Aeroporto Internacional do Recife

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde dezembro de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Recife-Guararapes
Aeroporto
Aeroporto Internacional Gilberto Freyre
IATA: REC - ICAO: SBRF
Características
Tipo Público/Militar
Administração Infraero
Serve Região Metropolitana do Recife
Localização Recife, PE Brasil Brasil
Inauguração 18 de janeiro de 1958 (60 anos)
Coordenadas 8° 7' 35" S 34° 55' 22" O
Altitude 10 m (33 ft)
Passageiros 7,7 milhões (BR: 9º - 2017)
Carga 38 000 t de carga
Aéreo 89 000 aeronaves
Capacidade anual 16 500 000 passageiros
Website oficial Página oficial
Mapa
REC está localizado em: Brasil
REC
Localização do aeroporto no Brasil
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
18 / 36 3 300  m (10 827 ft) Asfalto

O Aeroporto Internacional do Recife-Guararapes / Gilberto Freyre[1][2] (IATA: RECICAO: SBRF) é um aeroporto internacional no município do Recife, em Pernambuco. Fica na divisa com o município de Jaboatão dos Guararapes. É o principal aeroporto do estado de Pernambuco e o mais movimentado das regiões Norte/Nordeste.[3][4][5] O aeroporto é um dos três do estado que possuem operações regulares de transporte de passageiros, juntamente com o Aeroporto de Petrolina e com o Aeroporto de Fernando de Noronha.

Situado a 12 km do centro do Recife, o aeroporto atende a movimentações de passageiros domésticos e internacionais. Opera 24 horas por dia e seu nome é uma alusão ao fato histórico da Batalha dos Guararapes, ocorrida no período colonial brasileiro sobre os morros de mesmo nome, situados em sua lateral oeste.

Sua construção antecede a II Guerra Mundial, sendo que o conflito serviu para melhorar a estrutura da Base Aérea do Recife e, consequentemente, do próprio aeroporto. No final da década de 1940, o Recife passou a ter grande importância no tráfego aéreo, em meio às aerovias do Atlântico Sul - Europa, pela sua posição geográfica estratégica. Seu nome oficial foi dado em 2 de julho de 1948, quando o então presidente Eurico Gaspar Dutra assinou o decreto 25.170-A, transformando o Aeroporto do Recife, localizado no Campo do Ibura, em Aeroporto Guararapes. A nomenclatura do aeroporto foi novamente alterada em 27 de dezembro de 2001, pela Lei nº 10.361, que instituiu a denominação de Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre.[6]

O terminal de passageiros atual conta com capacidade para receber 16,5 milhões de passageiros por ano, o que faz do Aeroporto dos Guararapes o maior, em capacidade anual, do Norte-Nordeste do Brasil.[7] Além disso, conta com um pátio de 21 posições de aeronaves dotadas de jetways (conectores climatizados); 64 balcões de check-in e 2 120 vagas de estacionamento. De acordo com a Infraero, o aeroporto possui a maior pista de pouso do Norte/Nordeste, com 3 300 [8] metros de extensão, estendendo-se até 3.523 metros. Reformada em 2014, a pista suporta pouso e decolagem de aeronaves do porte do Boeing 747-400 com carga completa.

Sistema inteligente[editar | editar código-fonte]

Vista interna do Aeroporto Internacional do Recife.

O aeroporto possui um sistema inteligente de automação. O novo terminal de passageiros do Aeroporto do Recife iniciou suas operações em 1º de julho de 2004 conciliando o que há de mais avançado em tecnologia aeroportuária com dois tipos de preocupações

Começa pelo acesso às aeronaves. O corredor que conduz às pontes de embarque é o primeiro no país a utilizar acessos diferenciados para os passageiros que embarcam e desembarcam. Além de evitar o encontro dos dois fluxos, tornando a operação mais rápida e segura, os passageiros sempre descem uma rampa suave, não importa se para embarcar ou desembarcar, o que oferece muito mais conforto, facilitando o acesso aos portadores de necessidades especiais, que tiveram toda a atenção no novo aeroporto, com quatro balcões de check in adaptados, corredores amplos, rampas com piso antiderrapante e corrimãos, banheiros adaptados, passarelas de pedestre na altura da calçada sem necessidade de mudança de nível, entre outros itens de acessibilidade, que receberam a aprovação da Secretaria Especial de Direitos Humanos.

