Eleição presidencial no Brasil em 1918

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eleição presidencial brasileira de 1918
  1914 ← Flag of Brazil.svg → 1919
1º de março de 1918
Rodrigues Alves 3.jpg Nilo Peçanha 02.jpg
Candidato Rodrigues Alves Nilo Peçanha
Partido PRP PRF
Natural de Guaratinguetá, São Paulo Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro
Votos 386 467 1 768
Porcentagem 99% 0,45%


Coat of arms of Brazil.svg
Presidente do Brasil

A eleição presidencial brasileira de 1918 foi a oitava eleição presidencial e a sétima eleição presidencial direta. Foi realizada em 1º de março nos vinte estados da época e no Distrito Federal. Os resultados foram divulgados no dia 6 de julho. A eleição transcorreu em clima de paz, no dia 1º de março de 1918, com chapa única, e a posse, conforme a Constituição, estava prevista para 15 de novembro de 1918, porém o vencedor não chegou a assumir o cargo pois adoeceu e depois morreu em 1919, durante a pandemia de gripe espanhola. Seu vice, Delfim Moreira, assumiu o cargo até que uma nova eleição fosse realizada. Mesmo sem registro formal, outros candidatos foram votados com 1% dos votos nominais.

Processo eleitoral da República Velha (1889-1930)[editar | editar código-fonte]

De acordo com a Constituição de 1891 que vigorou durante toda a República Velha (1889-1930), o direito ao voto foi determinado a todos os homens com mais de 21 anos que não fossem analfabetos, religiosos e militares.[1] Mesmo tendo o direito de voto estendido a mais pessoas, pouca parcela da população participava das eleições.[2] A Constituição de 1891 também declarou que todas as eleições presidenciais seriam realizadas em 1º de março.[3] A eleição para presidente e vice eram realizadas individualmente, e o mesmo poderia se candidatar para presidente e vice.

Durante a República Velha, o Partido Republicano Paulista (PRP) e o Partido Republicano Mineiro (PRM) fizeram alianças para fazer prevalecer seus interesses e se revezarem na Presidência da República, assim, esses partidos na maioria das vezes estiveram a frente do governo, até que essas alianças se quebrassem em 1930. Essas alianças são chamadas de política do café com leite.[4]

Nessa época, o voto não era secreto, e existia grande influência dos coronéis - pessoas que detinham o Poder Executivo municipal, e principalmente o poder militar da região. Os coronéis praticavam a fraude eleitoral e obrigavam as pessoas a votarem em determinado candidato. Com isso, é impossível determinar exatamente os resultados corretos.[5]

Candidaturas[editar | editar código-fonte]

Para Presidente da República, cento e trinta e um (131) nomes foram sufragados, mas apenas o advogado, ex-presidente pelo PRP e ex-membro do Partido Conservador do período monarquíco Rodrigues Alves se candidatou formalmente. Representando a oposição o ex-presidente e positivista Nilo Peçanha e o escritor liberal Ruy Barbosa também foram votados. Para vice-presidente, cento e vinte e dois (122) nomes foram sufragados, destacando-se o advogado Delfim Moreira e o militar Dantas Barreto.

Resultados[editar | editar código-fonte]

A população aproximada em 1918 era de vinte e oito milhões e novescentas mil de pessoas (28.900.000), sendo um milhão e setescentos e vinte e seis (1.726.000) eleitores, dos quais compareceram trezentos e noventa e cinco mil (395.000), representando 1,37% da população.

Eleição para presidente do Brasil em 1918 Eleição para vice-presidente do Brasil em 1918
Candidato Votos Porcentagem Candidato Votos Porcentagem
Rodrigues Alves 386.467 99% Delfim Moreira 382.491 99,42%
Nilo Peçanha 1.768 0,45% Dantas Barreto 376 0,09%
Ruy Barbosa 1.044 0,27% Ruy Barbosa 222 0,03%
Outros 962 0,25% Outros 1.582 0,41%
Votos nominais 390.241 Votos nominais 384.735
Votos brancos/nulos 4.749 Votos brancos/nulos 10.265
Total 395.000 Total 395.000
Fonte:[6]

Nota geral: os valores são incertos (ver processo eleitoral).

Referências

  1. Constituição de 1891. Cola da Web. Acessado em 14/10/2011
  2. Cidadania no Brasil: o longo caminho. José Murilo de Carvalho. Página 40. Google Books. Acessado em 14/10/2011.
  3. Constituição dos Estados Unidos do Brasil de 1891. Art. 47. Wikisource. Acessado em 14/10/2011.
  4. Política do café com leite. História do Brasil - UOL Educação. Acessado em 14/10/2011.
  5. Coronelismo. História do Brasil - UOL Educação. Acessado em 14/10/2011.
  6. Eleição Presidencial - 1º de março de 1918 (Sexta-feira). (Pós 1945) Acessado em 20/10/2011.
Bibliografia
  • PIRES, Aloildo Gomes. ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS NA PRIMEIRA REPÚBLICA - UMA ABORDAGEM ESTATÍSTICA. Salvador: Autor (Tipografia São Judas Tadeu), 1995.
  • DEPARTAMENTO DE PESQUISA DA UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ. PRESIDENTES DO BRASIL (DE DEODORO A FHC). São Paulo: Cultura, 2002.
Ícone de esboço Este artigo sobre eleições ou plebiscitos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.