Terminal Intermodal Vila Sônia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Estação Vila Sônia)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre uma construção atualmente em andamento. A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (editado pela última vez em 5 de agosto de 2019) Applications-development current.svg

O Terminal Intermodal Vila Sônia é um dos terminais de transporte que atendem a cidade de São Paulo, integrando num mesmo lugar a Linha 4 do Metrô (incluindo suas oficinas), ônibus municipais e intermunicipais e o Corredor Campo Limpo da SPTrans, sendo localizado no distrito de Vila Sônia.

Estação do Metrô

ViaQuatro Logo Mono.png Vila Sônia
Uso atual Estação de Metrô Estação de metrô
Proprietário Bandeira do estado de São Paulo.svg Governo do Estado de São Paulo
Concessionária Grupo CCR - Logo.svg Grupo CCR S.A.
Administração ViaQuatro logo.png ViaQuatro
Linha 4yellow.png Amarela
Sigla VSO
Serviços Terminal rodoviário Escada rolante Elevador Acesso à deficiente físico
Informações históricas
Inauguração 2020 (previsão)
Projeto arquitetônico Escritório Fernandes Arquitetos Associados (Daniel Hopf Fernandes, Luis Henrique de Lima e Rodrigo Araújo Dos Santos)[1]
Localização
Localização Gnome-globe.png Vila Sônia
Endereço Avenida Professor Francisco Morato × Rua Heitor dos Prazeres, s/nº
Vila Sônia
Próxima estação
Sentido Luz 4yellow.png Sentido Vila Sônia
São Paulo–Morumbi -
Vila Sônia

Em 1995, o Metrô de São Paulo contratou a empresa Figueiredo Ferraz Consultoria e Engenharia de Projeto S.A. para realizar um novo projeto funcional da Linha 4–Amarela (dado que o anterior era de 1980). Ao contrário do anterior, que previra um pátio no distrito Ferreira, o projeto apresentado em 1997 pela Figueiredo Ferraz sugeriu a construção do pátio e das oficinas numa grande área localizada no quadrilátero das avenidas Professor Francisco Morato, Imigrante Japonês, Eliseu de Almeida e Rua Heitor dos Prazeres, no distrito de Vila Sônia.[2][3]

A Linha 4–Amarela foi preparada para ser licitada em 1999, porém a crise dos Tigres Asiáticos causou uma fuga de crédito nos bancos de fomento que financiariam a obra, e o projeto ficou paralisado até o início dos anos 2000. Ao ser retomado, em 2003, passou por várias modificações, como o corte de estações, porém o Pátio Vila Sônia continuou como projetado originalmente.[4][5]

O cancelamento, por pressão de moradores locais, da Estação Três Poderes fez com que o Metrô sugerisse uma futura expansão da Linha 4 para Taboão da Serra e incluísse pela primeira vez a Estação Vila Sônia, localizada ao lado do pátio já projetado. As obras da Linha 4 foram iniciadas em março de 2004, porém concebidas em três fases. Na fase I, apenas parte do Pátio Vila Sônia teve suas obras iniciadas e concluídas em 2010. Na fase II, o restante do pátio e a Estação Vila Sônia tiveram suas obras iniciadas. A futura fase III prevê um atendimento ao município de Taboão da Serra (seja por ônibus ou pela ampliação do metrô).[6][7]

Atualmente as obras da fase II, iniciadas em 2012 após diversos atrasos, encontram-se em andamento e têm previsão de conclusão para meados de 2020.[8]

Características

Estação enterrada com plataformas laterais, com estruturas em concreto aparente e passarela de distribuição em estrutura metálica, fixada com tirantes sobre a plataforma. Possui acesso para pessoas portadoras de deficiência.

