Smart Fit

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Smart Fit
Razão social Smartfit Escola de Ginástica e Dança SA
Subsidiária
Atividade Fitness
Bem-estar
Franquias
Fundação 2009 (13 anos) em São Paulo, São Paulo,  Brasil
Fundador(es) Edgard Corona
Sede São Paulo, São Paulo,
 Brasil
Área(s) servida(s) América
Proprietário(s) Grupo Smart Fit
Produtos Academias
Website oficial www.smartfit.com.br
Smart Fit Shopping Metrô Itaquera, São Paulo

A Smart Fit é a maior rede de academias esportivas fora dos Estados Unidos[1], líder no segmento na América Latina[1]. Tem mais de 1000 unidades[2] no Brasil e em outros 13 países da região[3], além de mais de 3 milhões[4] de clientes matriculados. Criada em 2009, com sede em São Paulo, é a rede low cost, high value do Grupo Smart Fit, que também possui a rede de academias Bio Ritmo.[5]

De acordo com relatório da International Health, Racquet & Sportsclub Association (IHRSA), a Smart Fit é a 3ª rede que mais cresceu em unidades em 2019[6].

História[editar | editar código-fonte]

Em 2008, após um evento de empresários do setor fitness nos Estados Unidos, o empresário Edgard Corona observou o mercado norte-americano de academias e identificou diferenças junto ao mercado de academias do Brasil. De acordo com Corona: "O mercado norte-americano já contava com academias com mensalidades na faixa dos US$ 20, enquanto no Brasil só existiam duas opções: as mais caras ou as mais baratas, mas que tinham estrutura deficiente".[7]

A descoberta motivou a abertura de uma nova rede de academias low cost no ano seguinte. As primeiras unidades da Smart Fit foram abertas nas cidades de São Paulo, Porto Alegre, Brasília e Rio de Janeiro.[8] O conceito inicial criado da rede é baseado em valores de mensalidades acessíveis e áreas maiores de 2000 m².[9] Além disso, a rede prioriza equipamentos tecnológicos e com alta qualidade, com parcerias com marcas como a Technogym e a Movement. Ao fim de 2018, a rede contava com 378 unidades e um aplicativo que monta treinos automaticamente com base nos objetivos e no condicionamento físico de cada aluno.[10]

A expansão da rede nos anos seguintes se deu por meio de franquias e parcerias em novos mercados, além de ter se acelerado após o aporte de R$ 520 milhões pela gestora de fundos Pátria Investimentos e do Fundo Soberano de Singapura no Grupo Bio Ritmo.[11][12]

Em 2020 a rede comunicou que fechou contrato para a compra do controle da MB Negócios Digitais, responsável pelo programa de treino online Queima Diária, uma das maiores plataforma de fitness digital do Brasil. O valor do negócio não foi informado.[13]

Em 2021, em decisão inédita no mercado fitness brasileiro, a empresa abriu capital para o mercado de investimentos na Bolsa de Valores do Brasil.[14] A ação fechou o primeiro dia com expectativa acima do mercado.[15] Os recursos captados pela Oferta Primária do Grupo Smart Fit estão tendo como destino a continuidade do plano de crescimento, possíveis aquisições estratégicas e investimentos em iniciativas para o desenvolvimento e fortalecimento da companhia de forma escalável.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «SmartFit - SMFT3». Investidor Sardinha. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  2. «Smart Fit lança campanha internacional para comemorar inauguração da unidade número 1000». Portal Nosso Meio. 19 de novembro de 2021. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  3. «Honduras, chegamos! Smart Fit abre primeira unidade no país». Smart Fit News. 22 de setembro de 2021. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  4. «SmartFit chega a 3 milhões de alunos nos países onde opera». Valor Econômico. Consultado em 27 de janeiro de 2022 
  5. HSM Management (2 de dezembro de 2016). «CEO da Bio Ritmo e da Smart Fit compartilha sua receita de sucesso». Revista HSM. Consultado em 4 de março de 2017 
  6. «Smart Fit abrirá uma academia a cada 36 horas na América Latina em 2020». Exame. 6 de fevereiro de 2020. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  7. Mariana Agunzi (22 de maio de 2016). «Das ruas para a rede Globo, Smart Fit cresce e conquista paulistanos». Folha de S.Paulo. Consultado em 4 de fevereiro de 2017 
  8. Guia da Semana (10 de abril de 2012). «Malhação sem peso no bolso». Guia da Semana. Consultado em 4 de março de 2017 
  9. Marcelo Onaga (1 de setembro de 2009). «Malhação para todos». Exame. Consultado em 4 de março de 2017 
  10. «Para malhar: Smart Fit lança app que monta treino e dá dicas de exercícios». TecMundo - Descubra e aprenda tudo sobre tecnologia. 15 de março de 2018. Consultado em 5 de dezembro de 2018 
  11. Ana Carolina Soares (28 de outubro de 2016). «Como Edgard Corona criou a maior rede de academias da América Latina». Veja. Consultado em 3 de março de 2017 
  12. Exame (21 de março de 2013). «Bio Ritmo se expande na América Latina». Exame.com. Consultado em 4 de março de 2017 
  13. «Smartfit compra controle de empresa de fitness digital MB». G1. Consultado em 10 de julho de 2020 
  14. «Smart Fit arrecada R$ 2,3 bilhões em IPO; início da negociação será na quarta-feira». InfoMoney. 13 de julho de 2021. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  15. «Em estreia na B3, ação da Smart Fit dispara 34%». CNN Brasil. Consultado em 8 de fevereiro de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]