena em Educação Física, Matemática, Física e o Bacharelado de Matemática.

O primeiro curso noturno – Administração de Empresas – iniciou suas atividades em 1990. Em 1991, foi criado o curso de Engenharia de Alimentos.

Os primeiros cursos de pós-graduação na UFRRJ iniciaram as suas atividades em 1965. Foram oferecidos três cursos em nível de Mestrado: Medicina Veterinária-Parasitologia Veterinária, Agronomia-Ciência do Solo e Química Orgânica – que se consolidaram ao longo dos anos, dando origem a Cursos de Doutorado nos anos de 1977, 1979 e 1993, respectivamente. De 1976 a 1988 foram implantados os cursos de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos, Patologia Veterinária, Microbiologia Veterinária, Desenvolvimento Agrícola e Fitotecnia. Em 1993, entrou em atividade o Curso de Mestrado em Ciências Ambientais e Florestais; em 1995, o curso de Mestrado em Fitotecnia criou a área de Agroecologia. Foram criados em 1994 e 1995 os cursos de mestrado e doutorado em Biologia Animal, doutorado em Ciências e Tecnologia de Alimentos, doutorado em Sanidade Animal e mestrado em Zootecnia.

Além dos cursos de Mestrado e Doutorado, a Universidade Rural vem oferecendo, nos últimos anos, vários cursos de especialização lato sensu em diversas áreas da Ciência. Em 1996, teve início um novo curso de especialização em Gestão e Estratégia no Agrobusiness. Outro curso de destaque é o curso de licenciatura em História da UFRRJ na unidade sede de Seropédica que iniciou-se em 2001 e oferecia uma entrada anual no período noturno. Foi reconhecido pelo MEC em 2004 e em 2009, foram criados o bacharelado e o turno vespertino com duas entradas. As habilitações em licenciatura e bacharelado são oferecidas tanto no horário vespertino como no noturno.

O curso de história na rural é considerado um dos cursos que acaba por ganhar cada vez mais destaque em função de contar com professores especializados como o Professor Dr. Luis Edmundo Morais Graduado em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992), mestre em Antropologia Social – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social – Museu Nacional – UFRJ (1996) e doutorado em História pela Universidade Técnica de Berlim (2002). Atualmente, é professor adjunto da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e coordenador do Núcleo de Estudos da Política da UFRRJ (NUEP-UFRRJ). Tem experiência na área de História, com ênfase em História Contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas: Nacional Socialismo, Holocausto e movimentos de extrema-direita no tempo presente, em particular aqueles ligados à negação do holocausto (negacionismo).

Áreas de Interesse: Movimentos Políticos no Mundo Contemporâneo (Século XX): Movimentos, Partidos e Regimes (Esquerda e Direita); Pensamento Conservador; Anti-Semitismo e Holocausto; Neo-Nazismo e Neo-Fascismo

Estrutura da UFRRJ[editar | editar código-fonte]

Institutos no Campus Seropédica[editar | editar código-fonte]

Jardim do Prédio Central
Pavilhão de Aulas Teóricas (PAT)

O campus Seropédica da Universidade Rural conta com 12 institutos, a saber:

1. Instituto de Agronomia (IA)

2. Insituto de Biologia (IB)

3. Instituto de Ciências Exatas (ICE)

4. Instituto de Ciências Humanas e Sociais (ICHS)

5. Instituto de Educação (IE)

6. Instuto de Florestas (IF)

7. Instituto de Tecnologia (IT)

8. Insituto de Veterinária (IV)

9. Instituto de Zootecnia (IZ)

10. Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA)

11. Instituto Multidisciplinar (IM)

12. Instituto Três Rios (ITR)

Instituto Multidisciplinar em Nova Iguaçu[editar | editar código-fonte]

O Instituto Multidisciplinar da UFRRJ é uma Unidade Acadêmica da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro situada no município de Nova Iguaçu. Em funcionamento desde o ano de 2006, o Instituto Multidisciplinar, funcionou provisoriamente no Colégio Monteiro Lobato e na Rua Capitão Chaves 60, mas desde Janeiro de 2010 está funcionando no campus definitivo - uma área de 44 mil metros quadrados localizada, na Avenida Governador Roberto Silveira, ao lado do antigo Aero Clube do município.

Atualmente, os cursos de graduação oferecidos no Instituto Multidisciplinar são:

Instituto Multidisciplinar - UFRRJ

Instituto Três Rios[editar | editar código-fonte]

Instituto Três Rios - UFRRJ
Instalações do campus fora de sede da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro na cidade de Três Rios, estado do Rio de Janeiro.

A história da Rural, em Três Rios, teve início em 1998. O instituto foi instalado provisoriamente no prédio do Colégio Entre Rios e, posteriormente, no prédio do Colégio Ruy Barbosa. Hoje o Instituto dispõe de uma Sede própria, localizada à Avenida Prefeito Alberto da Silva Lavinas, 1847 - Centro - Três Rios.

Atualmente, os cursos de graduação oferecidos no Instituto Três Rios são:

CPDA/UFRRJ[editar | editar código-fonte]

O CPDA/UFRRJ é um programa interdisciplinar de ensino, pesquisa, extensão e intercâmbio em Ciências Sociais aplicadas ao conhecimento do mundo rural e áreas afins. Encontra-se situado na Avenida Presidente Vargas 417, 6° a 9° andares, Centro - Rio de Janeiro - RJ. Criado como Mestrado em 1977, passou a oferecer Doutorado a partir de 1995. Atualmente também oferece estágios de Pós-doutorado.

