Nômades do Ar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde maio de 2012).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
O Símbolo do ar apresenta três redemoinhos, tal como furacões ou ciclones.

Os Nômades do Ar constituíam uma das quatro Nações fictícias do desenho animado Avatar: A Lenda de Aang E The Legend Of Korra.[1] uma série de televisão animada americana co-criada e produzida por Michael Dante DiMartino e Bryan Konietzko na Nickelodeon Animation Studios,[2] em Burbank, Califórnia. Essa civilização foi vítima de um genocídio causado pela guerra imperialista iniciada pela Nação do Fogo[3] em um período anterior ao início da série Mais já se recuperaram com a criação da nova nação nômade do ar criada pela avatar korra na convergência harmonica eles vivem no templo do ar da cidade republica mais passam a maioria do tempo viajando salvando pessoas enquanto a avatar korra se recupera.

Informações gerais[editar | editar código-fonte]

O ideograma chinês ar ("Chi" ou "Qi") representa esta tribo na introdução do desenho animado, também pode significar espírito. Junto ao ideograma ar é apresentado o ideograma (Pinyin: ), que significa paz ou harmonia.

São uma civilização pacífica de monges e monjas nômades. Seu objetivo é conseguir se livrar totalmente dos bens mundanos e alcançar um patamar espiritual mais avançado, e sempre evitar conflitos, por mais difícil que seja. Para eles, toda a vida, não importa qual ela seja, é sagrada.

Seu território possui cadeias montanhosas, onde se encontram seus templos, sendo que três dessas cadeias estão em ilhas: ao norte do Pólo Sul, ao sul do Reino da Terra e a noroeste da Nação do Fogo, e a outra está ao extremo norte do Reino da Terra. Eles não dispõem de um líder nem de um exército. No máximo, há monges mais velhos que impunham um maior respeito devido a sua idade avançada e seus vastos conhecimentos. Depois do ataque da Nação do Fogo, os Nômades do Ar foram extintos sobrando apenas Aang, pois todos os outros foram mortos.

As cores amarela e laranja predominavam nas roupas dos Nômades do Ar, que eram uma espécie de túnica comprido. Eles também levam setas azuis,Mais Seus Novos Trajes São embutidos como se fossem um planador que fassem eles voarem.

na cabeça, nas costas, nos braços e nas pernas, quando dominam a Dobra de Ar. Quando cansados de vagar pelo mundo sem destino, eles podem voltar para seu templo de origem para descansar, onde são acolhidos como se nunca tivessem partido.

História[editar | editar código-fonte]

Quando Roku, o Avatar anterior a Aang, morreu durante a erupção do vulcão da ilha onde morava, o Senhor do Fogo Sozin, sabendo que o próximo Avatar nasceria entre os Nômades do Ar, atacou severamente os quatro templos do Ar. Sua intenção era a morte do novo mestre dos quatro elementos junto com os outros nômades. No entanto, o Avatar Aang sobreviveu aos ataques, pois fugiu do templo em que morava antes dos ataques começarem. Na fuga acabou congelando-se acidentalmente em um iceberg perto da Tribo da Água do Sul, quando, quase se afogando, entrou no Estado Avatar. Cem anos depois acabou sendo achado por Katara e Sokka, membros da Tribo da Água do Sul que acabaram virando seus melhores amigos, Mas depois De Anos A Avatar Korra Depois De Fazer Uma Convergência Harmonica Que Juntou Os Espiritos Com Os Humanos Como Consequencia Varias Pessoas Que não dobravam Começaram A Dobrar O Ar Criando Uma Nova Nação Do Ar E eles vivem como herois salvando pessoas no mundo enquanto a avatar korra se recupera de sua batalha.

Costumes, características e poderes[editar | editar código-fonte]

A capacidade de dominar o elemento "ar" é uma das principais características dos membros dessa nação.
As árvores de folhas caducifólias são um símbolo do outono, estação em que os dobradores de ar são mais fortes.

