Clube Atlético Guaçuano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guaçuano
Clube Atletico Guacuano.png
Nome Clube Atlético Guaçuano
Alcunhas Mandi, Alvi-verde
Torcedor/Adepto Atleticano
Mascote Mandi
Fundação 26 de fevereiro de 1929 (88 anos)
Estádio Alexandre Camacho
Capacidade 5.000 lugares
Presidente Brasil Paulo Sabino
Treinador Brasil Parraga
Patrocinador Brasil Unimed
Material (d)esportivo Brasil Deffende
Competição Licenciado
São Paulo A3 2013 15º Colocado
São Paulo A3 2012
São Paulo CP 2012
5º Colocado
24º Colocado
São Paulo 2D 2011 4º Colocado (acesso)
Website www.atleticoguacuano.com.br/
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Clube Atlético Guaçuano[1] é um clube brasileiro de futebol da cidade de Mogi Guaçu, interior do estado de São Paulo, fundado no dia 26 de fevereiro de 1929. Suas cores são verde e branco. O Estádio Municipal Alexandre Augusto Camacho é o local que o Guaçuano manda suas partidas. Atualmente, está licenciado.

História[editar | editar código-fonte]

Assim como aconteceu com muitos outros clubes do interior paulista, o Guaçuano tem suas origens ligadas ao futebol amador. No amadorismo, o a equipe se chamava Chaminé Clube. Fundado no dia 26 de fevereiro de 1929, em Mogi Guaçu, o Clube Atlético Guaçuano representou sua cidade nos principais campeonatos amadores do Estado, junto com o extinto Mogi Guaçu Futebol Clube e conquistou seu primeiro título, o campeonato amador regional de 1958.

O Clube Atlético Guaçuano é a agremiação mais antiga da cidade em atividade. Dedicou-se no início de sua história apenas ao futebol amador. A primeira participação no futebol profissional foi no ano de 1975, quando assumiu a vaga deixada pelo Grêmio Guaçuano, e disputou a Terceira Divisão do futebol paulista. No ano de 1977, o clube caiu para a Quarta Divisão (atual Série B). Retornou a "terceirona" em 1980. Em 1981, foi campeão estadual de juniores e, no mesmo ano, conseguiu o acesso à divisão intermediária do Campeonato Paulista, atual série A-2, onde permaneceu por mais cinco anos. A equipe teria o direito de jogar a Série A-1 no ano de 1987, porém a inscrição da equipe foi barrada pela Federação Paulista de Futebol por causa da falta de estádio adequado para a realização das partidas.

Em 1992, o "Mandi", como é popularmente conhecido - peixe comum no interior do Estado, e que também serve como mascote do clube de Mogi Guaçu - retornou à Segunda Divisão, mas não disputou a competição no ano seguinte, pois o Estádio Municipal Alexandre Augusto Camacho, que recebe até hoje as partidas da equipe, não obedecia à capacidade mínima de dez mil espectadores. Além disso, o clube passou por uma crise financeira que impediu os investimentos necessários para disputar a competição.

Por estas razões, o Atlético Guaçuano voltou à última divisão do futebol paulista em 1994, onde permaneceu por muitos anos, e conquistou o título da Quinta Divisão (atualmente extinta). Em 1996, o clube chegou ao quadrangular final da competição, mas não conquistou nenhuma das duas vagas. Em 2001, conseguiu acesso para a Quinta Divisao, após remanejamento realizado pela Federação Paulista de Futebol. Em 2011 a equipe finalmente consegue o acesso a terceira divisão paulista série A-3 [2]

Principais jogadores[editar | editar código-fonte]

Mascote[editar | editar código-fonte]

Mogi Guaçu, originalmente grafada como Moji-Guaçu - nasceu às margens do rio que lhe empresta o nome, e sua existência se deve diretamente a esta localização privilegiada. O rio Mogi Guaçu recebeu essa denominação dos indígenas que habitavam a região, e significa “Grande Rio Que Serpenteia”, em Tupi-Guarani. Quando surgiu a ideia de uma mascote para o Clube Atlético Guaçuano, a escolha só poderia recair sobre algo relacionado a ele. Nascia o “Mandi”, peixe característico encontrado no rio e também conhecido como bagre ou surubim.

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

Os rivais do Guaçuano, contra quem realiza os principais clássicos, são o Mogi Mirim[3], o Paulínia[4][5] e a Itapirense[6].

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Goleiros
Jogador
Brasil Bruno T
Brasil Vinícius
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Cássio Borges Z
Brasil Rodrigo Z
Brasil Mateus Nascimento Z
Brasil Maycon Oliveira LD
Brasil Matheus Diniz LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Rodolfo V
Brasil Thiago Rogério V
Brasil Samuel M
Brasil Silva M
Brasil Guilherme Santos M
Brasil Denis M
Atacantes
Jogador
Brasil Peu
Brasil Iago
Brasil Jonathan
Brasil Andre Silva
Brasil Caio Basilio
Brasil William Vinicius
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil João Batista T

Títulos[editar | editar código-fonte]

Nacionais[editar | editar código-fonte]

  • Brasil Campeão do Torneio da Amizade
* Como Chaminé Clube.

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Categorias de base[editar | editar código-fonte]

  • AmparoBand.jpg Campeão da Copa Jaburu de Amparo (Sub-15)
  • São Paulo Campeão da Copa Jaburu (Sub-17)

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Equipe profissional
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última A Aumento R Baixa
São Paulo Campeonato Paulista Série A2 6 Sem dados 1982 1987 ?
Série A3 12 Sem dados 1975 2014 ? ?
Segunda Divisão 12 Sem dados 1977 2011 ? ?
Série B2 8 Sem dados 1996 2004 ? ?
Série B3 1 ?º colocado (2001) 2001 2001 ?
Copa Paulista 1 Primeira fase (2012) 2012 2012

Competições estaduais

  • Anos na Série A2: 1982-1987
  • Anos na Série A3: 1975-1976, 1980-1981, 1988-1992 e 2012-2014
  • Anos na Segunda Divisão: 1977-1979, 1994-1995 e 2005-2011
  • Anos na Série B2: 1996-2000 e 2002-2004
  • Anos na Série B3: 2001
  • Anos que jogou a Copa Paulista: 2012

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]