Centro de excelência em estudos agrários e do sistema agroalimentar brasileiro, possui uma forte vocação latino-americana, o que resultou em sua escolha pela FAO, em 1987, para ser a sede regional do Mestrado em Planejamento e Políticas de Desenvolvimento Agrícola e Rural para América Latina e Caribe. Este programa, que formou quatro turmas de mestres entre 1990 e 1999, foi desenvolvido em colaboração com professores da Itália e de outros países da União Européia, através de programas de cooperação institucional. Nos últimos dez anos, a chegada de discentes da África visando formação nos níveis de Mestrado e Doutorado, tem ampliado a inserção internacional do Programa [5] .

Campus Dr. Leonel Miranda[editar | editar código-fonte]

O Campus Dr. Leonel Miranda foi criado em 1991, com a transferência da estação experimental do antigo PLANALSUCAR para a UFRRJ. Situado em Campos dos Goytacazes, responsabiliza-se pela continuidade da pesquisa no setor canavieiro e representa um importante centro de apoio ao ensino, à pesquisa e à extensão agropecuária nas regiões Norte e Noroeste Fluminense.

Colégio Técnico da UFRRJ[editar | editar código-fonte]

Colégio Técnico da Universidade Rural

O Colégio Técnico da UFRRJ (CTUR), é uma instituição de ensino da rede pública federal, subordinado à reitoria da UFRRJ e situado no campus de Seropédica. O CTUR é fruto da junção, em 1973, de duas instituições: o Colégio Técnico de Economia Doméstica (CTED) e o Colégio Técnico Agrícola Ildefonso Simões Lopes. No entanto, sua história começou com a implantação do Aprendizado Agrícola, em 1943.

A partir de 1988, o CTUR veio a ocupar um antigo prédio de pós-graduação da UFRRJ, localizado no campus, às margens da Rodovia BR 465, antiga Estrada Rio – São Paulo, estado do Rio de Janeiro, onde se encontra até os dias de hoje. Essas instalações foram aumentadas e outros prédios foram incorporados, de acordo com os interesses da comunidade, para serem utilizados em atividades próprias de ensino. A área total do colégio é, atualmente, de 60 hectares, onde se desenvolvem várias de suas atividades voltadas para os cursos que oferece. Hoje, o CTUR permanece vinculado à UFRRJ e pertence à Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica, instituída pela Lei 11.892, de 29 de dezembro de 2008[6] .

Cursos:

  • Técnico em Agroecologia;
  • Técnico em Hospedagem;
  • Técnico em Meio Ambiente;
  • Técnico em Agrimensura;
  • Ensino Médio.

Cursos de Graduação[editar | editar código-fonte]

Cursos de Graduação Presenciais[editar | editar código-fonte]

A universidade oferece no campi de Seropédica os seguintes cursos na modalidade presencial:

Ciências Agrárias


Ciências Biomédicas


Ciências Exatas


Ciências Humanas e Sociais


Cursos de Graduação à Distância[editar | editar código-fonte]

Os cursos a distância funcionam através do consórcio CEDERJ, firmado entre seis universidades parceiras, UENF, UERJ, UFF, UFRJ, UFRRJ e UNIRIO. A UFRRJ oferece os cursos de Bachalerado em Administração de Empresas e Licenciatura em Turismo.

Cursos de Pós-Graduação[editar | editar código-fonte]

Cursos stricto sensu e lato sensu[2]:

  • Agronomia (Ciência do Solo) M / D
  • Agroecologia e Agricultura Orgânica P
  • Biologia Animal M / D
  • Ciência e Tecnologia em Alimentos M / D
  • Ciência, Tecnologia e Inovação em Agropecuária D / B
  • Ciências Ambientais e Florestais M / D
  • Ciências Fisiológicas (Multicêntrico) M / D
  • Ciências Sociais em Desenvolvimento Agricultura e Sociedade M / D
  • Educação Agrícola M
  • Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares M
  • Fitotecnia M / D
  • Fitossanidade e Biotecnologia Aplicada M
  • Educação Agrícola e AmbientalM
  • Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares M
  • Engenharia Química M
  • Gestão e Estratégias em Negócios P
  • História M
  • Medicina Veterinária (Patologia e Ciências Clínicas) M
  • Química M / D
  • Ciências Veterinárias;
  • Zootecnia M / D

Nível: M - Mestrado Acadêmico, D - Doutorado, P - Mestrado Profissional, B Doutorado Binacional Brasil-Argentina.

Acesso Acadêmico[editar | editar código-fonte]

O aluno da universidade tem acesso a seus dados acadêmicos, assim como a opção de realização de sua pré-matrícula, através do sítio [3]. Os professores, chefes de departamento e técnicos também podem acessar o Portal Quiosque para divulgar notas, agendar provas e trabalhos, divulgar arquivos para turmas específicas, além de solicitar material para o departamento através do Quiosque Compras, e também para notificar a utilização e aparelhos e equipamentos através do Quiosque Patrimônio.

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Referências

  1. http://www.renex.org.br/proreitores.php
  2. http://www.celia.na-web.net/pasta1/trabalho6.htm
  3. http://ruf.folha.uol.com.br/2013/rankingdecursos/agronomia/avaliacao_de_ensino.shtml#
  4. Otranto, Célia Regina, A autonomia Universitária no Brasil: Dádiva legal ou construção coletiva? O caso da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica,EDUR,2009, 396 p.
  5. http://r1.ufrrj.br/cpda/
  6. http://www.ctur.ufrrj.br/NossaHistoria/Nossa-Historia.html

Ligações externas[editar | editar código-fonte]