Os jovens são criados pelos monges mais velhos: eles os ensinam a viver em paz com tudo e com todos, a respeitar o próximo independentemente de quem ele for e a se desfazer de possesões mundanas. Por causa disso, os Nômades do Ar são geralmente pacíficos e prestativos e tentam de qualquer maneira evitar conflitos. Como para eles toda a forma de vida é sagrada, os Nômades do Ar se recusam a comer carne, sendo vegetarianos.

Apesar de paracerem sérios, alguns monges e monjas desenvolvem um grande senso de humor por viverem em paz com tudo e com todos.

O principal poder dos nômades do ar é a dobra de ar, característica que foi aprendida com a observação e imitação dos bisões voadores.[4] Algumas das demais características e poderes dos nômades do ar são:

  • Usam o yin negativo.
  • Mesmo em um combate, procuram não prejudicar seus adversários.
  • Eles são mais rápidos a reagir e atacar os professores e outros controles.
  • Procuram todas as soluções possíveis para um problema.
  • Podem criar redemoinhos.
  • Têm um ótimo senso de humor.
  • Não gostam de caminhar, preferem voar.
  • Os mestres do ar são cobertos com tatuagens em seu corpo em forma de setas em honra do bisão voador.
  • As crianças são acompanhadas durante toda a sua vida por um bisão voador.
  • Podem voar com um planador (esculpida por monges) e controle aéreo.
  • Podem saltar muito alto.
  • São vegetarianos.
  • Podem atingir velocidades muito altas.
  • Devem ter "espírito" de voar.
  • Acreditam que a vantagem que você tem sobre seu inimigo é sua agilidade.
  • Com o ar ou a água pode congelar a endurecer a lava.
  • São muito otimistas.

Lugares importantes[editar | editar código-fonte]

Templo do Ar do Norte[editar | editar código-fonte]

Localiza-se no extremo norte do Reino da Terra, próximo ao Pólo Norte, e diferente dos outros templos não fica em ilhas e sim no continente, estando no alto de uma montanha, a qual tem uma grande reserva de gás natural. Antes da guerra começar abrigava somente dobradores de ar do sexo masculino. Atualmente, o templo é a moradia de alguns cidadãos refugiados do povo da terra, liderados por um cientista, conhecido como "O Mecânico". Esse homem se fascinou pelas figuras de dobradores de ar e de Bisões Voadores que encontrou quando chegou no templo. Então, dedicou-se a criar um jeito de poder voar também. Ele imitou os planadores que os dobradores de ar usavam, criando uma espécie de asa delta. Assim, mesmo não sendo dobradores de ar, os cidadãos locais conseguiram uma maneira de planar no ar. Entretanto, para que as pessoas possam ficar lá, O Mecânico fez um acordo com dobradores de fogo que tentaram invadir o local um ano após ele ser repovoado: ele construiria armas para os dobradores de fogo e eles o deixariam morar lá, juntos com sua família e o resto dos refugiados.[5]

Quando Aang vai para o templo, fica furioso ao ver que o templo está semi-destruído pelas máquinas e encanamentos do Mecânico. Aang diz que eles estão destruindo as únicas memórias restantes de seus antepassados. Ele fica mais furioso ainda quando descobre do acordo dos dobradores de fogo com o Mecânico, e se recusa a guardar segredo do arcordo quando a nação do fogo vai cobrar novos inventos. Assim, os dobradores de fogo começaram a inavidir o templo. Mas graças ao Mecânico, Sokka e Aang, os dobradores de fogo foram expulsos de lá.

