Largo do Carmo (Campinas)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Praça Bento Quirino)
Ir para: navegação, pesquisa
Largo do Carmo (Campinas)
Largo do Carmo na primeira década do século XX
Localização Sudeste
País  Brasil
Estado  São Paulo
Município Campinas
Tipo Público
Área 4 812 m²
Administração Prefeitura Municipal de Campinas
Coordenadas 22° 54' 09" S 47° 03' 35" O
Largo do Carmo (Campinas) está localizado em: Brasil
Largo do Carmo (Campinas)
Localização no Brasil

O Largo do Carmo é considerado o marco zero[1] da fundação da cidade de Campinas, São Paulo. Em seu entorno estão a Igreja do Carmo, o Colégio Bento Quirino, o Jockey Club Campineiro e o Monumento-túmulo do compositor e maestro campineiro Carlos Gomes.

História[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 1773 foi feita a demarcação do local para a construção da igreja que seria a Matriz da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição. A partir desta demarcação se traçaram as primeiras ruas do núcleo central do que viria a ser a cidade de Campinas.[2]

Neste local se construíram a capela provisória e a primeira Matriz, chamada posteriormente de Matriz Velha quando da construção da Matriz Nova e a divisão em 1870 do núcleo urbano de Campinas em duas paróquias. Naquele mesmo ano o Largo do Carmo foi objeto de um projeto de embelezamento.[1] No Largo do Carmo ficavam também o antigo Paço Municipal, compreendendo o prédio da Câmara Municipal, a cadeia pública e o Fórum.[2]

Localização[editar | editar código-fonte]

O Largo é demarcado pelas ruas Barão de Jaguara (antiga Rua de Cima), Barreto Leme (antiga Rua da Matriz Velha), Sacramento (antiga Rua do Meio) e Thomás Alves; é dividido ao meio pela rua Benjamin Constant, e as duas praças resultantes denominam-se Praça Bento Quirino (defronte à igreja) e Praça Antônio Pompeu, em cuja lateral encontra-se o prédio do Jockey Club.

Monumento-túmulo a Carlos Gomes[editar | editar código-fonte]

Monumento-túmulo a Carlos Gomes, no lado oposto ao da igreja do Carmo

Carlos Gomes morreu no dia 16 de setembro de 1896 em Belém do Pará, sendo que seu enterro foi realizado no dia 24 de outubro de 1896 no mausoléu da família Ferreira Penteado na sua terra natal, a cidade de Campinas.

Foi Alberto Santos Dumont quem colocou a pedra fundamental do monumento-túmulo em homenagem ao maestro e compositor no dia 18 de setembro de 1903, quando veio à cidade a convite de César Bierrenbach. O monumento-túmulo foi encomendado ao escultor Rodolfo Bernardelli, responsável pela criação da obra.[3]

Em 02 de julho de 1905, quase 10 anos após sua morte, foi inaugurado o monumento-túmulo ao grande artista, tornando-se um dos pontos turísticos da cidade.[4]

O monumento-túmulo é feito de granito ostentando em corpo inteiro a estátua em bronze do maestro, que se apresenta em atitude de regente de orquestra. Na base, uma figura de mulher, também em bronze, representa a cidade de Campinas. A cantora lírica Maria Monteiro foi a modelo utilizada para a representação da mulher. Está localizado na praça Antônio Pompeu, no Largo do Carmo.[5]

O monumento-túmulo foi alvo de diversos atos de vandalismo. Porém foi feita uma grande reforma, entregue em 16 de setembro de 2012 pela então secretária de cultura Renata Sunega, que anunciou que havia sido instalado no local um sistema de iluminação especial e câmera de vigilância na praça.[6]

Galeria de Fotos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b LARGO DO CARMO, MARCO ZERO DE CAMPINAS
  2. a b Campinas Virtual: Basílica Nossa Senhora do Carmo
  3. Centro de Ciências Letras e Artes (29 de novembro de 2016). «Museu Carlos Gomes». Centro de Ciências Letras e Artes. Consultado em 29 de novembro de 2016 
  4. J. M. Fantinatti (29 de setembro de 2006). «Personagem:Antônio Carlos Gomes - O maior músico campineiro». Pró-Memória de Campinas-SP. Consultado em 29 de novembro de 2016 
  5. Prefeitura Municipal de Campinas (29 de novembro de 2016). «Atrações Culturais». Prefeitura Municipal de Campinas. Consultado em 29 de novembro de 2016 
  6. Correio Popular (13 de abril de 2013). «Túmulo de Carlos Gomes é pichado por facção criminosa». Correio Popular. Consultado em 29 de novembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]