Verizon Communications

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Verizon Communications Inc.[1] [2] [3]
Tipo Holding[1]
Indústria Telecomunicações[1]
Fundação 7 de outubro de 1983[4]
Incorporada em 30 de junho de 2000[3]
Sede Nova Iorque[1] [2] [3]
Presidente Presidente e CEO: Lowell C. McAdam[1] [5]
Produtos Internet de banda larga
Televisão por cabo
Serviços wireless
Lucro 11,5 bilhões de dólares (2013)[1]
Faturamento Green up.png 120,6 bilhões de dólares (2013)[1]
Renda líquida 9.54%[1]
Página oficial http://www.verizon.com

A Verizon Communications Inc. (NYSE: VZ) é uma holding estadunidense especializada em telecomunicações.[6] Tem mais de 100 milhões de clientes espalhados por todo o mundo e é parceira da Hyette Communications, uma empresa multinacional com origem nos EUA.[carece de fontes?] Atua há 13 anos no mercado nacional e internacional, atendendo a América do Norte, Central e do Sul.[carece de fontes?].

Em 2013 foi revelado que a Verizon é a empresa parceira chave da Agência de Segurança Nacional (NSA) nos programas de vigilância global.[7]

A Verizon é holding da empresa norte-americana que em 29 de julho de 1998,[8] [9] [10] no processo das privatizaçōes das telecomunicaçōes no Brasil, adquiriu a Embratel.[11] Parte dos serviços privatizados vieram a ser oferecidos pela Claro.

No Brasil, a matriz da holding está situada em São Paulo.[carece de fontes?] Há filiais em Campinas, Rio de Janeiro, Macaé, Belo Horizonte e Curitiba.[carece de fontes?]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Por intermédio de uma mal-conduzida tentativa de reduzir o tráfego de spam, em 22 de dezembro de 2004 a Verizon configurou seus servidores nos Estados Unidos para não mais aceitarem e-mails oriundos da Europa. Os domínios de origem dos e-mails só eram desbloqueados após o registro de uma queixa formal.[12]

Escândalo da colaboração com a NSA[editar | editar código-fonte]

Em 23 de outubro de 2013, seguindo as revelações da vigilância global pela NSA, feitas por Edward Snowden, a Verizon foi identificada como sendo uma empresa parceira chave da NSA nas operações de Coleta Upstream, sendo paga pela NSA [13] para coletar dados mundialmente através do Stormbrew que opera com o PRISM. [14]

Na América Latina, o Brasil foi o país mais monitorado pela NSA.[15] Embora não haja números exatos para o Brasil, em setembro de 2013 o jornal O Globo divulgou um infográfico, baseado em relatórios eletrônicos da NSA divulgados por Snowden, em cuja escala de cor o Brasil aparece logo atrás dos Estados Unidos, que tiveram 2,3 bilhões de mensagens e telefonemas espionados no período de 2001 a março de 2013.[15] O infográfico também revelou que pelo menos até 2008 o Brasil era um dos países sul-americanos monitorados pela NSA por intermédio do XKeyscore.

Em 18 de dezembro de 2013, a imprensa americana publicou o relatório do Grupo Presidencial para Revisão da Inteligência e Tecnologia de Comunicações, um grupo criado por Obama logo após as revelações dos programas para rever as atividades de vigilância do governo.[16] [17] O painel[18] concluiu que o programa de vigilância da NSA com a colaboração de empresas como a Verizon "não é essencial para a prevenção de ataques terroristas".[19] [20] O grupo também concluiu que as informações obtidas em casos envolvendo terrorismo poderiam facilmente ser obtidas, em tempo hábil, utilizando ordens judiciais convencionais.

Em 13 de maio de 2014, no livro "Sem lugar para se esconder",[21] o ex-advogado e jornalista estadunidense Glenn Greenwald revelou nomes de diversas empresas[22] chaves na parceria com a NSA no programa de vigilância e espionagem mundial.

Revelaçōes anteriores[editar | editar código-fonte]

Em 11 de maio de 2006, o jornal USA Today noticiou que a NSA havia secretamente coletado os registros de ligações telefônicas de dezenas de milhões de estadunidenses, para isto utilizando-se de dados fornecidos pela AT&T, Verizon[23] e BellSouth, e que esses dados estavam sendo usados para analisar padrões de chamadas em um esforço alegadamente para detectar atividades terroristas.[24]

Em 15 de outubro de 2007 a Verizon admitiu haver fornecido ao governo federal estadunidense dados de ligações telefônicas de seus clientes, entre os anos de 2005 e 2007. De todas as coletas de dados realizadas, noventa e quatro mil foram realizadas com autorização judicial, porém ao menos outras 720 foram realizadas sem qualquer autorização.[25]

