Marussia F1 Team

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Virgin Racing)
Ir para: navegação, pesquisa
Rússia Marussia-Ferrari
Nome completo Marussia F1 Team
Sede Banbury, Oxfordshire, Reino Unido
Chefe de equipe John Booth
Diretor técnico Pat Symonds
Site oficial www.marussiaf1team.com
Temporada de Fórmula 1 de 2014
Pilotos 4. Reino Unido Max Chilton
17. França Jules Bianchi
Chassis MR03
Motor Ferrari
Pneus Pirelli
Histórico na Fórmula 1
Estréia GP do Bahrein de 2010
Último GP GP do Brasil de 2013
Corridas concluídas 68 (30 com a atual denominação)
Campeã de construtores 0
Campeã de pilotos 0
Vitórias 0
Pole Position 0
Voltas rápidas 0
Pontos 2
Posição no último campeonato
(2013)
10º (0 pontos)

A Marussia F1 Team, antes Marussia Virgin Racing, é uma equipe russa de automobilismo que passou a disputar a Fórmula 1 a partir da 2010.

História[editar | editar código-fonte]

Formação[editar | editar código-fonte]

A equipe teve sua participação na Fórmula 1 anunciada em 12 de junho de 2009, como uma das três novas equipes da categoria, sob o nome de Manor Grand Prix.[1] [2] A equipe teve início com a parceria entre a equipe Manor Motorsport e Richard Branson, proprietário da Virgin Group. John Booth assumiu o cargo de chefe da equipe enquanto Nick Wirth, ex-proprietário da Simtek, o de diretor técnico.[3]

A equipe adotou Donnington, em South Yorkshire, como sede, enquanto a Wirth Research desenvolvia e construia os carros em Bicester. O ex-presidente da FIA, Max Mosley, foi um dos membros da Simtek Wirth,[4] de modo que, Wirth esteve envolvido em vários projetos desenvolvidos pela FIA. O carro da equipe para a temporada 2010, o VR-01, foi equipado com motor fornecido pela Cosworth e foi o primeiro carro de Fórmula 1 criado inteiramente usando o CFD, inovadora tecnologia de simulação computacional.[5]

Em 17 de novembro de 2009, o ex-piloto da extinta Toyota, Timo Glock, foi anunciado como o primeiro piloto da equipe para 2010.[6] O contrato tem duração de dois anos, com a possibilidade de renovação por mais um. Já em 15 de dezembro, foi anunciado o segundo piloto da equipe, o estreante brasileiro Lucas Di Grassi,[7] juntamente com os pilotos de testes, o português Álvaro Parente[8] e o também brasileiro Luiz Razia.[9] No entanto, em fevereiro de 2010, devido ao não cumprimento de um acordo estabelecido entre patrocinadores e a equipe, Parente foi cortado da Virgin Racing.[10]

No dia 15 de novembro de 2009, antes mesmo de estrear na categoria, a equipe teve seu nome alterado para Virgin Racing, após acordo com a empresa de Branson.[11]

A equipe apresentou seu carro oficialmente no dia 3 de fevereiro de 2010.[12] A estréia aconteceu no dia 14 de março, no Grande Prêmio do Bahrain. Seus carros, no entanto, não conseguiram completar a corrida, ambos problemas no câmbio. A equipe terminou a temporada na ultima colocação, sem pontos marcados.

Marussia[editar | editar código-fonte]

Em 11 de novembro de 2010, foi anuciada a compra da maior parte das ações da equipe pela montadora russa Marussia Motors.[13] [14] A partir da temporada de 2011, a equipe passou a se chamar então Marussia Virgin Racing.

No mesmo ano contratou Jerome d'Ambrosio para o lugar de Lucas Di Grassi como companheiro de Timo Glock.

Em 2012 a equipe alterou novamente o seu nome, dessa vez para Marussia F1 Team.

Glock permaneceu na equipe e ganhou um novo companheiro: o francês Charles Pic, quarto colocado da GP2 em 2011. Neste ano a equipe terminou em 11º lugar no campeonato.

Em 2013 a equipe contrataria o inglês Max Chilton e o brasileiro Luiz Razia segundo e quarto colocado da GP2 em 2012, respectivamente. O contrato de Razia, no entanto, foi rompido pela Marussia por problemas com os patrocinadores do piloto brasileiro. Para o lugar de Razia, foi contratado o piloto francês Jules Bianchi.[15]

Para a disputa da temporada de 2014, a Marussia anunciou um acordo com Ferrari para o fornecimento de motores, KERS e transmissão.[16]

Durante o Grande Prêmio de Mônaco, Bianchi marcou os primeiros pontos da sua carreira na Fórmula 1 e os primeiros da história da equipe Marussia, ao terminar a corrida na nona colocação. O francês cruzou a linha de chegada em oitavo, mas tomou uma punição e perdeu o posto para o compatriota Romain Grosjean, da Lotus.[17]

Pilotos[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Carro Pneus Motor Pilotos Pilotos de testes Classificação
2014 Marussia F1 Team MR-03 P Ferrari França Jules Bianchi
Reino Unido Max Chilton
9º (2 pontos)
2013 Marussia F1 Team MR-02 P Cosworth França Jules Bianchi
Reino Unido Max Chilton
10º (0 pontos)
2012 Marussia F1 Team MR-01 P Cosworth Alemanha Timo Glock
França Charles Pic
Espanha María de Villota
Reino Unido Max Chilton
11º (0 pontos)
2011 Marussia Virgin Racing MVR-02 P Cosworth Alemanha Timo Glock
Bélgica Jerome d'Ambrosio
Japão Sakon Yamamoto
Canadá Robert Wickens
12º (0 pontos)
2010 Virgin Racing VR-01 B Cosworth Alemanha Timo Glock
Brasil Lucas Di Grassi
Brasil Luiz Razia
Espanha Andy Soucek
Bélgica Jerome d'Ambrosio
12º (0 pontos)

Resultados na temporada atual[editar | editar código-fonte]

Pos Piloto Carro AUS
Austrália
MAL
Malásia
BHR
Bahrein
CHN
República Popular da China
ESP
Espanha
MON
Mónaco
CAN
Canadá
AUT
Áustria
GBR
Reino Unido
ALE
Alemanha
HUN
Hungria
BEL
Bélgica
ITA
Itália
CIN
Singapura
JAP
Japão
RUS
Rússia
EUA
Estados Unidos
BRA
Brasil
EAU
=Emirados Árabes Unidos
Pts Pts da Equipe Pos da Equipe
16 França Bianchi 17 Ret Ret 16 17 18 9 Ret 15 14 15 2 2
20 Reino Unido Chilton 4 13 15 13 19 19 14 Ret 17 16 17 0

Negrito – Pole

Itálico – Melhor volta

Ret = Não completou a prova.

* = Classificado pois completou 90% ou mais da prova.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Marussia F1 Team
Ícone de esboço Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.