No aeroporto, a tecnologia foi aliada também à questão ecológica. O Aeroporto é considerado um prédio "inteligente", todo controlado por um sistema de automação que regula desde o controle dos acessos restritos ao público até a detecção de riscos de incêndio. Trata-se do Sistema Sapios, que, entre outros benefícios, traz economia de energia elétrica por otimizar a vazão do ar condicionado para os ambientes e a velocidade das escadas rolantes e esteiras de bagagens de acordo com a demanda para utilização dos equipamentos.

O aeroporto dispõe ainda de sensores de presença que evitam o gasto de energia em áreas que não estão sendo utilizadas em determinado período de tempo e relês fotoelétricos, que controlam o acionamento das lâmpadas nas áreas que dispõem de luz natural, amplamente aproveitada no projeto arquitetônico do terminal. São mais de 23 mil metros quadrados de vidros especiais para proporcionar iluminação natural, mantendo o conforto térmico do ambiente. Essa área corresponde à cobertura de quatro estádios de futebol.

A passarela sobre a Avenida Mascarenhas de Morais possui esteira rolante e liga o terminal aeroportuário à Estação Aeroporto do Metrô do Recife.

Com esses dispositivos, a economia mensal do consumo de energia elétrica é de aproximadamente 20% em relação ao sistema convencional. Com a utilização do Tanque de Termoacumulação para o sistema de refrigeração, a redução no consumo mensal chegará a 30%.

A água resultante da condensação do sistema de refrigeração é reaproveitada para uso nas descargas dos vasos sanitários. O sistema de esgoto utilizado, a vácuo (EVAC), gera uma redução no consumo de água de 30%. Em vez dos 10 litros em média consumidos a cada descarga pelo sistema convencional, serão utilizados apenas 1,2 litros. O consumo mensal estimado para o novo aeroporto é de 21 400 metros cúbicos de água, uma grande redução em relação aos 30.600 metros cúbicos que seriam gastos pelo sistema convencional.

O Aeroporto dos Guararapes é o único do país que conta com uma delegacia especializada para atender o turista. Desde o início de 2005, o Guararapes tem também uma delegacia de imigração da Polícia Federal, que presta serviços de emissão de passaportes.

Centro de Conexões / HUB[editar | editar código-fonte]

Azul Linhas Aéreas

Em Fevereiro de 2016, o presidente da Azul Linhas Aéreas e o governador de Pernambuco assinaram um acordo de instalação de um centro de conexões da empresa no aeroporto do Recife. A partir do acordo, a Azul passou a operar mais 15 voos diários na capital pernambucana, que passa a ser a única cidade com voos diretos para todas as capitais do Nordeste.[9] De acordo com o presidente da companhia, Antonoaldo Neves, dos cerca de 1 milhão de passageiros transportados pela empresa em todo o país (até agosto de 2016), 500 mil fizeram conexão no aeroporto do Recife.[10] Além do incremento nas rotas domésticas, a Azul também implantou seu primeiro voo internacional partido do Nordeste, o qual tem como destino a cidade de Orlando na Flórida.[11] Em 2018, a empresa iniciou novas rotas internacionais partindo para Fort Lauderdale, também na Flórida, e para cidades da Argentina.[12]

Latam Airlines Group

Em 2015, a Latam, fusão da brasileira TAM com a chilena Lan, anunciou o aeroporto do Recife, como um dos candidatos ao seu novo hub regional, concorrendo com os aeroportos de Fortaleza e Natal pelo investimento.[13] O anúncio da cidade escolhida deveria ter ocorrido no final de 2015, mas depois de adiados por várias vezes, no fim de 2017 a companhia aérea cancelou o projeto, alegando inviabilidade financeira.[14][15][16] Segundo a empresa, a queda da demanda causada pela crise financeira, inviabilizou a implantação do hub conforme inicialmente previsto.[17]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Movimento de passageiros[18]
Ano Movimento (passageiros) %
2003 2 733 424 ---
2004 3 173 672 Aumento 16,1%
2005 3 604 652 Aumento 13,5%
2006 3 953 845 Aumento 9,6%
2007 4 188 081 Aumento 5,9%
2008 4 679 457 Aumento 11,7%
2009 5 250 565 Aumento 12,2%
2010 5 933 137 Aumento 12,9%
2011 6 360 868 Aumento 7,2%
2012 6 433 410 Aumento 1,1%
2013 6 817 790 Aumento 5,9%
2014 7 157 805 Aumento 4,9%
2015 6 700 696 Baixa 6,8%
2016 6 808 274 Aumento 1,6%
2017 7 774 369 Aumento 14,2%

