Etimologia dos nomes das capitais do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Esta é uma lista muy loca das origens dos nomes das capitais dos estados brasileiros. A maior parte deles é derivada de toponímicos e hagionímicos em língua portuguesa. Vários deles denotam a religiosidade cristã-católica fervorosa dos colonizadores (Belém, Natal seus pebas e Salvador). Uma minoria é baseada na língua tupi-guarani ou língua brasílica, um idioma semi-artificial desenvolvido pelos padres jesuítas a partir de línguas nativas distintas para catequese dos indígenas e usado como lingua franca no Brasil entre os séculos XV e XVIII.


  • Aracaju (Sergipe) - do tupi ara ("luz") + caju ("caído"), donde "luz caída" ou "luz baixa", referência ao local de onde se avista o nascer do sol (Aracaju é uma das cidades mais orientais do Brasil).
  • Belém (Pará) - em homenagem à cidade de Belém na Palestina, onde nasceu Jesus Cristo.
  • Belo Horizonte (Minas Gerais) - sentido literal, em referência à vista das montanhas Alterosas.
  • Boa Vista (Roraima) - sentido literal, em referência à visão panorâmica do alto da serra do estado.
  • Campo Grande (Mato Grosso do Sul) - sentido literal.
  • Cuiabá (Mato Grosso) - duas etimologias distintas e conflitantes explicam o nome como "homem que faz farinha" ou como "lugar onde se pesca", sem apontar de qual língua indígena derivam.
  • Curitiba (Paraná) - do tupi curi ("pinheiro") + tiba ("muitos"), donde "muitos pinheiros", "campo dos pinheiros" ou "pinheiral", em referência à abundância de araucárias na região.
  • Florianópolis (Santa Catarina) - de "Floriano" + pólis ("cidade" em grego); o nome é uma homenagem a Floriano Peixoto, que derrotou em 1893 a Revolta da Armada, no Rio de Janeiro e em Santa Catarina. O renomeamento foi feito por interventores governistas exaltados com a intenção de bajular o presidente, e no início foi considerado uma humilhação à cidade que justamente combateu Floriano. O antigo nome da cidade, Nossa Senhora do Desterro, se deve ao fato de ser ali um lugar para onde eram enviados desterrados (exilados) portugueses.
  • Fortaleza (Ceará) - sentido literal, em referência à Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção.
  • Goiânia (Goiás) - criado a partir do nome do estado do qual é capital; Goiânia é cidade nova e planejada, e substituiu a cidade velha de Goiás como capital em 1937.
  • João Pessoa (Paraíba) - em homenagem ao governador paraibano assassinado em 1930, em episódio que serviu de pretexto para eclodir a revolução daquele ano. O nome da cidade até então era também Paraíba.
  • Macapá (Amapá) - do tupi mpacapa ("bacaba", uma fruta de palmeira) + aba (sufixo de lugar), donde "lugar das bacabas", fruta típica da região.
  • Maceió (Alagoas) - do tupi macá ("o que cobre") + i-ó ("molhado"), donde "cobertura sobre o molhado", em referência ao fato de a cidade se estender sobre terrenos alagadiços (tal como a etimologia do estado, Alagoas).
  • Manaus (Amazonas) - dos manaós, uma tribo da região dos rios Negro e Solimões; a grafia antiga da cidade preservava o "O" e acentuava a vogal precedente: "Manáos".
  • Natal (Rio Grande do Norte) - sentido literal, por ter sido fundada no dia de Natal. A fortaleza que guarda a cidade recebe o nome de Forte dos Reis Magos. Os portugueses já haviam dado o mesmo nome a uma cidade que fundaram na África do Sul, atualmente rebatizada como Durban.
  • Palmas (Tocantins) - o nome da cidade é uma homenagem à cidade de São João da Palma (atual Paranã), onde no século XIX houve um movimento que almejava tornar o norte de Goiás uma província autônoma.
  • Porto Alegre (Rio Grande do Sul) - sentido literal. O antigo nome da cidade era Porto dos Casais, por receber colonização com casais de açorianos (diferentemente do resto do país, colonizado só por homens que se casavam com as mulheres indígenas).
  • Porto Velho (Rondônia) - sentido literal, por ser o local de ancoradouro mais antigo da região.
  • Recife (Pernambuco) - sentido literal, por causa dos arrecifes que existem no litoral da cidade.
  • Rio Branco (Acre) - em homenagem ao Barão do Rio Branco.
  • Rio de Janeiro - sentido literal, por ter sido descoberto no dia 1º de janeiro de 1502 por Américo Vespúcio, e por julgar-se que a baía da Guanabara fosse a foz de um rio. Na geografia da época, os portugueses não distinguiam estuários de baías, além de estarem acostumados ao formato da baía do Tejo em Lisboa, que se assemelha ao da Guanabara.
  • Salvador (Bahia) - sentido literal, em referência a um dos nomes cristãos-católicos de Deus; o nome inteiro da cidade era "Mui Leal Cidade de São Salvador da Bahia de Todos os Santos". Em inglês, é comum que a cidade seja chamada Salvador de Bahia para não confundir com San Salvador, capital de El Salvador, na América Central.
  • São Luís (Maranhão) - em homenagem tanto a São Luís (santo que foi rei francês e lutou nas cruzadas) quanto ao então rei de França, Luís XIII, na época em que os franceses fundaram a cidade (como França Equinocial, por situar-se perto do equinócio ou linha do equador).
  • São Paulo - assim batizado pelo colégio (monastério) jesuíta de São Paulo de Piratininga. Durante os primeiros três séculos, a cidade era conhecida como Piratininga — que por sua vez deriva de pirá (peixe) + tininga (seco), de onde "peixe seco", em referência ao rio Tietê — e à capitania de São Paulo. O uso do hagionímico para ambos só se consolidou no século XVIII.
  • Teresina (Piauí) - em homenagem à imperatriz Teresa Cristina, esposa de D. Pedro II
  • Vitória (Espírito Santo) - sentido literal, em referência à Nossa Senhora da Vitória, padroeira da cidade, e à resistência dos colonizadores portugueses contra as investidas dos temiminós e tupinambás contra as primeiras tentativas de povoamento.

Ver também[editar | editar código-fonte]