Argumentum ad populum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Argumentum ad populum (apelo à multidão) é uma expressão latina que define um raciocínio falacioso que consiste em dizer que determinada proposição é válida ou boa simplesmente porque muitas pessoas (ou a maioria delas) a aprovam.[1] Também chamado de apelo à quantidade,[2] o argumento é inválido pois nada garante que algo seja verdadeiro ou correto apenas pela sua popularidade.

Estrutura lógica[editar | editar código-fonte]

  • Muitas pessoas (ou a maioria das pessoas) acreditam que a proposição A é verdadeira.
  • Logo, a proposição A é verdadeira.

ou

  • Muitas pessoas (ou a maioria das pessoas) acreditam que a proposição A é falsa.
  • Logo, a proposição A é falsa.

Exemplos[editar | editar código-fonte]

  • "A maioria das pessoas acredita em alienígenas, portanto eles existem."
  • "A maioria das pessoas acredita em Deus, portanto ele deve existir."
  • "A maioria dos acadêmicos sérios não acredita em Deus, portanto ele não deve existir."
  • "O sertanejo universitário tem milhões de fãs no Brasil, logo sua música é de qualidade"
  • "O artista\músico x vendeu diversos discos, logo sua música é objetivamente boa"
  • "A religião mais populosa do mundo é o Islamismo, portanto deve ser a verdadeira."
  • O apelo ao jargão "A voz do povo é a voz de Deus" também consiste na aplicação desta falácia.
  • "Se algo é popular, significa que este algo é objetivamente bom."
  • "Muitas pessoas leem Marvel, portanto ela é melhor que a DC."

Referências

  1. «Fallacy: Appeal to Popularity». Holocaust Educational Resource. Consultado em 27 de agosto de 2011. 
  2. Leônidas Hegenberg; Flávio E. Novaes Hegenberg (2009). Argumentar. Editora E-papers. p. 376. ISBN 978-85-7650-224-1.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia
Ícone de esboço Este artigo sobre Lógica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.