Templo do Ar do Sul[editar | editar código-fonte]

O Templo de Ar do Sul localiza-se nas cadeias montanhosas de Patola, território dos nômades do ar logo ao sul do reino da Terra, próximo ao Pólo Sul, e abrigava exclusivamente dobradores de ar do sexo masculino. Antes do ataque da Nação do Fogo, lá viviam Aang e outros monges. Quando este completou doze anos, os monges revelaram sua identidade como o novo Avatar, temendo que a guerra eclodisse a qualquer momento. Nessa época, Aang era um dos poucos garotos que já havia recebido as tatuagens de flecha, que indicavam seu posto como Mestre de dobra de ar.[6]

O mentor, guardião e figura paterna de Aang era o Monge Gyatso, dotado de grande sabedoria e mestre na dominação de ar. Segundo ele, os outros monges haviam cometido um erro ao contarem ao garoto quem ele realmente era, antes dos seus dezesseis anos. Por isso, junto do treinamento da dobra de ar, Gyatso proporcionava brincadeiras e jogos, pois alegava que Aang deveria crescer como um garoto normal.

Após a descoberta da identidade de Aang, os outros garotos do templo começaram a se recusar a brincar com ele, alegando que seria uma vantagem injusta ao time que ele pertenceria, o que começou a transtornar Aang. A gota d'água veio quando o garoto ouviu, escondido, que os monges haviam decidido o separar de Gyatso e o mandar para o Templo de Ar do Leste para completar seu treinamento. Após descobrir isso, Aang fugiu em seu bisão, Appa. Os dois acabaram presos em uma tempestade no Pólo Sul e caírem no mar, o que fez Aang entrar no Estado Avatar e se congelar em animação suspensa por 100 anos.

Cem anos mais tarde, Aang voltou ao templo e o encontrou deserto e semi-destruído, mas estava esperançoso de encontrar algum dobrador de ar lá, pois o templo só é acessível através de um bisão voador. Entretanto, ele não achou ninguém vivo lá, com exceção de Momo, o lêmure voador que se juntou ao grupo após a visita ao templo. Quando Aang achou o esqueleto de Gyatso no meio de vários uniformes dos dobradores de fogo, ele entrou no Estado Avatar, depois foi acalmado por Katara e Sokka. No templo também há um santuário onde se encontra toda a linhagem de Avatares até Roku. Lá Aang descobriu que teria que falar com o espírito de Roku para poder progredir em sua jornada.

Templo do Ar do Leste[editar | editar código-fonte]

O Templo de Ar do Leste se localiza em três montanhas ao sudeste do Reino da Terra e era habitado exclusivamente por dodradores de ar do sexo feminino. Antes do ataque da Nação do Fogo, o templo foi o local onde Aang escolheu Appa para ser seu bisão voador. Atualmente, o templo também se encontra semi-destruído. O único morador de lá é o Guru Pathik, um especialista espiritual que teve uma visão na época do começo da guerra na qual ele ajudava Aang a controlar o Estado Avatar. Quando Appa estava perdido, o último lugar no qual ele parou foi o Templo do Leste, onde ele encontrou o Guru, que, após algum esforço, conseguiu a simpatia do Bisão e amarrou uma mensagem em seu chifre, para que, quando este fosse procurar por Aang em Ba Sing Se, pudesse informar o garoto do Guru que o esperava. Após a prisão de Long Feng na cidade impenetrável, Aang foi ao templo para aprender a controlar o Estado Avatar. Pathik disse a Aang que ele teria que abrir suas sete Chakras, para que a energia pudesse fluir em equilíbrio em seu corpo. Aang conseguiu abrir as seis primeiras Chakras sem muitos problemas, mas, quando o jovem Avatar estava tentando abrir a sétima, descobriu que para fazer isso teria que se desprender das ligações mundanas (Katara).[7]

Templo do Ar do Oeste[editar | editar código-fonte]

