Pacific Racing

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Reino Unido Pacific
Nome completo Pacific Racing
Sede Thetford,  Reino Unido
Chefe de equipe Reino Unido Keith Wiggins
Diretor técnico Reino Unido Frank Coppuck
Pilotos Luxemburgo/Bélgica/França Bertrand Gachot
França Paul Belmondo
Itália Giovanni Lavaggi
França Jean-Denis Délétraz
Itália Andrea Montermini
Pilotos de teste Itália Giovanni Lavaggi
Reino Unido Oliver Gavin
Chassis Pacific PR01
Pacific PR02
Motor Ilmor, Ford
Pneus Goodyear
Combustível Elf
Histórico na Fórmula 1
Estréia Brasil GP do Brasil, 1994
Último GP Austrália GP da Austrália, 1995
Corridas concluídas 33 (22 largadas)
Campeã de construtores 0 (17° lugar em 1988 e 1990)
Vitórias 0
Pole Position 0
Voltas rápidas 0
Pontos 0
Posição no último campeonato
(1995)
12º (0 ponto)

Pacific Racing foi uma equipe britânica de Fórmula 1 fundada por Keith Wiggins em 1984. Disputou as temporadas de 1994 e 1995 da categoria.

História[editar | editar código-fonte]

Carro da Pacific guiado por David Coulthard na F-3000 em 1993.

Antes da Fórmula 1, a Pacific disputou a Fórmula Ford britânica e a Fórmula 3, com relativo sucesso em ambas. Na Fórmula 3000, estreou em 1989 tendo como pilotos J.J. Lehto, Eddie Irvine e Allan McNish, e terminou o campeonato em sétimo lugar com 17 pontos ganhos.

Nas demais temporadas a partir de 1990 (exceção em 1994 e 1995), a equipe conquistou cinco vitórias e o título da temporada de 1991 com o brasileiro Christian Fittipaldi. Encerraria suas atividades após uma fraca temporada em 1997.

Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Bertrand Gachot pilota o PR01 no GP do Pacífico de 1994
Gachot no GP da Grã-Bretanha de 1995.

Em 1994, a Pacific migrou da F-3000 para a Fórmula 1, mudando seu nome para Pacific Grand Prix. A temporada de estreia na categoria foi um desastre: tendo como pilotos o franco-belga Bertrand Gachot e o francês Paul Belmondo, a escuderia largou em apenas sete corridas (cinco com Gachot, duas com Belmondo) e a partir do GP da França, não se classificou para nenhuma outra corrida na temporada. No final, a Pacific encerrou o campeonato em último lugar na classificação, sem pontuar.

Para 1995, foram feitas mudanças na estrutura do time, que trocaria a pintura prata por uma predominantemente azul, além de partes em branco e em "british-green" (a Pacific havia concretizado uma fusão com a Lotus, chegando a ostentar o logotipo da marca inglesa no carro). Nas primeiras oito corridas, Gachot seguiu no time até ser substituído por Giovanni Lavaggi em quatro corridas e por Jean-Denis Délétraz em duas, antes de regressar a tempo de conquistar o melhor resultado da Pacific na F-1, um oitavo lugar no GP da Austrália (mesma posição obtida no GP da Grã-Bretanha). Andrea Montermini, o segundo piloto, foi o único que disputou a temporada completa. A equipe tinha planos de seguir na categoria em 1996, mas as negociações não vingaram.

Carros[editar | editar código-fonte]

Ano Nome oficial Modelo Motor Pneu Combustível Pilotos Pilotos de testes Class. pilotos Class. construtores
1994 Pacific Grand Prix Ltd.
Ursus Pacific Grand Prix
PR01 Ilmor 2175A 3.5 V10 G Elf 33 França Paul Belmondo
34 Luxemburgo/Bélgica/França Bertrand Gachot
Itália Giovanni Lavaggi
Reino Unido Oliver Gavin
Gachot - 38º (0 PT)
Belmondo - 41º (0 PT)
14º lugar (0 PT)
1995 Pacific Grand Prix Ltd. PR02 Ford EDC 3.0 V8 G Elf 16 Luxemburgo/Bélgica/França Bertrand Gachot
Itália Giovanni Lavaggi
Suíça Jean-Denis Délétraz
17 Itália Andrea Montermini
Reino UnidoOliver Gavin Montermini - 25º (0 PT)
Gachot - 26º (0 PT)
Délétraz- 34º (0 PT)
Lavaggi - 35º (0 PT)
12º lugar (0 PT)
Ícone de esboço Este artigo sobre Fórmula 1 é um esboço relacionado ao projeto sobre Fórmula 1. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.