Atentado no aeroporto[editar | editar código-fonte]

Em 25 de Julho de 1966 ocorreu, no Brasil, o primeiro ato terrorista com consequências sérias. Uma bomba explodiu no saguão do aeroporto matando o jornalista Edson Régis de Carvalho e o vice-almirante reformado Nelson Gomes Fernandes.[19] Outras 13 pessoas foram feridas na explosão. Esse atentado ficou conhecido como Atentado do Aeroporto dos Guararapes.[20]

Dados[editar | editar código-fonte]

Complexo aeroportuário[editar | editar código-fonte]

Sítio aeroportuário
  • Área: 4,229,140 40 m²
Pátio das aeronaves
  • Área: 139 616 m²
Pista
  • Dimensões: 3 300 m x 45 m
Terminal de passageiros
  • Área: 76.000 m²
Estacionamento
  • Capacidade: 2 120 vagas
Balcões de check-in
  • Número: 64
Estacionamento de aeronaves
  • 21 posições / 11 pontes de embarque

Serviços[editar | editar código-fonte]

Órgãos públicos[editar | editar código-fonte]

Serviços bancários[editar | editar código-fonte]

Facilidades[editar | editar código-fonte]

Movimento operacional[editar | editar código-fonte]

2017

Setembro/2017
Embarques Embarques no ano Desembarques Desembarques no ano Emb. + Desemb. no mês Emb. + Desemb. no ano
Transporte regular
Pax Doméstico Nacional 217.184 1.878.752 217.518 1.846.001 434.702 3.724.753
Regional 77.696 740.418 75.773 711.858 153.469 1.452.276
Pax Internacional 17.908 132.173 16.094 121.019 34.002 253.192
Pax de Cabotagem 118 119 372 1.576 490 1.695
Total 312.906 2.751.462 309.757 2.680.454 622.663 5.431.916
Transporte não regular
Pax Doméstico 14.345 120.238 11.051 104.111 25.396 224.349
Pax Internacional 716 1.661 521 2.365 1.237 4.026
Total 15.061 121.899 11.572 106.476 26.633 228.375

Destaques[editar | editar código-fonte]

Considerado o terceiro melhor aeroporto do Brasil e o décimo melhor da América do Sul, de acordo com o ranking 2016 da Skytrax, é o aeroporto com o maior número de destinos do Norte-Nordeste.[21][22] De acordo com a lista dos mais movimentados aeroportos do Brasil, é o décimo mais movimentado, sendo o primeiro no Nordeste, além de sétimo do país em voos internacionais.

Detalhe das escadarias.

Entre os 14 aeroportos brasileiros mais movimentados, que fizeram parte do levantamento realizado pela Proteste Associação de Consumidores, apenas o do Recife foi classificado como “bom”, de acordo com a avaliação dos próprios passageiros. A pesquisa envolveu mais de 150 aeroportos de todo o mundo, sendo consideradas as respostas de 9 mil questionários enviados a pessoas de seis países: Brasil, Bélgica, Portugal, Espanha, França e Itália.[23][24]

O aeroporto teve referência na revista inglesa Airports of The World, com uma reportagem de sete páginas. A matéria abordou a importância do Guararapes como um possível hub nordestino, exaltou aspectos arquitetônicos do terminal de passageiros e opções de compras e serviços à disposição dos usuários, além de divulgar o destino Recife para os leitores da publicação. O jornalista italiano Marco Finelli foi o autor da matéria que mostrou as belezas do Aeroporto pernambucano em diversas fotos feitas por ele mesmo e outras assinadas por Carlos Pantaleão, profissional da Comunicação Social da Infraero.[25]

