Grupo Record

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Grupo Editorial Record.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde setembro de 2015).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Grupo Record
Razão social Rádio e Televisão Record S.A.
Tipo Empresa de capital fechado
Indústria Comunicação
Gênero Privada
Fundação 9 de novembro de 1989 (28 anos)
Fundador(es) Edir Macedo
Sede São Paulo, SP, Brasil
Proprietário(s) Edir Macedo
Presidente Luiz Cláudio Costa
Pessoas-chave
Empregados 9000
Produtos
Faturamento Baixa R$ 2,250 bilhões (2013)[1]
Website oficial www.r7.com

Grupo Record é um conglomerado de mídia brasileiro que é formado principalmente pela RecordTV, Record News, e R7, entre outros veículos de comunicação. É o quarto maior conglomerado de mídia do Brasil, atrás dos grupos Globo, Folha e Abril. A RecordTV e a Rádio Record são avaliadas em mais de 1,9 bilhão de reais. A Record é a organização com o maior número de emissoras próprias e a segunda no mercado publicitário.

Concorrência[editar | editar código-fonte]

Desde o lançamento da Record News, a Sky e a NET acionadas pelo Grupo Globo se posicionaram contra a inclusão do canal em seus pacotes.[2] O canal foi obrigado a ser incluso na SKY que é controlada pelo Grupo Globo.[3] Já na NET, após uma forte pressão do Grupo Record, o canal foi incluso.

Em 2011 a RecordTV levou uma matéria ao ar informando que a revista Veja do Grupo Abril iniciou uma série de ataques à emissora e a seu proprietário, o bispo Edir Macedo, é posta em dúvida por jornalistas, professores de comunicação e leitores.[4] No mesmo ano, as movimentações "a toque de caixa" feita pela Igreja Universal para a compra de emissoras em todo o Brasil nos anos 90, havia sido criticada pelo Ministério Público Federal. A alegação era de que o Grupo Record usava a Igreja Universal para interesses empresariais de Edir Macedo por meio de fraudes financeiras, como desvio de doações à igreja para sociedades offshore e lavagem de dinheiro. Apesar da alegação, proveniente de uma investigação, nunca houve julgamento pois a igreja tem imunidade fiscal, além de os supostos crimes de lavagem de dinheiro terem sido praticados antes da tipificação legal da prática.[5]

Empresas[editar | editar código-fonte]

Atuais[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Rádio[editar | editar código-fonte]

Revistas[editar | editar código-fonte]

  • Revista Record - é uma revista da para os telespectadores do continente europeu acompanharem a programação da RecordTV.

Jornais[editar | editar código-fonte]

Internet[editar | editar código-fonte]

  • R7 - Lançado em 27 de setembro de 2009, é o portal de notícias da RecordTV.[10]

Outras empresas e iniciativas[editar | editar código-fonte]

  • Record Entretenimento - é uma empresa voltada para entretenimento e licenciamento. Sua fundação ocorreu em 2008 e sua sede está localizada em São Paulo.[11]
  • Record Produções e Gravações[12] - é uma empresa que atua no mercado fonográfico. Sua sede está localizada no Rio de Janeiro.
  • Banco Renner - o Grupo Record tem cerca 49% das ações do banco.
  • Instituto Ressoar (Instituto Record de Responsabilidade Social) - instituição de caridade fundada pelo Grupo Record, criada em 2005 e que tem por objetivo a promoção do desenvolvimento social, econômico e do combate à pobreza, bem como o exercício do voluntariado. Sua sede está na cidade de São Paulo.
  • RecNov (Record Novelas) - complexo de estúdios que serve como núcleo de produção de obras de teledramaturgia da RecordTV. Foi arrendado para a produtora Casablanca por um período de 5 anos.

Antigas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Waldelúcio Barbosa (29 de março de 2014). «Lucro da Globo é maior do que todo o faturamento da Record,afirma balanço». meionorte.com. Consultado em 13 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 14 de dezembro de 2014 
  2. Eduardo Neco (23 de maio de 2011). «Record News acusa operadoras NET e SKY de boicote». Portal Imprensa. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  3. «Record News agora na Sky». R7. 12 de setembro de 2013. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  4. «Veja publica mentiras para tentar salvar a Editora Abril». R7. 20 de novembro de 2011. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  5. «MPF acusa bispo Edir Macedo de lavagem de dinheiro». ConJur. 12 de setembro de 2011. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  6. Gabriel Vaquer (25 de dezembro de 2014). «Grupo Record adquire 10% das ações da filial da CNT na Bahia». NaTelinha. UOL 
  7. «histórico». radiorecord. Consultado em 12 de julho de 2010 
  8. «Grupo Record adquire 40% do banco Renner». valoronline. Consultado em 12 de julho de 2010 
  9. «Histórico». radiosociedadeam. Consultado em 12 de julho de 2010 
  10. «Portal R7 lança e-mail com 10 GB de capacidade». portalimprensa. Consultado em 12 de julho de 2010 
  11. «Ações Record Entretenimento». recordentretenimento. Consultado em 12 de julho de 2010 
  12. «Record Produções e Gravações. Ltda». ABPD. Consultado em 12 de julho de 2010 
  13. «Rádio Emoção FM - 92,1 MHz». Rede Record. Consultado em 13 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 15 de fevereiro de 2001 
  14. «Grupo Bel compra jornal Hoje em Dia». Meio&Mensagem. 13 de setembro de 2013. Consultado em 13 de novembro de 2013 
  15. «TV Record cria agência de viagens». almadeviajante.com. Consultado em 24 de novembro de 2010 
  16. «RECORD TRIPS denominação de RECORD TRAVEL - AGÊNCIA DE VIAGENS, S.A.». einforma. Consultado em 13 de novembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikinotícias Categoria no Wikinotícias
Wikidata Base de dados no Wikidata