Apesar do furor ocorrido em 2006 e 2007, o escândalo só veio a se concretizar em 6 de junho de 2013, quando as revelações feitas por Edward Snowden levaram o jornal britânico The Guardian a denunciar a colaboração da Verizon com o programa de vigilância da NSA.[26] Na mesma data, a revista estadunidense The New Yorker revelou também que a NSA vinha mantendo um banco de dados com os metadados de todas as ligações telefônicas estabelecidas pela Verizon dentro dos Estados Unidos (inclusive ligações locais para telefones fixos) e também de todas as comunicações entre os Estados Unidos e o exterior.[27] [28] Com o consentimento da empresa Verizon, juntamente com as empresas AT&T e BellSouth, o monitoramento teve início pouco após os ataques de 11 de setembro de 2001, portanto muito antes do ano de 2006, e esse monitoramento foi efetivamente responsável pela captura de dados de milhões de telefonemas diários.[24] [28] [29]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h Verizon Communications Inc. (em inglês) CNN Money. Página visitada em 4 de abril de 2014.
  2. a b Who We Are (em inglês) Verizon. Página visitada em 4 de abril de 2014.
  3. a b c Corporate History (PDF) (em inglês) (janeiro 2013). Página visitada em 4 de abril de 2014.
  4. Certificate of Amendment of Restated Certificate of Incorporation of Verizon Communications Inc. (PDF) (em inglês) (3 de fevereiro de 2014). Página visitada em 4 de abril de 2014.
  5. Meet the Board (em inglês) Verizon. Página visitada em 4 de abril de 2014.
  6. Verizon Communications Inc Perfil da Companhia - CNN Money [1]
  7. Verizon, AT&T:Revolta dos acionistas depois das revelações da participaçāo dos programas da NSA. (ShareholderS revolt over NSA spying program NSA criticism: investors want more information)Verizon, AT&T:Revolta dos acionistas depois das revelações da participaçāo dos programas da NSA
  8. [2]
  9. Saiba como foi a privatização da Telebrás em 1998 - 29/07/2008 - Mercado - Folha de S.Paulo[3]
  10. EMBRATEL-HistóricoWebCite query result
  11. Verizon adquire a (Verizon closes book on MCI merger-CNET News)[4]
  12. John Leyden (14 de janeiro de 2005). Verizon persists with European email blockade (em inglês) The Register. Página visitada em 4 de abril de 2014.
  13. NSA Paga companhias americanas para acesso às redes de comunicação ( NSA paying U.S. companies for access to communications networks - The Washington Post - 29 de agosto de 2013[5]
  14. Operaçōes da NSA (What’s the deal with NSA’s operation names?)[6]
  15. a b O Globo (5 de setembro de 2013). Mapa mostra volume de rastreamento do governo americano O Globo - Mundo. Página visitada em 4 de abril de 2014.
  16. Who’s on the panel reviewing the NSA’s actions? - The Washington Post
  17. White House Picks Panel to Review NSA Programs - ABC News
  18. Obama’s ‘outside experts’ for NSA review are former intel and White House staffers
  19. NSA review board's report - The Washington Post
  20. NSA shouldn’t keep phone database, review board recommends - The Washington Post
  21. Gilberto Scofieldg (11 de maio de 2014). Leia com exclusividade mais trechos do livro de Glenn Greenwald O Globo. Página visitada em 7 de junho de 2014.
  22. Direct NSA Partners: AT&T, Verizon, Microsoft, Cisco, IBM, Oracle, Intel, Qualcomm, Qwest & EDS Washington's Blog Direct NSA Partners: AT&T, Verizon, Microsoft, Cisco, IBM, Oracle, Intel, Qualcomm, Qwest & EDS - 14 de maio de 2014
  23. What’s the deal with NSA’s operation names?
  24. a b William Fisher (26 de maio de 2006). Public Hearings Sought in Phone Record Scandal (em inglês) Inter Press Service.. Página visitada em 4 de abril de 2014.
  25. Martin H. Bosworth (16 de outubro de 2007). Verizon Gave Customer Data To Government Without Court Orders (em inglês) Consumer Affairs. Página visitada em 4 de abril de 2014.
  26. Glenn Greenwald (6 de junho de 2013). NSA collecting phone records of millions of Verizon customers daily (em inglês) The Guardian. Página visitada em 4 de abril de 2014.
  27. Amy Davidson (6 de junho de 2013). The N.S.A.-Verizon Scandal (em inglês) The New Yorker. Página visitada em 4 de abril de 2014.
  28. a b EUA coletam secretamente registros telefônicos da Verizon The New York Times. Último Segundo (6 de junho de 2013). Página visitada em 4 de abril de 2014.
  29. Melissa McNamara (12 de maio de 2006). Verizon Sued For Giving Records To NSA (em inglês) CBS News. Página visitada em 4 de abril de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre espionagem é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.