O Recife já foi destaque na revista TAM Nas Nuvens e o aeroporto figura entre os cinco melhores do mundo. Além do terminal pernambucano, foram citados os aeroportos de Barajas (Madri), Franz Josef Strauss (Munique), Changi (Singapura) e Heathrow (Londres). De acordo com a publicação, esses locais fazem a viagem valer a pena antes mesmo do embarque. O terminal recifense foi destacado pela revista como “a arte de voar”, por ser um “espaço acolhedor dedicado aos artistas pernambucanos”. Um verdadeiro museu aeroportuário, onde é possível encontrar estátua do sociólogo Gilberto Freyre, feita por Abelardo da Hora, além dos painéis de personagens, como João Câmara, Gil Vicente, Pedro Frederico e José Cláudio, e de obras (mural e três estátuas) do artista Francisco Brennand.[26]

O Aeroporto Internacional do Recife é certificado conforme a norma NBR ISO 9001 de gestão da qualidade, e pela ANAC.[6]

Acidentes[editar | editar código-fonte]

  • Aeronave Douglas DC-7C,prefixo: PP-PDO da Panair do Brasil em 1º de novembro de 1961. A aeronave procedente de Lisboa via Ilha do Sal fazia a aproximação em boa visibilidade. A tripulação aparentemente realizava uma entrada direta para a "perna base", voando muito baixo e fora do padrão de tráfego regular, apesar do fato de que o piloto havia relatado. O avião atingiu uma colina de 84 m de altura e rompeu-se. Dos 88 ocupantes, 45 (entre passageiros e tripulação) perderam a vida.

Causa provável: "O acidente foi causado por erro do piloto, a avaliação incorreta, ou seja, da distância, um voo não-padrão de tráfego padrão de noite e não respeitaram a altitude mínima durante a aproximação final.

A causa de contribuição foi a indevida marcação de obstáculos ao longo do trajeto de aproximação para pista 15.

  • Aeronave Boeing 727-100 prefixo PP-VLH da Varig em 11 de setembro de 1974. A aeronave, em voo procedente de Maceió, varou a cabeceira da pista, devido a uma impossibilidade de desacelerar após o pouso, destruindo o muro do aeroporto até parar na rua em frente à pista. A aeronave chegou a ser recuperada e voltou a voar em dezembro do mesmo ano.
  • Aeronave Embraer EMB 110 Bandeirante prefixo PT-SCU da Nordeste Linhas Aéreas em 11 de novembro de 1991. sai do aeroporto e cai numa praça do bairro do IPSEP, em Recife, matando todos seus 15 ocupantes (12 passageiros e 3 tripulantes), além de uma criança e um aposentado que estavam na praça. O avião seguia de Recife para Salvador e a causa do desastre teria sido falha do motor na decolagem.

Causa provável: "Segundo testemunhas posicionadas próximas à pista, durante a corrida de decolagem, estando a aeronave ainda no solo, houve dois estalos no motor direito com presença instantânea de fogo. A aeronave percorreu, aproximadamente, 900 metros de pista para iniciar a rotação. Durante o primeiro segmento, ocorreu o colapso total do citado motor, caracterizado por um terceiro estalo – este mais forte que os anteriores – e emissão de material em fusão, o qual provocou um início de incêndio ainda na área interna do aeroporto, próximo ao muro de limite (SIC). Durante esta fase de voo, a aeronave manteve-se aproximadamente a 30 metros de altura, ao mesmo tempo em que guinava à direita com as asas niveladas.Fora do eixo de decolagem e aproximadamente 30 segundos após a pista, a aeronave colidiu com duas residências, caindo a seguir em uma praça pública da Vila IPSEP. Na queda houve forte explosão e fogo, tendo todos os seus ocupantes falecido, bem como duas pessoas que se encontravam no local .