Sigla Estação Inauguração Capacidade Integração Plataformas Posição Notas
VSO Vila Sônia Previsão para o 1° Semestre de 2020 Não confirmada Bilhete Único da SPTrans e terminal urbano Laterais Subterrânea Estação com estrutura de concreto aparente.
Precedido por
São Paulo–Morumbi
1 413 metros
Linha 4–Amarela do Metrô/ViaQuatro
Vila Sônia
Sucedido por
-

Pátio e Centro de Controle Vila Sônia

Projetado em 1997 pelo arquiteto João Toscano, em parceria com osarquitetos Massayoshi Kamimura, Monique Alonso Gonzalez e Odiléa Helena Setti Toscano, as obras do Pátio Vila Sônia foram iniciadas em março de 2004 e realizadas em duas fases. A fase I foi aberta em 2010, e a fase II está prevista para ser concluída em meados de 2020.[9]

O Pátio Vila Sônia é composto pelas seguintes instalações:[10]

Bloco Tipo Fase de projeto (I-2010 e II-2020)
A Oficinas I e II
B Administrativo II
C Portarias de acesso (C1, C2,C3 e C4) I e II
D D1 (subestação retificadora), D2 (subestação e CCO) e D3 (posto de abastecimento) I e II
E Torno rodeiro CNC I
F Almoxarifado II
G Veículos auxiliares/estação de solda I
H Caixas d'água I
I Depósito de inflamáveis I
J Posto de abastecimento I
K Caixas d'água de lavagem de trens I
L Depósito de lixo I e II
M Vestiários e ambulatório I

Terminal de ônibus

EMTU - Symbol logo.png SPTrans-logo-white.png Terminal Vila Sônia
Uso atual Terminal rodoviário Terminal de ônibus urbanos
Administração EMTU - Symbol logo.png EMTU
SPTrans-logo-white.png SPTrans
ViaQuatro logo.png ViaQuatro
Serviços 4yellow.png Amarela
SPTrans-logo-white.png Corredor Campo Limpo-Rebouças-Centro
Informações históricas
Inauguração 2020 (previsão)
Localização
Localização Avenida Professor Francisco Morato × Rua Heitor dos Prazeres, s/nº
Vila Sônia São Paulo

Rodoviário (cancelado)

Em 1978, o Governo do Estado de São Paulo lançou o Plano Integrado de Terminais Rodoviários de Passageiros (PITERP). O PITERP previu a construção de cinco terminais de ônibus: Tietê, Barra Funda, Jabaquara, Zona Leste (Penha ou Itaquera) e Vila Sônia. Apenas os três primeiros foram construídos, e o projeto acabou engavetado nos anos 1990. Em 2010, a Prefeitura de São Paulo retomou o projeto dos terminais restantes (Itaquera e Vila Sônia). O Terminal Vila Sônia foi projetado para a área (passível de desapropriação) formada pelo quadrilátero formado pelas avenidas Professor Francisco Morato e Eliseu de Almeida e pelas ruas Heitor dos Prazeres e José Valter Seng.[11][12]

O projeto provocou protestos dos moradores, que temiam as desapropriações e que o terminal trouxesse gente "diferenciada" para a região. Após muita polêmica e ações judiciais, a Prefeitura desistiu da construção do terminal em 2013.[13][14][15]

Urbano Intermunicipal

A primeira menção à implantação de um terminal na divisa com Taboão da Serra data de 1978, dentro do plano de corredores de trólebus SISTRAN, da Prefeitura de São Paulo. Em 1985, a CMTC lançou o Plano Municipal de Transporte e Tráfego, prevendo um terminal na região. Em 1993, surgiu a primeira iniciativa similar da EMTU para a região.[16]

Apenas em 2003 surgiu o primeiro projeto detalhado do Terminal Vila Sônia. Projetado pela SPTrans (dentro do projeto São Paulo Interligado), o terminal em superfície ocuparia o quadrilátero formado pela Avenida Professor Francisco Morato e pelas ruas Taborda, André Saraiva e Joaquim Galvão. O surgimento do projeto do Metrô, a falta de recursos e a mudança de gestão municipal fizeram com que o projeto fosse encampado pelo Metrô, dentro do projeto da Linha 4.[17] [18]

Para evitar desapropriações, o novo projeto do terminal foi proposto para ser construído sobre parte das vias de estacionamento do Pátio Vila Sônia, facilitando sua integração aos corredores viários das avenidas Eliseu de Almeida e Francisco Morato. Suas obras foram iniciadas em 2012 e paralisadas em 2014. Atualmente encontra-se em obras, previstas para ser concluídas em meados de 2020, e abrigará linhas municipais (SPTrans) e intermunicipais (EMTU).[19]