O Templo do Ar de Oeste localiza-se muito próximo da Nação do fogo, justo ao norte do arquipélago que forma a Nação. Entretanto, diferentemente dos outros três templos do ar, ele se localiza "grudado de cabeça para baixo" em um despenhadeiro. O lugar abrigava somente dobradores de ar de sexo feminino. O Templo do Oeste foi o primeiro lugar visitado por Zuko e seu tio após o príncípe ter sido banido. Ataualmente também se encontra deserto e semi-destruído. Após o fracasso da invasão do Dia do Sol Negro, Aang, Katara, Sokka, Toph, O Duque, Haru e Téo, os participantes da invasão à Nação do Fogo que tiveram de fugir, se abrigaram no local. Zuko, que fugiu em um balão após ter conforntado seu pai, seguiu o grupo até o templo, pois o príncipe planejava ganhar a confiança de todos para poder se unir ao grupo e ensinar Aang a dobrar o fogo. Entretanto, todos recusaram a ajuda de Zuko, pois suspeitavam dele por suas atitudes no passado para com o grupo. Entretanto, todos se surpreenderam quando Zuko tentou deter o Homem Combustão, que seguiu o grupo até o templo. Após suscessivos disparos do assassino, Sokka conseguiu acertar seu terceito olho com seu bumerangue, o que fez um último disparo explodir na frente do Homem Combustão, fazendo com que a torre onde ele estava caísse. Zuko então tenta novamente se unir ao grupo, e desta vez é aceito, ainda que com muita relutância, principalmente de Katara, que ameaça matar Zuko se este der um passo em falso ou se ela sequer suspeitar que ele quer machucar Aang. Após Esse acontecimento, Zuko faz três viagem com os integrantes do grupo com o qual ele teve conflitos antes de se juntar a estes: vai até a civilização perdida dos Soldados do Sol com Aang, para a prisão da Rocha Fervente com Sokka e procurar o homem quer matou a mãe de Katara com ela. Após isso, eles saem do templo, uma vez que Azula os encontra com sua frota de dirigíveis.[8]

Templo Do Ar Da Cidade Republica[editar | editar código-fonte]

é o templo do Ar Criado Por Aang para viver mais katara e seus filhos É localizado Na cidade Republica e é o lar dos novos nômades da nova nação do ar.

Animais[editar | editar código-fonte]

  • Lêmure voador (Momo).
  • Caranguejo ermitão (apareceu quando Aang foi visitar o templo do ar do norte).
  • Bisão voador (Appa).
  • Esquilo (apareceu quando Appa acordou e viu o guru com eles).
  • Pássaros (apareceu com o guru quando Appa se acordou).
  • Rã Texugo (apareceu quando o grupo se refugiou no templo do ar do oeste).

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • A estação dos Dobradores de Ar é o outono, ou seja, eles nascem e ficam mais fortes no Outono
  • Os monges mais novos não tem setas na cabeça, pois ainda não se tornaram mestres na Dobra de Ar.
  • Os monges do sexo masculino raspam seu cabelo para ficarem carecas.
  • As monjas do sexo feminino têm cabelo, mas este é raspado até metade da cabeça.
  • Os Nômades do Ar não tem nenhuma organização militar.

A Nova Nação Nômade Do Ar[editar | editar código-fonte]

Durante a segunda temporada de Avatar: Legend of Korra para derrotar o avatar negro korra tem que fazer uma convergência harmonica essa convergência Faz com que Na terceira temporada algumas pessoas que não dobravam nada começam a dobrar ar e então korra começou a missão de restabelecer uma nova nação Nomadê do ar, lutando até contra a rainha da terra Hoje em dia Os nomadês do ar são uma nação comum como todas as outras No Livro 4 De The Legend Of Korra eles trabalham como herois espalhados pelo mundo todo com roupas que ajudam a Planar Eles Vivem No Templo Do Ar Da Cidade Republica Onde Ficam Quando Não Estam Salvando Pessoas Enquanto A Avatar se recupera.

Referências

  1. Avatar: The Legend of Aang (em inglês) Nickelodeon Nick.co.uk. Visitado em 7 de janeiro de 2009.
  2. [1] (em inglês) IMDb.com.
  3. [2] (em inglês) IMDb.com.
  4. [3] Estadoavatar.hbe.com.br.
  5. [4] Estadoavatar.hbe.com.br.
  6. [5] Estadoavatar.hbe.com.br.
  7. [6] Estadoavatar.hbe.com.br.
  8. [7] Estadoavatar.hbe.com.br.