Apelo à emoção

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Apelo à emoção ou argumentum ad passiones é a falácia lógica que ocorre quando se usa a manipulação dos sentimentos do receptor como forma de convencê-lo da validade de um argumento. É um tipo de apelo à crítica, que se usa de argumentos que não abordam a questão sendo discutida.

Uso do apelo à emoção[editar | editar código-fonte]

Apelar para a emoção pode incluir, além da própria falácia de apelo à emoção, outras, entre elas:

O apelo à emoção pode ser feito de modos muito distintos, provocando a seu receptor uma sensação boa, como de alegria e excitação, ou ruim, como medo e culpa. No apelo à emoção, desconsidera-se a validade dos argumentos, levando em conta apenas os que lhe parecem agradáveis, sendo considerada um modo irracional de se jugar algo. Essa falácia é comumente usada em propagandas, com o apelo à emoção visual, como fotos de lugares bonitos, pessoas felizes ou outra que cause uma sensação positiva às pessoas.

Estrutura lógica[editar | editar código-fonte]

O apelo à emoção pode ter mais de uma estrutura para acontecer. Contudo, pode-se dizer, que esta falácia apresenta argumentos de forma a evocar alguma emoção no receptor que dificulte ou confunda o seu julgamento.

Evoca-se primeiro um sentimento no leitor, através de uma premissa X.
Usa-se um argumento qualquer Y como consequência lógica de X, mas X é consequência de Y, ou não está logicamente relacionado com Y.

Exemplos[editar | editar código-fonte]

  • Vários homem bomba bomba bomba bomba bomba
  • Uma porção considerável de humanos machos negros, parentes entre si próprios por parte dos progenitores dos referendos, dado em si o título popular/vulgar conhecido como "manos" , estão em aparente semelhança a certos dispositivos bélicos, geralmente algum tipo de invólucro com material explosivo em seu interior, projetado para causar destruição quando ativado, vulgarmente conhecido como "bomba" e outra porção considerável de humanos fêmeas com grande relação afetiva de modo parental em gíria popular conhecidas como "minas", estão em aparente semelhança a outro tipo de  artefato bélico que contém explosivo ou agente químico (incendiário, fumígeno ou lacrimogêneo) e que se lança com a mão ou por meio de arma de fogo, vulgo "granada".

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia
Ícone de esboço Este artigo sobre Lógica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.