Segundo o contrato de concessão da Linha 4–Amarela, o terminal deverá ser o novo ponto final das linhas intermunicipais da EMTU oriundas das cidades de Embu das Artes e Taboão da Serra.[20]

Referências

  1. «Estação Vila Sônia». Fernandes Arquitetos Associados. 2012. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  2. Raphael Concli. «As idas e vindas do transporte público na Cidade Universitária:As tramas de uma linha». Jornal da USP. Consultado em 1 de março de 2019 
  3. COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO (1997). Metrô de São Paulo:Linha 4- Amarela, Morumbi-Luz:Projeto funcional. [S.l.]: Metrô-SP. 82 páginas 
  4. slideplayer.com.br/slide/10159583/|A Implementação da Linha 4 A Parceria Público Privada na Linha 4 - Amarela do Sistema Metroviário de São Paulo.|BID|2009
  5. Daniela Costanzo de Assis Pereira (novembro de 2017). «Ajuste urbano integrado: o caso da Linha 4 – Amarela do Metrô de São Paulo». 1o Simpósio Direitas Brasileiras-Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Consultado em 1 de março de 2019 
  6. Alencar Izidoro (29 de outubro de 2005). «Alckmin "apaga" metrô rejeitado por vizinho». Folha Online. Consultado em 1 de março de 2019 
  7. André Monteiro e Fabrício Lobel (31 de julho de 2015). «Veja a saga da construção da linha 4-amarela do Metrô de São Paulo». Folha Online. Consultado em 1 de março de 2019 
  8. «Metrô de SP promete entrega de novas estações da Linha 5-Lilás para julho». G1 SP. 4 de junho de 2018. Consultado em 1 de março de 2019 
  9. TOSCANO, João Walter; KAMIMURA, Massayoshi; GONZALEZ, Monique Alonso; TOSCANO, Odiléa Helena Setti (2011). Pátio Vila Sônia do metrô, linha 4-amarela; projeto de arquitetura. [S.l.]: Arquitetura e Urbanismo, São Paulo, v. 26, n. 204. p. 36-41 
  10. slideshare.net/pelacidadeviva/operao-urbana-vila-snia-sempla-2007|Operação Urbana Vila Sônia|Secretária Municipal de Planejamento (SEMPLA)|Prefeitura de São Paulo|2007|Slide 26
  11. Stanislav Feriancic, José Henrique G. Verroni, Gabriel Feriancic (16 de outubro de 2003). «Planejamento Sistêmico de Terminais Rodoviários nas regiões Metropolitanas» (PDF). ETTL Engenharia de Transporte. Tráfego e Logística/recuperado pelo Internet Archive. Consultado em 1 de março de 2019 
  12. «Terminal na região é planejado desde 1978». Folha Online. 6 de março de 2011. Consultado em 1 de março de 2019 
  13. Caio Lobo (30 de novembro de 2012). «Moradores da Vila Sônia protestam contra projeto de rodoviária na região». Via Trólebus. Consultado em 1 de março de 2019 
  14. «Justiça barra obra de Rodoviária da Vila Sônia». O Estado de S.Paulo. 1 de fevereiro de 2013. Consultado em 1 de março de 2019 
  15. André Monteiro e Evsandro Spinelli (2 de março de 2013). «Prefeitura de São Paulo desiste de construir novas rodoviárias». BOL. Consultado em 1 de março de 2019 
  16. pt.slideshare.net/TcitoPioDaSilveira/planos-de-transporte-18-antp-final
  17. pt.slideshare.net/TcitoPioDaSilveira/planos-de-transporte-18-antp-final
  18. SOUZA, Ana Odilia de Paiva (2004). São Paulo interligado:o plano de transporte público urbano em implantação na gestão 2001-2004. [S.l.]: Prefeitura de São Paulo. 324 páginas 
  19. Renato Lobo (12 de agosto de 2011). «Vila Sônia deve ganhar Terminal Metropolitano». Via Trólebus. Consultado em 1 de março de 2019 
  20. Governo do estado de São Paulo (18 de maio de 2006). «QUINTA PARTE – ANEXOS». Plataforma Digital de Parcerias. Consultado em 1 de março de 2019 

Ligações externas