  • Aeronave LET L-410 prefixo PR-NOB da NOAR em 13 de julho de 2011.[27] Aeronave caiu e explodiu em um terreno próximo à praia logo após a decolagem. 16 pessoas (14 passageiros e 2 tripulantes) estavam a bordo do voo 4896 que iria para Mossoró com escala em Natal.
  • Aeronave A300B4-203 prefixo PR-STN da Sterna Cargo em 21 de Outubro de 2016. A aeronave procedente de São Paulo a qual cumpria uma rota da RPN dos correios, por volta das 6:10, teve seu trem de pouso dianteiro colapsado após uma falha hidráulica. Ninguém se feriu. A pista ficou fechada por horas até a remoção do Airbus. Posteriormente, a aeronave foi vendida para a sucata.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Instituto de Cartografia Aeronáutica. «ROTAER Brasil - Manual Auxiliar de Rotas Aéreas». Comando da Aeronáutica/Decea RECIFE / Guararapes - Gilberto Freyre, PE SBRF. Consultado em 23 de abril de 2013. 
  2. «Histórico». www4.infraero.gov.br. Consultado em 9 de maio de 2018. 
  3. «Aeroporto Internacional do Recife». www.aeroportorecife.com. Consultado em 21 de abril de 2016. 
  4. Pernambuco, Diario de (11 de julho de 2017). «Aeroporto do Recife é líder em movimentação de passageiros no Nordeste». Diario de Pernambuco 
  5. «Aeroporto do Recife lidera ranking de fluxo de passageiros no Nordeste» 
  6. a b «Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre». www.infraero.gov.br. Consultado em 21 de abril de 2016.. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2014 
  7. «Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre — Características». Infraero. Consultado em 17 de março de 2017. 
  8. «Complexo Aeroportuário». www.infraero.gov.br. Consultado em 21 de abril de 2016. 
  9. «O primeiro voo do hub da Azul - Economia - Diario de Pernambuco - O mais antigo jornal em circulação na América Latina». www.impresso.diariodepernambuco.com.br. Consultado em 21 de abril de 2016. 
  10. «Aeroporto do Recife terá nove voos internacionais até o fim deste ano» 
  11. «Azul estreia voo exclusivo entre Recife e Orlando. - AEROIN». AEROIN. 7 de dezembro de 2016 
  12. «Azul no Recife: novos voos para Argentina e Estados Unidos». Portal PANROTAS 
  13. «Grupo adia anúncio de sede do hub da TAM no Nordeste para 2016». Ceará. Consultado em 21 de abril de 2016. 
  14. «Espera por concessões e demanda em queda travam escolha de hub da Latam - 02/06/2016 - Mercado - Folha de S.Paulo». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 5 de junho de 2016. 
  15. Online, O POVO. «Presidente da Latam diz que projeto de hub continua de pé». www.opovo.com.br. Consultado em 3 de fevereiro de 2017. 
  16. «Latam suspende projeto de hub no Nordeste». epocanegocios.globo.com 
  17. «'Passageiros que viajarem sem bagagem despachada vão ter sim redução de preço', diz presidente da Latam». G1 
  18. «Estatísticas». www.infraero.gov.br. Consultado em 21 de abril de 2016. 
  19. «"A bomba não foi de uma pessoa só" - Jornal do Commercio». jconline.ne10.uol.com.br. Consultado em 21 de abril de 2016. 
  20. «Comissão da Verdade em PE inocenta acusados de bomba em aeroporto». Valor Econômico. Consultado em 21 de abril de 2016. 
  21. «The Best Airports in the World by Region». www.worldairportawards.com. Consultado em 21 de abril de 2016. 
  22. «Folha-PE - Noticias de política, economia, esportes, cultura.». www.folhape.com.br. Consultado em 21 de abril de 2016. 
  23. «Só existe um aeroporto bom de verdade no Brasil - veja qual - EXAME.com». Exame. Consultado em 21 de abril de 2016. 
  24. «Recife: muitas novidades no melhor aeroporto do País». Secretaria de Aviação Civil. Consultado em 21 de abril de 2016. 
  25. «Airports of the World: Today's Gateways to the World». Consultado em 2 de Abril de 2010. 
  26. «Aeroporto de Recife faz a viagem valer a pena - Transporte aéreo - Turismo - Notícias - Fique por dentro - EcoViagem». EcoViagem - O seu guia de viagem. Consultado em 21 de abril de 2016. 
  27. «Avião cai no Recife e deixa 16 mortos, diz Corpo de Bombeiros». Brasil. Consultado em 21 de abril de 2016. 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aeroporto Internacional do Recife